A mera veiculação, ou reprodução de matérias e entrevistas deste blog não significa, necessariamente, adesão às ideias neles contidas. Tal material deve ser considerado à luz do objetivo informativo deste blog, não sendo a simples indicação, ou reprodução a garantia da ortodoxia de seus conteúdos. Os comentários devem ser respeitosos e relacionados estritamente ao assunto do post. Toda polêmica desnecessária será prontamente banida. Todos os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam, de maneira alguma, a posição do blog. Não serão aprovados os comentários escritos integralmente em letras maiúsculas, ou CAIXA ALTA. A edição deste blog se reserva o direito de excluir qualquer artigo ou comentário que julgar oportuno, sem demais explicações. Todo material produzido por este blog é de livre difusão, contanto que se remeta nossa fonte.
Home » » QUANDO AS MENTIRAS PROTESTANTES CAEM POR TERRA:

QUANDO AS MENTIRAS PROTESTANTES CAEM POR TERRA:

Written By Beraká - o blog da família on sábado, 12 de maio de 2012 | 17:21


394, O CULTO CRISTÃO É SUBSTITUÍDO PELA MISSA


A MENTIRA:

- “… 394, o culto cristão é substituído pela missa”

ONDE ELA SE ENCONTRA:

http://www.sobreasaguas.com.br/romano.htm

A VERDADE/DOCUMENTAÇÃO:

- A MISSA foi instituída por Cristo na ÚLTIMA CEIA e não em 394. Antigamente o ritual eucarístico era designado pelas expressões: “fracção do pão” (Act 2, 42; 20,7), “ceia do Senhor”, “ação”, “oblação”, “sacrifício”ou “sacrifício eucarístico”.

Após os ritos iniciais de Louvor, Kyrie, Glória, Leituras Bíblicas etc., os catecúmenos eram despedidos com a palavra “missio” pois lhes era vedado participar da liturgia eucarística. É pois da palavra “MISSIO” que deu orígem ao nome MISSA. “O nome “Missa” não se deve a Pascásio Radberto. É uma palavra latina equivalente a missio (missão ou envio); significava a despedida ou o envio dos catecúmenos para fora da igreja, quando terminava a homilia ou a liturgia da Palavra. Aos catecúmenos não era permitido participar da Eucaristia propriamente dita, pois ainda não haviam sido batizados. O nome Missa, que designava tal momento da liturgia, foi no século IV aplicado a todo o rito eucarístico, de modo que este hoje se chama Missa.

O primeiro a usar a palavra Missa no sentido atual foi provavelmente S. Ambrósio (+ 397) na epístola 20,4. S. Agostinho (+ 430) escrevia:

“Eis que após o sermão se faz a missa (= despedida) dos catecúmenos; ficarão apenas os fiéis batizados” (serm. 49,8).

Foram introduzidas algumas alterações secundárias entretanto, o cânon (parte central e invariável da Missa) encontrava-se já substancialmente em Santo Ambrósio e propriamente com o Papa Gelásio (Século IV). A missa pontifical já tinha o formato definitivo com São Gregório Magno (século VI). E a base para o Missal de São Pio V foi o “Missal da cúria romana”, do século XIII. (Amiot, François, A Missa e sua história, Ed. Flamboyant, 1958).

Jesus imitou Mitra?

O mitraísmo copiou o uso de pão e vinho das cerimônias judaico-cristãs.

Por volta de 2000 a.C., o pão é o vinho já eram usados nas cerimônias de Melquisedeque, sacerdote do Deus Altíssimo:

“Melquisedeque, rei de Salém e sacerdote do Deus Altíssimo, mandou trazer pão e vinho,” (Gên 14,18).

O mitraísmo, fundado mais de 1500 anos depois, apenas copiou o uso de pão e vinho.
O mitraísmo (em persa: مهرپرستی) foi uma religião de mistérios nascida na época helenística (provavelmente no século II a.C.) no Mediterrâneo Oriental.
No mitraísmo consagrava-se o pão e a água, e bebia-se vinho, o vinho que simbolizava o sangue do touro morto por Mitra e comia-se a carne.
Mitra é um deus de forma humana. É representado sob a forma de um jovem montado em um touro e, com uma das mãos, empunha uma adaga para o degolar.

Só Jesus nasceu de uma virgem, o que era impossível para um deus falso.

750 anos antes de Cristo nascer, o profeta Isaías previu: uma virgem conceberá e dará
à luz um filho, e o chamará Deus conosco! (Isaias 7,14)

Mitra (provavelmente no século II a.C.), deus petrógeno, não descende do Céu, e muito menos de uma virgem, pois surge miraculosamente de uma rocha, tendo em uma das mãos uma tocha luminosa e na outra, uma adaga. Nasceu adulto para brigar com um touro.

A estória de que Mitra teria nascido num dia 25 de dezembro não tem qualquer fundamento histórico. O Dr. Chris Forbes, Professor sênior no departamento de história antiga da Universidade de Macquarie, em Sidney, Austrália, afirma: “Não há referências antigas de que Mitra nasceu a 25 de Dezembro.”

.
Os rituais do mitraísmo nada tinham a ver com o cristianismo.

Os rituais iniciáticos do mitraísmo constavam da admissão dos fiéis por “inductio”. Antes de serem admitidos, os canditatos eram interrogados e sondados, informados num local distinto do templo. Em seguida, eram submetidos a uma série de provas, nus e com os olhos vendados, marchavam às apalpadelas diante de um mistagogo para finalizar se ajoelhando diante de um personagem que portava uma tocha diante de seus olhos. A seguir, com as mãos atadas às costas, colocavam de joelho no chão ao mesmo, tempo que um sacerdote cingia-lhes a cabeça com uma coroa. No final, prostravam-se como mortos.

Num determinado momento da evolução do mitraísmo introduz-se o rito do “taurobolium” ou “baptismo” dos fiéis com sangue de um touro, prática comum a outras religiões orientais. Graças a Tertuliano conhecem-se hoje as severas críticas cristãs a estas práticas.
Tertuliano também descreve o rito de iniciação do grau de Soldado (Miles). O candidato era “batizado” (talvez por imersão), sendo marcado com um ferro em brasa; era alvo de um teste, no qual se colocava uma coroa na sua cabeça que este deveria deixar cair, proclamando que Mitra era a sua coroa. Posteriormente os iniciados assistiam a uma morte ritual e simulada, cujo oficiante era um pater.

De acordo com Porfírio, no grau de Leo, colocava-se mel na boca dos recém-nascidos; para os iniciados adultos vertia-se mel sobre as suas mãos que estes lambiam em sinal de comunhão. Acredita-se que cada nível de iniciação teria o seu próprio ritual.

Lá no tempo de Moisés, antes de nascer a tataravó dos que iriam fundar a religião do falso deus Mitra, proclamava Deus no livro de Êxodo 28,4, citando a “mitra” como o chapéu que usariam seus sacerdotes:

“Estas são as vestes que deverão fazer: um peitoral, um efod, um manto, uma túnica bordada, uma mitra e um cinto. Farão essas vestes litúrgicas para teu irmão Aarão e seus filhos, para que sejam meus sacerdotes.”

“mitra” é um chapéu sacerdotal designado por Deus, no posterior mitraísmo virou “coroa”, e nome do próprio deus pagão.

O diabo não é nada criativo, o resto da confusão seus arautos continuam fomentando para confundir as almas.

Tertuliano (160-220), dizia que, o mitraísmo era inspirado pelo diabo que desejava zombar sobre os sacramentos dos cristãos com o intuito de levá-los para o inferno.

Agora sabemos quem copiou quem.

Autor: Fernando Nascimento.

—————————————-

Fontes consultadas:

Sagradas Escrituras, (Gên 14,18), (Isaias 7,14), (Êxodo 28,4).

UNLANSEY, David, The Origins of the Mitraic Mysteries. Oxford Universit Press, New York, 1989.

WESTCOTT, W. Wynn, Ressemblances of Freemasonsy to the Cult of Mithra, Ars Quatuor Coranatorum, vol. XXIX, London, 1916.


 “ 320 começam a usar velas nas igrejas…"
.
ONDE SE ENCONTRA:
http://www.sobreasaguas.com.br/romano.htm
.
A VERDADE:
O uso de velas é bem anterior ao Cristianismo.
Alguns sites nos ensinam que o uso de vela (ou coisa parecida) começou há mais de 50.000 anos atrás.
Para que não digam que este é um costume importado do paganismo informo que o uso de velas (ou coisa parecida) está registrado tanto no Antigo como no Novo Testamento:
.
“Farás um candelabro de ouro puro… Far-lhe-ás também sete lâmpadas. As lâmpadas serão elevadas de tal modo que alumiem defronte dele” (Ex 25, 31.37)
“O Senhor se refere à luz que brilha sobre um candeeiro” (Mt 5, 15)
.
“Cristo aparece entre candelabros“(Ap 1, 13; 2, 1).
.
APROVEITEM E CONHEÇAM ALGUMAS IGREJAS EVANGÉLICA QUE FAZEM USO DE VELAS CLICANDO NO LINK ABAIXO:


A arqueologia confirma a Igreja Católica:

Em 2005, foram encontradas na cidade de Megido, em Israel, as ruínas de uma igreja que pode ter sido uma das primeiras da história. Segundo a perita em inscrições antigas, Leah di Segni (Universidade Hebraica de Jerusalém), “as letras, os nomes e a forma [dos mosaicos lá encontrados] apontam para antes de Constantino”. Diz que a cerâmica encontrada – potes de cozinha, jarras de vinho – é “do fim do período romano”, tal como os motivos desenhados. “A decoração é romana, não bizantina. E não temos nenhuma cruz no chão, temos peixes.” (v. mais em http://www.publico.pt/Cultura/arqueologos-israelitas-pensam-ter-descoberto-primeira-igreja-crista-na-terra-santa_1238019 )
Os fascinantes achados do interior do templo jogam por terra as falácias protestantes, segundo as quais o cristianismo primitivo, supostamente equivalente ao protestantismo atual, teria sido suprimido pela Igreja Católica mediante o enxertamento de doutrinas e práticas pagãs. Pois bem, ledo engano! Nesses últimos 2000 anos, a Igreja que permaneceu fiel a si mesma e à doutrina ensinada pelos apóstolos foi a Santa Igreja Católica!


Vejamos:

[...]Durante os primeiros trabalhos para a construção de mais um setor da cadeia foi achado junto do local um mikveh, ou seja pia batismal. Juntamente com ele as bases de uma grande construção e também mosaicos de grandes proporções com inscrições em grego.
..

http://www.cafetorah.com/node/94

..
Pia batismal pra que, se o batismo era exclusivamente por imersão? Aqui fica confirmado que o pedobatismo foi doutrina e prática da Igreja dos tempos apostólicos, e não introdução de Constantino ou qualquer baboseira parecida.

Ainda no referido site, consta a seguinte informação:
.
[...]Na terceira e mais importante inscrição foi achado “Ao Deus Yeshua em sua Memória”.

Portanto, fica confirmado que o reconhecimento da naureza divina de Cristo não foi adulteração posterior da doutrina cristã promovida pela Igreja Católica, como querem as testemunhas-de-jeová, e sim que esse reconhecimento constituía a própria doutrina.

Por fim, a igreja de Megido nos revela/confirma que o uso de representações era prática corrente entre os cristãos primitivos, a qual a Igreja Católica permanece fiel desde então, ao passo que as confissões protestantes a renegam sob a alegação de que são corrupções da doutrina introduzidas pelo paganismo (v. em http://cienciaconfirmaigreja.blogspot.com/2008/08/surpresa-de-megido-e-igreja-crist-mais.html )


Ano 370 – Começa a veneração dos santos

A MENTIRA E ONDE SE ENCONTRA ENTRE OUTRAS:


”Ano 370 – Começa a veneração por pessoas cristãs que já morreram ou foram martirizadas. Culto dos santos, professado por Basílio de Cesaréia e Gregório”.http://murillorebelato.multiply.com/journal/item/1


A VERDADE DOCUMENTAL:

Pura calúnia protestante:
Revelemos o comentário do ano 160 D.C., que os cristãos de Esmirna fazem por causa da ignorância que os judeus tinham sobre a diferença da adoração que os cristãos prestavam somente a Nosso Senhor Jesus Cristo e a veneração prestada aos Santos. Semelhantes a nós católicos dos últimos séculos, os católicos do passado escreveram:

“Ignoravam eles que não poderíamos jamais abandonar Cristo, que sofreu pela salvação de todos aqueles que são salvos no mundo, como inocente em favor dos pecadores, nem prestamos culto a outro. Nós o adoramos porque é o Filho de Deus. Quanto aos mártires, nós os amamos justamente como discípulos e imitadores do Senhor, por causa da incomparável devoção que tinham para com seu rei e mestre. Pudéssemos nós também ser seus companheiros e condiscípulos!” (Martírio de Policarpo 17:2 +- 160 D.C).


E aqui vemos importantíssima prova da fé primitiva, e testemunho do costume que a Igreja tinha em guardar uma data, para celebrar a memória dos Santos, como Ela faz até hoje:

“Vendo a rixa suscitada pelos judeus, o centurião colocou o corpo no meio e o fez queimar, como era costume. Desse modo, pudemos mais tarde recolher seus ossos [de Policarpo], mais preciosos do que pedras preciosas e mais valiosos do que o ouro, para colocá-lo em lugar conveniente. Quando possível, é aí que o Senhor nos permitirá reunir-nos, na alegria e contentamento, para celebrar o aniversário de seu martírio, em memória daqueles que combateram antes de nós, e para exercitar e preparar aqueles que deverão combater no futuro.” (Martírio de Policarpo 18 +- 160 D.C)



Vejamos agora, o que na verdade professava os cristãos antes do forjado ano 370, em relação à doutrina da intercessão dos santos:
“O Pontífice não é o único a se unir aos orantes. Os anjos e as almas dos juntos também se unem a eles na oração” (Orígenes, 185-254 d.C. Da Oração).

“Se um de nós partir primeiro deste mundo, não cessem as nossa orações pelos irmãos” (Cipriano de Cartago, 200-258 d.C. Epístola 57)

“Aos que fizeram tudo o que tiveram ao seu alcance para permanecer fiéis, não lhes faltará, nem a guarda dos anjos nem a proteção dos santos”. (Santo Hilário de Poitiers, 310-367 d.C).

“Comemoramos os que adormeceram no Senhor antes de nós: patriarcas, profetas, Apóstolos e mártires, para que Deus, por suas intercessões e orações, se digne receber as nossas.” (São Cirilo de Jerusalém, 315-386 d.C. Catequeses Mistagógicas).

