A mera veiculação, ou reprodução de matérias e entrevistas deste blog não significa, necessariamente, adesão às ideias neles contidas. Tal material deve ser considerado à luz do objetivo informativo deste blog, não sendo a simples indicação, ou reprodução a garantia da ortodoxia de seus conteúdos. Os comentários devem ser respeitosos e relacionados estritamente ao assunto do post. Toda polêmica desnecessária será prontamente banida. Todos os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam, de maneira alguma, a posição do blog. Não serão aprovados os comentários escritos integralmente em letras maiúsculas, ou CAIXA ALTA. A edição deste blog se reserva o direito de excluir qualquer artigo ou comentário que julgar oportuno, sem demais explicações. Todo material produzido por este blog é de livre difusão, contanto que se remeta nossa fonte.
Home » » A superioridade da Religião Cristã sobre o Judaísmo, Islamismo,Budismo,Hinduismo e espiritismo ?

A superioridade da Religião Cristã sobre o Judaísmo, Islamismo,Budismo,Hinduismo e espiritismo ?

Written By Beraká - o blog da família on sábado, 8 de novembro de 2014 | 00:34



Espero que entendam que não é mera superioridade em querer sermos, ou parecermos melhores moralmente, ou que sejamos em algum grau evolutivo superiores  aos outros, longe disto, afirmamos esta superioridade unicamente em relação a PLENITUDE DA REVELAÇÃO E SALVAÇÃO que só se dá no Cristianismo. Pois assim nos revelam as escrituras:


“Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vem ao Pai, a não ser por mim ... “(João 14,6).




Atos 4,12: “E não há salvação em nenhum outro; porque abaixo do céu não existe nenhum outro nome, dado entre os homens, pelo qual importa que sejamos salvos.”


I Tessa 5,9: “porque Deus não nos destinou para a ira, mas para alcançar a salvação mediante nosso Senhor Jesus Cristo...”


Apoc 7,10: “e clamavam em grande voz, dizendo: Ao nosso Deus, que se assenta no trono, e ao Cordeiro, pertence a salvação.”


Heb 2,10: “Porque convinha que aquele, por cuja causa e por quem todas as coisas existem, conduzindo muitos filhos à glória, aperfeiçoasse, por meio de sofrimentos, o Autor da salvação deles.”

Heb 9,28: assim também Cristo, tendo-se oferecido uma vez para sempre para tirar os pecados de muitos, aparecerá segunda vez, sem pecado, aos que o aguardam para a salvação.


"E os escribas e os fariseus começaram a arrazoar, dizendo: Quem é este que diz blasfêmias? Quem pode perdoar pecados, senão só Deus?"  (Lucas 5 : 21)





Marcos 14,53-63: “Levaram Jesus ao sumo sacerdote; e então se reuniram todos os chefes dos sacerdotes, os líderes religiosos e os mestres da lei.Pedro o seguiu de longe até o pátio do sumo sacerdote. Sentando-se ali com os guardas, esquentava-se junto ao fogo.Os chefes dos sacerdotes e todo o Sinédrio estavam procurando depoimentos contra Jesus, para que pudessem condená-lo à morte, mas não encontravam nenhum.Muitos testemunharam falsamente contra ele, mas as declarações deles não eram coerentes.Então se levantaram alguns e declararam falsamente contra ele:"Nós o ouvimos dizer: 'Destruirei este templo feito por mãos humanas e em três dias construirei outro, não feito por mãos de homens' ".Mas, nem mesmo assim, o depoimento deles era coerente.Depois o sumo sacerdote levantou-se diante deles e perguntou a Jesus: "Você não vai responder à acusação que estes fazem sobre você?"Mas Jesus permaneceu em silêncio e nada respondeu.Outra vez o sumo sacerdote lhe perguntou: "Você é o Cristo, o Filho do Deus Bendito?" "Sou", disse Jesus. "E vereis o Filho do homem assentado à direita do Poderoso vindo com as nuvens do céu."O sumo sacerdote, rasgando as próprias vestes, perguntou: "Por que precisamos de mais testemunhas?Todos o julgaram digno de morte.”


Não estou querendo também com estes esclarecimentos  desvalorizar estas religiões aqui citadas e outras tradições religiosas naquilo que elas tem de positivo, as quais respeito e reconheço nelas “sementes da verdade, porém não a plenitude da Verdade”, que só foi revelada Plenamente no Cristianismo.


