A mera veiculação, ou reprodução de matérias e entrevistas deste blog não significa, necessariamente, adesão às ideias neles contidas. Tal material deve ser considerado à luz do objetivo informativo deste blog, não sendo a simples indicação, ou reprodução a garantia da ortodoxia de seus conteúdos. Os comentários devem ser respeitosos e relacionados estritamente ao assunto do post. Toda polêmica desnecessária será prontamente banida. Todos os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam, de maneira alguma, a posição do blog. Não serão aprovados os comentários escritos integralmente em letras maiúsculas, ou CAIXA ALTA. A edição deste blog se reserva o direito de excluir qualquer artigo ou comentário que julgar oportuno, sem demais explicações. Todo material produzido por este blog é de livre difusão, contanto que se remeta nossa fonte.
Home » » Conheça os princípios básicos DO APOSTOLADO E BLOG O BERAKASH e junte-se a nós no combate contra a atual DITADURA DO RELATIVISMO!

Conheça os princípios básicos DO APOSTOLADO E BLOG O BERAKASH e junte-se a nós no combate contra a atual DITADURA DO RELATIVISMO!

Written By Beraká - o blog da família on domingo, 24 de fevereiro de 2013 | 13:20







RESUMO DOS PRINCÍPIOS DO APOSTOLADO BERAKASH:






"Somos Católicos Apostólicos Romanos, e como Católicos fieis ao SAGRADO MAGISTÉRIO, somos contra a esquerda, contra a direita, e contra o centro, quer na desgraçada e bem corrupta política civil, quer na política eclesiástica, que também não vive na graça de Deus quando faz opções ideológicas estranhas ao evangelho de Cristo. Somos contra o Panteísmo, a Gnose, doutrinas reencarnacionistas, contra ideologias ateias, amorais e não Cristãs, bem como a todas as falsas doutrinas, tipo: Teologia da Prosperidade ( I Tim6,10), somente a fé negando as boas obras (Tiago 2,14-26), somente as escrituras negando a tradição (Mt 2,23; At 20,35; Tg 4,5; Jo 21,25; At 2,42; 1Ts 2,13; 2Ts 2,15; 2Tm 2,2; 1Cor 11,2),e somente a graça sem colaboração alguma por parte do Cristão (IIPedro 1,5 – 11; Filip 2,12) e principalmente negamos a ante bíblica livre interpretação das escrituras (II Pedro 1,20) que pulveriza o Cristianismo em várias seitas contraditórias entre si. Negamos também a doutrina do arrebatamento protestante(1Ts 4,16-17; Ap 1,7; Ap 22,12; Mt 24,27.30; Mt 25,31; 1Ts 4,15; 2Pd 3,10; At 1,11; Jo 5,28-29), que propõe não duas vindas de Cristo, mas três, o que é completamente infundada e não encontra respaldo nas escrituras destas três vindas de Nosso Senhor Jesus Cristo. O verdadeiro católico fiel ao sagrado magistério de sempre da Igreja, acredita na natureza humana, em princípios morais sólidos, fundamentados na tradição de nossa civilização, uma ordem moral herdada e testada na história de nossos antepassados e sobre a qual construímos o nosso presente, tendo em vista o futuro. Cremos no valor desta sã tradição e dos bons costumes, e sobre este alicerce firme assentamos nossa opinião política, desejosa sempre da ordem social e do bem comum. Cremos também que apesar das falhas humanas de seus membros, a Moral Católica é o melhor que há para o desenvolvimento das virtudes e para a constituição de uma ordem moral e social justa e correta, objetivando a salvação do homem todo e de todos os homens, para isto o meio por excelência é aquele ordenado por Cristo: Ide e evangelizai (Mateus 16,15).









O que é Evangelizar para a Igreja?



“Evangelizar, para a Igreja, é levar a Boa Nova a todas as parcelas da humanidade, mas para a Igreja não se trata tanto de pregar o Evangelho a espaços geográficos cada vez mais vastos ou populações maiores em dimensões de massa, mas de chegar a atingir e como que a modificar pela força do Evangelho os critérios de julgar, os valores que contam, os centros de interesse, as linhas de pensamento, as fontes inspiradoras e os modelos de vida da humanidade, que se apresentam em contraste com a Palavra de Deus e com o desígnio da salvação.” (Evangelii Nuntiandi Nº 18-19. Papa Paulo VI)



QUAL O MAIOR DESAFIO DA IGREJA HOJE ?



“Certamente, a Igreja já fez, está fazendo muito no campo social, e precisará fazer mais ainda. Mas, é preciso que fique claro: não é essa a missão originária, "própria” da Igreja, como repete expressamente o Vaticano II (cf. GS 42,2; e ainda 40,2-3 e 45,1). A missão social é, antes, uma missão segunda, embora derivada, necessariamente, da primeira, que é de natureza "religiosa”. Essa lição nunca foi bem compreendida pelo pensamento laico. Foram os Iluministas que queriam reduzir a missão da Igreja à mera função social. Daí terem cometido o crime, inclusive cultural, de destruírem celebres mosteiros e proibido a existência de ordens religiosas, por acharem tudo isso coisa completamente inútil, mentalidade essa ainda forte na sociedade e até mesmo dentro da Igreja. Agora, se perguntamos: Qual é o maior desafio da Igreja?, Devemos responder: É o maior desafio do homem: o sentido de sua vida. Essa é uma questão que transcende tanto as sociedades como os tempos. É uma questão eterna, que, porém, hoje, nos pós-moderno, tornou-se, particularmente angustiante e generalizada. É, em primeiríssimo lugar, a essa questão, profundamente existencial e hoje caracterizadamente cultural, que a Igreja precisa responder, como, aliás, todas as religiões, pois são elas, a partir de sua essência, as "especialistas do sentido”. Quem não viu a gravidade desse desafio, ao mesmo tempo existencial e histórico, e insiste em ver na questão social "a grande questão”, está "desantenado” não só da teologia, mas também da história.”- ( Frei Clodovis M. Boff).










POR QUE A REVELAÇÃO CRISTÃ É PLENAMENTE SUPERIOR A OUTRAS RELIGIÕES TAIS COMO: Judaísmo, Islamismo, Hinduísmo e Budismo ?



“A Igreja reconhece nas outras religiões a busca, "ainda nas sombras e sob imagens", do Deus desconhecido, mas próximo, pois é Ele quem dá a todos vida, respiração e tudo o mais, e porque quer que todos os homens sejam salvos. Assim, a Igreja considera tudo o que pode haver de bom e de verdadeiro nas religiões "como uma preparação evangélica dada por Aquele que ilumina todo homem para que, finalmente, tenha a vida".(Catecismo da Igreja Católica § 843).