“Em seguida (na Oração Eucarística), mencionamos os que já partiram: primeiro os patricarcas, profetas, apóstolos e mártires, para que Deus, em virtude de suas preces e intercessões, receba nossa oração” (São Cirilo de Jerusalém, 315-386 d.C. Catequeses Mistagógicas).

“Se os Apóstolos e mártires, enquanto estavam em sua carne mortal, e ainda necessitados de cuidar de si, ainda podiam orar pelos outros, muito mais agora que já receberam a coroa de suas vitórias e triunfos. Moisés, um só homem, alcançou de Deus o perdão para 600 mil homens armados; e Estevão, para seus perseguidores. Serão menos poderosos agora que reinam com Cristo? São Paulo diz que com suas orações salvara a vida de 276 homens, que seguiam com ele no navio [naufrágio na ilha de Malta]. E depois de sua morte, cessará sua boca e não pronunciará uma só palavra em favor daqueles que no mundo, por seu intermédio, creram no Evangelho?” (São Jerônimo, 340-420 d.C, Adv. Vigil. 6).



Fonte consultada: (Prof. Alessandro Lima)
http://www.veritatis.com.br/article/3937 e http://www.veritatis.com.br/article/3934)

Ataque às Festas Juninas (JOANINAS PARA OS CATÓLICOS):

A mentira protestante: “As origens dessa comemoração também remontam à antiguidade, quando se prestava culto à deusa Juno da mitologia romana. Os festejos em homenagem a essa deusa eram denominados “junônias”. Daí temos uma das procedências do atual nome “festas juninas”.”
http://mulheres-cristas.blogspot.com/
A verdade: Mais acusações estapafúrdias, nada mais. O termo “junino” deriva-se do mês de Junho, mês em que se comemora a memória de São João Batista, portanto, não há que se ligar os festejos juninos (que ocorrem no mês de Junho) à figura mitológica Juno. Já a expressão “joanino” refere-se ao nome João (neste caso São João Batista, pois o termo joanino pode ser referido também a São João Evangelista, por exemplo, ao se falar nos escritos joaninos).
http://www.veritatis.com.br/article/5264

Tentam com o embuste acima, descaradamente paganizar as festas juninas católicas, certamente por inveja.
Curiosamente, o mesmo João Batista, foi morto para que sua cabeça fosse dada por Herodes, como presente numa festa de aniversário (festa pagã), que os primeiros cristãos e judeus jamais aparecem comemorando na Bíblia. Disso os desavisados evangélicos esqueceram, e como os pagãos Herodes e o Faraó, também eles os evangélicos, comemoram seus aniversários, de seus filhos e de suas “igrejas”, dando continuidade ao que havia de bom e puro nas tradições antigas.

Sábios são os conselhos das Escrituras à essa gente:

(Tito 1)
“14. e não dêem ouvidos a fábulas judaicas nem a preceitos de homens avessos à verdade.
15. Para os puros todas as coisas são puras. Para os corruptos e descrentes nada é puro: até a sua mente e consciência são corrompidas.
16. Proclamam que conhecem a Deus, mas na prática o renegam, detestáveis que são, rebeldes e incapazes de qualquer boa obra. “

Vejam o arraial dos copistas e contraditórios evangélicos:
http://aigrejadocaminho.wordpress.com/2009/06/01/arraia-gospel/

Dá para acreditar no que essa gente espalha por aí?

Arraial na Batista:
http://fontedejaco.spaceblog.com.br/162618/o-arraial-gospel-da-Fonte-bombou/

Arraial na Renascer:
http://www.unidosnafe.com.br/joomla1.5/index.php?view=article&catid=1%3Alatest-news&id=318%3Adia-14-de-junho-1930-arraial-gospel-no-espaco-renascer&option=com_content&Itemid=18

Arraial organizado pelo Ministério Pentecostal Tabernáculo da Glória e com a participação de mais de 15 igrejas evangélicas:
http://news.noticiascristas.com/2009/06/arraial-evangelico-lanca-banda.html

Arraial Geral:
http://www.gospel.org.br/noticias_gospel/index.cgi?codigo_noticia=599

Como os inimigos da Igreja de Cristo são muitos, vocês também verão por aí, alguns veículos da mídia dando asas ao tal embuste protestante, fazendo vista grossa para os “araiais juninos” dos mesmos.

Autor: Fernando Nascimento


IGREJA SEMPRE FOI ROMANA Por que a Palestina era Território Romano :

CARTA AOS QUE ESTÃO EM ROMA

ROMANOS 1,7. “a todos os que estão em Roma, queridos de Deus, chamados a serem santos: a vós, graça e paz da parte de Deus, nosso Pai, e da parte do Senhor Jesus Cristo!”

ROMANOS 16,20 “O Deus da paz em breve não tardará aesmagar Satanás debaixo dos vossos pés. A graça de nosso Senhor Jesus Cristo esteja convosco!” (Rm 16,20)


A MENTIRA: “Em 15 de julho de 1520, a Igreja Romana expediu a bula Exsurge Domine, que ameaçava Lutero de ser excomungado, a menos que se retratasse publicamente….”


ONDE SE ENCONTRA A MENTIRA:
http://www.musicrista.hpg.ig.com.br/gospel.htm
Esqueçamos aqui o fato da devida excomunhão do heresiarca Lutero conforme a bíblia em (Mt 18,15-17), e nos voltemos para o termo “Igreja Romana” da frase acima.

Certamente você já ouviu outros seguidores de seitas: alemãs, americanas, inglesas, holandesas e brasileiras chamando a Igreja Católica Apostólica Romana, de apenas “igreja romana”, para tentar malandramente colocar esta, no nível particular e humano das seitas deles. Quando na verdade, só e apenas, a Igreja Católica Apostólica Romana, foi fundada pelo filho de Deus na Palestina e tem mais de dois milênios de existência. Logo esta não é uma simples “igreja romana”.

REFUTAÇÃO LÓGICA E DOCUMENTAL:

Notem que esses integrantes de seitas protestantes, quando citam a sigla da Igreja Católica, citam: “ICAR” (Igreja Católica Apostólica Romana), mas quando pronunciam seu nome, pronunciam malandramente apenas: “igreja romana”, em berrante contradição. Logo fica evidenciada a má fé dos inimigos da Igreja de Cristo, que tentam confundir o termo “romana” com local de origem desta, enquanto procuram esconder os próprios países de origem de suas seitas.

Não sabem eles, que a Igreja Católica Apostólica Romana, é tão “romana” quanto o apóstolo Paulo o foi, sem jamais ter nascido em Roma/Itália.
Desconhecem os seguidores de seitas alemãs, americanas, inglesas, holandesas e brasileiras, que no tempo que Cristo fundou a sua única Igreja na Palestina, quase todo o oriente era território ocupado por Roma. Pompeu já havia conquistado a Palestina para Roma e a transformado em uma província governada por judeus. Veja que São Paulo não nasceu em Roma/Itália, mas em Tarso, hoje Turquia, e era “romano de nascimento”, como também é nesse sentido, a única Igreja fundada por Cristo na Palestina. (”Palestina”, Enciclopédia® Microsoft® Encarta 99. © 1993-1998 Microsoft Corporation. Todos os direitos reservados.)

Confira o que respondeu São Paulo em (Atos 22, 27-28): “E, vindo o tribuno, disse-lhe: Dize-me, és tu romano? E ele disse: Sim”. E respondeu o tribuno: Eu com grande soma de dinheiro alcancei este direito de cidadão. Paulo disse: Mas eu sou de nascimento”.

Como explicar isso a um pastor evangélico de paletó lascado, se São Paulo nasceu em Tarso, Turquia???

Todos sabemos que se um argentino nascer nas ilhas Malvinas que, fica na Argentina, será declarado “cidadão inglês”, por este ter nascido em território ocupado pela Inglaterra, mesmo estando na Argentina de Diego Maradona.

O mesmo aplica-se a Igreja Católica Apostólica Romana, que Cristo fundou na Palestina, território então, também ocupado por Roma. Logo desabam as “igrejas” de areia protestantes.

É neste sentido que a Igreja de Cristo é “romana”, mas, antes disso em seu nome, ela é “CATÓLICA” (universal) e “APOSTÓLICA” (dos apóstolos de Cristo), coisa que jamais serão de fato, as seitas protestantes fundadas por pecadores dezesseis séculos depois na Alemanha, Estados Unidos, Inglaterra, Holanda, Brasil, etc.

São Paulo e os demais apóstolos só conheceram a Roma/Itália geográfica e para lá levaram a Igreja depois que Cristo disse: “(…)Tem bom ânimo: porque, como deste testemunho de mim em Jerusalém, assim importa que o dês também em Roma”. ) (Atos 23,11).

Logo escrevia São Paulo aos romanos: “A todos os que estais em Roma, amados de Deus, chamados Santos: Graças a paz de Deus, nosso Pai, e do Senhor Jesus Cristo. Primeiramente, dou graças a Deus por Jesus Cristo, acerca de vós todos, porque em todo o mundo é anunciada a vossa fé.” (Rm 1,7- 8).

Como vemos, em todo o mundo é anunciada a fé dos “romanos” que estão em Roma, e não a fé posterior dos alemães, americanos, ingleses, holandeses e brasileiros, seguidores de seitas que enganam, querendo colocar-se no lugar da Igreja de Cristo, promovendo as divisões condenadas pelo próprio apóstolo São Paulo, que já alertava naquele tempo aos romanos: “Noteis os que promovem dissensões (divisões) e escândalos contra a doutrina que aprendeste; desviai-vos deles. Porque os tais não servem a Nosso Senhor Jesus Cristo, mas ao seu ventre; e, com suaves palavras e lisonjas, enganam o coração dos símplices”. (Romanos 16,17-18).

(Versículos conforme bíblia de João Ferreira, usada pelos protestantes das seitas: alemães, americanas, inglesas, holandesas brasileiras, etc.).

Corrija, quando encontrar um protestante desavisado chamando a Igreja Católica Apostólica Romana, que Cristo fundou, de “igreja romana”.

A Igreja fundada por Cristo nasceu Romana

Quando Cristo nasceu o império Romano dominava grande extensão do mundo conhecido. A Palestina (Judéia-Samaria-Galiléia) eram províncias romanas.

Em 40 a.C., Herodes, genro de Hircano II, foi nomeado rei da Judeia por Octávio e Marco António. Foi-lhe concedida autonomia quase ilimitada nos assuntos internos do país. A Judeia foi então invadida pelos partos, porém Herodes obteve ajuda das legiões romanas que expulsaram os invasores. Tornou-se rei efectivamente em 37 a.C., com a conquista da cidade de Jerusalém. (…)

A partir de 6 d.C., tornou-se uma província romana sob juridisção parcial do governador da Síria. A administração do território é entregue a governadores romanos da ordem equestre, chamados de prefeitos. Mais tarde, serão também chamados de procuradores.


BONIFÁCIO IV RESSUSCITA A IDOLATRIA PAGÃ

A MENTIRA


Em 610, Bonifácio IV consumou o facto da idolatria pagã, abrindo o panteão de Roma, e substituindo nele as divindades do paganismo pelos chamados santos, nascendo aqui a festa de Todos os Santos.

ONDE SE ENCONTRA
http://www.sergiofelizardo.com/estudoasimagens.htm

CONSIDERAÇÕES

Na verdade, há muito tempo que já não existia o culto a todos os deuses pois Roma se tornara cristã. O PANTEÃO, um magnífico tempo dedicado aos diversos deuses pagãos, era um monumento abandonado que resistiu impavidamente às detruições causadas pelos invasores e pela enchente do rio Tibre. A mentira, pois, acima, reside no fato de se afirmar que SÃO BONIFÁCIO IV “consumou” o fato da idolatria pagã, dando a entender que são “deuses” os mártires, cujos ossos foram transferidos das catacumbas para este templo, transformado pelo papa em uma magnífica Igreja dedicada à Santíssima Virgem e a todos os mártires.

DOCUMENTAÇÃO

Historicamente podemos afirmar que Flávio Focas Augusto fez a doação do Panteão à Igreja e apenas narrar o que se encontra como Biografia de São Bonifácio IV.

Ver: http://pt.wikipedia.org/wiki/Focas

A afirmação do Sérgio Felizardo é vaga e tendenciosa sendo necessária uma vista mais detalhada da biografia deste santo que nasceu em Valéria, Abruzo, sendo o sucessor de Bonifácio III, dez meses após a morte deste, ocorrida em outubro do ano anterior. Era filho de um médico.

Homem de espírito piedoso, foi providencialmente escolhido para governar a Igreja numa época de imensos sofrimentos para o povo romano que, além do mais, sofria um quadro dos mais decadentes de sua história.

Em meio à desolação geral deixada pela fome e pela peste, agravada pelas inundações do rio Tibre, a cidade oferecia um quadro de ruínas dos antigos monumentos, deteriorados pelo tempo ou destruídos pelos invasores.

É a partir daqui que o mentiroso, cujas mentiras são copiadas por muitos, aproveita para deturpar a verdade. A propósito: SANTOS NÃO SÃO DEUSES, como falsamente afirma esta maxambeta.

Eles, depois desta vida, reinam com Cristo (Romanos 5,17; II Timóteo 2,12; Apocalipse 5, 9-10; 20,6; 22,5) e isto não é reles título nobiliárquico. Cmo tais, efetivamente têm o poder régio, inclusive o de nos introduzir nas moradas eternas (São Lucas 16,9).

Nesta época, apenas o majestoso templo pagão, o Panteão, construído por Agripa, há mais de 600 anos, dedicado, outrora, aos falsos deuses, resistia milagrosamente incólume.

No seu pontificado, o principal acontecimento para o mundo cristão foi a salvação deste monumento.

O novo papa pediu ao imperador que lho cedesse, aproveitando, então para transformá-lo numa magnífica igreja, dedicada à Virgem Maria e a todos os Mártires (e não DEUSES como afirma o artigo mentiroso)

A nova igreja foi solenemente consagrada em 13 de maio (609).

Vinte e oito carroças com o os ossos dos mártires das Catacumbas foram enterradas sob o altar principal.

Daí surgiu a veneração a Todos os Santos, festa mais tarde fixada por Gregório IV, em 10 de novembro.

Com as notícias vindas do Oriente de que os Persas haviam devastado Jerusalém e a igreja do Santo Sepulcro, caiu em profunda depressão, e morreu venerado como santo, em Roma.

Sua festa é comemorada no dia de sua morte, oito de maio.

Sobre o Panteon: http://www.lmc.ep.usp.br/people/hlinde/Estruturas/Panteon.htm

Biografia de Bonifácio IV – Página do prof.Carlos Fernandes:

http://www.dec.ufcg.edu.br/biografias/PPBoni04.html


Vejam este outro site que conta a mesma história do falso ex-pedre RAIMUNDO PEREIRA, pastor da Igreja Assembléia de Deus:
http://macfly.multiply.com/journal/item/114
Em qualquer site protestante é quase impossível não depararmos com pelo menos uma mentirinha.

