A mera veiculação, ou reprodução de matérias e entrevistas deste blog não significa, necessariamente, adesão às ideias neles contidas. Tal material deve ser considerado à luz do objetivo informativo deste blog, não sendo a simples indicação, ou reprodução a garantia da ortodoxia de seus conteúdos. Os comentários devem ser respeitosos e relacionados estritamente ao assunto do post. Toda polêmica desnecessária será prontamente banida. Todos os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam, de maneira alguma, a posição do blog. Não serão aprovados os comentários escritos integralmente em letras maiúsculas, ou CAIXA ALTA. A edição deste blog se reserva o direito de excluir qualquer artigo ou comentário que julgar oportuno, sem demais explicações. Todo material produzido por este blog é de livre difusão, contanto que se remeta nossa fonte.
Home » » Se Deus promete que as MURALHAS de Jerusalém serão reconstruídas, por que não podemos construir muros?

Se Deus promete que as MURALHAS de Jerusalém serão reconstruídas, por que não podemos construir muros?

Written By Beraká - o blog da família on sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017 | 18:19





Realmente não dá para entender a militância de esquerda:


Reclamam que os E.U.A, é tudo que há de pior no mundo, a escória moral e social da humanidade, mas quando o próprio E.U.A, fecham as portas, o que deveria se comemorado pelas esquerdas, pois deixariam de ter mais pessoas adentrando a este “MUNDO INFERNAL” e serem influenciados pela diabólica ótica Capitalista, ficam a esbravejar que nem cachorros loucos pelo "Muro Mexicano" para os americanos ou "Muro da Vergonha" para os mexicanos, que pasmem !!! teve suas obras iniciadas em 1994 e CONTINUOU no governo esquerdizante de Obama...Durma-se com um barulho destes ?...”





Por que só reclamam do muro dos E.U.A ? Por que também não fazem campanha para acabar também com estes muros no link abaixo? E por que os próprios esquerdistas preferem morar em condomínios fechados e em casas cercada de muros e com todo aparato de segurança? Parece aqui valer o velho ditado: “Pimenta nos olhos dos outros, é refresco...”


VEJAM AQUI NO LINK ABAIXO OS PRINCIPAIS MUROS CONSTRUIDOS E ESPALHADOS PELO MUNDO:


https://papodehomem.com.br/37-muros-que-separam-o-mundo/



Nas escrituras a construção de muros é vista de forma positiva:


Salmo 122,6-8:Rogai ao Eterno pela paz de Jerusalém: Prosperem os que te amam, ó Jerusalém! Haja paz dentro das tuas muralhas e segurança em teus palácios. Em favor dos meus irmãos e companheiros, suplicarei: A paz esteja contigo!...”


Salmo 147,12-14: “Glorifica ao SENHOR, Jerusalém! Sião, louva teu Deus! Porque Ele reforçou as trancas de tuas portas e, em teu meio, abençoou teus filhos. Ele, que dá a paz em tuas fronteiras, te sacia com a flor do trigo...”


Isaias 26, 1-3: “Naquele dia será cantado este cântico na terra de Judá: Temos uma cidade forte. Para a defender, o Senhor ergueu muralhas e baluartes. Abri as portas, para que entre um povo justo, que cumpre com os seus compromissos, que tem carácter firme e conserva a paz, porque põe a sua confiança em Deus...”


Isaias 58,12:E os que de ti procederem edificarão as antigas ruínas...”


Apoc 21,10-27: “E levou-me em espírito a um grande e alto monte, e mostrou-me a grande cidade, a santa Jerusalém, que de Deus descia do céu.E tinha a glória de Deus; e a sua luz era semelhante a uma pedra preciosíssima, como a pedra de jaspe, como o cristal resplandecente. E tinha um grande e alto muro com doze portas, e nas portas doze anjos, e nomes escritos sobre elas, que são os nomes das doze tribos dos filhos de Israel. Do lado do levante tinha três portas, do lado do norte, três portas, do lado do sul, três portas, do lado do poente, três portas. E o muro da cidade tinha doze fundamentos, e neles os nomes dos doze apóstolos do Cordeiro. E aquele que falava comigo tinha uma cana de ouro, para medir a cidade, e as suas portas, e o seu muro. E a cidade estava situada em quadrado; e o seu comprimento era tanto como a sua largura. E mediu a cidade com a cana até doze mil estádios; e o seu comprimento, largura e altura eram iguais. E mediu o seu muro, de cento e quarenta e quatro côvados, conforme à medida de homem, que é a de um anjo. E a construção do seu muro era de jaspe, e a cidade de ouro puro, semelhante a vidro puro. E os fundamentos do muro da cidade estavam adornados de toda a pedra preciosa. O primeiro fundamento era jaspe; o segundo, safira; o terceiro, calcedônia; o quarto, esmeralda; O quinto, sardônica; o sexto, sárdio; o sétimo, crisólito; o oitavo, berilo; o nono, topázio; o décimo, crisópraso; o undécimo, jacinto; o duodécimo, ametista. E as doze portas eram doze pérolas; cada uma das portas era uma pérola; e a praça da cidade de ouro puro, como vidro transparente. E nela não vi templo, porque o seu templo é o Senhor Deus Todo-Poderoso, e o Cordeiro. E a cidade não necessita de sol nem de lua, para que nela resplandeçam, porque a glória de Deus a tem iluminado, e o Cordeiro é a sua lâmpada. E as nações dos salvos andarão à sua luz; e os reis da terra trarão para ela a sua glória e honra. E as suas portas não se fecharão de dia, porque ali não haverá noite. E a ela trarão a glória e honra das nações. E não entrará nela coisa alguma que contamine, e cometa abominação e mentira; mas só os que estão inscritos no livro da vida do Cordeiro.”







QUAL O SENTIDO BÍBLICO DA CONSTRUÇÃO E RECONSTRUÇÃO DOS MUROS?


O muro é paradoxal, pois ao mesmo tempo em que representa segurança, pode também passar a impressão de isolacionismo.DEUS levanta um exército de filhos Seus, com o propósito de ser canal da Sua Palavra, amor e graça. Esse exército tem a missão de saquear o inferno e povoar o Céu, sendo responsável pela grande colheita do tempo do fim. É imperioso, porém, que os filhos se tornem um testemunho vivo do poder de DEUS para transformar a natureza humana. Essa transformação deve, necessariamente, atingir o homem integral: espírito, alma e corpo. Em outras palavras, um espírito redimido, uma alma restaurada e um corpo sadio, trazendo todo o ser sob a sujeição de nosso Senhor Jesus Cristo.


Uma das áreas mais negligenciadas, no entanto mais exposta e com a maior manifestação de problema, é a nossa alma, ou personalidade. Muitas vezes alguém até possui uma unção especial em sua vida. mas devido a uma personalidade sem controle, desestruturada, tudo em sua vida é afetado.


Parece existir aquele conflito constante já vivido por Paulo, entre o que a pessoa sabe ser o padrão Divino para a vida cristã e o modo como ele age e reage:


“Porque bem sabemos que a lei é espiritual; mas eu sou carnal, vendido sob o pecado. Pois o que faço, não o entendo; porque o que quero, isso não pratico; mas o que aborreço, isso faço. E, se faço o que não quero, consinto com a lei, que é boa. Agora, porém, não sou mais eu que faço isto, mas o pecado que habita em mim. Porque eu sei que em mim, isto é, na minha carne, não habita bem algum; com efeito o querer o bem está em mim, mas o efetuá-lo não está. Pois não faço o bem que quero, mas o mal que não quero, esse pratico. Ora, se eu faço o que não quero, já o não faço eu, mas o pecado que habita em mim.Acho então esta lei em mim, que, mesmo querendo eu fazer o bem, o mal está comigo. Porque, segundo o homem interior, tenho prazer na lei de Deus; mas vejo nos meus membros outra lei guerreando contra a lei do meu entendimento, e me levando cativo à lei do pecado, que está nos meus membros...”(Romanos 7,14-23)





Esse conflito, vezes sem conta, pode levar-nos a buscar ajuda em um psicólogo ou mesmo psiquiatra. DEUS, contudo, tem um plano para que cada um de Seus filhos receba, dos recursos de Sua graça, uma completa restauração em sua personalidade, de modo que possa refletir a beleza do caráter do Senhor JESUS, que vive no Cristão, na pessoa do ESPÍRITO SANTO.



Nossa personalidade é o reflexo de heranças dos nossos pais, cultura, ambiente, experiências vividas e tudo quanto entrou para nossa formação, antes mesmo do nosso nascimento. O próprio pecado, no qual fomos concebidos, deixou suas tristes marcas, umas mais berrantes, outras menos visíveis. Todos, porém, sem exceção, trazemos o sinal de uma herança pecaminosa.



Quando fazemos aquela experiência marcante do amor e da misericórdia de Deus, e deixamos CRISTO entrar em nossas vidas, muda-se o sentido, a rotas, as nossas motivações e a razão do nosso viver, mas cedo, ou tarde descobrimos que o mundo da alma é complexo e carece de uma obra profunda, gradativa, que nos troque as marcas de uma personalidade doentia pelas virtudes encarnadas de nosso Senhor JESUS CRISTO.