Caros irmãos e irmãs em Cristo,em outras palavras, o Cristianismo é a vitória da razão no mundo das religiões,pois como a Igreja se pronuncia muito bem a respeito das religiões não – cristãs. Lá Deus também é procurado e encontrado não em plenitude ,mas nas sombras, e com sementes da verdade.Isto não significa que a hegemonia do Cristianismo sobre as demais religiões seja fruto unicamente da nossa Igreja Católica, pois o grande referencial de todas as denominações cristãs é o próprio Jesus Cristo,o poder da Igreja vem de Cristo.Ou seja, o nome de Cristo tem poder e importância maior que o de Maomé ou Moises ou de qualquer outro líder religioso da História.Cristo é um nome sem igual, o único que provou ser Deus,morreu por afirmar isto publicamente.É correto afirmar que o Cristianismo é a religião revelada por Deus e por um Deus que viveu entre nós como um humano,que teve uma trajetória de vida extraordinária desde o nascimento, perseguido por Herodes, até a sua morte na cruz.Imaginemos todos os mártires da Igreja, que foram mortos por se recusarem à prestar culto ao imperador de Roma,crendo que somente Cristo é aquele que se deve adoração.É para se pensar: "porque aqueles homens e mulheres que já acreditavam em Cristo e que Ele é o filho de Deus, por que preferiam morrer do que simplesmente abandonar o Cristianismo e se tornarem pagãos ?"


Isto prova que mais do que qualquer outra religião, o Cristianismo apesar de suas divisões,e fraquezas e erros de seus membros, conseguiu prosperar em virtudes, e incontáveis exemplos de santidade,e com isso o Cristianismo mudou o mundo,humanizou e moldou a nossa civilização ocidental com valores perenes e seguros.

O cristianismo é superior às outras religiões? 



Sim !!! Toda a minha obra tem sido um esforço para mostrar que o cristianismo é superior e não apenas mais uma mitologia. Na mitologia, uma multidão enfurecida se mobiliza contra bodes expiatórios responsabilizados por alguma crise enorme. O sacrifício da vítima culpada pela violência coletiva encerra a crise e funda uma nova ordem ordenada pelo divino.



A violência e o uso de bodes expiatórios estão sempre presentes na definição mitológica do próprio divino:



É verdade que a estrutura dos Evangelhos é semelhante à da mitologia, em que uma crise é resolvida por uma única vítima que une todos contra ela, reconciliando assim a comunidade. Como pensavam os gregos, o choque da morte da vítima provoca uma catarse que reconcilia. Ele extingue o apetite pela violência. Para os gregos, a morte trágica do herói permite a volta das pessoas comuns à sua vida pacata. Entretanto, nesse caso, a vítima é inocente e os “vitimizadores” são culpados. 



A violência coletiva contra o bode expiatório como ato fundador, sagrado, revela-se uma mentira. Cristo redime os “vitimizadores” ao suportar seu sofrimento, implorando a Deus para “perdoá-los porque eles não sabem o que fazem”(Acontecimento ímpar que não vemos em nenhuma outra religião).Ele se recusa a pedir a Deus para vingar sua vitimação com uma violência recíproca. Prefere mostrar a outra face.



A vitória da cruz é a vitória do amor contra o ciclo de violência do bode expiatório. Ela invalida a idéia de que o ódio é um dever sagrado(Doutrina comum no Islamismo).Os Evangelhos fazem tudo o que a Bíblia, no Velho Testamento, fez antes, reabilitando um profeta vítima, uma vítima erroneamente acusada. Mas eles também universalizam essa reabilitação. Eles mostram que, desde a fundação do mundo, as vítimas de todos os assassinos ao modo da Paixão foram vítimas do mesmo contágio de multidão, como Jesus. Os Evangelhos tornaram essa revelação completa porque dão à denúncia bíblica da idolatria uma demonstração concreta de como os falsos deuses e seus sistemas culturais violentos são gerados. Essa é a verdade que destrona o panteão de deuses da mitologia, a verdade que coloca em xeque o violento ciúme entre estes deuses mitológicos, contrário ao amor trinitário do Pai, Filho e Espírito Santo revelado por Jesus em sua encarnação.



Espero que entendam que não é mera superioridade de sermos melhores que todos, ou sermos a ÚLTIMA COCA COLA GELADA DO DESERTO, mas esta superioridade é em relação a PLENITUDE DA REVELAÇÃO E SALVAÇÃO que só se deu no Cristianismo, em virtude de seu fundador: Cristo o Deus encarnado.


1)-Cristianismo: Deus se fez Carne e por amor morreu na Cruz por todos - Incluindo todos estes fundadores destas Religiões que precisam da Salvação Operada por Cristo.Cristo morreu condenado na Cruz porque se dizia ser o Próprio Deus, o que era considerado uma blasfêmia pelo Judaísmo (Eu Sou: João 8,24; Marcos 14,62).


2)- Judaísmo: Foi a religião de Preparação para  Vinda de Cristo.Nos deixou o legado dos Profetas, os 10 mandamentos e as lições do Antigo testamento.Não tem a Plenitude da Revelação dada em Cristo.


3)-Budismo: Buda não é Deus,e nem teve interesse de fundar religião, basta ler a história do budismo e vemos apenas uma pessoa que durante toda sua vida tentou entender o PORQUE do Sofrimento e tentou libertar-se dele.Buda precisou da Salvação operada por Cristo.



4)- Islamismo: É apenas uma seita Judaica.Maomé também não era deus, e nunca se julgou deus, apenas queria juntar a Nação Àrabe sob o monoteísmo. Maomé precisa também da Salvação operada por Cristo na Cruz.


5)- Hinduismo: É politeista, acredita em vários deuses, e defende o sistema injusto de Castas pela doutrina da Re-encarnação. Todos os hindus precisam da Salvação operada por Cristo.



6)-Espiritismo: Religião filosófica, fundada por Allan Kardec que também precisa de Salvação operada por Cristo.



Entendam que não estou querendo desvalorizar estas e outras religiões, que respeito e reconheço nelas sementes da verdade, porém não a plenitude da Verdade, que só foi revelada Plenamente no Cristianismo. Nem quero com isto negar os erros dos membros da Igreja, mas isto não anula a plenitude da revelação em Cristo. Ele Cristo pela sua vida, paixão e morte, revelou e ensinou o que era certo, já nós os seus seguidores somo falhos e cometemos muitas falhas.



I - Neste Apostolado promovemos a “EVANGELIZAÇÃO ANÔNIMA", pois neste serviço somos apenas o Jumentinho que leva Jesus e sua verdade aos Povos.


Portanto toda honra e Glória é para Ele.Cristo disse-nos:Eu sou o caminho, a verdade e a vida e “ NINGUÉM” vem ao Pai senão por mim." ( João, 14, 6).


Como Católicos,defendemos a verdade, contra os erros que, de fato, são sempre contra Deus.


Cristo não tinha opiniões, tinha e é a própria a verdade, a qual confiou a sua Igreja, ( Coluna e sustentáculo da verdade – Conf. I Tim 3,15) que deve zelar por ela até que Ele volte.


Quem nos acusa de falta de caridade mostra sua total ignorância na Bíblia,e de Deus, pois é amor, e quem ama corrige, e a verdade é um exercício da caridade.