Nem quero negar os erros dos membros da Igreja de Cristo tanto do passado como do presente, mas isto não anula a plenitude da revelação em Cristo. Ele nos revelou e ensinou o que era certo, já nós os seus seguidores somo falhos e cometemos muitas falhas e não seguimos plenamente o que Ele fez ,ensinou e nos revelou.


O QUE DIZ O MAGISTÉRIO  PETRINO?


“Reformulada de forma positiva, isso significa que toda a salvação vem de Cristo, a Cabeça, através da Igreja, que é seu corpo: Cristo é o único mediador e caminho de salvação, ele está presente para nós em seu corpo que é a Igreja . Ele próprio afirmou explicitamente a necessidade da fé e do batismo e, assim, afirmou, ao mesmo tempo a necessidade da Igreja, na qual os homens entram pela porta do batismo.«Muito embora Deus possa, por caminhos só d’Ele conhecidos, trazer à fé, «sem a qual é impossível agradar a Deus» (343), homens que, sem culpa sua, ignoram o Evangelho; a Igreja tem o dever e, ao mesmo tempo, o direito sagrado, de evangelizar» (344) todos os homens. “(CIC 846-847).



O QUE DIZER SOBRE AS PRINCIPAIS RELIGIÕES?


1)-Cristianismo: Deus se fez Carne e por amor morreu na Cruz por todos – (Incluindo todos estes fundadores destas Religiões que precisam da Salvação Operada por Cristo).Cristo morreu condenado na Cruz porque se dizia ser o Próprio Deus (Eu Sou):


“Mas vós, continuou ele, quem dizeis que eu sou? Respondendo Simão Pedro, disse: Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo. Então, Jesus lhe afirmou: Bem-aventurado és, Simão Barjonas, porque não foi carne e sangue que to revelaram, mas meu Pai, que está nos céus.” (Mt 16.15-17).


Quando Jesus aparece a Tomé e critica-lhe a incredulidade, vemos que Tomé faz uma declaração única:


“Respondeu-lhe Tomé: Senhor meu e Deus meu!” (João 20,28).



Na descrição do Apóstolo João a respeito de Jesus Cristo, ele diz claramente que Jesus é Deus:


“No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. Ele estava no princípio com Deus. Todas as coisas foram feitas por intermédio dele, e, sem ele, nada do que foi feito se fez.” (João 1,1-3).


Esse “Verbo” descrito no texto é Jesus Cristo. Observe que o texto o coloca na posição de Deus, como Criador. Além disso, João diz claramente que o “o Verbo era Deus”, evidência clara do apontamento da divindade de Jesus Cristo.


Um outro texto que lança ainda mais luz sobre essa questão é At 20,28:


“Atendei por vós e por todo o rebanho sobre o qual o Espírito Santo vos constituiu bispos, para pastoreardes a igreja de Deus, a qual ele comprou com o seu próprio sangue”.


Quem comprou a igreja com o próprio sangue? Jesus Cristo, que o derramou na cruz! Ele é chamado de Deus neste verso. Jesus Cristo é Deus, por isso, tem autoridade para perdoar pecados e fazer milagres:

“Ora, para que saibais que o Filho do Homem tem sobre a terra autoridade para perdoar pecados (Mateus 9,6).

Jesus é Deus e tem em si a glória divina:


“e, agora, glorifica-me, ó Pai, contigo mesmo, com a glória que eu tive junto de ti, antes que houvesse mundo.” (João 17.5)

Jesus Cristo é Deus e, por isso, é o Criador e sustentador de todas as coisas:


“pois, nele, foram criadas todas as coisas, nos céus e sobre a terra, as visíveis e as invisíveis, sejam tronos, sejam soberanias, quer principados, quer potestades. Tudo foi criado por meio dele e para ele. Ele é antes de todas as coisas. Nele, tudo subsiste.” (Colossenses 1,16 -17)



"Sendo ele de condição divina, não se prevaleceu de sua igualdade com Deus, mas aniquilou-se a si mesmo, assumindo a condição de escravo e assemelhando-se aos homens." (Fl 2,6-7).


2)- Judaísmo: Foi a religião de Preparação para Vinda de Cristo : Nos deixou o legado dos Profetas,10 mandamentos e as lições do Antigo testamento - Não tem a Plenitude da Revelação dada em Cristo de forma definitiva.Os Judeus precisam da Salvação operada em Cristo na Cruz em seu sacrifício redentor prefigurado nos sacrifícios expiatórios.