Haverá possibilidades de mudanças permanentes, de libertação, cura interior, e de restauração da nossa personalidade?


Claro que sim. Há recursos superabundantes em DEUS para trazer ao nosso ser inteiro a harmonia por Ele projetada. Iremos doravante, neste aprofundamento formativo, buscar na Palavra de DEUS, tradição e magistério da Igreja, nossa bússola e fonte de toda instrução para a nossa restauração e proteção que Deus quer nos dar.


Os problemas de personalidade têm constantemente causado sérias dificuldades na vida e no relacionamento das pessoas. Como somos seres sociais e não poderemos viver isolados uns dos outros, só há um caminho para uma convivência sadia, dentro do plano de comunhão e unidade que DEUS quer para Seu povo:

ser liberto das cadeias que prendem a alma e ajustá-Ia à Palavra de DEUS. Salomão declara que:


«Melhor é o paciente do que o valente,' e o que domina o seu espírito do que o que toma uma cidade». (Pv 16,32)


«Como a cidade derribada que não tem muros, assim é o homem que não pode conter o seu espírito» (Pv 25,28).


A figura da cidade sem muros bem retrata aquele que não tem controle ou domínio sobre sua própria personalidade, bem como aos riscos que fica exposto, caso não tenha convicções e caráter firme.


O que representa uma cidade sem muros?


No contexto bíblico, falando dos tempos antigos, significa uma cidade sem proteção, exposta a todo tipo de ataque adversário, vulnerável, portanto, destinada à infestação de toda sorte de inimigo e, finalmente, a sua própria destruição. Uma pessoa que não contém o seu espírito tem os muros de sua personalidade caídos ou cheios de brecha, o que permite a invasão de forças inimigas.



Sobre os muros da cidade estavam as torres de vigia, lugar de onde os ataques iminentes eram detectados e deles se dava aviso. Dali, também, partiam a defesa (2 Sam 11,19- 24). A segurança e proteção da cidade, dos que nela habitavam e de suas riquezas, dependiam da estrutura dos seus muros (2 Cron. 14,7-8).


Os muros da cidade são tão importantes que Apocalipse se refere aos muros da Nova Jerusalém, de seus fundamentos, medidas e material com que são construídos:



Fala de suas portas e ressalta a importância e beleza das mesmas. Tomaremos, pois, esta figura para mostrar a importância de termos os muros de nossa alma de pé, sem brechas, com suas portas no lugar e as torres de vigia em pleno funcionamento. Só assim nos será possível, neste tempo de tremendos conflitos contra as forças das trevas, manter toda sorte de intruso longe da nossa alma e, ao mesmo tempo, ser canais para a libertação daqueles que foram vencidos.


A Bíblia é rica em figuras, que nos ilustram as realidades do mundo do espírito. Lançaremos mão, ao longo deste estudo, de duas figuras principais, extraídas da história do povo de Israel, buscando, do ESPÍRITO SANTO, a luz, com o propósito de receber as lições e aplicações para nossa alma, com vistas à sua restauração, libertação e cura interior.


O estudo está dividido em duas partes:


1)- Na primeira, a palavra chave é: Restauração. O livro de Neemias será a base do mesmo.


2)- Na segunda, a Conquista é o imperativo. Para tanto, usaremos a conquista da Terra de Canaã, como a figura de base. Dentro dessa ideia de apoderar-se, apropriar-se, conquistar, abordamos as áreas que formam a personalidade: Conquista da Mente, da Vontade e das Emoções. É preciso entender que o conceito de libertação no antigo testamento era a nível social, porém no Novo Testamento, a libertação vai na raiz dos problemas causadores da escravidão social, que é a libertação dos pecados, que são a causa de toda desordem social e moral da sociedade do passado e do presente.



Vivemos em dias quando o ESPÍRITO de DEUS se move na Igreja com o propósito de restaurá-Ia, sará-Ia e embelezá-Ia, a tem de poder entregar ao Senhor JESUS a Noiva gloriosa, como Ele mesmo deseja recebê-Ia. Foi para isto que Ele veio e esta é a obra do ESPÍRITO SANTO: operar em pecadores de tal sorte que estes sejam transformados em verdadeiros filhos de DEUS.



«CRISTO amou a Igreja e a Si mesmo Se entregou por ela, afim de a santificar, tendo-a purificado com a lavagem da água, pela Palavra, a fim de apresentá-Ia a Si mesmo Igreja gloriosa, sem mácula, Item ruga, nem qualquer coisa semelhante, mas santa e irrepreensível...”(Efes 5,25 - 27).



A RESTAURAÇÃO DA PERSONALIDADE



A primeira figura que usaremos é a dos muros da cidade. Iremos aos livros de Esdras e Neemias e ali descobriremos grandes princípios para a restauração da nossa personalidade. Falaremos do templo, como símbolo do nosso espírito, dos muros, representando nossa alma, e das portas, como o lugar de decisão em nossa vida.


O incidente na história de Israel que primeiro tomaremos, fala da restauração do templo em Jerusalém e dos seus muros. Nabucodonosor, rei da Babilônia, havia invadido e destruído o templo e a cidade em 587 A. C. Jeremias profetizara que a duração do cativeiro seria de setenta anos (Jer 25,11). Em 538 A.C. - Ciro, rei da Pérsia, conforme profetizado por Isaías, permitiu ao povo regressar e reconstruir o templo (Conf. Is. 44,28; 45,1-13; Esd. I,1-3).


Os livros de Esdras e Neemias relatam o que ocorreu em consequência do decreto de Ciro. Nesses dois livros há duas fases  distintas: a restauração do templo, sob o comando de Zorobabel e a restauração dos muros, sob Neemias. Palavras como edifício, reedificar e restaurar, aparecem cinquenta e cinco vezes em seus relatos. Tomá-Ias-emos, portanto, como base de ensino figurado para um sério trabalho em nossa personalidade, com vistas à maturidade cristã:


«até que todos cheguemos à unidade da fé e do pleno conhecimento do Filho de DEUS, ao estado de homem feito, à medida da estatura da plenitude de CRISTO» (Ef 4,13).



A RESTAURAÇÃO DOS MUROS


A Casa do Senhor era o coração do decreto de Ciro. Em Esdras 1,15, há quatro referências à edificação da Casa que fora destruída por Nabucodonosor:



«O Senhor DEUS do Céu me deu todos os reinos da terra, e me encarregou de Lhe edificar uma Casa em Jerusalém, que é Judá. Quem há entre vós de todo o seu povo (Seja seu DEUS com ele) suba para Jerusalém, que é em Judá, e edifique a Casa do Senhor, DEUS de Israel; Ele é o DEUS que habita em Jerusalém. E todo remanescente, seja qual for o lugar em que é peregrino, seja ajudado pelos homens desse lugar com prata, com ouro, com bens e com animais afora. a oferta voluntária para a Casa de DEUS, que está em Jerusalém. Então se levantaram os chefes das casas paternas de Judá e Benjamim, e os sacerdotes, e os levitas, todos aqueles cujo espírito DEUS despertara, para subirem a edificar a Casa de DEUS, que está em Jerusalém».


Primeiro: A restauração do Templo


Estamos diante de prioridades corretas. Antes de se pensar em qualquer outra coisa, o lugar de culto deveria ser restaurado. Tão logo a primeira leva de cativos judeus retomou a Jerusalém, o altar foi edificado; o canal de adoração e comunicação com DEUS foi estabelecido. O Templo era o lugar escolhido por DEUS, para nele fazer habitar o Seu Nome (Nee 1,9). Lá se davam os sacrifícios religiosos e era o coração da vida espiritual de Israel. Lá estavam as Tábuas da Aliança, a glória de DEUS, Sua presença e Santidade.Sem o Templo, Jerusalém perdia seu valor. Portanto, sua restauração era obra prioritária. É disso que o livro de Esdras trata.


Aplicando as lições à nossa experiência:


DEUS nos escolheu para fazer habitar em nós o Seu nome. Somos Seus servos, a quem Ele resgatou com o Seu grande poder e mão forte ( Nee 1,10). Ele quis nos transformar em santuários Seus e comungar conosco, fazendo de nós transportes de Sua presença na Terra.Antes de trabalharmos na alma, ou na carne, precisamos lidar com o nosso espírito. O coração de Israel era Jerusalém; o coração de Jerusalém era o templo; o coração do templo era o SANTO dos Santos. Nele estava a Arca, coberta pelo propiciatório, contendo as Tábuas da Aliança, «escritas pelo dedo de DEUS». A partir dali, DEUS falava. Logo, o templo, habitação de DEUS, era o centro e a razão de tudo. A primeira preocupação, portanto, era com esse lugar.



A experiência mais marcante em nossa vida é o novo nascimento, pelo qual o nosso espírito é recriado e se transforma no santuário de DEUS na Terra, onde Seu Espírito habita e onde se estabelece uma comunhão e comunicação com DEUS (2 Cor. 5,17;6,16; 3,16).