Entretanto, sobre dureza, rispidez e caridade, seria preciso dizer algo:


O romantismo sentimentalóide desprovido de racionalidade difundiu entre os católicos a ideia de que a caridade é incompatível com a dureza do combate contra a heresia. Não é aqui o lugar para escrever um tratado sobre este tema. Destaco apenas alguns argumentos e alguns exemplos tirados do Evangelho:


Com efeito, no Evangelho de São Mateus, quando ele conta que os fariseus também iam ao Jordão receber o batismo de São João Evangelista, este os recebe com um impropério:


Raça de víboras, quem vos ensinou a fugir da cólera de Deus?” (Mt 3, 7).


Esse é o primeiro diálogo entre um santo e os fariseus nos Evangelhos. Teria São João faltado com a caridade ? Afinal, os fariseus não estavam vindo confessar seus pecados e pedir o batismo a São João ? E foi assim que aquele que Nosso Senhor disse “o maior homem nascido de mulher” recebe outros homens que vem a ele como pecadores que se diziam arrependidos? Evidentemente, São João Batista tinha caridade em grau heróico, e a caridade não excluía o uso de palavras duríssimas. E mesmo ríspidas.


E Nosso Senhor Jesus Cristo, Ele que é nosso modelo de vida e de comportamento, Ele que era manso e humilde de coração, como tratava Ele certos inimigos de Deus ?



É de todo conhecimento de qualquer Cristão que ler a bíblia que Nosso Senhor expulsou os vendilhões do Templo. Ele os chicoteou, derrubou suas mesas, e os expulsou aos gritos em atitudes nada diplomáticas, com normas de etiqueta ou ecumênicas:



“E tendo feito um como azorrague de cordas, e expulsou a todos do Templo, e às ovelhas e aos bois, e deitou por terra o dinheiro dos cambistas e derrubou as mesas”(Jo 2, 13).


Teria Cristo sido bruto, rude, ríspido, sem caridade ou sem misericórdia? É claro que não.

Logo, a caridade não exclui nem o uso de palavras duras, nem mesmo o uso da força física. Seus encontros e discussões com os fariseus devem nos servir de modelo, porque Ele é em tudo nosso modelo.


Ora, como tratou Cristo aos fariseus ? Ele os amaldiçoou por diversas vezes, dizendo-lhes:


“Ái de vós, escribas e fariseus hipócritas” (Mt 23). Os “Ái de vós ...” são maldições. No Evangelho de São João especialmente, fica patente a luta terrível entre Nosso Senhor e os fariseus que ele chama de “serpentes e raça de víboras” (Mt 23, 33) e de “sepulcros caiados” (Mt. 23, 27)


Cristo os acusa de serem filhos do demônio e não filhos de Abraão. Veja o texto:

“Vós sois filhos do demônio e quereis fazer a vontade de vosso pai” (Jo 7,44).


E como poderiam eles ser filhos do demônio, se o diabo, sendo um anjo, não pode ter filhos ? É porque são filhos do demônio aqueles que querem fazer a sua vontade, a do diabo, e não a vontade de Deus.Porque os maus formam com o diabo,enquanto permanecem firmes no pecado e na má fé,um como que ‘Igreja de satanás’, uma “Sinagoga de Satanás” como está escrito e revelado pelo próprio Cristo no Apocalípse 2, 9.


Podemos acusar que Nosso Senhor e nosso divino mestre de usar palavras duras e contra a caridade ?Portanto, a caridade não exclui o uso de palavras duras e mesmo de rispidez, em certos casos, em que se deve combater os inimigos de Deus.


E quem são os inimigos de Deus?



São os hereges, aqueles que ao invés de alimentar os fiéis com o pão da verdade lhes dão a mentira por alimento. Este Deus adocicado,meloso,ingênuo, e sentimentalóide,é invenção dos homens tementes da verdade, não é o Deus revelado por seu filho: Jesus Cristo.


Santo Agostinho dizia: "A verdade sempre na caridade, mas JAMAIS devemos negar a verdade a alguém em nome da caridade."


Por fim: “Não se opor ao erro é aprová-lo, não defender a verdade é nega-la” - ( Sto. Tomás de Aquino)



II - DAS FALSAS ACUSAÇÕES CONTRA A SANTA IGREJA CATÓLICA – Coluna e sustentáculo da Verdade(I Tim 3,15) e defesa do Nosso apostolado:



É muito comum a hipocrisia dos protestantes que pousam de bonzinhos aqui neste apostolado: Começam dizendo que não ficariam em "discussões vãs", mas em seguida discutem e só argumentam a favor da suas seitas protestantes, que aliás nuca revelam os nomes. A qual delas pertencem ? Será que é a Dos primeiros dias? Dos últimos dias? Ou do sétimo dia?


Graças a Deus, não tenho nenhuma dúvida sobre a Igreja Católica Apostólica Romana, que é a única verdadeira Igreja de Nosso Senhor Jesus Cristo (Mateus16,18).E quanto mais estudo, mais tenho certeza disso.



Os Hereges de ontem e hoje sempre foram aqueles que pregaram contra a Fé ou contra a moral ensinada por Jesus Cristo e seus legítimos sucessores: Os Bispos e Santos Padres da Igreja.


E em São Paulo se lê que ele manda fechar a boca de certos hereges (Epist. a Tito,1, 10) Na I carta a Timóteo São Paulo ataca os que propagam a mentira (I Tim. 4, 1-3). São Paulo também acusa que alguns naufragaram na Fé e diz:



"Desse número são Himeneu e Alexandre, os quais entreguei a satanás para que aprendam a não blasfemar" (I Tim. I, 20).



Também é falso e revanchista o que se diz da Igreja Católica ter manchado suas mãos em sangue, pois as cruzadas foram guerras santas como as de Moisés,Davi e dos Macabeus, que Deus louvou e abençoou em momentos difíceis e necessários da História.



É falso, infundado e carente de fontes fidedignas e imparciais o que se diz da Inquisição, que não matou milhares de pessoas na fogueira coisa nenhuma. Em Toulouse, foco da heresia cátara, em 100 anos foram condenados à morte 42 hereges em cem anos, e destes 42 a maioria foi de forma simbólica, pois queimavan-se apenas um boneco, já que muitos após concluir o processo já haviam morrido de outras causas naturais.


O problema é que os inimigos da Igreja andam lendo gibis e lorotas, e não livros sérios de História.Estes e principalmente os Protestantes deveriam ler a Bíblia com alguém que o orientem corretamente sem parcialidade, mas buscando unicamente a verdade.


Pois este tipo de leitura parcial e deturpado, faz mais mal do que bem, pois é como se você lesse um livro de cirurgia e quisesse a partir desta leitura operar alguém.