3)-Budismo: Buda não é Deus, e nem teve interesse de fundar religião, basta ler a história do budismo e vemos apenas ele como uma pessoa que durante toda sua vida tentou entender o PORQUE do Sofrimento e tentou libertar-se dele. Buda e todos os budistas  precisam da Salvação de Cristo conquistada na Cruz.



4)- Islamismo: É apenas uma seita Judaica - Maomé também não era deus, e nunca se julgou deus,mas apenas como um profeta, e apenas queria unir a Nação Àrabe sob o monoteísmo. Todos os islâmicos incluindo o profeta Maomé, seu fundador precisam também da Salvação operada por Cristo na Cruz.


5)- Hinduismo: É politeista, acredita em vários deuses, e defende o sistema injusto de Castas pela doutrina da Re-encarnação - Todos os hindus precisam da Salvação operada por Cristo na Cruz do Calvário que redimiu toda humanidade.

6)-Espiritismo: Religião filosófica – Fundada por Allan Kardec que também precisa de Salvação operada por Cristo, tanto ele como seus seguidores.


Entenderam agora o porque ?



Entrevista a Luiz Felipe Pondé: “ Materialismo”  – (Revista Veja)



Por que a política não pode ser redentora? 





Luiz Felipe Pondé:O cristianismo, que é uma religião hegemônica no Ocidente, fala do pecador, de sua busca e de seu conflito interior. É uma espiritualidade riquíssima, pouco conhecida por causa do estrago feito pelo secularismo extremado. Ao lado de sua vocação repressora institucional, o cristianismo reconhece que o homem é fraco, é frágil. As redenções políticas não têm isso. Esse é um aspecto do pensamento de esquerda que eu acho brega. Essa visão do homem sem responsabilidade moral pelos seus atos. O mal para os esquerdistas está sempre na classe social, na relação econômica, na opressão do poder. Na visão medieval, é a graça de Deus que redime o mundo. É um conceito complexo e fugidio. Não se sabe se alguém é capaz de ganhar a graça por seus próprios méritos, ou se é Deus na sua perfeição que concede a graça. Em qualquer hipótese, a graça não depende de um movimento positivo de um grupo. Na redenção política, é sempre o coletivo, o grupo, que assume o papel de redentor. O grupo, como a história do século 20 nos mostrou, é sempre opressivo.



Em que o cristianismo é superior ao pensamento de esquerda?





Luiz Felipe Pondé:Pegue a ideia de santidade. Ninguém, em nenhuma teologia da tradição cristã – nem da judaica ou islâmica –, pode dizer-se santo. Nunca. Isso na verdade vem desde Aristóteles: ninguém pode enunciar a própria virtude. A virtude de um homem é anunciada pelos outros homens. Na tradição católica – o protestantismo não tem santos –, o santo é sempre alguém que, o tempo todo, reconhece o mal em si mesmo. O clero da esquerda, ao contrário, é movido por um sentimento de pureza. Considera sempre o outro como o porco capitalista, o burguês. Ele próprio não. Ele está salvo, porque reclica lixo, porque vota no PT, ou em algum partido que se acha mais puro ainda, como o PSOL, até porque o PT já está meio melado. Não há contradição interior na moral esquerdista. As pessoas se autointitulam santas e ficam indignadas com o mal do outro.



Quando o cristianismo cruza o pensamento de esquerda, como no caso da Teologia da Libertação, a humildade se perde?





Luiz Felipe Pondé:Sim. Eu vejo isso empiricamente em colegas da Teologia da Libertação. Eles se acham puros. Tecnicamente, a Teologia da Libertação é, por um lado, uma fiel herdeira da tradição cristã. Ela vem da crítica social que está nos profetas de Israel, no Antigo Testamento. Esses profetas falam mal do rei, mas sem idealizar o povo. O cristianismo é descendente principalmente desse viés do judaísmo. Também o cristianismo nasceu questionando a estrutura social. Até aqui, isso não me parece um erro teológico. Só que a Teologia da Libertação toma como ferramenta o marxismo, e isso sim é um erro. Um cristão que recorre a Marx, ou a Nietzsche – a quem admiro –, é como uma criança que entra na jaula do leão e faz bilu-bilu na cara dele. É natural que a Teologia da Libertação, no Brasil, tenha evoluído para Leonardo Boff, que já não tem nada de cristão. Boff evoluiu para um certo paganismo Nova Era – e já nem é marxista tampouco. É como já se disse: enquanto a Teologia da Libertação fez a opção pelo pobre, o pobre fez a opção pelo pentecostalismo.