OSWALDO


As Duas Babilônias?
.

Saiba por quem e como, teve origem a velha mentira protestante que propaga que as doutrinas da Igreja Católica tiveram origem no paganismo.

Em 1853, o mal intencionado pastor protestante Alexander Hislop, escreveu um fantasioso livro intitulado “As Duas Babilônias”, forjado com mera intenção de atacar a Igreja Católica, querendo relacioná-la ao paganismo, para incutir na cabeça dos que ele enganava, que havia uma Babilônia no passado e outra hoje que seria a Igreja Católica.

Baseando-se nas lorotas do aleivoso pastor Hislop, o protestante, Ralph E. Woodrow escreveu outro livro, o “Babilônia, a Religião de Mistério”, e logo todos os embustes dos dois livros foram levados para dentro das seitas protestantes para enganar os indoutos protestantes, ávidos por razões para odiarem a Santa Igreja Católica.

Acontece que Ralph E. Woodrow fez um estudo e concluiu que tudo o que estava no livro de Alexander Hislop é ficção sensacionalista, mentira fraudulenta, relacionamentos falsos. Então Ralph E. Woodrow para corrigir os erros cometidos no seu livro, escreve um outro livro com o nome de “A Babylon Connection?”. Woodrow tornou-se agora um crítico das fantasiosas teorias “pagãs” do mentiroso pastor Hislop. Confirme: http://translate.google.com/translate?hl=pt-BR&sl=en&u=http://www.ukapologetics.net/1hislopbaby.html&sa=X&oi=translate&resnum=10&ct=result&prev=/search%3Fq%3DRalph%2BWoodrow%2Btwo%2BBabylons%2Bde%2BAlexander%2BHislop%2Band%2Bits%2B%26hl%3Dpt-BR%26sa%3DG

Woodrow no link acima, afirma que não há auto-respeito evangélico, e que em 1998 encontrou o mentiroso livro do pastor Hislop à venda em uma loja de livros evangélicos altamente reputados. Informa também que em novembro de 2005, quando fez uma pesquisa no Google por “As Duas Babilônias” de Alexander Hislop, as primeiras 15 páginas que surgiram foram esmagadoramente a favor da posição da Hislop, e conclui: “…Na verdade, talvez ingenuamente, ainda hoje muitos ainda se agarram a cada (geralmente errada) palavra de Hislop.”

Como vemos, o pai da mentira continua dando as cartas no protestantismo.

Cai a farsa.

PROVAS DA DESONESTIDADE PROTESTANTE

Conheça agora as lorotas forjadas pelo “pastor” Alexander Hislop que continuam enganando “evangélicos” desavisados no Brasil, através do CACP, no link: http://www.cpr.org.br/duas_babilonias.htm as lorotas seguem em vermelho, seguidas da nossa refutação em preto.

“Uma das características mais acentuadas do Catolicismo Romano é o sistema sacerdotal (padres, bispos, papas) que não se encontra de modo algum nas Escrituras Sagradas do Novo Testamento”.Resposta: A afirmação é mentirosa considerando que no Novo Testamento vemos:

1) – PRESBÍTEROS (PADRES, SACERDOTES – Sacerdócio comum e ministerial)

(I Timóteo 5,17)
Os PRESBÍTEROS que desempenham bem o encargo de presidir sejam honrados com dupla remuneração, principalmente os que trabalham na pregação e no ensino.

(I Timóteo 5,19)
Não recebas acusação contra um PRESBÍTERO, senão por duas ou três testemunhas.

(São Tiago 5,14)
Está alguém enfermo? Chame os sacerdotes da Igreja, e estes façam oração sobre ele, ungindo-o com óleo em nome do Senhor.
(Sacerdócio Ministerial)

(Apocalipse 1,6)
e que fez de nós um reino de sacerdotes para Deus e seu Pai, glória e poder pelos séculos dos séculos! Amém.(Sacerdócio comum)

 2) – BISPOS:
(Atos dos Apóstolos 20,28)
Cuidai de vós mesmos e de todo o rebanho sobre o qual o Espírito Santo vos constituiu bispos, para pastorear a Igreja de Deus, que ele adquiriu com o seu próprio sangue.

(Filipenses 1,1)
Paulo e Timóteo, servos de Jesus Cristo, a todos os santos em Jesus Cristo, que se acham em Filipos, juntamente com os bispos e diáconos…

(I Timóteo 3,2)
Porque o bispo tem o dever de ser irrepreensível, casado uma só vez, sóbrio, prudente, regrado no seu proceder, hospitaleiro, capaz de ensinar.

(Tito 1,7)
Porquanto é mister que o bispo seja irrepreensível, como administrador que é posto por Deus. Não arrogante, nem colérico, nem intemperante, nem violento, nem cobiçoso.

(I Timóteo 3,1)
Eis uma coisa certa: quem aspira ao episcopado, saiba que está desejando uma função sublime.

3 – PAPA
São Pedro chamava Marcos de “Meu filho Marcos” sem ter ligação carnal com aquele. É natural que Marcos o tratasse por “Pai” (Papa) espiritual (1Pd 5,13).
Na Enciclopédia Compacta da revista “Isto é”, pág. 259, tópico Igreja Católica, lemos: [“Roma foi a única Igreja ocidental fundada por um apóstolo (São Pedro). Da Irlanda aos Cárpatos, os cristãos passaram a reconhecer o bispo de Roma como o Papa (do latim vulgar papa, “pai”)]. (colaboração de Oswaldo Garcia).

“Quando a Igreja se corrompeu sob o governo de Constantino, as coisas foram mudando, porque não se exigia conversão para o batismo, mas apenas o batismo (obrigatório) de qualquer um”.Resposta: A Igreja não se corrompeu coisa nenhuma e Constantino nunca teve governo sobre a Igreja, apenas parou de perseguir os cristãos em respeito a conversão de sua mãe, Santa Helena. Ele mesmo continuou pagão até o último dia de sua vida, sendo batizado não no catolicismo, mas entre os hereges arianos.

 “Após a morte, o católico obrigatoriamente vai passar uma boa temporada (de veraneio) no Purgatório, a fim de purgar os seus pecados; até mesmo por ali passam os papas que dão indulgências para garantir a salvação dos membros da Igreja Mãe e, contudo, não se livram do purgatório… Notaram a contradição? Como é possível que o “Santo Padre”, que se intitula o Vice de Jesus Cristo, ou seja, o Seu Vigário na terra, tenha de passar pelo purgatório?”
Resposta: Sobrou sofisma e faltou conhecimento da verdade. Só os salvos passarão pelo purgatório, só os salvos precisam de purificação, sejam Papas ou leigos. No céu nada entra impuro. Está demonstrado na Bíblia que alguns serão salvos pelo fogo (1Co 3,15); que cada um será salgado com fogo (Mc 9,49); no Livro de Malaquias vemos a purgação dos que caminham para a salvação: (Malaquias 3, 2- 4) “Mas quem suportará o dia da sua vinda? E quem subsistirá, quando ele aparecer? Porque ele será como o fogo do ouvires e como o sabão dos lavadeiros. E assentar-se-á, afinando e purificando a prata; e purificará os filhos de Levi e os afinará como ouro e como a prata; então, ao Senhor trarão ofertas em justiça. E a oferta de Judá e de Jerusalém será suave ao Senhor, como nos dias antigos e como nos primeiros anos”. Isso prova que, quem quer ser salvo, terá que ser purgado, e purgado no fogo, queira ou não, pois Jesus já apareceu. (conf. bíblia de João Ferreira)
“Lá na capital da Torre de Babel, Nimrode e sua mãe/amante Semíramis iniciaram a religião de mistérios, que se rebelava contra o Criador, (…)” Resposta: Semiramis viveu séculos depois de Nimrode, e nem poderia ter sido sua mãe, ou amante. Muito menos ter iniciado qualquer religião juntos. Como consta na “louvável honestidade intelectual de Ralph Woodrow” no link:

Os membros da religião egípcia comiam o seu deus para dele colherem a força e a luz, daí a origem do “deus hóstia” do Catolicismo.”Resposta: Puro embuste do articulista. Ele simplesmente omite que o próprio maná redondo foi dado por Deus (Exodo 16,14). Seria Deus pagão?

“Até as iniciais “IHS” foram copiadas do paganismo, pois o significado delas é “Isis, Horus, Seb”, três deuses que vinham logo abaixo do deus Sol. O Catolicismo adaptou essa sigla, inventando para ela uma nova significação: “Iesus, Homo Sanctus””.Resposta: Na realidade, as iniciais “IHS”, são uma abreviatura de Ihsous, o latim ortografia de Jesus, em nome do Grego (Ιησους), embora popularmente, podem contar para o latim Iesus Hominum Salvator sentido de Jesus, Salvador da humanidade (que também se enquadra ao ensino da transubstanciação, onde o pão e vinho são ditas para se tornar o corpo e o sangue de Cristo). “( Fonte: Wikipédia artigo, Alexander Hislop. Http://en.wikipedia.org/wiki/Alexander_Hislop) *(link temporariamente com problema).

“Quase todos os usos e costumes da “santa madre” foram copiados do paganismo babilônico, segundo o erudito Alexander Hislop, em seu livro “The Two Babylons”, em nova edição lançada nos Estados Unidos, em 2002, (…)”Resposta: Pondo fim ao festival de lorotas do falso erudito Hislop, que aqui faz uso de suas quimeras o CACP, dizia Ralph Woodrow:
“Pode-se ir a qualquer biblioteca, consulte qualquer livro sobre a história antiga Babilônia, nenhuma destas coisas vão ser encontradas”. Para ver esta informação, clique na palavra linkada “AQUI” do endereço:

E pensar que estas calúnias caducas, depois de 154 anos foram novamente atualizadas pela famigerada Mary Schultze, em 07/04/2007 no site protestante CACP.
Viva a mentira!!! Viva o protestantismo!!!

Autores: Fernando Nascimento, Oswaldo Garcia, Sena.


PURGATÓRIO – Inventado em 503, 593, 787, 1438…

VÁRIAS MENTIRAS DISCORDANTES ENTRE SI E ONDE SE ENCONTRAMA doutrina do Purgatório, estabelecida por Gregório I ano 593

http://aluzquevemdacruz.blogspot.com/2007/07/algumas-heresias-e-invenes-catlico.html

O Purgatório começa a existir. Ano 787

http://br.geocities.com/bartimeu/htm/cato.htm

Proclamação do Purgatório – Ano 1438. Satanás ama a doutrina do Purgatório e propagou essa mentira em todas as religiões pagãs em todas as épocas. No entanto, a doutrina do Purgatório é especialmente deliciosa ao Senhor Satanás quando é aplicada à doutrina “cristã”. O Purgatório deprecia a plenitude do sacrifício de Jesus na cruz, negando que seu sacrifício adquiriu perdão completo para o pecado individual. Mencionei anteriormente o todo-perfeito sacrifício pelos pecados que a morte de Jesus na cruz obteve para todas as pessoas que viveriam dali para a frente.
http://www.espada.eti.br/n1334.asp
http://www.jesus-br.org/modules.php?name=News&file=article&sid=675

SÉCULO VI, ano 593, a doutrina do purgatório começa a ser ensinada.
http://www.mucheroni.hpg.ig.com.br/religiao/96/nome/c15.htm

Em sucessivos concílios depois do século IV, os papas sancionaram muitos dogmas desconhecidos pelos cristãos os primeiros 500 anos e estranhos ao Novo Testamento. – A Igreja primitiva desconhecia até então a… o Purgatório…
http://www.sobreasaguas.com.br/romano.htm

Ano 503, o papa em exercício lança idéia do “purgatório” mais tarde efetivada; o dinheiro que recebem pelas “Missas de intenção” trazem problemas de consciência pois tem um fim específico: Remover almas do purgatório para 0 Céu!
http://juniorhallak.vilabol.uol.com.br/yeshuahamashya.html

A VERDADE – CONSIDERAÇÕES LÓGICAS

Não é o fato de aparecer um documento atestando que em determinada data se acreditava na doutrina do PURGATÓRIO prove que foi a partir daí que foi criada tal doutrina.Quem lê atentamente o evangelho nele descobrirá que esta doutrina está embutida em diversos versículos, mas NÃO É DISSO que estamos falando aqui.

Agora estamos apenas DENUNCIANDO diversas MENTIRAS assacadas contra a Igreja Católica, que é chamada pela Bíblia como COLUNA E SUSTENTÁCULO DA VERDADE, característica que lhe garante o poder de ensinar a doutrina de Cristo sem erro, mesmo que tal não esteja contida na Bíblia.

Para comprovar a mentira não será necessário, portanto, fazê-lo através da Bíblia, e sim, que tal ensino foi ministrado antes das datas relatadas pelas diversas mentiras relacionadas acima.

A VERDADE – COMPROVAÇÃO DOCUMENTAL

GRAFITOS – APANHADO ARQUEOLÓGICO ANTES DO SÉCULO IV – final da escada, numa parede protegida por um vidro, tem início uma série de grafitos, gravados com uma ponta de ferro na argamassa da parede.

São nomes de pessoas, palavras ou também pequenas frases de invocação aos mártires, escritas pelos peregrinos durante a visita às catacumbas. Os grafitos são freqüentes perto das sepulturas dos mártires.

Podem-se ler na parede externa da Cripta dos Papas, estas escrituras. “Ó S. Sisto, lembra-te em tuas orações de Aurélio Repentino…”; “Ó Santas Almas, recordai-vos de Marciano, de Sucesso, de Severo, e de todos os nossos irmãos”; “Felicio, PBR (presbítero) pecator” (Felício, sacerdote, pecador). Lê-se, ainda, a expressão admirada de um desconhecido cristão que compara a cripta dos Papas à Jerusalém celeste: “Jerusalém, cidade e ornamento dos mártires de Deus…”.
http://www.catacombe.roma.it/br/cimitero.html

TERTULIANO – (160-220) na carta (De Monogamia 10) prega o purgatório;

CLEMENTE DE ALEXANDRIA – em 202, um dos teólogos mais importantes de Alexandria, explicou o Purgatório (Stromata, 6:14,in ANF,II:504);

SÃO CIPRIANO – em 249 já dizia: ”…uma coisa é penar muito tempo e purificar-se nas chamas do Purgatório e outra coisa é ter removido todos os pecados, pelo martírio”. (Na luz Perpétua, 5ª. ed., J. B. Lehmann, Ed. Lar Católico, MG,1959).