Como Deus é bom e misericordioso ao permitir-se utilizar-se deste seu servo mais inútil e pecador ao ver um fruto de agradecimento nascido de minhas postagens,na sua grande maioria por falta de tempo copiadas de outros sites, e às vezes escritas na solidão de meu birot e lançadas ao mundo pela internet, sem saber que olhos as lerão, sem saber que fruto terão nos leitores espalhados no Brasil e no mundo afora.Tudo isto equivale ao labutar de um lavrador que lança sementes à noite, num campo que não vê, e que não pode nem ao menos depois verificar o resultado, e de hábito, sem poder colher a seara.Só no dia do juízo ver-se-ão os frutos que este mísero e insignificante apostolado semeou na Internet e nos corações de alguns, de sorte que, chegando agradecimentos e reconhecimentos pelos inúmeros comentários como podem conferir no link dos comentários dos leitores, que só me motivam a continuar neste caminho.Deus às vezes me permite ver os frutos bons, numa alma que eu não conhecia. Como me permite entrever que existem tantas outras pessoas abandonadas às quais este apostolado está ajudando sem o saber.Sem falsa modéstia e humildade, é claro que o lavrador sabe que pela qualidade da semente, com toda a certeza, e que lançando a boa semente, virá o bom fruto pela graça de Deus, tocando a pessoas e afervorando outras.Temos soprado brasas que estavam apagando, e suscitado labaredas de amor a Deus e à Santa mãe Igreja. Temos dado apoio a canas torcidas, que estavam para quebrar.





Este blog não tem figurinhas, não tem anjinhos esvoaçando,nem muito menos espiritualidade emotiva e desencarnada.Tem textos doutrinários longos. Reconheço que é um blog polêmico, devido a certas circunstâncias nada ecumênico, pois não defendemos o IRENISMO.Porém, consegue que pessoas com quem debateu, escrevam-nos, depois, agradecendo, e nos elogiando.Isto só nos motiva a ficar escrevendo horas e horas a fio, discutindo, debatendo, incentivando, lutando, entre injúrias e ofensas, conclamando a Igreja militante para a luta em defesa da verdadeira fé.



Fazemos isto com o respaldo do magistério da Igreja conforme está exposto no decreto do CONCÍLIO VATICANO II “APOSTOLICAMACTUOSITATEM” Nº 6 (SOBRE O APOSTOLADO DOS LEIGOS):


“Aparecendo na nossa época novos problemas e grassando gravíssimos erros que ameaçam inverter profundamente a religião, a ordem moral e a própria sociedade humana, este S. Sínodo exorta de coração todos os leigos, conforme a capacidade intelectual e a formação de cada qual, que, segundo a mente da igreja, assumam mais conscienciosamente as suas responsabilidades no aprofundamento dos princípios cristãos, na sua defesa e na adequada aplicação dos mesmos aos problemas de nossa época”.



III - “JESUS NÃO FUNDOU UM MOVIMENTO ECUMÊNICO ABERTO ÀS DOUTRINAS DO FARISAISMO, SADUCEISMO, E PAGANISMO”.


Jesus foi combativo aos erros de seu tempo, e os denunciou claramente sem meias verdades para não ofender aos outros. Quando precisou ser duro, foi duro.


Jesus ORDENOU aos Apóstolos: “Ide e ensinai”, Jesus não mandou: “Ide e dialogai”, ou Ide e sede evangelizados. Os portadores da Boa Nova somos nós os Cristãos.


Cristo condenou o caminho largo, com facilidades e disse que seguíssemos o caminho estreito do combate e da incompreensão. Ele nos disse: No mundo tereis tribulações, mas coragem !!!


IV - A IGREJA CATÓLICA NÃO TEM PARTIDO POLÍTICO:



E como Católicos, “Somos contra a esquerda, contra a direita, e contra o centro quer na desgraçada e bem corrupta política civil, quer na política eclesiástica, que também não vive na graça de Deus.Somos Católicos Apostólicos Romanos. Por isso somos contra todas as heresias e erros de esquerda e de direita, tanto do Comunismo, como do Capitalismo selvagem.Somos contra o Panteísmo e contra a Gnose.”


Muitos começam a ler algumas matérias no meu blog têm raiva. Depois começam a se divertir com a derrota dos sofistas e falácias dos ateus, protestantes e espíritas que por aqui aparecem .


Finalmente, acabam por compreender que estamos numa luta, e como disse São Pio X a respeito de alguns católicos briguentos de seu tempo acusados de serem violentos:


“Que se quereria? Que numa guerra se trocassem gentilezas? Numa guerra se dão golpes duros.”


E, visando a conversão das almas e a retratação dos inimigos da Fé, tenho esperança que Deus compensará meus pecados e defeitos e abençoará o fim que viso:


“Pregando a Verdade e confirmando os irmãos na verdadeira fé, com a graça de Deus construir Catedrais nas almas para que nelas possam habitar o Espírito Santo de Deus” ( Pierre de Craon).




Saibam amados irmãos em Cristo, que a única coisa que almejamos e desejamos, não é polemizar, mas a conversão sincera a Cristo e à sua única e verdadeira Igreja ( conf. Mateus 16,18).Só a Igreja Católica é Mãe e Mestra, porque é a única esposa de Cristo. Só a Igreja Católica ensina o amor desinteressado à verdade e às almas, sem esperar nada em troca.


Se muitos hoje abraçam o protestantismo, a seitas e falsas doutrinas para os mais diversos gostos e deixam a Santa mãe Igreja, ÚNICA esposa de Cristo, e fundada por Cristo sobre PEDRO e não por homens sobre a areia, é porque o Mundo está numa decadência sem igual. O mundo está mergulhado na imoralidade e no orgulho.E é este o maior pecado de Satanás: Saber que está errado, mas não se arrepende.E esta decadência começou com Lutero, que mandava seu fiel servo Melanchton PECAR SEM REMORSO, quando dizia, em carta, escandalosamente: "Crê firmemente e peca muitas vezes!" - Dizia isso o horroroso ex-frei de Wittenberg, que casou com a ex-freira Catarina, escandalizando até os amigos mais chegados. E o mesmo herege Lutero permitiu até a bigamia do landgrave de Hesse, para não perder o apoio dos príncipes. Permitir o pecado, para poder dominar.Baixeza igual só no Império Romano decadente, que vivia da gula e da luxúria, pois já não tinha batalhas a vencer, nem reinos a conquistar. Eles já dominavam tudo com sua imoralidade e sua opulência.Nessa época os homens já não tinham Deus no coração,só pensavam em dominar as nações. Mas a Luz, que ilumina todo homem, nasceu para tirar as trevas do mundo, e os poucos que eram fiéis a Deus o receberam no presépio. Em particular a Virgem, que se fez escrava e que, por isso, foi feita Rainha, pois Deus exalta os humildes e resiste aos soberbos. (I Epístola de S. Pedro 5, 5).



Portanto é  impossível levar o protestantismo a sério, porque, quem lê um folheto protestante dirigido a Igreja Católica, lamenta o baixo nível das argumentações, e acusações sempre imprecisas,sem fontes seguras, vagas, ou mesmo tendenciosas; afirmam gratuitamente sem provar as suas acusações; baseiam-se em premissas falsas, datas fictícias, ou no famoso OUVI DIZER QUE...etc.Realmente: “O Jesus dos Evangélicos não é o mesmo  Jesus dos evangelhos.”







