A mera veiculação, ou reprodução de matérias e entrevistas no todo ou em parte, não significa necessariamente, a adesão às ideias nelas contidas, nem a garantia da ortodoxia de seus conteúdos. Todas postagens e comentários são de inteira responsabilidade de seus autores primários, e não representam de maneira alguma, a posição do blog. Tal material deve ser considerado à luz do objetivo informativo desta página.
Home » , » O que dizer das "profecias do Padre Oliveira?" Devemos dar crédito absoluto ou relativo?

O que dizer das "profecias do Padre Oliveira?" Devemos dar crédito absoluto ou relativo?

Written By Beraká - o blog da família on domingo, 15 de outubro de 2023 | 11:44






Por *Francisco José Barros Araújo 





Quem não já viu ou ouviu alguma postagem nas redes sociais sobre as "Profecias do Padre Oliveira?" Esse misterioso Sacerdote Gaúcho tomou os holofotes dos ambientes Católicos após "supostamente ter previsto" o falecimento de Bento XVI. Mas, o grande motivo da popularidade súbita destas visões - até pouco tempo inteiramente desconhecidas - é que teria sido revelado a este Padre que, após alguns conflitos, o Brasil seria salvo do Comunismo por Nossa Senhora. Sabemos que as revelações privadas tem um papel importante na Igreja, como as visões de Santa Margarida Maria Alacoque, que trouxeram ao grande público a santa devoção ao S. Coração de Jesus, ou a importantíssima mensagem de N. S. de Fátima. Mas quais devem ser os critérios para nortear os fiéis católicos quando ouvem falar em revelações privadas, ou particulares? Logo após Bento XVI ter feito sua páscoa definitiva para a vida eterna, os Católicos viram inúmeras publicações nas redes sociais a respeito das profecias de um tal “Padre Oliveira”. Este suposto e misterioso Padre supostamente gaúcho, teria previsto - e acertado - a data do falecimento de Joseph Ratzinger. Mas o principal motivo que alçou estas visões desconhecidas ao estrelado foi uma profecia que diga-se de passagem, “ainda não se cumpriu”:

 

 

 

Segundo o Padre Oliveira, após um período de provação, Nossa Senhora salvaria o Brasil do Comunismo. Uma previsão belíssima que todos nós gostaríamos de crer, sem dúvida! Mas em matéria de revelações privadas, a recomendação constante da Igreja sempre foi: "duvide até que se demonstre cabalmente" sua autenticidade!


 


 


 