É por essa experiência e submissão ao seu Senhorio em nossas vidas, que nos tornamos filhos de Deus, herdeiros seus e co-herdeiros com CRISTO (Rm 8,16-17), participantes da sua natureza (2 Ped 1,4), porque somos gerados de novo da semente Divina (I Ped. 1,23), que permanece em nós (I Jo. 3,9). Por essa razão, tornamo-nos habitação de DEUS, santuários vivos, transportando a Palavra Viva, na pessoa do ESPÍRITO SANTO.



Segundo: A Restauração Dos Muros


Após essa obra de regeneração em nosso espírito, estamos prontos para o próximo passo: a restauração dos muros, para que o santuário seja protegido. Em outras palavras, a restauração da nossa personalidade, para que o inimigo não encontre brechas para nos atacar. É disso que trataremos, pedindo a DEUS que nos guie e nos revele o Seu caminho no tratamento de nossas almas, a fim de que as virtudes do caráter de CRISTO se manifestem em nossa própria personalidade. Agora, como filhos de DEUS, vamos enveredar pelo caminho da restauração dos muros, portas e torres da nossa alma, para que o santuário seja protegido e defendido, e os intrusos, enviados pelo inimigo, não venham assolar o nosso templo.


Se ainda não teve-se essa experiência de novo nascimento pelo amor e misericórdia de Deus, e sem intimidade com Deus, toda tentativa de restauração é inútil, pois Ele mesmo nos diz: Sem mim nada podeis fazer.


Pare agora diante d’Aquele que o criou. Ele tem um plano maravilhoso para a sua vida e quer transformá-Io por completo, dando-lhe uma razão de viver. Por você, CRISTO deu Sua vida na cruz do Calvário e pagou o preço da completa libertação e redenção, para que você seja livre do poder do mal, que já não tem mais a última palavra.



Você não está lendo esta matéria por mero acaso. Através dela, DEUS marcou um encontro com você e saiba que, abrindo-se neste momento à Sua graça e amor indizível, abraçando a pessoa de JESUS CRISTO em sua vida, você nunca mais será o mesmo.


O livro de Neemias nos dá uma ilustração clara da obra a ser realizada na restauração da nossa personalidade. Ele está cheio de ensinamentos na área de liderança, de batalha espiritual, de restauração e de vários outros aspectos da vida cristã. Aqui lançaremos mão dos ensinos que se aplicam à restauração, libertação ou cura da nossa alma. Antes, porém, de nos enveredarmos pelos seus relatos, daremos uma rápida visão do seu conteúdo:


AUTOR - NEEMIAS DATA: 445 - 425 a.C.



O HOMEM NEEMIAS - Como copeiro do rei Artaxerxes I, a posição de Neemias era de grande responsabilidade (comprovar que o vinho bebido pelo rei jamais estivesse envenenado) e de muita influência (já que um servo que desfrutava de tanta confiança frequentemente se tomava um conselheiro bem íntimo). Ao ouvir que as muralhas de Jerusalém ainda não haviam sido reconstruídas, e recebendo permissão do rei para ir a Jerusalém e corrigir a situação, demonstrou qualidades ímpares de liderança e organização. Em 52 dias o trabalho de reconstrução foi terminado. Como governador de Judá, Neemias demonstrou humildade, integridade, patriotismo, energia, piedade e altruísmo. Depois de doze anos no cargo, ele retomou por pouco tempo à corte de Artaxerxes (2,1; 13,6) e de lá voltou a Judá, onde exortou seu povo ao arrependimento. Tão vívido e franco é o relato que muito do material contido no livro provém do que deve ter sido o diário pessoal de Neemias.


Neemias significa «Consolação de Já» (um dos nomes de DEUS), ou “Aquele a quem Javé conforta”. Tomá-Io-emos, portanto, como um tipo do ESPÍRITO SANTO, o Consolador ou Confortador, que se identifica com as nossas necessidades, e se dispõe a dirigir-nos na obra de restauração dos muros da nossa personalidade.Neemias recebe um relatório, por parte de um irmão seu, do estado em que se encontra Jerusalém:


«Os restantes que ficaram do cativeiro, lá na provinda estão em grande aflição e opróbrio; também está derrubado o muro de Jerusalém, e as suas portas queimadas a fogo...»



Suas entranhas se movem de compaixão e ele intercede pelo povo, com jejum, por alguns dias, invocando o DEUS da Aliança. Em sua oração. ele declara que os judeus são «servos» do Altíssimo. Confessa seus pecados e reconhece a misericórdia e justiça de DEUS, mas firma-se na promessa de perdão para interceder a favor de uma intervenção miraculosa, que resulte na restauração da cidade e remoção da vergonha e aflição que pesa sobre todo o povo (Nee 1, 5-9).


Somos servos de DEUS e Ele nos resgatou com o precioso sangue de JESUS. A despeito disto, muitas vezes temos sido assolados por muitas pressões, aflições e terríveis inimigos. Apesar do nosso coração ter se transformado no santuário de DEUS, olhamos para a nossa alma e deparamo-nos com verdadeiros intrusos do medo, insegurança, frustração, auto-compaixão, mágoa, crítica, falta de perdão e até mesmo opressão. Mas o ESPÍRITO de DEUS, que em nós habita, «intercede por nós com gemidos inexprimíveis» (Rm. 8,26). Há Alguém, o doce Consolador, que se identifica com a nossa causa, dispõe dos recursos Divinos e uma comissão real para remover o nosso opróbrio. Portanto, coragem! Há libertação e restauração para os resgatados do Senhor, e você que ler isto agora, saiba que é um deles. Jamais compreenderemos a extensão e profundidade desse amor de DEUS, porém saiba que o ESPÍRITO Consolador, Sarador, Santificador, Regenerador e Restaurador não se darão por satisfeito, até que nos veja no pleno gozo da vida abundante, que CRISTO JESUS nos garantiu pelo preço pago por nossa plena redenção.


Falando sobre a cidade de Jerusalém, Neemias lembra as palavras do próprio DEUS:


«o lugar que tenho escolhido para ali fazer habitar o meu Nome» (Nee. 1,9b).


Aí está a razão da importância da Cidade: foi escolhida por DEUS. Você também é muito importante para a obra e plano de Deus, através do ESPÍRITO SANTO, um outro «Neemias». Foi através de Sua operação que você conheceu a CRISTO e se tornou um filho de DEUS. Mas a obra ainda não está completa. Ela só se completará com a sua glorificação.


O nome e a operação do plano de DEUS habita em seu espírito. Isso equivale dizer que a presença de DEUS está em você. Torna-se, pois, necessário que todas as áreas de sua vida reflitam a realidade da presença de DEUS. Ter um santuário numa cidade cheia de entulhos, com os muros no chão, as portas destruídas pelo fogo, e sem qualquer proteção, é uma verdadeira vergonha, um opróbrio. O ESPÍRITO SANTO se move, em nossos dias, numa obra de restauração, libertação e cura, para que toda a cidade, que simboliza nosso ser inteiro, viva na beleza e harmonia projetadas por DEUS, para você e para mim, pois o Seu Nome habita em nós.


Uma cidade sem muros está, ou não sujeita à Invasão Inimiga?



Satanás não tem acesso ao nosso espírito recriado, mas ele tem-no ao nosso corpo e ao nosso psique, caso alguma brecha lhe seja dada. Quando nascemos de novo o nosso espírito é recriado, no entanto a alma psíquica traz muitas marcas das quais precisa se libertar. São traumas, complexos, feridas, hábitos, filosofias, uma série de coisas que nada têm a ver com os padrões de DEUS para a vida dos Seus filhos. E é aqui que uma pergunta se levanta: "O que é a alma?" É o mundo dos nossos pensamentos, sentimentos e vontade. É nossa personalidade.


O ESPÍRITO SANTO recria nosso espírito, tornando-nos filhos de DEUS e participantes de Sua natureza, santuários habitados pelo próprio ESPÍRITO (Jo. 1,12; 2 Pe. 1,4; 1 Cor 3,16; 6,19; 3,1 - 9).
A Palavra de DEUS é eficaz e restaura a nossa alma, pela renovação da nossa mente, o que nos torna cada vez mais semelhantes a JESUS em nossa personalidade (Tg. 1,21; Rom. 12,2; 2 Cor. 3,18; Rom. 8,29).Nós disciplinamos nossa carne, sujeitando-a ao espírito, levando nossos membros a serem instrumentos da justiça e não mais do pecado (1 Cor. 9,27; Rm. 8,13; GI. 5,24; CI. 3,5; Rom. 6,13).


