A mera veiculação, ou reprodução de matérias e entrevistas deste blog não significa, necessariamente, adesão às ideias neles contidas. Tal material deve ser considerado à luz do objetivo informativo deste blog, não sendo a simples indicação, ou reprodução a garantia da ortodoxia de seus conteúdos. Os comentários devem ser respeitosos e relacionados estritamente ao assunto do post. Toda polêmica desnecessária será prontamente banida. Todos os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam, de maneira alguma, a posição do blog. Não serão aprovados os comentários escritos integralmente em letras maiúsculas, ou CAIXA ALTA. A edição deste blog se reserva o direito de excluir qualquer artigo ou comentário que julgar oportuno, sem demais explicações. Todo material produzido por este blog é de livre difusão, contanto que se remeta nossa fonte.
Home » » Pe. Joãozinho, SCJ - Rebate a Leonardo Boff - O que não se faz na busca pela audiência?!!!

Pe. Joãozinho, SCJ - Rebate a Leonardo Boff - O que não se faz na busca pela audiência?!!!

Written By Beraká - o blog da família on quarta-feira, 4 de julho de 2012 | 22:52





Por : Pe. Joãozinho, SCJ 

Leio com um misto de tristeza, indignação e frustração, a entrevista que Frei Leonardo Boff deu recentemente à revista ISTOÉ.

Ele se refere à Igreja com uma simplificação infantil que faz qualquer estudante de teologia duvidar que um dia Leonardo tenha sido teólogo também. Diante do natural ostracismo em que se colocou, este tipo de entrevista tem a finalidade óbvia de atrair um pouco de atenção.


Na verdade ele insiste em querer se dizer mártir da Teologia da Libertação. Teria sentado na cadeira de Galileo Galilei, para a inquisição promovida por Ratzinger. 


Nada mais pueril e falso. Na verdade os questionamentos feitos a Leonardo pela Congregação para a Doutrina da Fé tinham pouco ou quase nada a ver com a Teologia da Libertação.


Quando Boff chegou ao Brasil ao final de seus estudos na Alemanha (parcialmente financiados por Ratzinger), a TdL já estava em curso. Leonardo tornou-se editor da Vozes. Seu esforço era acadêmico. Publicava suas apostilas. Eram bons textos, mas permitia-se alguns ensaios teológicos passíveis de crítica. 



Leonardo nunca foi muito amigo da crítica. Prefere criticar. O seu principal livro criticado foi IGREJA, CARISMA E PODER. A primeira parte é um ótimo resumo de eclesiologia. Mas a certa altura ele concentra toda a sua atenção na “Trindade como modelo para toda Comunidade”; ora, admitir relações de subordinação entre as pessoas da Trindade seria cair na heresia do “subordinacionismo”.


Deste modo, toda sociedade que admita algum tipo de subordinação (inclusive a Igreja) seria uma espécie de subordinacionismo prático. Assim o papa, os bispos, qualquer autoridade seriam a encarnação de uma heresia prática. Nada mais falso.


É uma visão eclesiológica que padece do reducionismo ao modelo trinitário. Há um conjunto de modelos de Igreja, inclusive o modelo paulino do “corpo místico de Cristo”.


A Igreja tem esta estrutura hierárquica do corpo, em que o poder está em servir à comunhão. Leonardo sabe disso. Mas sua dificuldade com a autoridade o cega. 


Una-se isso agora ao desejo de aparecer na mídia. Seu desejo de ser o mártir da TdL acabou por colocar em descrédito a parte boa da Teologia da Libertação.


Há uma parte da entrevista particularmente curiosa, que faço questão de reproduzir aqui:


Istoé - O que o sr. acha da Renovação Carismática Católica?


Leonardo Boff – É um movimento forte, que trouxe muitos elementos positivos, pois tirou o monopólio dos padres. Agora o leigo fala e inventa orações, coisa que não ocorria. Deu certa leveza ao cristianismo, muito centrado na cruz e na paixão e menos na alegria e na celebração. Mas, a meu ver, ela ficou a meio caminho.


Istoé - Por quê?


Leonardo Boff – Não se pode pensar no cristianismo sem justiça social e preocupação com os pobres. Todo carismatismo corre o risco de alienação. Eles se perdem no louvor, no cantar e dançar...


COMENTÁRIO FINAL:


Será que o cristianismo realmente era mais “centrado mais na cruz que na alegria”?


Teria a RCC ficado na metade do caminho?


Não existe opção pelos pobres na RCC? (Na realidade na RCC não existe OPÇÃO EXCLUSIVA E EXCLUDENTE pelo pobre, pois Cristo não morreu apenas pelos pobres, mas por todos).


Tudo isso parecem palavras ao vento… simplificações de folhetim, que servem para vender uma revista semanal por ter “afirmações bombásticas de um ex-frade sobre a Igreja católica”, mas não prestam serviço à verdade.


Neste sentido, com seu repetitivo refrão, não estaria Leonardo Boff fazendo exatamente o que critica em Pe. Marcelo Rossi?


Não produz um discurso “adequado ao que é dominante hoje, que é o mercado?”, para usar suas palavras.


Não estaria dizendo exatamente o que as pessoas esperam ouvir?


Esperava mais de uma mente brilhante como a do meu conterrâneo catarinense.


Pe. Joãozinho, SCJ 

Curta este artigo :

Postar um comentário

Conforme a lei o blog oferece o DIREITO DE RESPOSTA a quem se sentir ofendido, desde que a resposta não contenha palavrões e ofensas de cunho pessoal e generalizados.Serão analisadas e poderão ser ignoradas e ou, excluídas.

Quem sou eu?

Minha foto
CIDADÃO DO MUNDO, NORDESTINO COM ORGULHO, Brazil
Neste Apostolado promovemos a “EVANGELIZAÇÃO ANÔNIMA", pois neste serviço somos apenas o Jumentinho que leva Jesus e sua verdade aos Povos. Portanto toda honra e Glória é para Ele.Cristo disse-nos:Eu sou o caminho, a verdade e a vida e “ NINGUEM” vem ao Pai senão por mim." ( João, 14, 6).Como Católicos,defendemos a verdade, contra os erros que, de fato, são sempre contra Deus.Cristo não tinha opiniões, tinha verdades, a qual confiou a sua Igreja, ( Coluna e sustentáculo da verdade – Conf. I Tim 3,15) que deve zelar por elas até que Cristo volte.Quem nos acusa de falta de caridade mostra sua total ignorância na Bíblia,e de Deus, pois é amor, e quem ama corrige, e a verdade é um exercício da caridade.Este Deus adocicado,meloso,ingênuo, e sentimentalóide,é invenção dos homens tementes da verdade, não é o Deus revelado por seu filho: Jesus Cristo.Por fim: “Não se opor ao erro é aprová-lo, não defender a verdade é nega-la” - ( Sto. Tomáz de Aquino)

As + lidas!

 
Support : Creating Website | Johny Template | Mas Template
Copyright © 2013. O BERAKÁ - All Rights Reserved
Template Created by Creating Website Published by Mas Template
Proudly powered by Blogger