V - SER CONSERVADOR DA MORAL E BONS COSTUMES SEM PRECISAR SER CONSERVADORISTA: CEGO, ENGESSADO E FANÁTICO:




Sou adepto do Verdadeiro Conservadorismo, este conjunto de bons valores e sentimentos herdados, esta maneira de ver o mundo e compreender a ordem social segundo uma tradição constante e correta de interpretar os acontecimentos à luz da Palavra de Deus e da Sagrada tradição sob o magistério da Igreja.




Ora, segundo o grande teórico do Conservadorismo Russell Kirk, no seu Dez Princípios Conservadores, o conservador acredita na natureza humana, em princípios morais sólidos, fundamentados na tradição de nossa civilização, uma ordem moral que herdamos de nossos antepassados e sobre a qual construímos o nosso presente, tendo em vista o futuro, o conservador crê no valor da tradição, dos costumes, e sobre este alicerce firme assenta sua opinião política, desejosa sempre da ordem social e do bem comum.




O segundo motivo é que sou católico. E como católico, sou adepto e defensor dos princípios morais fundamentais da minha religião. Creio que a Moral Católica é o melhor que há para o desenvolvimento das virtudes, para uma vida digna e para a constituição de uma ordem moral e social justa e certa. Creio piamente nos preceitos morais da Santa Madre Igreja.



Alguns Conservadores fanáticos e de pensamento engessado caem em um erro parecido com o dos protestantes:




Os protestantes falavam da “sola Scriptura” como norma remota da Revelação e do “livre exame” como norma próxima, destruindo a Tradição e o Magistério sob o mesmo princípio.



Alguns atuais Conservadores parecem que têm como norma a “sola Traditio” e, como norma próxima, o livre exame, isto é, o que eles mesmos dizem ao selecionarem as partes do magistério mais cômodas e que justifiquem sua conduta, que pertence ou não à Tradição, aplicando o mesmo princípio protestante do “livre exame” à Bíblia e ao Magistério.Por isso, estão em conflito com o que desde sempre foi o próprio coração da Tradição, que é o Primado INTEGRAL dos Papas(Do passado e do presente), desde o “Tu és Pedro e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja” (Mt 16,18), passando por Santo Inácio de Antioquia aos cristãos de Roma: “ estejam purificados de todo matiz estranho...e preside na caridade”, até o nosso atual papa, esta atual sucessão e tradição, quer queiram ou não, é legítima.


E assim como, paradoxalmente, os protestantes com a “sola Scriptura” ficaram sem a Escritura integral os conservadores fanáticos , analogamente, com a “sola Traditio” ficaram sem a Tradição integral e verdadeira, mas apenas com partes dela.


Ora, quem tem autoridade, dada por Cristo, para dizer que algo é ou não é de fé? Os atuais Conservadores que se arrogam tal direito ou os sucessores de Pedro?Os que estudaram este tema (Cf. F. Marín Solá. O.P., Evolución homogénea del dogma católico, Ed. BAC, Madrid),provam que é o Magistério da Igreja o que torna explícito o que estava implícito.








Além disso, deve-se dizer que esta evolução acidental não pode ser parada, já que é obra do Espírito Santo. Parece-nos que não é nenhuma proposta sábia considerar que tudo se arrumaria voltando o rito codificado por São Pio V, que a Bíblia só fosse lida em latim, que o último catecismo católico fosse o “Catecismo Romano”.



Até um certo ponto acho positivo o VERDADEIRO E INTEGRAL CONSERVADORISMO,mas a partir do do momento em que vira puritanismo Cego e descamba para o extremismo excludente ,intransigência,ruptura e descontinuidade com criticas e visões parciais da realidade e da modernidade, fica completamente negativo e mutilado este mesmo conservadorismo manco.



Ser conservador é estar vigilante com relação à manutenção dos bons princípios, da ética e da moral social fundamentada nos valores Cristãos. Mas ser extremista e Conservador fanático ao meu ver significa não respeitar o livre arbítrio e as liberdades individuais. Ser conservador ao extremo é não respeitar as diferenças, é ser preconceituoso com aqueles que pensam diferente, é ser ditador, é querer impor suas ideias e não a Tradição Integral da Igreja a força.




Não é mal ser um bom Conservador,ao contrário, é bom resgatar valores que se perderam ao longo do tempo, mas veja bem “VALORES”. Digo isso, pois junto com esses valores vem muito preconceito, preconceito esse que devemos deixar no passado, junto com tudo de ruim (e sem anacronismos) que alguns de nossos líderes como filhos de seus tempos o fizeram.








O problema do conservadorismo radical é que este trava a igreja em normas e pensamentos que não condizem mais com a nossa realidade. E se seguimos uma única igreja, não podemos ter dois discursos. O que acontece atualmente é que alguns Conservadores radicais falam uma língua e a nossa igreja outra.E entre esses dois discursos, é mais prudente ficar com o discurso “oficial”da Igreja em seu santo e sagrado magistério INTEGRAL de sempre, aliado a tradição e a palavra, do que com discursos isolados, mancos e parciais destes pseudos guardiões da sua própria Tradição,manca e não integral.Não podemos confundir opiniões pessoais dos Papas e autoridades da Igreja (Que estão sujeitas a erros e revisões) com o MAGISTÉRIO DA IGREJA, ao qual o próprio Papa e todas as autoridades da Igreja Católica são submissos. Portanto, entre opiniões pessoais e o magistério, não hesitemos em optar pelo magistério infalível e integral da Igreja, que é seguro e salvífico.”




Significado da palavra hebraica Berakah:



A berakah é a dinâmica da espiritualidade do Antigo e do Novo Testamento.Ela consiste em uma atitude de admiração, agradecimento e louvor da benevolência de Deus que cuida sempre de todas as suas criaturas. A palavra é traduzida no grego cristão como “eucharistia” e “eulogia”.



No latim, como “benedictio” e “gratiarum actio”, e no português como “bênção” e “ação de graças”.A sua formulação pode ser de forma passiva: “Sede bendito Senhor nosso Deus…”; ou de forma ativa: “Eu vos bendigo Senhor nosso Deus…”.




A berakah é testemunhada muitas vezes tanto no Antigo, quanto no Novo Testamento. Escolhemos aqui somente alguns exemplos do Novo Testamento:



1)- Jesus reza uma berakah por ter escolhido os pequeninos (Mt 11, 25-27; Lc 10, 21-22).



2)-Na narração da Eucaristia: “Ele tomou o pão e, tendo recitado a berakah (ação de graças), o partiu e distribuiu…” (Mc 14, 22-24).



3)-Na multiplicação dos pães e dos peixes: “Tomando cinco pães e dois peixes, elevou os olhos aos céus, recitou a berakah (deu graças), partiu os pães e…” (Mc 8, 6-7).



4)- Na ressurreição de Lázaro: “Jesus ergueu os olhos para o alto e disse a berakah (dou-te graças), porque me ouvistes…” (Jo 11, 41).



5) Jesus toma as crianças nos braços, recitando uma berakah” (Mc 10, 16).



6) A carta de S. Paulo aos Efésios 5, 18-20: “Buscai a plenitude do espírito. Falai uns aos outros com salmos, hinos e cantos espirituais, cantando e louvando o Senhor em vosso coração, sempre e por tudo, dando graças a Deus, o Pai, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo”.