Neste estudo, estaremos tratando apenas da alma. Conscientize-se, desde já, que apesar do novo nascimento, a obra de Deus, não irá ocorrer como um milagre instantâneo. É um processo que tem começo, meio e fim, e sofre as interrupções. Exige trabalho, tempo, cooperação entre nós e o ESPÍRITO SANTO. A própria palavra «restauração» ou «edificação», implica em esforço, trabalho. É um processo sim, no entanto, não há razão para desanimar. O Consolador nos revelará as áreas danificadas e dirigir-nos-á em toda a obra de restauração. Não estamos sozinhos, e nem sem recursos:


«Maior é Aquele que está em nós, do que aquele que está no mundo» (1 Jo. 4,4) e «em todas estas coisas somos mais que vencedores, por Aquele que nos amou» (Rm. 8,37).



Neemias chegando a Jerusalém fez um levantamento da situação, e constata o estado de calamidade da cidade:


«Contemplei os muros de Jerusalém, que estavam demolidos, e as suas portas, que tinham sido consumidas pelo fogo» (Nee. 2,13).


O próximo passo é lembrar ao povo a realidade dos danos e convocá-lo a empreender a obra da restauração, declarando:


«Bem vedes o triste estado em que estamos, como Jerusalém está assolada, e as suas portas queimadas a fogo, vinde, pois, e edifiquemos o muro de Jerusalém, para que não estejamos mais em opróbrio» (Ne. 2,17).



Note que Neemias não realiza a obra sozinho. Ele convoca:



Do mesmo modo, o ESPÍRITO de DEUS, que conhece todas as coisas a nosso respeito, bem como a vontade do Pai, fala-nos da situação de nossa alma e nos convida à ação. Teremos que participar ativamente, seguindo Suas instruções e estratégias. Sem Ele, não chegaremos a lugar e estado de paz e equilíbrio nenhum, e se não dermos ouvidos à Sua voz, obedecendo as Suas diretrizes, também permaneceremos com nossa alma desestruturada e aberta à invasão e opressão do inimigo, tornando-nos motivo de vergonha para todos.

ATENÇÃO !!! ATENÇÃO !!!



Um dos erros graves, é julgar que o ESPÍRITO tudo fará por nós, sem nossa colaboração, enquanto esperamos de braços cruzados. Outro engano, é correr-se atrás de um e de outro, pedindo oração por um problema sem nada fazer a respeito, julgando que sua solução depende, exclusivamente, da oração daquela pessoa.



A realidade dos princípios bíblicos, porém, é que DEUS faz a Sua parte, os irmãos e a comunidade faz a sua por nós, ministrando-nos a palavra,acompanhando, ou intercedendo a nosso favor e nós temos que fazer a nossa, para que a obra seja estabelecida. Hoje o ESPÍRITO está nos falando:

«Vinde, e restauremo o muro». Ele vai conosco e isso faz a diferença. Prepare-se, pois, para a ação e tenha firme em sua mente que, se você não se dispuser a trabalhar na restauração, no final veremos que todo sacrifício valeu a pena. A obra é realizada pelo ESPÍRITO SANTO e nossa colaboração. Ele dá a estratégia, a direção, o conselho, a força, a determinação e você obedecem prontamente. Assim fazendo, sob Sua direção infalível, os conflitos de nossa alma cessarão.


Um outro aspecto importante nessa reconstrução, é que o material existente não é desprezado. Neemias usa tanto o elemento humano, quanto as pedras amontoadas que haviam caído ou estavam cobertas de lixo. Há um aproveitamento do que poderia parecer apenas lixo, mas que trabalhado teria de volta a beleza e função originais. Neemias aproveitou as pedras quebradas. Ele nada desperdiçou. Os muros haviam sido derrubados, mas as pedras permaneceram lá. Assim também, o ESPÍRITO SANTO não nos despersonalizará. Ele lançará mão de tudo que temos, proveniente das mãos de DEUS, e removerá o lixo acrescentado.



Cada um de nós tem características distintas, que serão preservadas. Ele pegará as pedras caídas e quebradas, as restaura, e as colocará em seu devido lugar. Restauração é isso: tomar alguma coisa boa, que sofreu danos e estragos, e as repara até que se torne como era originalmente. diferente de uma reforma, que muda aquilo que era original, como foi a reforma protestante, que deformou a Igreja de Cristo, transformando nisto que vemos hoje: a pulverização de denominações, interesseiras, guerreando-se entre si pelos prosélitos.



DEUS nada desperdiça.Todo o que é aproveitável, será aproveitado. Suas capacidades, seus talentos, aquilo que você tem, DEUS vai usá-los e colocá-los no lugar certo. Ele lança mão das experiências do passado, até dos fracassos, para trabalhar a sua restauração. O ESPÍRITO de DEUS é especialista em pegar as coisas quebradas e restaurá-Ias, de modo a não ficar nem mesmo vestígio de todo o dano. Sua alma pode estar em frangalhos, marcada pelos mais profundos traumas e complexos, por toda sorte de rejeição ou feridas, por toda opressão satânica ou depressão, todo pesar ou desespero, mas Ele ajudará a remover o lixo acumulado, pondo cada coisa no seu devido lugar, e a paz que supera todo entendimento, inundará seu ser inteiro.



Há várias figuras no livro de Neemias que nos trazem preciosas lições. Mencionamos algumas:



1)- Jerusalém é importante porque o nome de DEUS nela habita e foi escolhida por Ele. Vale a pena investir nela. Nós somos importantes para DEUS pela mesma razão: DEUS nos escolheu, em CRISTO, e fez habitar Seu nome em nós, pelo que somos chamados filhos de DEUS. Através do ESPÍRITO SANTO, Ele investirá em nós até que Seus maravilhosos propósitos de Pai para conosco sejam plenamente concretizados. E quão eternos são tais propósitos.



2)- Na cidade foi construído o Templo, lugar de adoração que, dada a sua importância, devia ser protegido. Nosso espírito é transformado no templo de DEUS, quando passamos pela experiência de novo nascimento, e nele acontece a adoração a DEUS, movida pelo Seu ESPÍRITO que em nós habita. Dentro de nós, portanto, está um templo que deve, igualmente, ser protegido. Há um santuário em nós e todo o ambiente em volta deve ser condizente com essa realidade: lugar santo, de adoração.


3)- Os Muros em volta da cidade, Falam do que é visível, da parte exterior, com a qual os que nos cercam têm o primeiro contado. Eles representam a nossa personalidade, nossa alma, aquilo que manifestamos em nossos relacionamentos. Esses muros podem estar nos mais diversos estados de conservação e beleza. Muros com brechas, caídos, além de feios, são vulneráveis à penetração de inimigos. Muros bem alicerçados e conservados, representam proteção a tudo quanto está dentro da cidade - o nosso espírito, recriado pelo ESPÍRITO de DEUS.


4)- As Portas falam do lugar de decisão em nossa alma, nossa vontade, nossas escolhas. Elas são uma parte da alma. É na porta que decidimos quem por ela entra ou sai a quem deve ser fechada ou aberta. Haverá momentos em que ela deve estar aberta e outros em que deverá estar fechada, dependendo de quem ou do que deseja passar por ela. Portas caídas, t~l1am de vontade inconstante, enfraquecida. Portas no devi,do lugar, falam de decisões acertadas.


5)- As Torres no muro falam do lugar de vigilância. É delas que se detecta a aproximação inimiga ou dos mensageiros de boas novas. Nossa alma precisa dessas torres, isto é, uma atitude de vigilância e alerta, para que não sejamos apanhados em ataques-surpresa, o que nos levaria a derrotas.


6)- As Fontes falam do material usado para apagar as flechas incendiárias lançadas pelo inimigo. Flechas com material inflamável na ponta eram as armas mais poderosas da antiguidade, pois com elas incendiavam-se as portas e abriam-se as brechas necessárias à invasão. Uma fonte de água, junto a uma porta, equivalia a um míssil antiaéreo ou aos modernos «patriots», que neutralizam os «scuds». Precisamos de fontes junto às nossas portas, o que equivale dizer, da água da Palavra de DEUS. Com ela apagaremos os «dardos inflamados do maligno», neutralizaremos as investidas inimigas, e seremos vitoriosos. Neemias pensou em cada detalhe, pois disso tudo dependia a segurança, proteção e o desempenho da missão em Jerusalém.Você como uma Jerusalém espiritual, e tem uma missão de DEUS na Terra. Para que ela seja cabalmente executada, o ESPÍRITO SANTO está interessado em ver os seus muros sem brechas, suas portas fechadas ao inimigo e abertas para DEUS, suas torres de vigilância em franco funcionamento e a água da Palavra sempre disponível para apagar as setas incendiárias do maligno, pois ele não desistirá em seus ataques. Enquanto estivermos no mundo, estaremos engajados em um combate de vida ou morte. Não há como fugir dele. A solução é encontrarmos, em DEUS, uma posição de força e sermos solidamente edificados em cada uma das áreas do nosso ser: espírito, mente, emoções,vontade e corpo.
 