EPITÁFIO DE ABÉRCIO, BISPO DE HIERÁPOLIS – Século II – A oração pelos mortos faz supor a crença do PURGATÓRIO.
http://www.geocities.com/Athens/Aegean/8990/abercio.htm

A inscrição a seguir é considerada, pelos estudiosos, como a mais importante da antiguidade cristã. Foi composta na Ásia Menor, no séc. II, por Abércio, bispo de Hierápolis, que relata, em forma figurada sua viagem a Roma e à Síria. Entre outras coisas, fala sobre a eucaristia ministrada sob as duas espécies de pão e vinho e pressupõe a prática da oração pelos mortos.

A inscrição, gravada sobre pedra, foi descoberta em 1883 pelo arqueólogo protestante W.Ramsay, nas proximidades de Hierápolis (Frígia) e hoje se encontra no museu de Latrão:

Cidadão de pátria ilustre,
Construí este túmulo durante a vida,
Para que meu corpo – num dia – pudesse repousar.

Chamo-me Abércio:
Sou discípulo de um Santo Pastor1,
Que apascenta seu rebanho de ovelhas,
Por entre montes e planícies.
Ele tem enormes olhos que tudo enxergam,
Ensinou-me as Escrituras da Verdade e da Vida
E enviou-me até Roma para vislumbrar sua soberana majestade
E ver a Rainha2 com vestes e sandálias de ouro:
Lá conheci um povo marcado com um sinal resplandecente.

Também fui à planície da Síria
E vi cidades – como Nísibe – para lá do [rio] Eufrates.
Por toda parte encontrei irmãos
E tive Paulo por companheiro.

Por toda parte a fé me guiou
E ela me serviu de alimento
Com um Peixe3 de fonte, grande e puro,
Pescado por uma Santa Virgem,
Que o entregava a seus amigos.
Ela possui um vinho delicioso
E o serve misturado com pão.

Eu, Abércio, ditei este texto
E o fiz gravar na minha presença
Aos setenta e dois anos.
O irmão que o ler por acaso
Ore por Abércio.
E ninguém erga outro túmulo sobre o meu,
Sob pena de multa:
Duas mil peças de ouro para o fisco romano
E mil para Hierápolis,
Minha pátria ilustre!

——————————————————————————–
1isto é, Jesus Cristo.
2ou seja, a Igreja.
3isto é, a eucaristia.



====================================



APANHADO BÍBLICO E TESTEMUNHO ARQUEOLÓGICO

SOBRE O PURGATÓRIO:

O CÁRCERE – “Se estás, portanto, para fazer a tua oferta diante do altar e te lembrares de que teu irmão tem alguma coisa contra ti, deixa lá a tua oferta diante do altar e vai primeiro reconciliar-te com teu irmão; só então vem fazer a tua oferta. Entra em acordo sem demora com o teu adversário, enquanto estás em caminho com ele, para que não suceda que te entregue ao juiz, e o juiz te entregue ao seu ministro e sejas posto em prisão. Em verdade te digo: dali NÃO SAIRÁS ANTES DE TERES PAGO O ÚLTIMO CENTAVO ” (Mt 5,26).

“Eu vos digo: fazei-vos amigos com a riqueza injusta, para que, no dia em que ela vos faltar, eles vos recebam nos tabernáculos eternos.” (São Lucas 16,9)

PECADOS PERDOADOS NA OUTRA VIDA – “Todo o que tiver falado contra o Filho do homem será perdoado. Se porém, falar contra o Espírito Santo, não alcançará perdão nem neste século nem no século vindouro. ” (Mt 12,32)

PALAVRAS INÚTEIS – “Eu vos digo que de toda palavra inútil, que os homens disserem, DARÃO CONTA NO DIA DO JULGAMENTO” (Mt 12,36)

O SERVO IMPIEDOSO – “Então o senhor o chamou e lhe disse: Servo mau, eu te perdoei toda a dívida porque me suplicaste. Não devias também tu compadecer-te de teu companheiro de serviço, como eu tive piedade de ti? E o senhor, encolerizado, entregou-o aos algozes, até que pagasse toda a sua dívida. ” (São Mateus 18,34)

PASSANDO PELO FOGO – “… a obra de cada um aparecerá. O dia (do julgamento) demonstrá-lo-á. Será descoberto pelo fogo; o fogo provará o que vale o trabalho de cada um. Se a construção resistir, o construtor receberá a recompensa. Se pegar fogo, arcará com os danos. Ele será salvo, porém passando de alguma maneira através do fogo.” (1 Cor 3,13-15)
ATÉ QUE PAGASSE TODA A SUA DÍVIDA. ” (São Mateus 18, 32-35)

PENA MAIOR E PENA MENOR – “Aquele servo que conheceu a vontade de seu senhor, mas não se preparou e não agiu conforme sua vontade, será açoitado muitas vezes. Todavia, aquele que não a conheceu e tiver feito coisas dignas de chicotadas, SERÁ AÇOITADO POUCAS VEZES” (Lc 12,47).

TABERNÁCULOS ETERNOS – “Eu vos digo: fazei-vos amigos com a riqueza injusta, para que, no dia em que ela vos faltar, eles vos recebam nos tabernáculos eternos.” (São Lucas 16,9)

SALVO ATRAVÉS DO FOGO – QUEM PECA HÁ DE PAGAR – “Quem cometer injustiça, PAGARÁ PELO QUE FEZ injustamente; e não haverá distinção de pessoas. ” (Colossenses 3,25)

SOMENTE SANTOS – SANTIDADE (perfeição) – “… procurai a paz com todos e ao mesmo tempo a santidade, SEM A QUAL NINGUÉM PODE VER A DEUS”. (Hb 12,14)

VESTE BRANCA OBRIGATÓRIO NAS FESTAS DE NÚPCIAS: “Perguntou-lhe: Meu amigo, como entraste aqui, sem a veste nupcial? O homem não proferiu palavra alguma” (São Mateus 22,12)

ESPÍRITOS DETIDOS – ” … mas [Cristo] foi vivificado quanto ao espírito. É neste mesmo espírito que ele foi pregar aos espíritos que ERAM DETIDO NO CÁRCERE, àqueles que outrora, nos dias de Noé, TINHAM SIDO REBELDES…” (I São Pedro 3,19)

PURIFICAÇÃO DE TODA MANCHA – “Nela (na Jerusalém Celeste) jamais entrará ALGO DE IMUNDO e nem os que praticam abominação e mentira” (Ap 21,27).

TESTEMUNHOS DA IGREJA PRIMITIVA
- Bispo de Hierápolis (séc. II), na Frígia, Abércio mandou esculpir numa lápide os dizeres que recobriam o seu túmulo, dizeres que terminam com a seguinte advertência: “Estas coisas quem compreende, ORE POR ABÉRCIO, todo o que comunga com ele.”

No cemitério de Priscila, em Roma, foi gravada no séc. III a inscrição: “Rogo-vos irmãos, todas as vezes que aqui vindes A ORAR E REZAR INSTANTEMENTE ao Pai e ao Filho, LEMBRAI-VOS DA CARA ÁGAPE, a fim de que Deus Todo-Poderoso guarde Ágape pelos séculos”.
Em Alexandria, no Egito, foi encontrada uma inscrição com os dizeres: “Que o Senhor se recorde da dormição e do repouso de Makara, a muito meiga: QUE O LEITOR ORE POR ELA”. (P. 41).

Além disso, há os testemunhos patrísticos como São João Crisóstomo que disse: “OS APÓSTOLOS INSTITUIRAM A ORAÇÃO PELOS MORTOS…” (P. 42).

Além da Didaqué, etc…
Just another WordPress.com weblog


IGREJA CATÓLICA – Religião Oficial por Constantino:


1 – A MENTIRA
“… Em 312 d.C o Imperador Romano Constantino I adotou a religião Cristã e no ano seguinte fez do Cristianismo a religião oficial do Império Romano, trazendo para dentro da Igreja multidões de pessoas não convertidas, que para se tornarem ‘agradáveis’ ao ESTADO [ao Governo do Imperador] faziam-se cristãos nominais, agindo como atores, sem experimentarem a genuína conversão por CRISTO…”

Esta mentira é compartilhada pelo espírita Roberto P. C. Júnior que diz:
“Na verdade, Constantino observara a coragem e determinação dos mártires cristãos durante as perseguições promovidas por Diocleciano, em 303. Sabia que, embora ainda fossem minoritários ( 10% da população do império ), os cristãos se concentravam nos grandes centros urbanos, principalmente em território inimigo. Foi uma jogada de mestre, do ponto de vista estratégico, fazer do Cristianismo a Religião Oficial do Império… “


2 – ONDE ELA SE ENCONTRA



3 – A VERDADE

3.1 – CONSIDERAÇÕES LÓGICAS: – Que alguém se tenha convertido apenas para agradar ao imperador, por certo aconteceu como até nos dias de hoje ainda acontece e casos semelhantes não faltam nos acontecimentos históricos recentes (exemplo: judeus marranos e muçulmanos). Mas, a partir daí, acreditar que a Igreja caiu na heresia é um atentado contra o bom senso.
O Articulista se aventura em buscar o “desvio” da Igreja já no tempo em que ainda vivia o último apóstolo São João Batista confundindo os vícios das pessoas como sendo vícios da Igreja.

Ora esta tendência de alguns dos membros da Igreja para a heresia como todo tipo dos demais pecados é próprio da natureza humana decaída pelo primeiro pecado.
Fosse assim, deveríamos ver desvio da Igreja a partir da existência dos primeiros judaizantes o que motivou a ocorrência do primeiro concílio da Igreja em Jerusalém.
Devo esclarecer que a Igreja jamais se corrompe permanecendo sempre fiel e pura. Alguns membros, porém, podem apodrecer e, como acontece com a fruta podre, acaba caindo, separando-se do todo que é o Corpo de Cristo.
A reunião de todos esses frutos podres é que chamamos de grupos heréticos que são um subproduto do cristianismo e de todas as religiões do planeta.
3.2 – PROVAS DOCUMENTAIS – A mentira do impostor, além das muitas bobagens que afirmou acima, consiste em asseverar que “NO ANO SEGUINTE” (314 d.C.) a fé católica foi declarada oficial.
I – Tal mentira é refutada pelos próprios sites protestantes entre os quais este que diz claramente que em
380, pelo “Édito de Tessalônica: Teodósio torna o cristianismo religião oficial”
http://paginas.terra.com.br/educacao/histigreja/
II – É desmentida também pela própria história relatada aqui na WIKIPÉDIA:
“Teodósio foi educado numa família cristã. Ele foi batizado em 380 d.C., durante uma doença severa, como era comum nos tempos dos primeiros cristãos. Em fevereiro desse mesmo ano, ele e Graciano fizeram publicar um édito deliberando que todos os seus súditos deveriam seguir a fé dos Bispos de Roma e de Alexandria (Código de Teodósio, XVI,I,2). A lei reconhecia quer a primazia daquelas duas instâncias quer a problemática teológica de muitos dos patriarcas de Constantinopla, que porque estavam sob a observação dos imperadores eram por vezes depostos e substituídos por sucessores teologicamente mais maleáveis. Teodósio foi educado numa família cristã. Ele foi batizado em 380 d.C., durante uma doença severa, como era comum nos tempos dos primeiros cristãos. Em fevereiro desse mesmo ano, ele e Graciano fizeram publicar um édito deliberando que todos os seus súditos deveriam seguir a fé dos Bispos de Roma e de Alexandria (Código de Teodósio, XVI,I,2).
A lei reconhecia quer a primazia daquelas duas instâncias quer a problemática teológica de muitos dos patriarcas de Constantinopla, que porque estavam sob a observação dos imperadores eram por vezes depostos e substituídos por sucessores teologicamente mais maleáveis”
http://pt.wikipedia.org/wiki/Teod%C3%B3sio_I
III – “AVENTURAS NA HISÓRIA – PARA VIAJAR NO TEMPO” :
“… Durante o domínio do imperador Teodósio, em 380, o cristianismo foi anunciado como religião oficial do Império Romano, fazendo com que, 13 anos depois…”
http://historia.abril.com.br/2006/edicoes/obraprima/mt_232989.shtml
 Autor: Oswaldo Garcia

Deus não divide sua glória com ninguém - (Is 42,8) – Será mesmo ?

 

 

Quem nunca viu um protestante soltando este versiculo como se Deus não honrasse seus santos?
Em hebraico
אֲנִי יְהוָה הוּא שְׁמִי וּכְבוֹדִי לְאַחֵר לֹא־אֶתֵּן וּתְהִלָּתִי לַפְּסִילִים ׃
tradução pelo gooogle:
Eu sou o Senhor é o meu nome está a minha honra depois de não – que eu comecei a ídolos(לַפְּסִילִים);
Deixo em parenteses a palavra idolos para que vejam que a tradução protestante não corresponde com os originais em hebraico onde  nunca aparece como imagens.
Superado esta fase mostraremos que esta honra não se da a falsos deuses(idolos) mas aos santos que a recebem por parte de Cristo:
-“Eu lhes dei a glória que me deste” (Jo 17,22)
-“Deus concede graça e glória“ (Salmo 84,11) ou (Salmo 83,12);
-“O que… Deus preparou para nossa glória“ (1 Cor 2,7);
-“Os que chamou, também os justificou, e os que justificou, também os glorificou“ (Rm 8,30);
- “Vi outro Anjo descendo do céu, tinha um grande poder e a terra ficou iluminada com a sua glória” (Ap 18,1);
-”Eu lhes dei a glória que me deste” (Jo 17,22); -
-“Glória, honra e paz para todo aquele que pratica o bem” (Rm 2,10)!

Nossa Resposta: 

Quando enaltecemos uma obra, a glória é recebida pelo seu autor. Quando admiramos e elogiamos o quadro “Monalisa”, estamos elogiando o autor dele, Leonardo da Vinci.

Quando homenageamos (veneramos) os santos, não estamos dividindo glória alguma, mas estamos glorificando a Deus, pois a santificação é obra d'Ele:

“EU SOU o Senhor que vos santifico.”(Ex 31,13; Lv 20,8; 21,8; 21,15; 21,23) !




RESPOSTA AO FALSO DOCUMENTÁRIO PROTESTANTE: “O  ESTADO DO VATICANO”

Autor: Fernando Nascimento

________________________________________________________
ADVERTÊNCIA: – Esta é uma obra investigativa em respeito a verdade. Não se pode esperar que o protestantismo em publicações como a criminosamente intitulada: “Documentário o Estado do Vaticano”, que prontamente refuto, testemunhe contra si mesmo ou concorde com os historiadores sérios, registros da história universal e as Sagradas Escrituras, a quem damos preferência por serem mais confiáveis.