É bom que se esclareça aqui com todas as letras que, embora nenhuma revelação seja estritamente obrigatória a sua credibilidade, ainda que reconhecidas pela igreja, elas não são passíveis de excomunhão automática, porém, também, nenhum fiel católico tem o direito de ignorar ou negar, aquelas que foram reconhecidas oficialmente, como por exemplo, Nossa Senhora de Fátima em Portugal,  N. Sra das Graças na França, N. Sra de Guadalupe no México, entre outras. Porém, contudo, entretanto, todavia, a credulidade fanática e excessiva é tão nociva quanto a incredulidade! É preciso analisar as supostas profecias e revelações particulares com muita cautela e isenção de ânimo, a fim de nos indagarmos sobre sua possível autenticidade. E isso está faltando em não poucos dos fiéis que divulgam as previsões do Padre Oliveira - que permanece blindado sob a égide do anonimato, o que já torna tudo muito suspeito, pois debanda para as especulações. Como muitos são os fiéis os quais desejam efetivamente, que Nossa Senhora salve o Brasil do Comunismo, apegam-se desesperadamente a esta suposta profecia com uma Fé Sobrenatural que só deveriam ter na Revelação Divina reconhecida pela igreja expressa nas Escrituras, Tradição e Sagrado Magistério, e o que é pior, já rotulam de incrédulo, infiel, e excomungam quem duvida de sua autenticidade. Numa live que o Lucas Gelasio fez no canal Déia e Tiba, ele explicou bem detalhadamente como são as visões do Padre Oliveira e o porque foi criado esse "pseudônimo". Talvez porque o padre sabia que as pessoas não escutariam a integridade das visõe, e sim, apenas a parte que teriam interesse. Surgiro que você mesmo(a) pesquise e veja a primeira live que Lucas Gelásio fez, para entender o contexto. Ele mesmo (o suposto padre Oliveira),  diz que "não é profeta e que as visões e locuções não são profecias". Por exemplo, na visão que o tornou conhecido, é assim que ele descreve a visão que teve, onde viu o Papa emérito Bento XVI sendo preparado para o velório, e viu o período de 2022-2023. Então, ele se perguntou: “será que o Papa irá para a casa do Pai...” e colocou uma interrogação (que foge ao método tradicional de profetizar, que é afirmativo e contundente!). Essa foi sua suposta visão, ou seja, em momento algum ele afirmou que isso aconteceria de forma cabal, nem que era uma profecia, e assim acontece às suas demais visões. Muitos tem colocado palavras e observações como sendo do suposto padre Oliveira, que não correspondem com a verdade. Portanto, devemos antes de qualquer conclusão precipitada, confirmar e atentar para com o que realmente foi visualizado e exposto em fontes fidedignas, sem especular, pois como o próprio Lucas afirmou: algumas visões são meramente especulativas, pois não são muito claras. Fica portanto a advertência  de Pe. Paulo Ricardo: "a Prudência é a mãe das virtudes", e duvidar de revelações privadas, não reconhecidas pela igreja, é e sempre será, uma atitude prudente e sensata, principalmente sabendo que o bom povo Brasileiro, principalmente os mais simples, são por sua cultura, demasiado crédulos! E infelizmente, há por aí muita gente oportunista, de boa e má fé, a ganhar dinheiro por conta dessa “credulidade!” - Veja o esclarecedor vídeo abaixo de Lorenzo Lazzarotto:








Profecias do Padre Oliveira? O Que pensar? O QUE DIZ O SAGRADO MAGISTÉRIO?



Por Lorenzo Lazzarotto  - o fiel Católico











 

 

Logo após Bento XVI ter deixado esta terra, os Católicos viram inúmeras publicações nas redes sociais a respeito das 'Profecias do Padre Oliveira'. Este misterioso Padre gaúcho teria previsto – e acertado – a data do falecimento de Joseph Ratzinger. Mas o principal motivo que alçou estas visões desconhecidas ao estrelado foi uma profecia que (ainda) não se cumpriu: "Segundo o Padre Oliveira, após um período de provação, Nossa Senhora salvaria o Brasil do Comunismo". Uma previsão belíssima que todos nós gostaríamos de crer, sem dúvida! Mas, em matéria de revelações privadas, a prudente recomendação constante da Igreja sempre foi: 




"Duvide, até que se demonstre cabalmente sua autenticidade concreta e completa!”




 





Se por um lado, seria errado manter a posição que São Luís Maria Grignion de Montfort condena no 'Tratado da Verdadeira Devoção':  a dos fiéis "críticos" que pura e simplesmente descartam toda aparição ou revelação como sendo falsa (não é o caso do Apostolado Berakash). Diante dos elementos sobre humanos (milagres não explicáveis pela medicina, credulidade de Santos, aprovações por parte do Magistério), embora nenhuma revelação seja estritamente obrigatória, nenhum fiel tem o direito de temerariamente ignorar, por exemplo, a mensagem de Nossa Senhora de Fátima ou a autenticidade do manto de Guadalupe.




"Mas a credulidade excessiva é tão nociva quanto a incredulidade! É preciso analisar as supostas profecias com muita cautela e isenção de ânimo, a fim de nos indagarmos sobre sua possível autenticidade."