A RESTAURAÇÃO DAS PORTAS


O texto de Neemias capítulo três narra o processo de edificação dos muros de Jerusalém. A palavra "reparou" é predominante em todo o capítulo. Para os judeus que voltaram do exílio, o processo de reconstrução das portas e dos muros de Jerusalém contrastava-se com a realidade caótica do presente (SI 126), mas oferecia, ao mesmo tempo, a lembrança do pujante passado da cidade. Passado este que, infelizmente, fora coberto pelos escombros. Contudo, os judeus estavam dispostos a remover as ruínas e, a partir delas, reconstruir uma nova vida e uma nova história, é nesta perspectiva que estudaremos hoje as portas de Jerusalém.


É interessante verificar a prioridade na restauração dos muros: as portas. Se os muros falam da nossa personalidade como um todo, há vários elementos nela contidos, dentre os quais a vontade, que é o fator determinante para o progresso de qualquer obra de restauração, libertação ou cura. Iremos, portanto, abordar este aspecto, discorrendo um pouco sobre as doze portas em volta dos muros. Seriam doze áreas em nossa personalidade que precisam de tratamento. No capítulo sobre a conquista da vontade, falaremos mais sobre este poder de decisão, no entanto queremos lançar mão das figuras no livro de Neemias para que se torne mais claro o que DEUS quer nos ensinar.



As portas são o lugar onde exercemos nossa autoridade, manifestamos nossa vontade, fazemos nossas escolhas e tomamos nossas decisões. Elas precisam ser restauradas. O Diabo não consegue nos obrigar a fazer nada, quando lhe dizemos não. O homem tem uma vontade livre, e quando, ele resolve dizer não ao inimigo, é não mesmo, e quando decide dizer sim a DEUS, é sim mesmo. Daí a importância da restauração da vontade, pois se ela estiver livre, a carne pode apelar, o mundo pode exercer seu fascínio, o diabo pode tentar, mas nada conseguirá dobrá-Ia diante da carne, nem do mundo, nem o Diabo. E diante de uma livre decisão da vontade ninguém terá poder de demovê-Ia.


Uma vontade inconstante é vulnerável aos mais diversos ataques, porém a vontade restaurada em Deus encontra harmonia com os propósitos do seu Criador e resiste toda investida maligna.


Há muitos filhos de DEUS com a vontade enfraquecida. Não se firmam em nenhuma decisão tomada. São inconstantes em seus caminhos, inseguros, indecisos. Suas portas estão queimadas. Não sabem o que querem, são vacilantes, têm uma vontade fraca, doente, prisioneira. Mas, o ESPÍRITO está em nós, para nos ajudar a restaurar as portas da nossa alma. Ele nos ajudará a restaurar essa área importantíssima de nossa alma: a vontade.



Convém deixar bem claro que essa obra será um processo, e que não acontecerá da noite para o dia. Há inimigos infelizmente nos habituamos a conviver com eles em nossa alma por muitos anos, e sua expulsão e limpeza da sujeira que deixaram atrás, levará tempo. Por exemplo, se o medo o acompanhou por quarenta anos e, de repente você diz: «medo. não te darei mais lugar em minha vida. “Retira-te de mim». A princípio ele vai tentar resistir, como que dizendo: «O que é isso? Vivo contigo há quarenta anos. e não é agora que vais me mandar embora. Certamente estás brincando!» É ai que você terá que aprender a exercer firme autoridade contra ele e demonstrar que você está querendo dizer mesmo o que você disse. Seus pensamentos serão reestruturados, passando do medo para a segurança em DEUS. Isso pode levar algum tempo, até que você renove a mente e exerça firme autoridade sobre o medo e não mais lhe dê guarida.



Outra coisa a lembrar, é que o ESPÍRITO SANTO virá nos ajudar, mas Ele não fará a obra sozinho, ou seja, sem a nossa cooperação. Neemias foi a Jerusalém ajudar, contudo cada um teve que colocar a mão na massa. Cada um se pôs na frente da sua casa, diante do muro, onde estava a brecha, para começar a repará-la. A cada um Neemias deu a diretriz, supervisionou, orientou, mas não fez por eles o trabalho que Ihes competia. O mesmo ocorrerá conosco; teremos que por mãos à obra. A promessa da aliança diz que tudo em que pusermos as mãos, prosperará. Porém se não colocarmos as mãos sobre a obra, não haverá o que prosperar.


As Doze Portas


Neemias começa sua obra de restauração, pelas portas. Como já vimos, elas falam da vontade, da decisão. Está, pois, explicada a prioridade. Toda a reconstrução vai exigir uma tomada de posição e uma determinação, pois haverá obstáculos, afinal são doze as portas a serem restauradas. Olhemos para cada uma delas, aplicando-as à nossa situação. Enquanto fazemos isso, deixemos que o próprio ESPÍRITO de DEUS sonde nossa alma e indique tudo quanto precisa de reparo:


1. Porta das Ovelhas (Nee 3,1) Encontro Com o Cordeiro de DEUS


Essa era a porta por onde passavam as ovelhas destinadas ao sacrifício da Páscoa. Ela nos lembra «O Cordeiro de DEUS, que tira o pecado do mundo» (Jo. 1:29). Aponta para Aquele que está à direita do Pai e é o único digno de abrir o livro de nossa plena redenção e quebrar os seus selos, forçando, assim, Satanás a recuar e respeitar nossos direitos de redenção, porque foi morto e com o Seu sangue nos comprou para DEUS e para Ele nos constituiu Reino e sacerdotes, destinados a reinar para sempre (Ap. 5,9-10). A primeira porta a ser restaurada é a das ovelhas. Por ela recebemos o Senhor JESUS, o Cordeiro de DEUS que tomou nosso lugar na cruz do Calvário, como nosso Senhor, Salvador e Rei. Essa porta em nossa vida deve estar escancarada para JESUS. É uma decisão da vontade, permitir que Ele entre em nossa vida e efetue dentro de nós Sua obra salvadora e libertadora, pelo poder do Seu precioso sangue remidor derramado em nosso lugar. A Porta das Ovelhas, portanto, é o lugar da rendição a CRISTO e da experiência de conversão, quando somos lavados pelo Seu sangue e regenerados em nosso espírito.


O Cordeiro de DEUS já passou por essa porta da sua alma? Isso envolve mais do que receber a JESUS como seu Salvador, tendo-O residindo em seu coração, na pessoa do ESPÍRITO SANTO. Falar de JESUS em sua alma, inclui um relacionamento que afeta, não só seu espírito, mas toda a sua personalidade. Implica em que Ele encherá seus pensamentos, dominará seus sentimentos e motivará suas decisões. Você verá seu próprio corpo como o transporte da vida de DEUS aqui na Terra, o que será um apelo a viver em santidade e dignidade. É uma idertiticação constante com Ele, «fitando os olhos em JESUS, autor e consumador da nossa fé» (Hb 12,2b).


Quando convivemos muito com uma pessoa, devotando-lhe nosso afeto terminou nos assemelhando a ela. Se devotarmos tempo estudando sobre JESUS, pensando n’Ele, conversando com Ele, amando-O, ouvindo-O, aprendendo Seus ensinos e obedecendo-os, iremos nos tornando cada vez mais parecidos com Ele. E não é este, porventura, o propósito do Pai? A operação do ESPÍRITO SANTO em nós não visa isso mesmo?


«Pois aqueles a quem dantes conheceu - de quem está consciente e de antemão amou - também destinou desde o princípio (predestinou-os) para serem moldados na imagem do Seu Filho [(compartilhar interiormente da Sua semelhança), para que Ele seja o primogênito entre muitos irmãos» (Rm 8,29).


2. A Porta dos Peixes (Nee 3,3) Lugar de Crescimento e Reprodução



Na raiz lia palavra <<peixe», na língua hebraica, encontramos o sentido de «crescimento», <<reprodução», «mover-se rapidamente». Isso nos lembra o chamado ao crescimento numérico, à reprodução de nossas vidas em novos filhos, novos peixes, novas ovelhas, em novos crentes. A porta dos. peixes é aquela por onde deixaremos entrar os novos filhos de DEUS. Exige uma decisão de não vivermos só para nós, mas irmos à busca dos que também precisam encontrar JESUS. Estamos interessados na reprodução e no crescimento, pelo que nos disporemos a receber em nossa alma aqueles que vão chegando a JESUS, pois precisam de cuidado, de nutrição e assistência. Quando nos abrimos para receber cada nova pessoa, do jeito que ela vem, com muitos problemas na alma, tantas carecendo de libertação, pois trazem marcas profundas do mundo de onde acabaram de sair, nossa alma será abastecida e enriquecida. O amor de CRISTO vai nos iluminar e seremos capazes de assistir a um número cada vez maior. A compaixão de JESUS se manifestará através do nosso próprio coração e o contacto com essas tenras ovelhinhas do Senhor será usado na nossa própria edificação. A semelhança do Mestre em nosso caráter conhecerá um crescimento constante, pois seremos transformados em canais do Seu amor e graça.