Visto que o “pastor” Lauro de Barros Campos, autor do calunioso atentado, mostrou-se qualificado vândalo, usando endereço falso não reconhecido pelos Correios, seção opinião de jornais diários, literatura apócrifa de quarta mão e adulteração dos textos sagrados.

Eis os meios de distribuição do maior embuste de todos os tempos, forjado para atacar a Igreja Católica:
1 – através do livro “O ESTADO DO VATICANO” do “pastor” Lauro de Barros Campos;
2 – através de apostilas encadernadas distribuídas em todo o Brasil;
3 – pela Internet nos endereços:
http://gracamaior.com.br/ibsd-x-catolica/estado-do-vaticano-documentario.html e
 http://grupodelouvoremanuel.vilabol.uol.com.br/documentario.htm
4 – através de falso curso de “bacharelado em teologia” no endereço:
http://www.teologico.com.br/artigos/artigos_view2.asp?cod=12

Com o puro propósito de rapinar na ignorância dos ludibriados.

O próprio Lutero nos legou o relato dessa prática, anos antes de lançar-se em revolta aberta, dizia:
“(…) os hereges não são bem acolhidos se não pintam a Igreja como má, falsa e mentirosa. Só eles querem passar por bons: a Igreja há de figurar como ruim em tudo.” (Franca, Leonel, S.J. A Igreja, a reforma e a civilização, Ed. Agir, 1952, 6ª ed. Pág. 200).

Uma vez protestante, ensinava Lutero:

“Que mal pode causar se um homem diz uma boa e grossa mentira por uma causa meritória e para o bem da Igreja (luterana).” (Grisar, Hartmann, S.J., Martin Luther, His life & work, The Newman Press, 1960- pág 522).

Esta refutação destrói definitivamente todas as MENTIRAS ESTRATÉGICAS do falso “documentário”.

 “O VATICANO E O PEDESTAL DE MARIA (I)”

Muito embora esteja claro nas escrituras, que Maria é mãe do Senhor (Lucas 1, 43), que “todas as gerações” a “proclamarão Bem-aventurada” (Lc 1, 48), que a Confissão protestante de Augsburgo reconheça em Maria um papel especial dizendo: “Maria é digna de ser honrada e exaltada no mais alto grau”(Art. 21,27).

O raivoso “pastor” dragão Lauro de Barros Campos, autor do calunioso atentado,dedicou duas páginas de ódio visceral à Mãe de Deus, as quais refutaremos linha por linha.

Satanás tem ódio de Maria, de sua obediência e de sua humildade! Está escrito: “E o dragão irou-se contra a mulher, e foi fazer guerra ao resto de sua semente, os que guardam os mandamentos de Deus, e têm o testemunho de Jesus Cristo” (Ap 12,17).

Ele sabe que não tem forças contra Maria (Ap 12,14-16), por isso nos ataca, por guardarmos o testemunho de Jesus. Daí começava ele pelo Papa João Paulo II, o servo dos servos.

Ignorando o enorme crucifixo com Cristo, que porta o Papa, sua ira se voltava para a pequena frase “TOTUS TUUS” (todo teu) no escudo do Papa. Ser TODO de Maria, é também ser TODO de Deus, como Jesus. Foi Jesus, filho de Maria que disse: “Eis aí tua mãe”, ao discípulo presente. Mas o satânico olho do “pastor” viu o Papa se referindo a Maria como “co-redentora”. Pura maldade! “Co-redentor”, quer dizer apenas, ‘aquele que coopera na Redenção’, todos podem sê-lo. Diferente da fé do “pastor”, essa é a fé única, de um só Senhor, um só batismo e um só Deus, Pai de todos, pai de Maria e do Papa (Ef 4,5-6).

Depois, buscava ele um deslocado versículo fora de contexto e dizia: “Honraram e serviram mais a criatura que o Criador”. – Resposta: Aí é que o “pastor” se engana, antes de inventarem o protestantismo, a Igreja há 1517 anos, já ensinava amar Deus sob todas as coisas, e que Rm 2,10 sugere “glória” e “honra” á todos. Vimos que, até a Confissão de fé protestante reconhece: “Maria é digna de ser honrada e exaltada no mais alto grau”(Art. 21,27). Fim do engodo do “pastor” dragão.

E para completar seu sofisma, ele recorreu a uma artimanha, usou uma das adulterações da bíblia de João Ferreira, que TROCOU criminosamente a palavra ÍDOLO dos originais por IMAGEM DE ESCULTURA, para fazer confusão.

E usando dessas adulterações, dizia o velhaco “pastor”: “Deus não reparte Sua glória com imagens de escultura! (Isaias 42:8)”. - Resposta: Como nos originais, leia-se: “fesel” “COM ÍDOLOS”, como já vimos, Deus não proíbe imagem de escultura (Jz 18,31), mas o ídolo deus (Jz 18,24), que era antes a mesma imagem de escultura depois admitida.

Como a maioria dos hereges protestantes, o “pastor” não sabe que a glória que Deus não reparte é a sua glória de divindade; mas que, por outro lado, ele concede às criaturas outras glórias.

Com prova, está escrito: “Deus concede graça e glória” (Salmo 84,11) ou (Salmo 83,12); “O que… Deus preparou para nossa glória” (1 Cor 2,7); -“Os que chamou, também os justificou, e os que justificou, também os glorificou” (Rm 8,30); – “Vi outro Anjo descendo do céu, tinha um grande poder e a terra ficou iluminada com a sua glória” (Ap 18,1); “Eu lhes dei a glória que me deste” (Jo 17,22); – “Glória, honra e paz para todo aquele que pratica o bem” (Rm 2,10)! Será que Maria e os demais santos não praticavam o bem??? É fácil assim, que derrubamos as “igrejas” de areia protestantes.

Usando versículos fora de contexto e INVENTADOS por ele, dizia ainda o energúmeno: “Na eternidade ‘Não se casa nem se dá em casamento,’ disse Cristo, não haverá sexo, ninguém nasce porque ninguém morre! ’Todos serão como anjos de Deus, a carne e o sangue não herdarão o Reino dos Céus’. – Sendo assim com que propósito o catolicismo alimenta a idéia de Maria como mulher estar no céu com prerrogativas especiais? (Mt 22:30 e I Cor 11:50).” – Resposta: Quem pergunta é porque não sabe.

Não se fala de “sexo” em nenhum dos seus versículos citados. Em (Mt 22,30), diz apenas: “Porque, na ressurreição, nem casam, nem são dados a casamento; mas serão como os anjos do céu”. E “I Cor 11:50” NÃO EXISTE na Bíblia.

Que vergonha, “pastor”!!! Maria é a “mulher” até no sinal do céu: “Uma MULHER revestida de sol, a lua debaixo dos seus pés e na cabeça uma coroa de doze estrelas. Ela deu à luz um Filho, um varão, que há de reger todas as nações com vara de ferro” (Ap 12,1,5). Quem usa coroa, senão uma rainha? Maria é Rainha do Céu e da Terra! Só ela foi e é “cheia de graça”! A palavra que expressa isso, em grego, é kekaretome, palavra que significa ser que foi desde sempre, que é ainda agora, e que continua sendo cheia de graça, isto é Imaculada, sem pecado original.

O criminoso “pastor” para enganar os incautos deturpou (Mt 22,30) colocando a palavra “sexo” e ainda inventou (I Cor 11:50) que não existe na Bíblia. É assim que pregam o ódio contra a mãe de Jesus.


Dizia ainda o herege: “MUITOS DÓGMAS DO CATOLICISMO por serem” – segundo ele – “anti-bíblicos levaram séculos para serem assimilados”. – PURA CALÚNIA! Todas as doutrinas católicas já eram vivenciadas desde o início do cristianismo como provamos, e só precisaram ser confirmadas na medida que surgiam os hereges querendo-as abolir. E enumerava o herege “pastor”, suas calúnias que derrubamos uma-a-uma, dizia:

“1º – No Concílio de Éfeso. Ano 431 declararam Maria como Mãe de Deus”. – PURA CALÚNIA! Na Bíblia, Isabel fala: “a MÃE DE MEU SENHOR” (Lucas 1, 43); quem é o SENHOR? Tenho certeza que ele me dirá que é Deus, não vá me decepcionar… Se o SENHOR é DEUS, Maria, que é Mãe do Senhor, é MÃE DE DEUS. Isto acaba com as pretensões do “pastor”.

O Apóstolo S. Tiago Menor, cita na liturgia: “... a gloriosíssima Mãe de Deus, sempre Virgem Maria”. (S. jacob in Liturgia sua). – São Cirilo de Alexandria (370-442), assim discursou no Concílio de Éfeso: “Causa-me profunda admiração haver alguns que duvidam em dar à Virgem Santíssima o título de Mãe de Deus.

Realmente, se Nosso Senhor Jesus Cristo é Deus, por que motivo não pode ser chamada de Mãe de Deus a Virgem Santíssima que o gerou? Esta verdade nos foi transmitida pelos discípulos do Senhor, (…) Em particular Santo Atanásio (295-373), nosso pai na fé, de ilustre memória, na terceira parte do livro que escreveu sobre a santa e consubstancial Trindade, dá freqüentemente à Virgem Santíssima o título de Mãe de Deus”. Veja que desde os apóstolos Maria é “Mãe de Deus”. – Prosseguiam as lorotas do “pastor”, dizia:

“2º – O Concílio de Latrão, ano 649, determina que Maria não teve outros filhos”. – PURA CALÚNIA! Nunca houve “Concílio de Latrão” no ano 649. Vimos acima o apóstolo Tiago menor declarar: “… Mãe de Deus, sempre Virgem Maria.” (S. jacob in Liturgia sua). Mais de 200 anos antes dessa falsa data do “pastor”, já dizia Santo Agostinho (+430): “Com efeito, assim como nesse sepulcro nenhum morto foi sepultado, nem antes, nem depois, (Jo 19,41), também no seio virginal de Maria, nem antes nem depois, ser mortal algum foi concebido.” (De fide et symbolo IV,8.11). - E mentindo e corrompendo a Bíblia, dizia o velhaco: “O Novo Testamento registrou que ‘José não coabitou com Maria SOMENTE ATÉ nascer Jesus’”.

PURA MANOBRA! Ele ACRESCENTOU a palavra “SOMENTE ATÉ” em (Mt 1, 25), para vender sua farsa. Seu blefe se baseia nas suas acrescentadas palavras “SOMENTE ATÉ”, QUE NÃO CONSTAM no texto de Mateus, que até a bíblia protestante de João Almeida traduz por “ATÉ QUE”. Lá, quer dizer apenas, que José não conheceu Maria, e nasceu Jesus, e não fala que este a conheceu depois. Confirmava Lutero: “Destas palavras não se pode concluir que, após o parto, Maria tenha tido consórcio conjugal. Não se deve crer nem dizer isto.” (Obras de Lutero, edição Weimar, tomo 11, pg. 323).

Ora, quando São Paulo escreveu à Timóteo: “Persiste em ler, exortar e ensinar, até que eu vá.” (1Tim 4,13), Isso não significa que depois da chegada de São Paulo, Timóteo tenha abandonado sua vida missionária. Na bíblia, os “irmãos do Senhor” dito em hebraico, refere-se aos primos e discípulos (Jo 20,17-18). Jesus crucificado, entregou sua mãe ao discípulo João, filho de Zebedeu e Salomé, e não à supostos “irmãos” carnais que nunca existiram.

O “pastor” se engana feio ao dizer que: “Maria deu a luz seu Filho PRIMOGÊNITO, se foi primogênito vieram outros depois”. – PURO ENGANO! Jesus foi apresentado como primogênito no templo, sem que viessem outros depois (Lc 2,22-23). Deus ordena: contar todo o primogênito varão dos filhos de Israel, da idade de um mês para cima (Num 3, 40).

Ora, se há primogênito de um mês de idade, como é que se pode exigir que, para haver primeiro, haja um segundo? Logo, há primogênito sem que haja, necessariamente, um segundo filho. Era PRIMOGÊNITO quem nascesse menino ou animal macho, e não se nascesse outro depois daquele (Ex 13, 2). Curiosamente a tradução protestante confirma que primogênito é aquele que abrir toda madre, sem precisar de outro (Ex 13, 2). – Adiante, alegava o “pastor”, que: “Iminentes (sic) Cristãos do século II, registraram que Maria teve outros filhos com José; afinal casar-se e ter Filhos não desonra, o que desmerece e muito é a condição de celibatário!”.

PURO INSULTO! Ele não mostrou esses “Iminentes (sic) Cristãos” do século II, porque não existem. Ele sequer sabe escrever, “Iminentes” quer dizer AMEAÇADORES. Quando ele blasfemando, alega que a condição de celibatário “desmerece e muito”, ele está desmerecendo Jesus Cristo, São Paulo, Timóteo, Tito e os apóstolos, celibatários. É a palavra de Deus, que diz: “Estes são os que não se contaminam com mulheres, pois são virgens. São aqueles que acompanham o Cordeiro por onde quer que se vá; foram resgatados dentre os homens, como primícias oferecidas à Deus e ao Cordeiro” (Ap 14,4).

A Igreja casa quem quer casar e ter filhos. Mas só os solteiros ou abstinentes como Maria e José, “cuidam das coisas do Senhor e agradam ao Senhor” (1Cor 7, 32- 34). Quanto ao “pastor” casado, só lhe restam as coisas do mundo - ( É a própria bíblia que diz isto).

Seguia ele: “3º – No concílio de Nicéia, ano 787, instituíram o Culto à Maria (hiperdúlia)”. – PURA CALÚNIA! Não se “cultua” Maria, VENERA-SE. Os apóstolos já veneravam Maria Santíssima desde os primeiros séculos:

O apóstolo Santo André citou em suas documentais luturgias: “Maria é Mãe de Deus, resplandecente de tanta pureza, e radiante de tanta beleza, que, abaixo de Deus, é impossível imaginar maior, na terra ou no céu.” (Sto Andreas Apost. in transitu B. V., apud Amad.). também São Tiago apóstolo registra: “Maria é a Santíssima, a Imaculada, a gloriosíssima Mãe de Deus.“ (S. Jac. in Liturgia).

São Cirilo de Alexandria (370-442) rezava assim:

 “Salve, Ó Maria, Mãe de Deus! Vós enclausurastes em vosso sagrado seio o Deus Único que é incontenível. Ó Maria, Mãe de Deus! Com os pastores nós cantamos o louvor de Deus, e com os anjos o canto de agradecimento: Glória a Deus nas alturas e paz na terra aos homens de boa vontade. Ó Maria, Mãe de Deus! Por meio de ti nos veio o Conquistador e Vencedor triunfante do inferno.” (Patrística). Pobre “pastor”.