7) em Colossenses 3, 17: “Tudo que fizerdes de palavra ou ação, tudo fazei dando graças a Deus”.




O cristão deve rezar a berakah sempre e por todas as coisas:




Diante de todas as coisas, sem exceção, o cristão deve pronunciar uma berakah, isto é, louvar a Deus e agradecê-lo, em nome de Jesus Cristo. Não existe algo que não seja uma ocasião da berakah, também as realidades negativas, como a doença e a injustiça, a tristeza e a dor, são motivos para louvar e bendizer a Deus, em vez de enclausurar-se sobre si mesmo e no desespero.




A berakah é a expressão de uma inteligência transparente que vê toda a realidade sob uma nova luz e tem o poder de “fazer novas todas as coisas”.

Bendizer a Deus pelo mal não é fatalismo, mas reação à sua negatividade, coenvolvendo Deus em qualquer situação vivencial. A berakah transforma o profano em sacro, os objetos em dons, e as coisas em palavras de amor. Graças à berakah, o universo torna-se um grande santuário, em que se deve penetrar, contemplando-o com amor e respeito.




Desde o despertar, abrir os olhos, levantar-se, vestir-se, ficar de pé, lavar-se, comer, beber, cheirar uma flor, encontrar um amigo ou um inimigo, sair ou voltar de casa, até deitar-se; sempre e por tudo “demos graças ao Senhor nosso Deus”, porque é “coisa boa e justa”:




“Na verdade, é justo e necessário, é nosso dever e salvação, dar-Vos graças sempre e em todo o lugar, Senhor, Pai Santo, Deus eterno e todo-poderoso, por Cristo, Senhor nosso” (Diálogo do Prefácio).




Não existe coisa ou ação que não possa ser transfigurada pela berakah, até as necessidades fisiológicas:




 “Sede bendito Senhor nosso Deus, Rei do mundo, que formastes o homem com sabedoria e criastes nele orifícios e canais… Sede bendito Senhor, que cuidais das criaturas de modo maravilhoso”.




Essa oração sobre as necessidades fisiológicas abre uma nova e importante missão ao cristão.Enquanto a cultura atual tende a banalizar as realidades vitais, como o matrimônio, o nascimento e a morte, o homem de Deus pode opor uma força nova que transforma tudo, tudo consagrando a Deus, fonte e origem, causa e razão de todas as coisas.




A BERAKAH define a TRÍPLICE RELAÇÃO com: DEUS, com o mundo e com seus semelhantes.A berakah, não somente impede que se separe DEUS do homem e do mundo, nem o homem de DEUS e do mundo, nem o mundo de DEUS e do homem, mas, mantém unido e inseparável os três pólos:



DEUS       -      O HOMEM        -      E O MUNDO.




Em relação ao homem e ao mundo, DEUS é a fonte e a norma. Cria o homem e o mundo, e estabelece sua modalidade de usufruto e de multiplicação GN. 1,28.


Em relação a DEUS e ao mundo, o homem é o intérprete e beneficiário, isto é: é o objeto da atenção Divina e destinatário dos bens da terra.Em relação a DEUS e ao homem, o mundo é DOM, isto é: sinal da benevolência Divina e DOM concreto para o homem.Com a oração da berakah, o israelita reconhece estes três pólos, e a qualidade de suas relações, as quais interagem entre si.



SUA EXPRESSÃO: “Sê bendito SENHOR nosso DEUS e ou: Eu te bendigo, SENHOR nosso DEUS”




Na Berakah reconhece-se a DEUS como “origem e proprietário das coisas “ , o mundo como  DOM  que deve ser compartilhado, os homens como irmãos com os quais participa do único banquete da vida.Assim sendo a berakah, capta a verdadeira finalidade do mundo, e se põem como condição para a realização do REINO.



EXEMPLOS: Mt.11,25-27: “Eu te louvo ó PAI, SENHOR do céu”, aqui JESUS dá graças ao PAI por ter escolhido os pequeninos como destinatários da sua revelação.




A berakah é capaz de ver toda a realidade sob uma nova luz, ela é a maior das atividades, porque têm o poder de fazer novas todas as coisas AP. 21:5 – ELE é a fonte de todo o poder, o DEUS TODO PODEROSO.Reconhecer que a palavra traz vida, salvação, sabor e sentido, razão para viver, ela revela o plano do SENHOR para a sua criação. Uma nota: para o judeu, toda a TORÁ é um motivo para a ocasião de berakah.  Ex.: O PACTO, O TEMPLO, A PROMESSA MESSIÂNICA, a vinda esperado do Messias, conforme CT. 8,14.




O judeu é chamado a bendizer o SENHOR diante das situações dolorosas, ou trágicas, não porque tem prazer nos sofrimentos, mas porque tem a esperança inabalável na vinda do MESSIAS, O LIBERTADOR DE ISRAEL.(  Neste particular, sugiro um estudo muito sincero, sem partidarismo , com o livro de ROMANOS , cap. 10 e 11.), e eles , somente por esta promessa , é que eles são capazes de fazer uma berakot, nas situações mais negativas possíveis.




Nós Cristãos também somos chamados a assim proceder, em todas as situações contrárias porque, temos promessas eternas, superiores a este mundo, temos a esperança de que seremos arrebatados e livres da ira de DEUS, e uma das certezas maiores de que  JESUS nunca nos deixará , e estará conosco por todos os dias de nossa peregrinação nesta terra , através do ESPÍRITO SANTO.  Mas nos aprofundemos mais na berakah.



BERAKAH E O DOM: bendizer a DEUS pelo pão é reconhecer sua paternidade, em vez de atribuí-lo ao esforço e inteligência do homem, diga-se: “o pão não é do homem, mas de DEUS”. Ao fazermos a berakah, negamos ao homem o direito de propriedade das coisas, e o atribuímos a DEUS, isto é: renunciamos a uma relação possessiva produtiva fora do próprio EU.A berakah faz uma ruptura, tira do homem o poder sobre as coisas, e as confia nas mãos de DEUS, está é a sua primeira conseqüência: a passagem do próprio centro, para DEUS.DEUS é o proprietário, o verdadeiro dono das coisas, o homem é apenas um beneficiário, está é a sua relação com as coisas criadas por DEUS. 




A berakah nos leva agora a um segundo nível:


A PASSAGEM DA POSSE À ACEITAÇÃO- o mundo não é do homem, mas ele pode servir-se dele. As coisas não lhe pertencem, porém ele pode habitá-la, mas: dispor-se a acolhida, renunciar a autonomia, ou o espírito de posse exige disponibilidade ao dono, isto é: a capacitação de aceitação das coisas de acordo com uma lógica de gratuidade.  A benção restitui à criatura a sua situação de Dom. Segue-se o seguinte exemplo da MIDRASH: Um diálogo de Abraão ao hospedar peregrinos ou andarilhos: Abraão os hospedava e depois que comiam e bebiam dizia-lhes: “BENDIZEI”, eles perguntavam, como?  Ele lhes respondia: dizei “Bendito seja o DEUS ETERNO porque comemos do que é seu”. Se eles aceitavam e bendiziam, comiam, bebiam e iam embora, mas se não quisessem bendizer, dizia-lhes ABRAÃO: PAGAS O QUE DEVE. Eis o sentido. A midrash diz, onde há benção, há gratuidade , onde não há , prevalece a relação de mercado : “Pagas o que deve”. Uma nota: a ausência da benção rebaixa as coisas à sombria consistência de instrumentos e de mercadoria.