Lembre-se de que DEUS usa as pessoas como canais de bênção e edificação em nossa vida. Até aquelas que parecem menos amáveis e ranzinzas, aqueles temperamentos difíceis, DEUS usará para forjar em nós as virtudes do caráter de JESUS. É assim que o fruto do ESPÍRITO tem uma chance de amadurecer em nossa vida. O amor, a tolerância, a paciência, o perdão, a misericórdia, tudo isso e muito mais se desenvolve no trato com as pessoas, especialmente os novos crentes, tão necessitados de assistência para poderem firmar seus passos na fé. E que oportunidade maravilhosa de crescermos quando a Porta dos Peixes está aberta em nossa alma! Cada novo crente que entrar por ela, será abençoado, mas também deixará conosco uma bênção.Soa aos nossos ouvidos a Palavra do Senhor: «Vinde após mim, e Eu farei que vos torneis pescadores de homens» (Mat 1,17). E será pela Porta dos Peixes que eles serão por nós alcançados.


3. A Porta Velha (Nee 3,6) - Libertação do Passado


Essa porta fala das coisas velhas existentes em nossa alma, e que devem ser removidas. Ilustra um passado que deixa marcas no caráter; memórias feri nas que teimam em permanecer machucando; padrões de pensamento e hábitos alheios aos princípios do Reino de DEUS, enfim, tudo quanto é herança contrária à nova vida em CRISTO.



Paulo declara taxativamente: «Se alguém está em CRISTO, nova criatura é,' as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo» (2 Cor 5,17). Em outras palavras, é uma nova criação e o passado não tem mais autoridade legal sobre ele. Essa é uma realidade da nossa posição em CRISTO. Acontece que em nossa alma permanecem velhos pensamentos, velhos padrões, velhas maneiras de viver, de encarar as coisas, hábitos, muito do que faz parte da velha natureza adâmica. Tudo isso deve ser removido pela porta velha, pois nossa vida em CRISTO é uma completa novidade de vida.Convém aqui salientar que a libertação dessas velharias mencionadas, depende de uma firme determinação da vontade de as rejeitar. Paulo apela-nos a uma tomada de posição.


4. A Porta Do Vale (Nee 3,13) - O Milagre Da Salvação



Havia nos arredores de Jerusalém um vale que um dia fora do, o Vale de Hinon, mas como ali os filhos de Israel passaram a sacrificar ao deus Moloque, foi amaldiçoado e Jeremias profetizou que ele seria chamado "Vale da Matança" (Jr. 32,35; 7,30; 8,3). Isaías o apresenta como um lugar escatológico de punição, onde «o seu verme nunca morrerá, nem o seu fogo se apagará» (Is 66,22-24). Ele passou a ser chamado Geena, identificado com O fogo, morte e tormento. JESUS faz referência a ele, como uma figura do inferno, «onde o seu verme não morre, e o fogo não se apaga» (Mat. 9,43-48).



No vale era colocado todo o lixo da cidade, que seria queimado. Havia sempre os vermes dos cadáveres e o fogo ardia constantemente. A Porta do Vale, pois, representa para nós a porta da libertação do inferno, o lugar do maior de todos os milagres: a nossa salvação. a grande milagre pelo qual DEUS nos tirou do inferno e das chamas eternas e sua destruição. Essa é a porta em nossa vida que se abre para os livramentos e milagres de DEUS.


Depois do milagre da nossa libertação do inferno, fomos colocados em uma posição de canais de DEUS para arrancar outros que lá permanecem. Lembre-se de que estamos falando do lugar de decisão, as portas. Em cada uma delas, a decisão de quando abrir e quando fechar cada porta, a quem abrir e a quem fechar, é sua. Na porta do vale, DEUS nos encontrou e nos libertou, pois a abrimos para Ele entrar. Agora ela permanecerá fechada a todo fogo inimigo. Por ela, no entanto, passaremos para encontrar aqueles que estão dominados pelo inferno. O gozo presente dos milagres de DEUS em nós, não deve insensibilizar o nosso coração aos sofrimentos dos que perecem. Jamais nos devemos esquecer de que os horrores do inferno são reais e que o destino das vidas que para lá caminham depende de nós, pois transportamos a vida de DEUS e é a partir do nosso coração, usando nossos lábios, pés e mãos, que DEUS alcançará outros com Seu milagre libertador.



5. A Porta Do Monturo (Nee 3,14) Remoção Do Lixo



Essa é a porta pela qual o lixo da alma deve ser removido. Ela deve estar aberta ao ESPÍRITO SANTO para que todo o lixo acumulado seja jogado fora, e nenhum outro volte a entrar. Será que uma pessoa em CRISTO pode ser lixo? Todos nós chegamos a JESUS cheios Dele. Nosso espírito foi unido pelo ESPÍRITO de DEUS, mas nossa alma está em processo de restauração. Isso quer dizer que ainda estamos diante do desafio da decisão de coisas que se acostumaram a conviver conosco e que nada têm a ver com a vida de DEUS. Tudo quanto não se enquadra dentro do fruto do ESPÍRITO, é lixo e deverá ser rejeitado. Todas as obras da carne são imundas e devem ser erradicadas da própria personalidade, dando lugar ao fruto do ESPÍRITO.


Nossa conversão a Cristo não repara automaticamente as brechas da nossa personalidade. Quando olhamos uns para os outros logo descobrimos que há muito a ser tratado. Um é explosivo, outro é fechado; um se fere com muita facilidade, outro é tendente à depressão; um manifesta egoísmo e um outro é orgulhoso. Tudo isso é lixo, resquícios dos padrões e valores do mundo. Muitas vezes só o ESPÍRITO SANTO pode penetrar os porões da nossa alma e descobrir as sujeiras escondidas, tão incorporadas a certas áreas, que até parecem naturais.



No meio de um mundo corrompido, como aquele em que vivemos, facilmente, a poeira e o lixo que nos cercam vão sorrateiramente penetrando em nossa alma. Como isso acontece? Através dos nossos sentidos, especialmente a visão e a audição. Os meios de comunicação têm sido um dos tremendos canais do Diabo para invadir nossa alma com seu lixo imundo, através da enxurrada de imagens e palavras sensuais, obscenas, violentas e carregadas de veneno mortífero. Essas coisas terminam se manifestando em atitudes, reações, palavras, pensamentos, trajes e padrões de vida, de modo muito sutil. As bancas de jornal, com suas revistas pornográficas expostas, as cenas em praça pública de todo tipo de imoralidade, também, fazem parte do lixo que nos cerca e, muitas vezes, são como poeira que se apega aos nossos pés.



O contato com um mundo sujo, cheio de tanta impureza, numa época em que os poderes do inferno estão soltos e têm suas garras violentas sobre tantos, tenta também nos manchar. Requer uma decisão da vontade, rejeitar toda essa contaminação que vem do lado de fora, e que ainda está presente, impedindo a entrada de novo lixo.



Apesar de vivermos num mundo com tanto apelo à carne, aos sentidos e ao pecado, é possível manter a imundície do lado de fora, conservando a Porta do Lixo fechada. Como? Expondo-nos ao ESPÍRITO SANTO e à Palavra de DEUS. Ele nos dará uma crescente sensibilidade, e saberemos discernir entre o santo e o profano, o limpo e o imundo, submetendo-nos à purificação que Ele quer efetuar em nós, e vivendo à altura dos padrões requeridos ao filho de DEUS.



6. A Porta da Fonte (Nee 3,15) - O ESPÍRITO SANTO



Um dos símbolos do ESPÍRITO SANTO na Bíblia, é a água. Esta é a porta do ESPÍRITO SANTO. Toda nossa vida cristã depende d’Ele. É Ele quem nos gera em CRISTO, efetuando a obra de regeneração. Ele nos foi dado como o «outro Ajudador» ou «Consolado r». JESUS declara: «E Eu rogarei ao Pai, e Ele vos dará outro Confortador (Conselheiro, Consolador, Intercessor, Advogado, Fortalecedor, Auxiliador) para que fique convosco para sempre» (Jo 4,16). Mas para que Ele opere em nós tudo quanto Lhe compete, precisa do nosso consentimento, mediante uma decisão de entrega e submissão. Se Lhe abrirmos a Porta da Fonte, então poderemos gozar de toda a Sua plenitude.



Outra tremenda experiência da qual a Porta da Fonte nos fala, é a efusão no ESPÍRITO SANTO, descrito em João 7, como os «rios de água viva», fluindo do interior. Ele nos permite ter uma nova liberdade espiritual e compreensão da Palavra. Através dele, entramos em uma nova dimensão de poder, que nos equipa na luta contra o inimigo. A efusão no Espírito, que pode dar-se de várias formas e muitas vezes, leva-nos a experimentar uma nova ousadia no testemunho, na oração e nas diversas áreas da vida cristã. E como isso traz fogo, entusiasmo, vigor espiritual, dinamismo, poder e vibração para a nossa alma! Há muitos cuja porta está trancada para Ele. Mas os que a abrem, provarão a ousadia e poder para enfrentar e expulsar o inimigo e suas obras do seu território.