Resmungava o embusteiro: “A Igreja foi hábil pedindo a uma mulher, a Imperatriz Irene, que presidisse o Concílio de Nicéia, para sensibilizar os bispos na aprovação da devoção à Maria”.

PURA CALÚNIA! A imperatriz Irene APENAS reuniu o Sétimo Concílio Ecumênico de Nícéia, com 300 bispos para amenizar as leis iconoclastas, este Concílio foi presidido pelos legados romanos, e não pela Imperatriz, como escorrega o “pastor”, muito menos se deteve a pessoa de Maria. – Ele tentou também rotular de “nova devoção” a sanção do Papa Adriano I a antiga veneração de Maria, e se enganou brutalmente. Pois “sancionar” quer dizer CONFIRMAR o que já existia, não cabendo aqui a palavra “nova devoção”. Bola fora. (consulta: “http://pt.wikipedia.org/wiki/Papa_Adriano_I”).


Dizia ainda ele, sofismando: “Essa devoção é ilusória, Maria não toma conhecimento, porque inclusive os Santos, não tem Onipresença e Oniciência (sic), atributos exclusivos de Deus”.

Resposta:

Este é um velho truque enganador dos “pastores”, eles pegam as palavras Onipresença e Onisciência, atributos de Deus, e maliciosamente aplicam aos santos, quando os santos, não fazem uso disto, eles tem visão beatífica (1Cor 13,12, “face a face”, e 2 Pd 1,4) são “participantes da natureza divina”: “… tendo todos eles harpas e salvas de ouro cheias de incenso, que são as orações dos santos.” (Ap 5,8-9). “E a fumaça do incenso subiu com as orações dos santos desde a mão do anjo até diante de Deus ” (Ap 8,4) .

Cai mais um sofisma. – Prosseguia:

“4º – O Dogma da ‘Imaculada Conceição’ foi proclamado em 1854 pelo Papa Pio IX, por conta própria e sem consultar nenhum Concílio”. – Resposta: Pura calúnia! O Papa apenas confirmou o que antes existia, diante de 53 cardeais, de 43 arcebispos, de 100 bispos e mais de 50.000 romeiros vindos de todas as partes do mundo, em 08/12/1854.

Explicando: a Imaculada Conceição é o fato de nossa Senhora ter sido concebida sem Pecado Original, não tendo jamais pecado. Este fato é professado pelos apóstolos e pelos “VENERÁVEIS PAIS DA IGREJA” citados pelo “pastor”.

Provemos: sugere São Paulo: Maria foi Seu perfeito tabernáculo (Hb 9,11); São Tiago apóstolo registra em sua liturgia: “Maria é a Santíssima, a Imaculada, a gloriosíssima Mãe de Deus.” (S. Jac. in Liturgia). Santo Atanásio (295 -373), diz: “Maria é Mãe de Deus, completamente intacta e impoluta.” (Sto. Ath. Or. in pur. B.V.).

Santo Agostinho (354-430), escreveu: – “Nem se deve tocar na palavra “pecado” em se tratando de Maria; e isto em respeito Àquele de quem mereceu ser a Mãe, que a preservou de todo pecado por sua graça.” (Sermão 215,3). – Como vemos, do que fala o “pastor” nada se aproveita.

Seguia caluniando o enganador:

“5º – Cem anos depois, em 1950 a velha Igreja Católica escorrega de novo, deixando a cristandade perplexa! Baseando numa lenda infantil, de 15 séculos atrás, o Papa Pio XII proclama a Assunção de Maria”.

PURA CALÚNIA! Houve só a confirmação da Assunção. Toda a cristandade viveu, vive e viverá a Assunção de Maria. Maria ainda era viva quando as escrituras encerraram, mas o livro de apocalipse já professava sua assunção (Ap 12,1-5).

É calúnia gratuita a “lenda infantil”, citada pelo embusteiro “pastor”. Vários livros históricos dos cristãos dos primeiros séculos documentam a Assunção de Maria, são: Acts of St. John by Prochurus, no século II; Joannis liber de Dormitione Mariae, e De transitu B.M. Virginis, ambos do século IV, etc.

Desmascaremos agora o “pastor”, mostrando que São João Damasceno que morreu no ano 749 (MUITO ANTES DE 1950) já festejava a ASSUNÇÃO DE MARIA, escreveu:

“… Não é Maria que precisa de elogios, nós é que precisamos de sua glória. Um ser glorificado, que glória pode receber ainda? a fonte da luz, como será iluminada ainda? Ela [Maria] cativou o meu espírito, ela reina sobre a minha palavra, dia e noite sua imagem me é presente. Mãe do Verbo, dá-me de que falar!… Eis aquela cuja festa celebramos hoje em sua santa e divina Assunção”. (São João Damasceno (675-749) – da homilia sobre a dormição da Mãe Santíssima de Deus na festa da Assunção – pág. 96, 753-761).

Levantando falso testemunho e mostrando-se completo desconhecedor da palavra de Deus, dizia o venenoso “pastor”: “Cogitam aumentar o peso de sua coroa proclamando-a ‘Rainha dos Céus, Mãe de todas as graças’ e outros exageros que se estivesse aqui recusaria”.

Resposta:

Repudiamos sua caluniosa pretensão, “pastor”. Como mostramos antes, Maria, mãe do Senhor, já foi coroada muito antes, pelo próprio Deus: “Uma Mulher revestida de sol, tendo a lua debaixo dos seus pés e na cabeça uma coroa de doze estrelas. Ela deu à luz um Filho, um varão, que há de reger todas as nações com vara de ferro” (Ap 12, 1,5). Mãe de Deus, o “pastor” já sabe que ela é: “MÃE DE MEU SENHOR” (Lucas 1, 43); cheia de graça, disso ele não tem dúvida, mesmo adulterando sua bíblia: “Ave, cheia de graça …” (Lc 1, 28), a palavra que expressa isso, em grego, é kekaretome = cheia de graça. - O seu delírio e desinformação é tanto que ele escreveu: – “Já há entre eles quem deseje uma posição de Maria na Santíssima Trindade!”

Resposta: PURA CALÚNIA! Não sabe o “pastor” que trindade quer dizer “três”. E se ele se refere ao excomungado frei Leonardo Boff e seu blasfemo livro: O Rosto Materno de Deus (pág 106), precisa ser urgentemente informado que este, não faz parte do corpo da Igreja Católica há muito tempo, mas muito tem recebido a simpatia de protestantes e inimigos da Igreja.

Em seguida desconhecendo que mesmo Jesus Cristo, dependendo da comunidade, tinha nome diferente, sendo a mesma pessoa. (exemplo: Jesus, Nazareno, Messias, Emanuel, Cristo, Cordeiro de Deus, Filho do homem, Salvador, etc.) Ele aqui tenta passar o ridículo de dizer: - “A mãe de Jesus é invocada no Catolicismo como Nossa Senhora do Parto, das Dores, da Agonia, etc.”

Resposta: Como no caso de Jesus, as comunidades primitivas muitas vezes não tendo certeza do nome de um venerável, associavam a ele sua cidade ou um fato marcante de sua vida. Quando dizemos: Nossa Senhora do Parto (é do parto de Jesus), das Dores (é das Dores de Jesus), da Agonia (é da Agonia de Jesus), do Ó (é da gestação de Jesus, referindo a sua barriga redonda).

Como pode alguém que se diz cristão e “pastor”, ver maldade nisso. Diz as escrituras: “Todas as coisas são puras para os puros, mas nada é puro para os contaminados e infiéis.” (Tt 1,15). E mais, ele disse mentindo, que “Maria é adorada em todo o Brasil”, corrija: Maria não é “adorada” em todo o Brasil. Mas, VENERADA no Brasil e na grande maioria das nações, por Católicos, Ortodoxos, Anglicanos e Luteranos, POR TODAS AS GERAÇÕES, como está na Bíblia (Lc 1,48). O “pastor” não vive o Cristianismo, mas o anticatolicismo, por isso está de fora.

Adorar é o mesmo que “Venerar” conforme dizem os estudiosos Protestantes?





Atos 5,34: “ Mas, levantando-se no conselho um certo fariseu, chamado Gamaliel, doutor da lei, VENERADO  por todo o povo, mandou que por um pouco levassem para fora os apóstolos...”(Segundo a bíblia  Protestante : João Ferreira de Almeida)


Neste caso todo povo Judeu ADORAVA Gamaliel, se adorar for o mesmo que Venerar ? E agora Sr. Falso pastor, mentiroso e embusteiro ? Como sair desta enrascada que você mesmo se meteu ?


E ainda, criminosamente tentando deturpar outro assunto, dizia o herege: – “Muito mais estranho é a doutrina dos jesuítas no ‘ELUCIDARIUM DE POSA’, onde descreve Maria, concorrendo como homem e mulher para produzir o corpo de Cristo”.

PURA DETURPAÇÃO! Os Jesuítas apenas referem-se que na terra, fique claro, Maria foi mãe e pai de Jesus em sua geração carnal, visto que Jesus não teve o pai carnal na terra, apenas. Nada de anormal nisto. E encerrando esse capítulo de blasfêmias dizia o vilipendiador: – “As Igrejas protestantes não são irreverentes assim com o nome da mãe do Salvador!”
Quanto a irreverência das “igrejas protestantes” são as piores possíveis, chamam a MÃE DO SALVADOR de: “IDOLO”, “BONECA”, “UMA COMO OUTRA QUALQUER”, “DEMÔNIO”, “DEUSA”, “DEFUNTA”, etc. E a irreverência física das “igrejas protestantes” vai além: tem uma chamada “Acalanto” só para gays, uma chamada “Sinos de Belém” para pederastas, uma chamada “Universal” que faz “descarrego”, uma chamada “Bola de Neve” só para surfista tatuado, uma chamada “Assembléia de deus” para quem grita na rua, uma chamada “Catedral Esperança” só para lésbicas e Draig Queens, outra chamada “Cuspe de Jesus”, “Cobra de Moisés” e por aí vai. Acabam assim as lorotas do “pastor”.

“O VATICANO E O PEDESTAL DE MARIA (II)”

E seguia o criminoso “pastor”, em desrespeito ao Artigo 208 do Código Penal, insultando a Igreja de Jesus Cristo e sua Santa Mãe. Caluniava: “Quando a Imagem de Maria foi introduzida pela primeira vez nas Igrejas no ano 450, o clero acalmava os Cristãos explicando que a imagem servia para ‘CONTRABALANÇAR’, com as formosas deusas pagãs que desfilavam nas procissões de Roma, inferiorizando o Cristianismo”.

PURA CALÚNIA! O clero nunca falou esta asneira; desde o ano 390, Teodósio já havia proibido o culto pagão. Como vimos antes, as imagens tantas vezes na Bíblia solicitadas por Deus, já eram usadas pelos primeiros Cristãos desde as catacumbas de Roma, no séc. I. “Vem dos primeiros tempos do Cristianismo, envolvendo até o Apóstolo São Pedro, que teria chegado na Península Ibérica com uma imagem de Nossa Senhora Jerusalemitana, esculpida por São Lucas.”


Diz o jornalista, pesquisador de História e escritor J. Muniz Jr. (Jornal A Tribuna de Santos, 9/9/97). Sto. Agostinho que faleceu em 430, bem antes de 450, já ensinava: “Não há, pois, superstição alguma nas peregrinações do povo cristãos a certos lugares em que Deus obra milagres pelas relíquias ou imagens dos santos”.

Sem saber que O TERÇO DOS HOMENS é uma das reuniões que mais crescem na Igreja, dizia o desinformado “pastor”: “…a devoção à Maria é para sensibilizar e atrair o sexo feminino que mobiliza famílias e pessoas para as missas e festas dos santos padroeiros.”

PURA CALÚNIA! Esse é mais um atentado do criminoso “pastor” à inteligência das mulheres, à Igreja e à fé das pessoas. Só falta ele falar que Deus foi desonesto quando escolheu Maria para ser Mãe de Jesus, e não ele. Deu para sentir o ranço da inveja do “pastor”.

E continuava, acusando desta vez os Jesuítas e os Dominicanos, de usarem as mesmas mulheres subestimadas por ele. Tudo calúnia gratuita. Mais verdadeiro seria o “pastor”, se confessasse que os protestantes calvinistas em 15 de julho de 1570, mataram 40 jesuítas, entre eles Inácio de Azevedo, morto a cutiladas, segurando um quadro da Virgem Maria, tão odiada pelos “evangélicos”. (Enciclopédia Microsoft Encarta 99).

O desprezo do “pastor” pela capacidade das mulheres certamente é eco do que dizia delas Lutero: “… se a esposa reclamar, o marido deve responder à admoestação: Vá para o diabo”. (Weimar – vol. III. p. 222).


Adiante, gratuitamente, assim mesmo, sem fonte e sem vergonha na cara, ele alega que: – “Em 5 de março de 1967 na Capela Sixtina (Sixtina???) o pontífice (?), ignorando as Sagradas Escrituras, reafirmou a blasfêmia que desloca Jesus (?) proclamando: ‘Vamos à Maria, através dela chegaremos a Jesus!’” - E sofismava o herege “pastor”: “Embora sem êxito a Igreja teima na posição de Maria como mediadora”.

Resposta:

O êxito de Maria e da Igreja de Cristo vem desde o “SIM” de Maria ao anjo Gabriel. O “pastor” mente e está muito mal informado sobre o que inventa. Jesus poderia ter vindo ao mundo de qualquer outro modo, poderia ter escolhido qualquer outro meio. Escolheu Maria, seu “mais perfeito tabernáculo” (Hb 9,11), que o “pastor” odeia. Foi então por meio da Virgem Maria que nos vieram todas as graças.

E quem é meio, é mediador. Maria é mediadora secundária, por mediação hipotética, isso é, mediadora por que Deus quis – foi sua vontade – vir a nós por meio de Maria. O senhor nega isso blasfemo “pastor”? Claro que não. E para destruir de vez o seu sofisma diabólico, lanço mão do texto de um cristão primitivo, para mostrar que a sua data citada 1967, é um blefe, pois mais de 1500 anos antes, Maria já era mediadora.

Escreveu São Cirilo de Alexandria (370-442): “Salve, ó Maria, tu que trouxeste em teu sagrado seio virginal o Imenso e Incompreensível; por ti; é glorificada e adorada a Santíssima Trindade; por ti, se festeja e é adorada no universo a cruz preciosa; por ti, exultam os céus; por ti, se alegram os anjos e os arcanjos; por ti, são postos em fuga os demônios; por ti, cai do céu o diabo tentador; por ti, é elevada ao céu a criatura decaída; por ti, todo o gênero humano, sujeito à insensatez dos ídolos, chega ao conhecimento da verdade; por ti, o santo batismo purifica os que crêem; por ti, recebemos o óleo da alegria; por ti, são fundadas igrejas em toda a terra; por ti, as nações são conduzidas à conversão”. (Patrística).