A BERAKAH E A PARTILHA: No livro de êxodo 16:14, quando os israelitas viram uma coisa miúda, granulosa ,fina como a geada da terra , disseram entre si: “que é isso “, MOISÉS, lhes respondeu : “é o pão que JAVÉ vos dará como alimento”, mas acrescentou Moisés , o que DEUS ordenara que cada um colhesse, o quanto bastasse para comer por uma pessoa, uma medida necessária para aquele dia , uma medida, nem mais, nem menos.  Em ÊXODO  16,19, Moisés disse-lhes: ‘ninguém guarde para amanhã seguinte “, com isto está nos querendo dizer que: não somente não se deve TER demais , mas também, não deve haver preocupação com o dia de amanhã, PORQUE? ,porque tanto o  DEMAIS, como o AMANHÃ, contradizem a LÓGICA DO DOM , e impedem a alegria de se apreciar o presente, pois existe a preocupação por ter demais, medo de ser roubado ou de perder, e acabar, e com relação a preocupar-se com o amanhã, o de não deixar nas mãos de DEUS, que é provedor, dependência diária; assim ensinou o pobre de Assis (Francisco) aos da primeira hora do carisma Franciscano.




BERAKAH E A ALEGRIA: A oração da berakah ou da benção, além de expressar a percepção do real como dom que deve ser aceito e participado, traduz também sentimentos de alegria e bem estar. Tudo aquilo que existe, desde a folhinha de erva, até a galáxia, é a expressão da vontade criadora, e organizadora de DEUS, que transforma o caos em cosmos Gn. 1:10. Há uma alegria dupla na berakah, a alegria de saber da benevolência de DEUS, e a percepção do mundo como uma parábola de unidade e harmonia.




A BERAKAH E A PETIÇÃO. O judeu piedoso ao orar, não louva a DEUS somente pelas suas maravilhas e por seus dons, mas também lhes suplica por suas necessidades e por suas infidelidades ( ele reconhece que não pode ser fiel todo o tempo). Louvar é invocar, admirar e pedir, agradecer e suplicar, são estes dois últimos especialmente os dois pólos da prece hebraica, tanto individual como comunitária. Um exemplo, são os livros de salmos, são hinos de louvor, preces de invocação, alguns juntos, louvor e também invocações. Uma nota: a oração de louvor antecede a de petição. A oração de benção é a forma mais perfeita, e completa da prece, ela define DEUS e o HOMEM, DEUS, como aquele que cria e dá o bem, e o homem como aquele que recebe e agradece por ele.A prece da petição da forças ao pobre e ao fraco na sua caminhada neste mundo, no seu calvário. Conserva-lhes a fé em DEUS, e não deixa sucumbir em face das decepções, dá-lhe certeza do triunfo final, da bondade divina, e não o deixa desesperar diante das derrotas, visto que: o homem na sua experiência quotidiana e histórica, não faz somente a experiência do bem, mas é acossado por seu oposto: Trevas, Injustiças, opressão, pecado. Aqui nasce a prece da invocação. A prece da petição faz parte ainda de um tempo em que a nossa natureza ainda não remida, sofre devido às nossas imperfeições da alma e do corpo físico. A oração de petição começa com um louvor a DEUS, e termina também com um louvor a DEUS.





Benção como afirmativa de Deus:O substantivo benção significa na Bíblica Hebraica BeRaKaH. BaRUK, então, significa "o abençoado". As palavras BaRUK e BeRaKaH se derivam ambas da raiz hebraica Bet-Resh-Kaf, que significa "joelho"1. Genuflexão e inclinação são sinais de respeito. No entendimento hebraico, não Deus abençoa a pessoa humana, mas também a pessoa humana louva (abençoa) a Deus, como isso já os Salmos expressam: Assim Te louvarei durante toda a minha vida, levantaeir as mãos no Teu nome (Sl 63,5).




A palavra hebraica BaRUK, daí, chega a ser um atributo que descreve Deus como a fonte de todas as benções.Quem profere uma bênção, expressa espanto e admiração sobre como abençoada é a ação de Deus em nos humanos. Como uma das primeiras promissões, Deus diz a Abraão "[…] Por ti todas as gerações da terra serão abençoadas" (Gn 12,3). Bênção e maldição não só proferem um desejo, mas querem efetuar o que dizem. O efeito, porém, não funciona automaticamente como se fosse um feitiço. Depende de Deus. Enquanto a feitiçaria está sendo estritamente recusada na Bíblia, a bênção joga um papel central. A bênção promete à pessoa humana as coisas pedidas a Deus. Isso é, na Bíblia, primariamente coisa bem concreta, como descendência, fertilidade, colheita boa e bem-estar em geral. Mas também diz coisas abstratas, como paz e felicidade. Anteposta, se pronuncia pela bênção a participação na ação salvadora de Deus.É a vontade de Deus que prevalece na Beraká, e não a do homem,pois assim Cristo nos ensinou no Pai nosso: “Seja feita a vossa vontade.”



Ela é, portanto, uma forma verbal de expressão e concretização do relacionamento com Deus:



Abençoar é também mais que um bom desejo ou a força de pensar positivamente. Como forma de linguagem de fé, a bênção vive da relação a Deus, recebe a força e realidade dessa, encontrando na vontade de Deus a sua margem e limites.A Berakah concede o que a fé aceita de Deus. Confiança contra toda razão como a de Abraão e de Jó, o qual, também no sofrimento, não amaldiçoa a Deus, mas O louva apesar de:



“O Senhor o deu, o Senhor o tirou; louvado seja o nome do Senhor (Jó 1,21)”





ALGUNS MOMENTOS EM EVENTOS FORMATIVOS:







(CURSO RELÂMPAGO : FALSAS DOUTRINAS)


(CURSO DE FORMAÇÃO BÁSICA)







*Caso queira saber mais e participar de nosso apostolado, bem como agendar palestras e cursos em sua paróquia, cidade,pastoral, e ou movimento da Igreja, entre em contato conosco  pelo e-mail:  


filhodedeusshalom@gmail.com



Curta este artigo :

+ Comentário. Deixe o seu! + 4 Comentário. Deixe o seu!

2 de novembro de 2015 00:13

Gostaria de saber porque o catecismo ensina os 10 mandamentos diferentes do que está escrito em Êxodo cap. 20, qual seria a intenção?

2 de novembro de 2015 19:26

Prezado Protestante papagaio de pastor Geraldo Goulart,

CRISTO E A IGREJA MUDOU OS 10 MANDAMENTOS ?


Não queiramos ser legalistas e maiores que Cristo.

Então Cristo mudou ? ao resumir os 10 mandamentos em Dois ?