Uma das tremendas assistências do Espírito Santo é na vida de oração. Paulo declara a respeito: «Do mesmo modo também o ESPÍRITO nos ajuda na fraqueza; porque não sabemos o que havemos de pedir como convém, mas o ESPÍRITO mesmo intercede por nós com gemidos inexprimíveis. “E Aquele que esquadrinha os corações sabe qual é a intenção do ESPÍRITO: que Ele, segundo a vontade de DEUS, intercede pelos santos» (Rm 8,26 - 27). A figura aqui é de alguém que segura a ponta do outro lado, enquanto nós mesmos estamos na outra extremidade. Por exemplo: eu não sei o que está no coração de DEUS, mas começo a orar; o ESPÍRITO que tudo sabe, vem em meu socorro e segura a oração do outro lado. Saio para testemunhar de CRISTO. Tenho uma voz, mas o poder é do ESPÍRITO. Eu abro a boca com a Palavra e Ele me assiste com o poder. Assim ocorrerá em tudo. DEUS colocou em nossa alma uma porta que dá acesso ao ESPÍRITO SANTO, através de Quem todos os recursos da Sua graça estão à nossa disposição. Eis, portanto, o desafio: escancarar a porta a esse maravilhoso Guia, Conselheiro, Mestre, Advogado e Protetor.



7. A porta do Cárcere (Nee 3,25) Livres de Prisões (ou pátio do cárcere)



Aqui se fala dó átrio, ou pátio do cárcere ou prisão. Este é o lugar onde as nossas prisões devem ser quebradas. Há muitas prisões em nossa vida que devem ser relaxadas. Prisão de medo, depressão, falta de perdão, amargura e tantas outras. Para muitos a comida, um pedaço de bolo, uma coca-cola, uma xícara de café, o sexo, a posição e coisas semelhantes, são uma prisão. Tudo quanto tem poder de fascínio ou domínio sobre nós é uma prisão. A tudo que dizemos «não consigo» deixar isso, ou não fazer isso, ou viver sem isso, servimos como escravos. Nosso Ajudador quer quebrar o jugo dessas prisões. Para tanto precisamos dar-Lhe acesso ao pátio do cárcere e rejeitar todas as cadeias.
Toda e qualquer forma de prisão enfraquece a alma, a personalidade. Nossa personalidade deve ser tão equilibrada que nada, nem ninguém consigam pôr sobre nós seu jugo. Já possuímos o jugo de JESUS, que é suave e leve. Paulo exorta: «Para a liberdade CRISTO nos libertou, permanecei, pois, firmes e não vos dobreis novamente a um jugo de escravidão» (GaI 5).



As prisões da alma se manifestam na incapacidade de dominar os apetites da carne, nas carências afetivas, insegurança, acomodação, pensamentos descontrolados, dificuldade em tomar decisões, letargia, etc.


A única prisão a ser admitida em nossa alma é a de JESUS. Presos a JESUS, para sempre. Paulo diz que o Seu amor nos constrange, isto é, nos atrai, prende e nos seduz. Essa prisão, sim, é gozo, vida, liberdade e paz. Presos a JESUS, por causa do Seu amor e graça, encontraremos a plenitude da vida e o poder de rejeitar toda e qualquer amarra dos homens e de coisas.



8. A Porta Das Águas (Nee 3,26) A Palavra de DEUS



Essa é a porta da Palavra. Paulo, falando sobre JESUS e a Igreja, diz: “tendo-a purificado (com a lavagem da água, pela Palavra” - Ef. 5,26). A água da Palavra de DEUS nos lava, mas a água da palavra estranha joga lama sobre nós. A Porta das Águas, pois, deve estar aberta para a Palavra de DEUS, revelada na Bíblia, e totalmente cerrada às doutrinas estranhas que hoje invadem a Terra, visando poluir as nossas almas, com seu engano diabólico. A única palavra viva, é a Palavra de DEUS, expressa na Bíblia. Toda palavra que não suporta o teste do que está escrito na Bíblia, mio passa pela sua peneira, é água suja, lama pura, e não deve ser abraçada.


Hoje há muitas doutrinas de homens e de demônios, que trazem verdadeiras muralhas. Certos líderes, em nome da autoridade, manifestam um espírito controlador, que não procede de DEUS, e tornam seus liderados verdadeiros prisioneiros de sistemas e de homens, esquecidos do conselho de Pedro: «Apascentai o rebanho de DEUS, que está entre vós, não por força... Nem como dominadores sobre os que vos foram confiados, mas servindo de exemplo ao rebanho» (I Pe 5,2-3).



Já vimos que havia uma fonte de água junto a cada porta, com o objetivo de apagar as setas incendiárias lançadas contra as portas e muros, pelos inimigos, visando a destruição da cidade. A água era usada para apagar essas setas. Paulo aplica essa figura à batalha espiritual, quando declara: «tomando sobretudo o escudo da fé, com o qual podereis apagar todos os dardos inflamados do maligno» (Ef 6,16).Em outras palavras, a Palavra de DEUS nos está disponível em cada área da nossa vida, de modo que quando cada seta incendiária for lançada contra nossa alma, poderemos apagá-Ia, não sendo destruídos, mas permanecendo de pé, vitoriosos. Pela aplicação da água da Palavra, o inimigo será mantido fora do nosso arraial. Diante de cada investida levantamos o escudo da fé, mediante a aplicação da Palavra específica, para o tipo de ataque específico. A Palavra de DEUS está para nossa alma o que a comida está para o corpo. É nossa fonte de alimento, sustento e vida. Por meio dela conhecemos a DEUS; ela é canal de comunhão com Seu Autor, que é o próprio DEUS. A Porta da Fonte em nossa alma, deve estar continuamente aberta para a Palavra de DEUS, através de um programa sério de estudo, meditação e a devida obediência. Por outro lado, deve estar fechada para todo tipo de ensino contrário às verdades imutáveis e eternas nela expressas.



9. A Porta dos Cavalos (Nee 3,28) Livres de Cargas



Os cavalos eram um meio de transporte,levavam cargas, pesos. Em nossa vida essa porta fala do lugar por onde passam os fardos. Ela deve estar aberta para JESUS. Todos os fardos devem ser lançados sobre Ele. Paulo diz que «devemos levar as cargas uns dos outros» (Gl. 6,2). Isso, porém, não significa que essas cargas devem repousar sobre nossos ombros. Todas elas precisam ter um único destino: deixá-Ias-emos nas mãos do Senhor. Não podemos ser sufocados pelos pesos que nos vêm, nem pelos que vêm sobre nossos irmãos. Ajudá-Ios-emos, levando-os a JESUS. Os irmãos virão a nós, o mundo virá a nós com os seus fardos, e nós os levaremos Àquele que os pode carregar. «Lançando sobre Ele toda a vossa ansiedade, porque Ele tem cuidado de vós» (I Ped 5,7).


Não é maravilhoso saber que há alguém que o ama tanto, que se dispõe a levar seus fardos e introduzí-Io no descanso da fé? E que seu papel consiste, simplesmente, em soltar seus fardos para que Ele os possa carregar? Ó amor indizível, graça sem medida, quem poderá te compreender? Mesmo não abarcando a dimensão exata desse amor sem igual, você pode se entregar a Ele e gozar de seus benefícios eternos. Portanto, diante de cada fardo, diga: «Pai, transfiro-o para Ti». Relaxe na Sua presença e veja os fardos se levantarem. E à medida que você experimenta tudo isso, sua alma estará sendo restaurada.



Muitos são os cuidados que tentam nos sufocar. A vida moderna tem muitas pressões e exigências e, muitas vezes, os fardos parecem insuportáveis. O resultado de tudo isso é um forte estresse e abatimento. São fardos no trabalho, com um salário corroído pela inflação e a ameaça de desemprego que, para muitos, já bateu à porta; preocupações com os filhos e pressões na família, para além de toda sorte de inquietação numa sociedade violenta e insegura. Tantos são os males, que se alguém tentar enfrentá-Ios sozinho, logo sucumbirá. Mas há uma boa notícia: o Senhor, que é Pai e cuida dos Seus filhos, colocou nos muros de nossa alma a Porta dos Cavalos. Por ela podemos deixar sair todos os fardos que nos assolam. Ele é grande, e tem recursos infinitos para levar nossas cargas. Podemos entrar no descanso da fé, enquanto Ele toma conta de nós, com tudo que nos diz respeito.



10. A Porta Oriental (Nee 3,29) O Regresso de JESUS

Eze 44,2:“E disse-me o Senhor: Esta porta permanecerá fechada, não se abrirá; ninguém entrará por ela, porque o Senhor, o Deus de Israel passou por ela; por isso permanecerá fechada.”



“Você é um jardim fechado, minha irmã, minha noiva; você é uma nascente fechada, uma fonte selada.”(Cântico Dos Cânticos 4,12).