E sabe porque são fundadas igrejas por ela, “pastor”? Porque “Deus, o Senhor do céu e da terra, não habita em templos feitos por mãos de homens.” (At 17,24), e os apóstolos se reuniam para rezar, junto a Maria (At 1,14). Pode estrebuchar, blasfemo “pastor”, que pinta o nome de Deus e de Jesus na frente de falsas “igrejas”.


Omitindo que se apodera de 10% ou mais do salário, ou do que passar pela mão de cada arauto protestante, o herege “pastor” resolve alegar que: – “O nome da mãe de Jesus é usado na Igreja Católica para vários fins. Na cidade de Aparecida, usam-no para atrair romeiros, em geral pessoas crédulas, das quais a Igreja recolhe proventos usando vários artifícios”.

PURA CALÚNIA! Convidamos o herege “pastor” a nos acompanhar sem levar um só centavo. Aprenderá que na Igreja Católica, diferente da dele: “cada um contribua segundo propôs o seu coração, não com tristeza ou por necessidade;…” (2Cor 9,7).

Verá que o que atrai as pessoas a Aparecida e a outros templos Marianos, é a verdadeira fé em Deus e a busca pelos milagres, que só aqui são confirmados pela ciência. É gigantesca a quantidade de agradecimentos no museu do templo, que vai desde as visitas de famosos e campeões do esporte, até o agradecimento do povo humilde, que trazem partes simbólicas de corpos que se regeneraram. São essas coisas, “pastor”, que a sua inveja esconde e calunia, dizendo não trazer benefício espiritual. Saiba que é a ciência que determina o milagre católico. Na sua fé são os suspeitos “pastores”.

Confirmando a mão de Deus sobre os santuários marianos, um grupo de teólogos luteranos, da Alemanha Oriental, publicou um texto denominado “Manifesto de Dresden”, na revista “Spiritus Domini”, número 5, em maio de 1982. Eis alguns trechos que tira o sono dos “evangélicos”:

“Em Lourdes, em Fátima e em outros santuários marianos, a crítica imparcial se encontra diante de fatos sobrenaturais, que tem relação direta com a Virgem Maria, seja mediante as aparições, seja por causa das graças milagrosas solicitadas pela sua intercessão. Estes fatos são tais que desafiam toda a explicação natural. (…) Sabemos ou deveríamos saber que as curas de Lourdes e Fátima são examinadas com elevado rigor científico por médicos católicos e não-católicos. Conhecemos a praxe da Igreja Católica, que deixa transcorrer vários anos antes de declarar alguma cura milagrosa. Até hoje, 1200 curas ocorridas em Lourdes foram pelos médicos consideradas cientificamente inexplicáveis. Todavia a Igreja Católica só declarou milagrosas 44 delas. Nos últimos 30 anos, 11000 médicos passaram por Lourdes. Todos os médicos, qualquer que seja a sua religião ou posição científica, tem livre acesso ao “Bureau des Constatations Medicales”. Por conseguinte, uma cura milagrosa é cercada das maiores garantias possíveis. Qual é, pois, o sentido profundo destes milagres no plano de Deus? (…) E também nós, cristãos-evangélicos, podemos ainda, em virtude de preconceitos, passar ao lado destes fatos sem nos aplicarmos a um atento exame? Uma tal atitude não implicaria grave responsabilidade para nós? Por que um cristão evangélico pode ter o direito de ignorar tais realidades pelo fato de se apresentarem na Igreja Católica e não na sua comunidade religiosa? Tais fatos não deveriam, ao contrário, levar-nos a restaurar a figura da MÃE de DEUS na Igreja Evangélica? Somente Deus pode permitir que Maria se dirija ao mundo, através de aparições. Não nos arriscamos talvez a cometer um erro fatal, fechando os olhos diante de tais realidades e não lhes dando atenção alguma? Cristãos Evangélicos da Alemanha, deveremos talvez continuar a opor-lhes recusa e indiferença? Continuaremos a nos comportar de modo que o inimigo de Deus nos mantenha em atitude de intencional cegueira? (…) Não nos é possível passar ao largo e encampar tudo no silêncio. Hoje, em alguns países, está em causa a existência mesmo do Cristianismo. Seria o cúmulo da tolice ignorarmos a voz de Deus que fala ao mundo, pela mediação de Maria, e dar-lhe as costas, unicamente, porque Ele faz ouvir sua voz através da Igreja Católica. Como quer que seja, não podemos calar por muito tempo sobre tais realidades. Temos que examiná-las, sem preconceito, pois é iminente uma catástrofe. Poderia acontecer que, rejeitando ou ignorando a mensagem que Deus nos faz chegar através de Maria, estejamos recusando a última graça que ele nos oferece para a nossa salvação”. (até aqui o Manifesto de Dresden).

Como vemos “pastor”, o que não traz “benefício espiritual” é a sua atitude reprovada pelos teólogos protestantes. Os romeiros estão corretos em sua devoção que muito tem contribuído para a aproximação de Deus desde o início.

O contrariando, escreveu Lutero,: “A delicada mãe de Cristo sabe ensinar melhor do que ninguém – pelo exemplo de sua prática – como devemos conhecer, louvar e amar a Deus”… (introdução ao Magnificat, ano 1522).

Sarcasticamente, o “pastor” falava que: - “O clero não crê nos milagres e lendas em torno das Imagens”. – Resposta: Isso é óbvio e ético, a Igreja não é seita “evangélica” que qualquer enganação é dada como “milagre”. A Igreja coloca sob aval da ciência as investigações, e nada é declarado fato até ser estudado e comprovado cientificamente pelos médicos. Milhares de casos foram confirmados, é nesses que o clero crê.

Daí o andamento para canonização de muitos santos. Reproduzo a única frase sóbria que o “pastor” citou em seu texto: “A Igreja de modo nenhum pretende fazer de tais relatos matéria de fé”. Pois aqui não se pratica curandeirismo como fazem as seitas como a do “pastor”.

Portanto, o clero acredita sim, em tudo que já foi confirmado, e só no que já foi confirmado cientificamente como ação de Deus através das imagens, das relíquias e dos santos.

BASÍLICA DE APARECIDA:

O espertalhão “pastor”, contou uma estória errada, inventada para enganar “evangélico”, sobre a Basílica de Aparecida. É assim que ele e outros alimentam a ignorância dos incautos que exploram, omitindo o maravilhoso e inexplicável evento, que fez aqueles pescadores que encontraram a imagem no rio, abarrotarem suas canoas de peixe, quando antes não haviam pescado nenhum.

O criminoso e mentiroso “pastor”, contava uma estória falsa de uma “imagem fujona”, acusando levianamente o padre José Alves Vilela de “espertalhão”, que “planejava tudo, e que na missa dizia que a santinha desejava uma igreja no morro”, e que o bispo “desobedeceu a imagem fujona e fez o templo onde se encontra”. – PURA LOROTA! Tudo invenção do espertalhão “pastor”.

AGORA A VERDADE:

O pescador que encontrou a imagem no rio, a restaurou e ficou com ela em casa por mais de quinze anos, mais tarde passou a seu filho Atanásio Pedroso, que lhe fez um oratório. Muitos milagres aconteceram e edificou-se uma capelinha, depois uma maior em 1888 (Basílica velha).

Em 1931, no Rio de Janeiro, então capital da República, diante do presidente Getúlio Vargas, Nossa Senhora foi aclamada RAINHA E PADROEIRA DO BRASIL. Mais tarde se construiu a Basílica atual, consagrada pelo Papa em 1980, hoje um dos maiores centros de peregrinação do mundo. (Um santo para cada dia, Mario Sgarbossa – Luigi Giovannini, pág 326-327, Ed. Paulus).

Inventando imóveis e cifras ridículas, dizia o financeiro “pastor”: – “A Fundação de Aparecida faz na cidade um grande negócio! Possui Hotel, 4 restaurantes, 80 lojas, uma fábrica de velas, estação de rádio, etc. Esse complexo rendia em 1980, 600 milhões de cruzeiros, ou seja, 4 vezes o orçamento do Município!”

PURA CALÚNIA! Duvido que uma simples fabriqueta de velas, uma rádio com programação religiosa, uma casa de hospedagem com comida baratinha e pequenas lojas de artigos religiosos possa arrecadar “600 milhões de cruzeiros” mesmo em 1980, ano que na verdade, para estrebucho do “pastor” era o ano da Consagração da Basílica pelo Papa. Já que o “pastor” gosta tanto de cifras, porque será que ele omite que os “evangélicos” explorando a religião arrecadam anualmente 3 Bilhões de Dólares com a indústria (pasmem) de entretenimento, vendendo um boneco chamado “Blibeman”, com máscara de diabo e com uma espada na mão? (matéria da Veja 3/7/2002, pág 91). É como diz a palavra de Deus: “a boca fala o que transborda do coração” (Mt 12, 34).

Adiante, sem saber que no dicionário, AVE quer dizer SALVE e vice-versa, numa tentativa esdrúxula de satanizar, a segundo ele: “REZA AVE MARIA”, que todos conhecemos como ORAÇÃO DA AVE MARIA, que é composta de trechos bíblicos.

O médium “pastor” acusava esta oração de ter sido misturada com (pasmem) doutrina espírita, no trecho: “Rogai por nós na hora da nossa morte”. – E apelava o herege: – “Pois a expressão é estranha no Cristianismo e na Bíblia.

Os cristãos jamais apelaram para os mortos, mesmo que tenham sido santos.” - PURA CALÚNIA! Será que o “pastor” não leu sobre a intercessão do FALECIDO SANTO ELISEU? “… lançaram o homem, na sepultura de Eliseu, e, caiu nela o homem e tocando os ossos de Eliseu, reviveu e se levantou sobre os seus pés.” (2 Reis, 13, 21).


Os Pais da Igreja, que ele chamou de “VENERÁVEIS” também o contrariam: Em 340, Santo Atanásio, resumindo os dizeres de seus antecessores nos primeiros séculos, São Justino, Santo Irineu, Tertuliano, e Orígenes, exclama:

“Todas as hierarquias do céu vos exaltam, ó Maria, e nós, que somos vossos filhos da terra, ousamos invocar-vos e dizer-vos: Ó vós, que sois cheia de graça, ó Maria, rogai por nós!” (Biblioteca Patrística).

Isso porque ninguém está morto para Deus, de acordo com a Bíblia: (Ap. 6, 9-10), (Mc 12,26-27), (Mt 27,52-53). Maria possui a visão beatífica (1 Cor 13,12; 2 Pd 1,4), e além do mais, não existe época no paraíso, somente eternidade e, portanto, nem Maria ou os anjos estão sob o limite do tempo, e por isso podem ouvir todas as nossas orações.


Pouco honesto “pastor”, não engane mais os incautos com o seu versículo cortado que diz: << (I Tim 2,5): “Só há um mediador entre Deus e os homens, Jesus cristo”…>>. O texto completo original de São Paulo diz: “Porque há um só Deus e só há um mediador entre Deus e os homens, que é Jesus Cristo homem, QUE SE DEU A SI MESMO PARA REDENÇÃO DE TODOS” (1Tim 2, 5-6).”

E aí mostramos como a interpretação protestante é falsa, pois o próprio texto de São Paulo – inteiro, sem a tesoura protestante – mostra em que sentido Cristo é único mediador – como Salvador de todos os homens.

Tem mais: Em 1522, Lutero já protestante, escreveu um comentário do Magnificat de Maria, no qual diz: “Peçamos a Deus que nos faça compreender bem as palavras do Magnificat… Oxalá Cristo nos conceda esta graça por intercessão de sua Santa Mãe! Amém”.


Isso prova a ignorância deste que se diz “pastor”. Se fosse como ele tenta enganar: Jesus seria o único rei, o único senhor, o único sacerdote, único pastor etc… E no entanto ele, o “pastor”, não se auto intitularia de “pastor”, atacando a fé única e católica que Jesus Cristo fundou. Não serve a Cristo quem promove dissensão, “ (Rm 16,17-18), esse sim é pastor de bodes.

E para coroar sua burrice, encerrando este capítulo, o primário “pastor” escreveu:
“Cristo não ensinou rezas, ensinou orações”. – PURO ENGANO! Caro leitor, pegue seu dicionário e verá que REZAR quer dizer ORAR, e ORAR quer dizer REZAR. O primário “pastor” baseia-se somente na tradução que tem a mão. E continuava, escorregando no dicionário do pai da mentira, dizia: – “Rezar é repetir textos decorados, usando o rosário como instrumento de repetição”. – PURO INSULTO!

Seu preconceito só o afasta de Deus. No Getsemani, Cristo “Deixou-os e foi orar pela terceira vez, dizendo as mesmas palavras “ (Mt 26, 40-44). Exatamente como fazem os Católicos. O rosário hoje, serve apenas para somar as “mesmas palavras”. Muito “evangélico” indouto, pela sua má tradução, insultam como “vã repetição” o que os católicos e Jesus corretamente fazem, sem notar estes enganados, que o que os católicos rezam ou oram são o Pai Nosso e a Ave Maria, conforme a Bíblia. Sendo assim, eles queimando a própria carcaça, estão chamando de “VÔ o Pai Nosso e a Ave Maria, palavras de Deus, que eles sempre evitam em seus cultos e orações pessoais.

Já eles, quando “oram” erroneamente, improvisando falácias gritantes e repetindo aleluia, aleluia, aleluia, em AUTO FALANTES, caem no pecado que adverte a original palavra de Deus, que diz:

“Nas vossas orações, não multipliqueis palavras, como fazem os pagãos que julgam que serão ouvidos á força de palavras” (Mt 6,7). Não seja como os hipócritas, que oram em pé nas esquinas das ruas, para serem visto pelos homens (Mt 6,5). Cai outra “igreja” de areia protestante.

EXPLICANDO O ÓDIO DOS FILHOS DA SERPENTE À MARIA:

Deus disse à serpente, que representa o diabo: “Porei ódio entre ti e a mulher, e entre a tua descendência e a dela; esta te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar” (Gênesis 3,15 conforme os originais.)

O ódio encarniçado dos “evangélicos” brasileiros à mãe de Jesus, é uma coisa recente e localizada, que os cristãos primitivos desconheciam. Este ódio cego, insuflado por ditos “pastores” indoutos, muitas vezes ex-presidiários, que inculcam na cabeça dos desavisados que se deve odiar Maria para amar Jesus, quando Maria em todos os tempos, sempre foi venerada por todos os cristãos, como “Mãe de Deus”.