O senhor acredita em Deus?





Luiz Felipe Pondé:Sim. Mas já fui ateu por muito tempo. Quando digo que acredito em Deus, é porque acho essa uma das hipóteses mais elegantes em relação, por exemplo, à origem do universo. Não é que eu rejeite o acaso ou a violência implícitos no darwinismo – pelo contrário. Mas considero que o conceito de Deus na tradição ocidental é, em termos filosóficos, muito sofisticado. Lembro-me sempre de algo que o escritor inglês Chesterton dizia: não há problema em não acreditar em Deus; o problema é que quem deixa de acreditar em Deus começa a acreditar em qualquer outra bobagem, seja na história, na ciência ou sem si mesmo, que é a coisa mais brega de todas. Só alguém muito alienado pode acreditar em si mesmo. Minha posição teológica não é óbvia e confunde muito as pessoas. Opero no debate público assumindo os riscos do niilista. Quase nunca lanço a hipótese de Deus no debate moral, filosófico ou político. Do ponto de vista político, a importância que vejo na religião é outra. Para mim, ela é uma fonte de hábitos morais, e historicamente oferece resistência à tendência do Estado moderno de querer fazer a cura das almas, como se dizia na Idade Média – querer se meter na vida moral das pessoas.



Por que o senhor deixou de ser ateu? 




Luiz Felipe Pondé:Comecei a achar o ateísmo aborrecido, do ponto de vista filosófico. A hipótese de Deus bíblico, na qual estamos ligados a um enredo e um drama morais muito maiores do que o átomo, me atraiu. Sou basicamente pessimista, cético, descrente, quase na fronteira da melancolia. Mas tenho sorte sem merecê-la. Percebo uma certa beleza, uma certa misericórdia no mundo, que não consigo deduzir a partir dos seres humanos, tampouco de mim mesmo. Tenho a clara sensação de que às vezes acontecem milagres. Só encontro isso na tradição teológica.


Fonte:  Revista Veja

*Caso queira saber mais e participar de nosso apostolado, bem como agendar palestras e cursos em sua paróquia, cidade,pastoral, e ou movimento da Igreja, entre em contato conosco  pelo e-mail:  


filhodedeusshalom@gmail.com
Curta este artigo :

Postar um comentário

Conforme a lei o blog oferece o DIREITO DE RESPOSTA a quem se sentir ofendido, desde que a resposta não contenha palavrões e ofensas de cunho pessoal e generalizados.Serão analisadas e poderão ser ignoradas e ou, excluídas.

Quem sou eu?

Minha foto
CIDADÃO DO MUNDO, NORDESTINO COM ORGULHO, Brazil
Neste Apostolado promovemos a “EVANGELIZAÇÃO ANÔNIMA", pois neste serviço somos apenas o Jumentinho que leva Jesus e sua verdade aos Povos. Portanto toda honra e Glória é para Ele.Cristo disse-nos:Eu sou o caminho, a verdade e a vida e “ NINGUEM” vem ao Pai senão por mim." ( João, 14, 6).Como Católicos,defendemos a verdade, contra os erros que, de fato, são sempre contra Deus.Cristo não tinha opiniões, tinha verdades, a qual confiou a sua Igreja, ( Coluna e sustentáculo da verdade – Conf. I Tim 3,15) que deve zelar por elas até que Cristo volte.Quem nos acusa de falta de caridade mostra sua total ignorância na Bíblia,e de Deus, pois é amor, e quem ama corrige, e a verdade é um exercício da caridade.Este Deus adocicado,meloso,ingênuo, e sentimentalóide,é invenção dos homens tementes da verdade, não é o Deus revelado por seu filho: Jesus Cristo.Por fim: “Não se opor ao erro é aprová-lo, não defender a verdade é nega-la” - ( Sto. Tomáz de Aquino)

As + lidas!

 
Support : Creating Website | Johny Template | Mas Template
Copyright © 2013. O BERAKÁ - All Rights Reserved
Template Created by Creating Website Published by Mas Template
Proudly powered by Blogger