E isso está faltando em não poucos dos fiéis que divulgam as previsões do Padre Oliveira - que permanece blindado sob a égide do anonimato. Como muitos são os fiéis os quais desejam que, efetivamente, Nossa Senhora salve o Brasil do Comunismo, apegam-se a esta suposta profecia com uma Fé Sobrenatural que só deveriam ter na Revelação  (Escritura, Tradição e Magistério) e taxam de incrédulo quem impugna tal autenticidade (ainda não confirmada). Não é porque desejamos que algo seja verdade que será.

 



Fonte: o fiel Católico

 




Por que a Igreja "não obriga a crer nas aparições marianas?"

 



Por Pe. Paulo Ricardo











"Ninguém é obrigado a crer com fé católica em revelações privadas, por não fazerem parte do depósito sagrado que Deus revelou de uma vez para sempre à Igreja Católica."

 



Para entender por que a Igreja Católica não obriga os fiéis a crer em revelações privadas, mesmo que sejam célebres e bem atestadas, como as de Lourdes ou de Fátima, é importante saber que a fé se diz em três sentidos principais [1]:




1) De um lado, há o que se chama fé humana, que, em linhas gerais, é a que prestamos a uma verdade cuja evidência não vemos por nós mesmos, mas aceitamos pelo testemunho ou pela autoridade de outra pessoa. É por fé humana, por exemplo, que sabemos da existência de Roma, embora nunca tenhamos posto os pés na Itália, ou que um aluno dá por verdadeiro um teorema que ainda não é capaz de demonstrar. No primeiro caso, é a convergência de testemunhos (fotos, mapas, documentários etc.) que torna razoável crer que Roma existe; no segundo, é a autoridade do professor que dá ao aluno segurança para aceitar, antes de poder demonstrá-las, as estranhas fórmulas que vê na lousa.




2) De outro lado, há o que se chama fé católica, que se deve às verdades reveladas por Deus aos homens por meio de Cristo e dos Apóstolos, ou seja, da Igreja. A fé católica se assemelha em parte à fé humana quanto ao seu motivo, que neste caso é uma autoridade, não a de qualquer um, mas de Deus. Cremos em algo porque Ele o disse. A diferença é que, se a autoridade humana pode falhar (isto é, equivocar-se no que diz ou ter a intenção de enganar), a de Deus não. Por isso a nossa fé é certíssima. Afinal, Deus não se engana nem engana ninguém. No entanto, para aceitarmos com fé católica uma determinada verdade, é necessário que ela:



-Se funde numa revelação pública ou universal, feita a toda a Igreja.



-Reconhecida infalivelmente como tal pela Igreja e proposta pelo Magistério, solene ou ordinário, para ser crida por todos os cristãos.



-E na qual todos os cristãos estamos obrigados a crer para sermos salvos.










3) Por último, há o que se chama fé meramente divina, que se deve a uma revelação privada ou pessoal, na qual está obrigado a crer apenas aquele a quem é ela certamente dirigida, mesmo que a Igreja prudencialmente a reconheça como autêntica. A fé meramente divina se assemelha à católica também quanto ao motivo, que é a mesma autoridade divina. De fato, quem recebe uma revelação privada deve crer nela, se tem certeza de que é Deus quem lhe fala. A diferença é que, enquanto a fé católica se refere ao que Deus revelou aos fundadores da Igreja para toda a Igreja, a meramente divina se refere ao que Ele quis revelar a esta pessoa particular, ainda que em proveito de toda a Igreja numa época determinada.




Daí se vê que ninguém pode ser obrigado a crer com fé católica nas revelações privadas, quaisquer que sejam elas, uma vez que não fazem e nunca farão parte do depósito sagrado que Deus revelou de uma vez para sempre à Igreja Católica, depósito ao qual, depois da morte do último Apóstolo (João), jamais se acrescentará um só iota.