Ama a Deus acima de tudo e de todos (incluindo dinheiro) e ao próximo como a si mesmo - Ele errou ?

A igreja usou esta forma resumida dos mandamentos de forma PEDAGÓGICA para decorar melhor, já que como está na bíblia é muito difícil decorar tudo.

Vc consegue ?...


Os Dez Mandamentos da Lei de Deus RESUMIDAMENTE são:


1º Amarás a Deus sobre todas as coisas.
2º Não tomarás o Nome de Deus em vão.
3º Santificarás as festas.
4º Honrarás a teu pai e a tua mãe.
5º Não matarás.
6º Não cometerás ADULTÉRIO.
7º Não roubarás.
8º Não dirás falso testemunho.
9º Não pecar contra a CASTIDADE.
10º Não cobiçarás os bens alheios.


Simples assim.

“Pregando a Verdade e confirmando os irmãos na verdadeira fé, com a graça de Deus construo Catedrais nas almas para que nelas possam habitar o Espírito Santo de Deus” ( Pierry de Craon).

11 de junho de 2016 18:14

Prezado Beraká!Parabéns pelo blog.Sou católico e apostólico,mas não romano(sou reformado,calvinista e presbiteriano kkkk só para te irritar um pouquinho kk).Estava pesquisando sobre os salmos e encontrei teu blog,em poucos lugares encontrei uma exposição tão fidedigna,como disse sou presbiteriano e defendo a salmodia,não exclusiva.Porque o Santo Espírito que inspirou os autores do Salmos hoje ilumina pessoas para compor canções belíssimas.As igreja protestantes históricas sempre cantou salmos e hinos congregacionais e hoje muitas delas deram lugar ao "gospel".Na sua declaração de fé(princípios básicos do que Somos) não concordo com tudo(sou protestante kk só para te irritar),mas muita convicta,PARABÉNS!
Que Deus possa derramar da sua Graça e Misericórdia sobre sua vida e família,encerro com uma das solas da reforma(só para brincar com você kk,mas essa Sola você gosta)
Soli Deo Gloria!!!!!!
pode deixar que vou indicar seu blog para muitos protestantes aprenderem,mas só um pouquinho kkk

13 de junho de 2016 09:41

Prezado Protestante Wellington,

Sou Cristão, porém isto não me faz melhor e mais salvo que ninguém, pois diz a palavra de Deus que nem todo aquele que diz Senhor, entrará no reino dos céus (Mateus 7,21), e nos revela também no Salmo 15,2: “SENHOR, quem poderá hospedar-se em teu tabernáculo? Quem há de morar no teu santo monte? Aquele que é íntegro em sua conduta e pratica a justiça, que de coração fala a verdade, e não usa a língua com maledicência, que nenhum mal faz a seu semelhante...", vou sempre a Igreja, não tanto quanto eu deveria ir, adoro Jesus Cristo e amo a sua mãe Maria Santíssima, bem como a todos os Santos provados e comprovados, que não são o caminho, mas SETAS ao longo do verdadeiro caminho que é Cristo, e que para mim, os santos mais que pessoas a pedir favores e milagres pelas suas intercessões junto a Cristo, eles são exemplos a serem imitados conforme o apóstolo Paulo nos pede em I Cor 11,1.Creio que sou apenas um ser humano que deve buscar ser agradável mais a Deus que aos homens,(Conf. Galatas 1,10).Creio que apesar das muitas falhas que tenho, não devo parar nelas e seguir em frente(Conf. Filip 3,13-14).Creio firmemente que Jesus é o único Filho de Deus, e que também é Deus, gerado, não criado, consubstancial ao Pai, que se encarnou e nasceu da virgem Maria por obra da terceira pessoa da Santíssima Trindade o Espírito Santo, que também é Deus. Creio que este mesmo Jesus foi crucificado numa cruz, morrendo por meus pecados e de toda humanidade do passado, presente e do futuro porvir, pagando um preço que eu não posso jamais pagar, e que nenhum outro poderia pagar no seu e meu lugar, creio que Ele ressuscitou dos mortos e que está a direita do Pai a interceder por nós, e que de novo ha de vir uma segunda e última vez para o Juízo final (Conf. Mateus 25,32).Creio que a fé é necessária a salvação,pois sem fé é impossível agradar a Deus (Heb 11,6), porém creio que somente a fé é insuficiente a salvação, pois diz a revelação que a fé sem obras é fé morta(Tiago 2,20). Creio que apesar de sermos salvos pela graça, as obras da fé devem comprovar a fé professada (Efesios 2,10).Creio que como nos revela as escrituras, não seremos julgados pela fé, mas pelas obras da fé não praticadas (Mateus 25,41-42). Creio que Jesus perdoa todos os nossos pecados, e nos ama infinitamente, mas Ele nos diz: " Se você me negar na frente de seus amigos, eu o negarei diante de meu Pai . " (Mateus 10,33). Por fim creio firmemente que Jesus é a verdadeira vida e nosso único Deus e verdadeiro Senhor e salvador, creio que sua palavra é lâmpada para os meus pés e luz para o meu caminho, creio que a sua Igreja fundada sobre Pedro (Mateus 16,18) é a coluna e sustentáculo da Verdade (Conf I Tim 3,15) e que o reino de Deus é a minha meta aqui na terra.

Shalom !!!

Postar um comentário

Conforme a lei o blog oferece o DIREITO DE RESPOSTA a quem se sentir ofendido, desde que a resposta não contenha palavrões e ofensas de cunho pessoal e generalizados.Serão analisadas e poderão ser ignoradas e ou, excluídas.

Quem sou eu?

Minha foto
CIDADÃO DO MUNDO, NORDESTINO COM ORGULHO, Brazil
Neste Apostolado promovemos a “EVANGELIZAÇÃO ANÔNIMA", pois neste serviço somos apenas o Jumentinho que leva Jesus e sua verdade aos Povos. Portanto toda honra e Glória é para Ele.Cristo disse-nos:Eu sou o caminho, a verdade e a vida e “ NINGUEM” vem ao Pai senão por mim." ( João, 14, 6).Como Católicos,defendemos a verdade, contra os erros que, de fato, são sempre contra Deus.Cristo não tinha opiniões, tinha verdades, a qual confiou a sua Igreja, ( Coluna e sustentáculo da verdade – Conf. I Tim 3,15) que deve zelar por elas até que Cristo volte.Quem nos acusa de falta de caridade mostra sua total ignorância na Bíblia,e de Deus, pois é amor, e quem ama corrige, e a verdade é um exercício da caridade.Este Deus adocicado,meloso,ingênuo, e sentimentalóide,é invenção dos homens tementes da verdade, não é o Deus revelado por seu filho: Jesus Cristo.Por fim: “Não se opor ao erro é aprová-lo, não defender a verdade é nega-la” - ( Sto. Tomáz de Aquino)

As + lidas!

 
Support : Creating Website | Johny Template | Mas Template
Copyright © 2013. O BERAKÁ - All Rights Reserved
Template Created by Creating Website Published by Mas Template
Proudly powered by Blogger