Acredita-se que esta é a porta pela qual JESUS entrou, e uma alusão à virgindade perpétua de Maria, que até hoje se encontra fechada. Espera-se que o Messias entre por ela, em Sua segunda vinda. Para nós, ela fala do regresso de JESUS. Paulo diz que devemos nos consolar, uns aos outros, com a esperança da bendita vinda do Senhor. A porta oriental é a augusta Virgem Maria. Ela é a porta que nos franqueia a entrada da casa de Deus. Quando o Filho de Deus entreabriu o Céu para descer até nós, foi Maria que Lhe serviu de porta: «A porta do Rei supremo», como canta a Santa Igreja. Santo Agostinho põe essas palavras nos lábios de Maria: «Eu me tornei a porta do Céu, a porta para o Filho de Deus». São Pedro Damião exclama, celebrando a natividade da Santíssima Virgem: «Hoje nasceu a Rainha do mundo, a janela do Céu, a porta do Paraíso». Maria se apresenta melhor a nós sob o símbolo de porta ou de entrada do Céu, e a Igreja se compraz em honrá-La com esse nome. Maria é a porta do Céu, porque todos os que nele entram, fazem-no seguindo a Jesus, por meio de Maria. A Terra, que o pecado de Adão havia separado do Céu, reconciliou-se com este pela intercessão de Maria, que nos deu Jesus. E assim como a Santa Virgem, por sua pureza e sua humildade, fez descer Jesus Cristo do Céu sobre a Terra, assim também, por seus exemplos e suas virtudes, foi Ela a primeira a para os homens a via que conduz ao Céu. Por isso Jesus Cristo a colocou à testa de todo o gênero humano, e quis que ninguém pudesse ser salvo, nem subir ao Céu, senão também por esta porta, pela qual nos veio a Salvação. Alguem pode até objetar: A salvação veio por meio de Cristo, e não de Maria. É preciso esclarecer que Jesus não nos trouxe a Salvação, Ele é a própria salvação encarnada, que veio por meio de Maria Santíssima.Compreende-se, pois, que essa gloriosa prerrogativa de Nossa Senhora tenha feito exclamar a São Tomás de Villanueva:

“Ó porta feliz, pela qual entrou Deus no mundo e entra o homem no céu! Porta do Céu e porta do mundo. Por esta porta entra Deus na Terra, pela mesma entra o justo no Céu: a Mãe de Deus para todos foi feita porta. Verdadeiramente esta é a casa de Deus e a porta do ceu”


11. A Porta da Atribuição (Nee 3,31) A Comissão Divina


A Porta da Atribuição, pois, falamos do lugar onde DEUS nos delega uma missão, atribui-nos uma responsabilidade. A palavra traz o sentido de uma tropa que é convocada para receber suas diversas atribuições. Essa é a porta pela qual o Senhor nos delega responsabilidades. Se ela estiver aberta para Ele, não nos recusaremos a aceitar e cumprir os deveres que nos serão atribuídos, pois, juntamente com a tarefa, Ele sempre nos dará a devida capacitação. Muitas vezes, o medo e o sentimento de inadequação tomam conta de nós, e deixamos a porta fechada para DEUS. Se, contudo, conhecemos ao Senhor, sabemos que Ele é fiel e justo e jamais nos dará uma tarefa, sem que esteja disposto a dar-nos, juntamente com ela, o que é necessário ao seu cabal cumprimento. Lembramos ainda que, cada vez que uma dessas portas é fechada ou aberta à pessoa errada, corremos sério perigo, pois isso se constituirá em uma brecha para o inimigo nos assolar.DEUS tem planos perfeitos para cada um de nós. Devemos abrir a porta da atribuição e receber cada um deles, sabendo que Ele tem o melhor para a nossa vida.


A esta altura, convém advertir sobre a necessidade de distinguir entre um chamado do homem, do inimigo e um chamado de DEUS. Satanás pode nos enviar tarefas e pessoas, com o propósito de desgastar-nos, para que não tenhamos tempo e energia para executar o verdadeiro plano de DEUS para nós. Ele pode dar uma tarefa paralela, enviar pessoas que nos consomem o tempo e, se não estivermos firmes no discernimento da voz de DEUS, ele pode nos iludir. Lembre-se de que o plano de DEUS é um só e não há plano paralelo. Seguir o caminho paralelo é estar fora do verdadeiro plano. Há um propósito específico para cada filho. O modo de descobrí-lo, é ouvir Sua voz, através das impressões do ESPÍRITO SANTO no homem interior. Um engano comum é tentarmos atender o chamado do homem, muitas vezes provocado por uma necessidade. Acontece que uma necessidade não se constitui um chamado Divino. Necessidades existem em todos os lugares, e só remiremos o tempo, atendendo a convocação do Senhor.


12. A Porta de Efraim. (Nee 8,16) A Porção Dobrada



Esta é a última porta a ser mencionada. Efraim era o segundo filho de José, mas recebeu a bênção de Jacó, como se fora o primogênito. Seu nome significa: «fruto dobrado, porção dobrada da herança, frutífero».


Para nós, ela é a Porta da Porção redobrada. Esta era dada por direito de primogenitura. JESUS é o primogênito, mas Hebreus 12,23 se refere a todos os filhos de DEUS como «a Igreja dos primogênitos inscritos nos Céus». Como pode acontecer que todos os crentes sejamos primogênitos, com direito à porção dobrada? Ora, JESUS é o primogênito e nós somos o Seu corpo, um com Ele, e o que é Seu, é nosso. DEUS tem um filho, que se chama JESUS. A esse Filho, deu uma companheira, que é a Igreja. Essa Igreja é parte dEle, Seu complemento, e participa do que Lhe pertence. É por isso que DEUS quer que o nosso caráter, personalidade, o ser inteiro, reflitam a presença de JESUS, e Sua glória em nós se manifeste.


DEUS não desiste de nós. Em Oséias 11, 8 lemos: «Como te deixaria. ó Efraim ?» Essas palavras repassadas de amor, são dirigidas em tempos de apostasia de Efraim. Ainda assim, as ternuras do coração do Pai para com ele o buscavam atrair. Na porta de Efraim, receberemos a abundância do que Ele tem para nós e tornar-nos-emos frutíferos em tudo, pois Ele colocou à nossa disposição todos os recursos inesgotáveis de Sua graça.Não há limites em DEUS. Somos nós que limitamos o que recebemos dEle. Seus tesouros, em CRISTO, estão escancarados para nós. Mas precisamos abrir a Porta de Efraim, da Porção Dobrada, e receber as bênçãos do primogênito, ou seja, o que pertence a JESUS. Tudo é nosso, nEle.


Qual é o estado da sua alma? Alguém se importa com ela e veio para dirigir sua limpeza e restauração (JESUS). O segundo passo depende de você unir-se ao precioso ESPÍRITO de DEUS, começando pelas portas, o lugar de decisão. Aí você determina o rumo que sua vida vai tomar. Lembre-se que sua vida no agora, é o resultado das escolhas de ontem. Para mudar o seu curso no amanhã, algo deverá ser feito hoje. DEUS lhe dá todos os recursos e assistência na pessoa do ESPÍRITO SANTO, para que você possa fazê-Io. Se você se expõe a Ele e está determinado a seguir Sua direção, então nada impedirá sua completa vitória.
 
 


Para finalizar,cantemos rezando, confiantes:

Usa Dez Vezes Mais
(Comunidade Católica Shalom)

Usa dez vezes mais tuas forças para
Retornar Àquele que te ama. (bis)
Teu Deus, teu tudo, teu Senhor. (2x)

Jerusalém, tuas muralhas serão reconstruídas.
E Ele reedificará tuas ruínas.

Curta este artigo :

Postar um comentário

Conforme a lei o blog oferece o DIREITO DE RESPOSTA a quem se sentir ofendido, desde que a resposta não contenha palavrões e ofensas de cunho pessoal e generalizados.Serão analisadas e poderão ser ignoradas e ou, excluídas.

Quem sou eu?

Minha foto
CIDADÃO DO MUNDO, NORDESTINO COM ORGULHO, Brazil
Neste Apostolado promovemos a “EVANGELIZAÇÃO ANÔNIMA", pois neste serviço somos apenas o Jumentinho que leva Jesus e sua verdade aos Povos. Portanto toda honra e Glória é para Ele.Cristo disse-nos:Eu sou o caminho, a verdade e a vida e “ NINGUEM” vem ao Pai senão por mim." ( João, 14, 6).Como Católicos,defendemos a verdade, contra os erros que, de fato, são sempre contra Deus.Cristo não tinha opiniões, tinha verdades, a qual confiou a sua Igreja, ( Coluna e sustentáculo da verdade – Conf. I Tim 3,15) que deve zelar por elas até que Cristo volte.Quem nos acusa de falta de caridade mostra sua total ignorância na Bíblia,e de Deus, pois é amor, e quem ama corrige, e a verdade é um exercício da caridade.Este Deus adocicado,meloso,ingênuo, e sentimentalóide,é invenção dos homens tementes da verdade, não é o Deus revelado por seu filho: Jesus Cristo.Por fim: “Não se opor ao erro é aprová-lo, não defender a verdade é nega-la” - ( Sto. Tomáz de Aquino)

As + lidas!

 
Support : Creating Website | Johny Template | Mas Template
Copyright © 2013. O BERAKÁ - All Rights Reserved
Template Created by Creating Website Published by Mas Template
Proudly powered by Blogger