Tampouco, estão obrigados a prestar assentimento de fé divina a revelações privadas os fiéis a quem elas não foram imediata e certamente dirigidas, embora convenha prestar-lhes assentimento de fé humana, na medida em que a autoridade da Igreja julga prudente reconhecê-las como autênticas, isto é, livres de todo indício razoável de fraude, engano, manipulação, e de quaisquer elementos que contradigam o conteúdo da revelação pública. Assim, não peca contra a fé quem não crê nas revelações de Fátima ou em outras aparições marianas particulares, embora nisto possa haver certa indocilidade temerária ao Magistério eclesiástico, quando ele mesmo reconhece a autenticidade de tais manifestações e as propõe aos fiéis, especialmente pela Liturgia, como dignas de fé e conformes à doutrina cristã.





Diz a esse respeito um autor antigo:




"Quando revelações privadas são aprovadas pela Igreja, não são aprovadas para serem cridas indubitavelmente, mas como prováveis. Deve-se dizer que, quando estas revelações são aprovadas pela Igreja, não são aprovadas para que lhes prestemos assentimento com certeza de fé, mas para que as acolhamos como prováveis. Não para que sejam aceitas como de fé, mas porque nelas não se contém nada contrário à fé ou aos bons costumes. De resto, quanto a fatos particulares, são propostas como prováveis, porque promovem a piedade dos fiéis e não contêm nenhum absurdo. Dizer, porém, depois da aprovação da Igreja, que elas contêm falsidades é grande temeridade e presunção [2].





Quanto a supostas "revelações que ainda não foram examinadas pela autoridade da Igreja" e sobre as quais, portanto, não existe nenhum juízo, quer negativo ou positivo, sirvam de regra os seguintes princípios:





Sejam rejeitadas totalmente, junto com seu autor, as revelações nas quais se acha uma única pregação falsa. Isto se depreende de Deut. 18,20ss - onde se diz: “O profeta que, corrompido pela arrogância, quiser dizer em meu nome o que eu lhe não mandei dizer, ou falar em nome dos deuses estranhos, será morto. Se tu disseres no teu coração: Como posso eu conhecer a palavra que o Senhor não disse? Terás este sinal: Se o que aquele profeta predisse em nome do Senhor, não sucedeu, o Senhor não disse; o profeta, por presunção do seu ânimo, o inventou; por isso, não o temerás” 



Destas palavras se depreende que se pode inferir facilmente, de uma só parte falsa da pregação ou da revelação, que o profeta é um impostor, o qual ou mereceu, por sua arrogância, ser iludido pelo demônio ou quis impiamente iludir a outros. Ora, se cai a autoridade da pessoa, cai com isso a fé em suas palavras. As revelações que, em suas doutrinas ou promessas, dispõem os pecadores a postergar da penitência não vêm de Deus. Esta característica dos pseudoprofetas é descrita em Jeremias  23,14-17) - com essas palavras: 




“Aos profetas de Jerusalém vi coisas horríveis: o adultério, a mentira; fortificaram as mãos dos malvados, para que nenhum se convertesse da sua maldade. Tornaram-se todos para mim como Sodoma, e os moradores de Jerusalém como Gomorra. Portanto, isto diz o Senhor dos exércitos acerca dos profetas: Não queirais ouvir as palavras dos profetas, que vos profetizam! Enganam-vos, contam as visões do seu próprio coração, e não (o que sai) da boca do Senhor. Dizem aqueles que me desprezam: O Senhor disse: Vós tereis a paz! E a todos aqueles que seguem a perversidade do seu coração dizem: Não virá sobre vós mal algum...”




A estas falsas profecias pertencem aquelas revelações que prometem aos pecadores, pela prática de certas "devoçõezinhas" exteriores, a assistência divina e conversões na hora da morte, ou, ensinam outros "supostos caminhos" para o céu desprezando o caminho reto e estreito da cruz, revelado por Cristo [3].