É comum encontrarmos “evangélicas” iludidas por tais “pastores” querendo odiosamente mudar de nome por se chamarem “Maria”. Em pesquisa particular, verifiquei o quanto é evitado o nome da mãe de Jesus entre eles. O nome de profetisas, e até de adúlteros, são dados a seus filhos, mas o de Maria, é rigorosamente evitado, o fanatismo beira o absurdo.

A verdadeira atitude dos cristãos primitivos foi deixada de lado, e é vendido o antagonismo ao catolicismo, como “religião”, sem o menor censo crítico de saber, se o que os católicos professam é correto. e se for os “pastores” sofismam forjando que não é. Essa é a receita do protestantismo atualmente no Brasil. Estão sempre atacando e caluniando Maria. Hora caluniam que ela teve outros filhos, ou que é “uma como outra qualquer”, sempre levados por escritos apócrifos do passado. Mas, estão errados, os escritos de seus “reformadores” os corrigirá:

Calvino, os contrariando, aceita o título “Mãe de Deus”:

Sustenta a perpétua virgindade de Maria, afirmando que “os irmãos de Jesus” citados em Mt 13,55 não são filhos de Maria, mas parentes do Senhor; professar o contrário, segundo Calvino, significa “ignorância”, “louca sutileza” e “abuso da S. Escritura”. – É confirmado que a palavra “irmãos de Jesus” no pobre dialeto hebraico, significava “PRIMOS de Jesus”.

A tradução para o grego apenas manteve a forma como os hebreus falavam, causando tremenda confusão entre os indoutos e recentes “evangélicos”, que nunca encontrarão na bíblia, outro que não seja Jesus, sendo chamado de “filho de Maria”.

Martinho Lutero, também os contrariando, escreveu a respeito de Maria em 1522, sendo já protestante:

“O que são as servas, os servos, os senhores, as mulheres, os príncipes, os reis, os monarcas da terra, em comparação com a Virgem Maria, que, além de ter nascido de uma estirpe real, é também Mãe de Deus, a mulher mais importante da terra? No meio de toda a cristandade ela é a jóia mais preciosa depois de Cristo, a qual nunca pode ser suficientemente exaltada; a imperatriz e rainha mais digna, elevada acima de toda nobreza, sabedoria e santidade”.

“Por justiça teria sido necessário encomendar-lhe um carro de ouro e conduzi-la com 4.000 cavalos, tocando a trombeta diante da carruagem, anunciando: ‘Aqui viaja a mulher bendita entre todas as mulheres, a soberana de todo o gênero humano’. Mas tudo isso foi silenciado; a pobre jovenzinha segue a pé, por um caminho tão longo e, apesar disso, é de fato a Mãe de Deus. Por isso não nos deveríamos admirar se todos os montes tivessem pulado e dançado de alegria.Esta única palavra ‘mãe de Deus’ contém toda a sua honra. Ninguém pode dizer algo de maior dela ou exaltá-la, dirigindo-se a ela, mesmo que tivesse tantas línguas quantas folhas crescem nas folhagens, quantas graminhas há na terra, quantas estrelas brilham no céu e quantos grãozinhos de areia existem no mar. Para entender o significado do que é ser mãe de Deus, é preciso avaliar e pesar esta palavra no coração”. (explicação de Lutero para o Magnificat). [Fonte: livro "Maria - Der Weg der Mutter des Herrn", traduzido para o português por Irmã Arturis e publicado em Curitiba no ano de 1982]. (Está sepultado o ódio, a calúnia e a difamação contra Maria).

Ao ler estas palavras de Martinho Lutero, que até o fim de sua vida honrava a mãe de Jesus, que santificava as festas de Maria e diariamente cantava o Magnificat, se percebe quão longe os “evangélicos” brasileiros iludidos, estão da correta atitude para com ela, como mesmo o blasfemo Lutero os ensina, baseando-se na Sagrada Escritura.

Vemos profundamente, como os “evangélicos”, se deixaram envolver por uma mentalidade racionalista desses modernos enganadores, que denominam de seus “pastores”, apesar de que em seus escritos confessionais, se lêem sentenças como esta: “Maria é digna de ser honrada e exaltada no mais alto grau” (Art. 21,27) da Apologia da Confissão de Augsburgo)! Não entraram na fila das gerações profetizadas em Lucas 1,48.

PERGUNTAS QUE NÃO CALAM E NEM OS PROTESTANTES QUEREM RESPONDER


"Pode o puro[Jesus] Vir dum ser impuro? Jamais!"( Livro de Jó 14:4)



E não me venham com o velho papo de que apenas não a adoram. Todo católico sabe que Maria não é deusa para ser adorada, mas ela merece ser honrada, pois foi a escolhida para ser a MÃE DO NOSSO SALVADOR.

Suas atitudes e indidefenças para com ela, demonstram todo desprezo por aquela  que deve ser proclamada bem aventurada por TODAS GERAÇÕES (Lucas 1).

Apocalise 12,1-17 :“Apareceu em seguida um grande sinal no céu: uma Mulher revestida do sol, a lua debaixo dos seus pés e na cabeça uma coroa de doze estrelas. Estava grávida e gritava de dores, sentindo as angústias de dar à luz. Depois apareceu outro sinal no céu: um grande Dragão vermelho, com sete cabeças e dez chifres, e nas cabeças sete coroas. Varria com sua cauda uma terça parte das estrelas do céu, e as atirou à terra. Esse Dragão deteve-se diante da Mulher que estava para dar à luz, a fim de que, quando ela desse à luz, lhe devorasse o filho. Ela deu à luz um Filho, um menino, aquele que deve reger todas as nações pagãs com cetro de ferro. Mas seu Filho foi arrebatado para junto de Deus e do seu trono. A Mulher fugiu então para o deserto, onde Deus lhe tinha preparado um retiro para aí ser sustentada por mil duzentos e sessenta dias… Este, então, se irritou contra a Mulher e foi fazer guerra ao resto de sua descendência, aos que guardam os mandamentos de Deus e têm o testemunho de Jesus.”


1ª)-Quem é a mulher GRÁVIDA de um homem que virá a governar um reino que não terá fim ?


2ª)-O Dragão com VÁRIAS CABEÇAS ( As lideranças protestantes brigando entre si).


3ª)-A mulher foi arrebatada ? Que mulher é esta que foi arrebatada ? A mesma que deu à Luz ao varão (homem) ?


4ª)- Pergunta que Não Cala: A IGREJA GEROU CRISTO ?, OU CRISTO GEROU A IGREJA ? ( Conf.: Mateus 16,18) ?


5ª)-Quem persegue nos dias de hoje e odeia  Maria,  e a única e verdadeira Igreja fundada por Cristo conforme: Mateus 16,18 ?


Para um bom entendedor, meia palavra basta concordam ?


“Pregando a Verdade e confirmando os irmãos na verdadeira fé, com a graça de Deus construo Catedrais nas almas para que nelas possam habitar o Espírito Santo de Deus” ( Pierry de Craon).



E mais:


Leiam a GRANDE HOMENAGEM AOS SANTOS em Hebreus-11 !!! 



Fonte: Saite Cai a Farsa


Curta este artigo :

+ Comentário. Deixe o seu! + 4 Comentário. Deixe o seu!

Anônimo
8 de junho de 2012 12:45

Como ex protestante e convertido ao catolicismo posso testemunhar que não é só uma questão de ignorância, mas também má-fé dos pregadores sem escrúpulos que formaram uma imagem da Igreja de Cristo e doutrinam seus súditos com chavões e textos pinçados fora do contexto bíblico para servirem ao pai de mentira. Nada mais sutil do que uma seita que "professa" Jesus atacando a única Igreja de Cristo. A verdadeira e única. Estas seitas tem doutrinadores que usam de técnicas de lavagem cerebral programação neuro linguística. Os lobos devoradores criaram uma caricatura da Igreja Católica que deve ser combatida pelo chamado "Povo de DEUS" que na verdade são apenas filhos de Lutero que mais cedo ou mais tarde se rebelam contra a própria seita, mudando de denominação ou fundando uma nova seita. Como só DEUS é perfeito, os próprios filhos de Lutero acabam rebelando-se uns contra os outros.

Anônimo
29 de novembro de 2012 23:57

ERROR... VAI CONTINUA NESSE CAMINHO DE IGREJA CATOLICA TENO O PAPA COMO REPRECENTANTE DE SATANAS NA TERRA O FIM SERA O LAGO DE FOGO

Anônimo
30 de novembro de 2012 09:21

Prezado Protestante Anônimo julgador e fanático:

O PECADO DO ORGULHO ESPIRITUAL : ACHAR-SE MAIS SANTO,MENOS PECADOR, MELHOR, E MAIS SALVO QUE OS OUTROS:

1)- A soberba é o pior de todos os pecados capitais. É o que levou os anjos maus a se rebelarem contra Deus e Adão e Eva à desobediência e ao pecado original.

2)- Alguém disse que o orgulho é tão enraizado em nós, por causa do pecado original, que “só morre meia hora depois do dono”. Por outro lado, por ser o oposto da soberba, a humildade é a grande virtude, a que mais caracterizou o próprio Jesus: “Manso e humilde de coração” (cf. Mt 11, 29) e também marcou a vida da Virgem Maria: “A serva do Senhor” (cf. Lc 1, 38), assim como a de São José e de todos os santos da Igreja.

3)- Grandes Santos ensinam que o demônio não pode nada contra uma alma humilde, uma vez que sendo ele soberbo, não sabe se defender contra a humildade. Por isso, com essa arma ele [maligno] foi vencido por Nosso Senhor Jesus Cristo e seus seguidores ao longo da história milenar do Cristianismo.

4)- A soberba e o orgulho, consiste na pessoa sentir-se como se fosse a “fonte” dos seus próprios bens materiais e espirituais. Acha-se cheia de si mesma e se esquece de que tudo vem de Deus e é dom do alto, como disse São Tiago: “Toda dádiva boa e todo dom perfeito vêm de cima: descem do Pai das luzes” (Tg 1, 17).

5)- O soberbo se esquece de que é uma simples criatura agraciada por Deus e “rouba a glória de Deus”, pois quer para si as homenagens e os aplausos que pertencem só ao Senhor.

6)- São Paulo lembra aos coríntios que: “Nossa capacidade vem de Deus” (II Cor 3, 5). Aos romanos ele afirma: “Não façam de si próprios uma opinião maior do que convém, mas um conceito razoavelmente modesto” (Rm 12, 3). E “Não vos deixeis levar pelo gosto das grandezas; afeiçoai-vos com as coisas modestas. Não sejais sábios aos vossos próprios olhos” (Rm 12, 16). Aos gálatas, o Apóstolo dos gentios declara: “Quem pensa ser alguma coisa, não sendo nada, engana-se a si mesmo” (Gl 6, 3).

7)- A soberba tem muitos filhos: o orgulho, a vaidade, a vanglória, a arrogância, a prepotência, a presunção, a autossuficiência, o amor-próprio, o exibicionismo, o egocentrismo, a egolatria, etc. Podemos dizer que ela é a “cultura do ego”. Você já reparou quantas vezes por dia dizemos a palavra “eu”? “Eu vou”, “Eu acho, “Eu penso que…”, “Mas eu prefiro…”, etc.. A luta do cristão é para que essa “força” puxe-o para Deus e não para o ego. Jesus, nosso Modelo, disse: “Não busco a minha glória” (Jo 8, 50). São Paulo insistia no mesmo ponto: “É porventura, o favor dos homens que eu procuro, ou o de Deus? Por acaso tenho interesse em agradar os homens? Se quisesse ainda agradar aos homens, não seria servo de Deus” (Gl 1, 10).

A soberba é o oposto da humildade; essa palavra vem de “húmus”, aquilo que se acha na terra, pó. O humilde é aquele que reconhece o seu “nada”, embora seja a mais bela obra de Deus sobre a terra, a glória d'Ele.Adão e Eva, sendo criaturas, quiseram “ser como deuses” (cf. Gn 3, 5); Jesus, sendo Deus, humilhou-se por nós e fez-se criatura.Por isso, Ele afirmou que no Reino de Deus os últimos serão os primeiros e quem se exaltar será humilhado. Façamos como Santa Teresinha que procurava o último lugar, pois sabe que ali não haverá concorrência.

Socorro de França - São Paulo

6 de julho de 2015 09:56

Prezados protestantes,

Sem querer ofendê-los:

2 Ped 1,20: Antes de mais nada, saibam que nenhuma profecia da Escritura provém de interpretação pessoal.Para quem discorda deixo este questionamento: “Quer dizer que qualquer cidadão pode fazer uma interpretação jurídica da Constituição de forma pessoal e agir conforme essa interpretação? Se não, porque qualquer cristão ou seja lá quem for, pode interpretar a palavra de Deus ao seu bel prazer?


Não viver conforme a palavra de Deus é tão perigoso quanto sair interpretando a palavra irresponsavelmente.

Postar um comentário

Conforme a lei o blog oferece o DIREITO DE RESPOSTA a quem se sentir ofendido, desde que a resposta não contenha palavrões e ofensas de cunho pessoal e generalizados.Serão analisadas e poderão ser ignoradas e ou, excluídas.

Quem sou eu?

Minha foto
CIDADÃO DO MUNDO, NORDESTINO COM ORGULHO, Brazil
Neste Apostolado promovemos a “EVANGELIZAÇÃO ANÔNIMA", pois neste serviço somos apenas o Jumentinho que leva Jesus e sua verdade aos Povos. Portanto toda honra e Glória é para Ele.Cristo disse-nos:Eu sou o caminho, a verdade e a vida e “ NINGUEM” vem ao Pai senão por mim." ( João, 14, 6).Como Católicos,defendemos a verdade, contra os erros que, de fato, são sempre contra Deus.Cristo não tinha opiniões, tinha verdades, a qual confiou a sua Igreja, ( Coluna e sustentáculo da verdade – Conf. I Tim 3,15) que deve zelar por elas até que Cristo volte.Quem nos acusa de falta de caridade mostra sua total ignorância na Bíblia,e de Deus, pois é amor, e quem ama corrige, e a verdade é um exercício da caridade.Este Deus adocicado,meloso,ingênuo, e sentimentalóide,é invenção dos homens tementes da verdade, não é o Deus revelado por seu filho: Jesus Cristo.Por fim: “Não se opor ao erro é aprová-lo, não defender a verdade é nega-la” - ( Sto. Tomáz de Aquino)

As + lidas!

 
Support : Creating Website | Johny Template | Mas Template
Copyright © 2013. O BERAKÁ - All Rights Reserved
Template Created by Creating Website Published by Mas Template
Proudly powered by Blogger