 

CUIDADO PARA NÃO CRIARMOS UM “MAGISTÉRIO PARALELOAO JÁ AUTÊNTICO, COMPROVADO, E SAGRADO MAGISTÉRIO DA IGREJA!



 



 

1Tm 6,20: “ Timóteo, guarda o depósito da fé, evita as vãs conversas profanas e as contradições da falsa ciência, que alguns professam e desviaram-se da verdadeira fé...”

 




 





Se já é difícil conhecermos e estudarmos todo o sagrado magistério da Igreja em seus documentos, imagine um MAGISTÉRIO PARALELO com revelações e interpretações particulares de certos “gurus” (pesquisem sobre as terríveis consequências das revelações particulares em "Palmar de Troya" na Espanha). Na dúvida, opte sem pensar duas vezes, pelo já comprovado sagrado magistério da Igreja expresso principalmente no Catecismo da Igreja Católica...A propósito: Você o conhece? Tem em sua casa? Já o leu completamente? Se não, antes de entregar toda sua fé a revelações particulares, sua prioridade é conhecer a sã doutrina da Salvação que está neste "documento BASILAR" da igreja.










*Francisco José Barros Araújo – Bacharel em Teologia pela Faculdade Católica do RN, conforme diploma Nº 31.636 do Processo Nº  003/17








CATÁLOGO DE LIVROS: https://amzn.to/3vFWLq5




Referências






1.Cf. Pe. Santiago Ramírez, OP, De fide divina. Salamanca: San Esteban, 1994, p. 74s, n. 78.



2.Pe. Eusébio Amort, De revelationibus, visionibus et apparitionibus privatis regulæ tutæ, Augsburgo, Martim Veith (ed.), 1754, p. 33 (grifos nossos).



3Id., p. 4s (grifos nossos).

 





Fonte:https://padrepauloricardo.org/episodios/por-que-a-igreja-nao-obriga-a-crer-nas-aparicoes-marianas




GOSTOU Do APOSTOLADO berakash?  QUER SER UM (A) SEGUIDOR (a) E RECEBER AS ATUALIZÇÕES EM SEU CELULAR, OU, E-MAIL?

 

 

Segue no link abaixo o “PASSO-A-PASSO” para se tornar um(a) seguidor(a) - (basta clicar):

 

 

https://berakash.blogspot.com/2023/10/como-ser-um-ser-um-seguidor-e-ou.html

 

 

Shalom!












.............................................

 





 

APOSTOLADO BERAKASH - A serviço da Verdade: Este blog não segue o padrão comum, tem opinião própria, não querendo ser o dono da verdade, mas, mostrando outras perspectivas racionais para ver assuntos que interessam a todos. Trata basicamente de pessoas com opiniões e ideias inteligentes, para pessoas inteligentes. Ocupa-se de ideias aplicadas à política, a religião, economia, a filosofia, educação, e a ética. Ele constitui uma tentativa de manter um pensamento crítico e independente sobre literatura,  questões culturais, e em geral, focando numa discussão bem fundamentada sobre temas os mais relevantes em destaques no Brasil e no mundo. A mera veiculação, ou reprodução de matérias e entrevistas deste blog não significa, necessariamente, adesão às ideias neles contidas. Tal material deve ser considerado à luz do objetivo informativo deste blog, não sendo a simples indicação, ou reprodução a garantia da ortodoxia de seus conteúdos. As notícias publicadas nesta página são repostadas a partir de fontes diferentes, e transcritas tal qual apresentadas em sua origem. Este blog não se responsabiliza e nem compactua com opiniões ou erros publicados nos textos originais. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com as fontes originais para as devidas correções, ou faça suas observações (com fontes) nos comentários abaixo para o devido esclarecimento aos internautas. Os comentários devem ser respeitosos e relacionados estritamente ao assunto do post. Toda polêmica desnecessária será prontamente banida. Todos os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam, de maneira alguma, a posição do blog. Não serão aprovados os comentários escritos integralmente em letras maiúsculas, ou CAIXA ALTA. A edição deste blog se reserva o direito de excluir qualquer artigo ou comentário que julgar oportuno, sem demais explicações. Todo material produzido por este blog é de livre difusão, contanto que se remeta nossa fonte.Não somos bancados por nenhum tipo de recurso ou patrocinadores internos, ou externo ao Brasil. Este blog é independente e representamos uma alternativa concreta de comunicação. Se você gosta de nossas publicações, junte-se a nós com sua propaganda para que possamos crescer e fazer a comunicação dos fatos, doa a quem doer. Entre em contato conosco pelo nosso e-mail abaixo, caso queira colaborar de alguma forma:

 

 

 

 

filhodedeusshalom@gmail.com

Curta este artigo :

+ Comentário. Deixe o seu! + 1 Comentário. Deixe o seu!

Anônimo
25 de outubro de 2023 às 09:14

Isso mesmo: "Se já é difícil conhecermos e estudarmos todo o sagrado magistério da Igreja em seus documentos, imagine um MAGISTÉRIO PARALELO com revelações e interpretações particulares de certos “gurus”

Waldemar - PE

Postar um comentário

Todos os comentários publicados não significam a adesão às ideias nelas contidas por parte deste apostolado, nem a garantia da ortodoxia de seus conteúdos. Conforme a lei o blog oferece o DIREITO DE RESPOSTA a quem se sentir ofendido(a), desde que a resposta não contenha palavrões e ofensas de cunho pessoal e generalizados. Os comentários serão analisados criteriosamente e poderão ser ignorados e ou, excluídos.

TRANSLATE

QUEM SOU EU?

Minha foto
CIDADÃO DO MUNDO, NORDESTINO COM ORGULHO, Brazil
Neste Apostolado APOLOGÉTICO (de defesa da fé, conforme 1 Ped.3,15) promovemos a “EVANGELIZAÇÃO ANÔNIMA", pois neste serviço somos apenas o Jumentinho que leva Jesus e sua verdade aos Povos. Portanto toda honra e Glória é para Ele.Cristo disse-nos:Eu sou o caminho, a verdade e a vida e “ NINGUEM” vem ao Pai senão por mim" (João14, 6).Defendemos as verdade da fé contra os erros que, de fato, são sempre contra Deus.Cristo não tinha opiniões, tinha a verdade, a qual confiou a sua Igreja, ( Coluna e sustentáculo da verdade – Conf. I Tim 3,15) que deve zelar por ela até que Ele volte(1Tim 6,14).Deus é amor, e quem ama corrige, e a verdade é um exercício da caridade. Este Deus adocicado, meloso, ingênuo, e sentimentalóide, é invenção dos homens tementes da verdade, não é o Deus revelado por seu filho: Jesus Cristo.Por fim: “Não se opor ao erro é aprová-lo, não defender a verdade é nega-la” - ( Sto. Tomás de Aquino).Este apostolado tem interesse especial em Teologia, Política e Economia. A Economia e a Política são filhas da Filosofia que por sua vez é filha da Teologia que é a mãe de todas as ciências. “Não a nós, Senhor, não a nós, mas ao vosso nome dai glória...” (Salmo 115,1)

POSTAGENS MAIS LIDAS

SIGA-NOS E RECEBA AS NOVAS ATUALIZAÇÕES EM SEU CELULAR:

TOTAL DE ACESSOS NO MÊS

ÚLTIMOS 5 COMENTÁRIOS

ANUNCIE AQUI! Contato:filhodedeusshalom@gmail.com

SÓ FALTA VOCÊ! Contato:filhodedeusshalom@gmail.com

SÓ FALTA VOCÊ! Contato:filhodedeusshalom@gmail.com
 
Support : Creating Website | Johny Template | Mas Template
Copyright © 2013. O BERAKÁ - All Rights Reserved
Template Created by Creating Website Published by Mas Template
Proudly powered by Blogger