A mera veiculação, ou reprodução de matérias e entrevistas deste blog não significa, necessariamente, adesão às ideias neles contidas. Tal material deve ser considerado à luz do objetivo informativo deste blog, não sendo a simples indicação, ou reprodução a garantia da ortodoxia de seus conteúdos. Os comentários devem ser respeitosos e relacionados estritamente ao assunto do post. Toda polêmica desnecessária será prontamente banida. Todos os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam, de maneira alguma, a posição do blog. Não serão aprovados os comentários escritos integralmente em letras maiúsculas, ou CAIXA ALTA. A edição deste blog se reserva o direito de excluir qualquer artigo ou comentário que julgar oportuno, sem demais explicações. Todo material produzido por este blog é de livre difusão, contanto que se remeta nossa fonte.
Home » , , » Afinal o que são dógmas e para que servem ?

Afinal o que são dógmas e para que servem ?

Written By Beraká - o blog da família on sexta-feira, 5 de outubro de 2012 | 16:56






O dogma não é católico, sua metodologia  é tomada  emprestada da razão filosófica.Porém é uma verdade de fé.


Indiscutivelmente, existe uma resistência ao dogma, devido tanto à reação ao dogmatismo, quanto à postura do espírito moderno e pós-moderno da autonomia do sujeito. Importa superar o conceito de dogma que o associa a algo irracional, heterônimo e inflexível. O dogma serviu e serve para delimitar o campo de sentido duvidoso porém essencial e estabelecer marcos consensuais e avançar na compreensão dos dados da fé.Ex.: O inferno, Céu e Purgatório são realidades comprovadas pela revelação nas escrituras, mas podemos perguntar como são intrinsecamente estas realidades?esta temática de como o são, é considerada pela teologia e magistério da Igreja como “questões em aberto.”






O dogma contribui assim para a atualização da palavra de Deus e da formulação da experiência cristã. No dogma aparentemente predomina a tendência de clausura de sentido. Mas, ao mudar o horizonte de compreensão e se apresentarem problemas novos à vida cristã, ele recobra sua força polissêmica.



O dogma surge sempre na base, nunca da cúpula da Cristandade,pois a Igreja não cria dogmas, mas os confirma, ou nega heresias contrárias em definitivo de afirmações surgidas geralmente na base. E como elemento que provém da Tradição e faz Tradição, é fruto da tarefa interpretativa realizada por vários grupos na comunidade eclesial. O senso comum dos fiéis aponta e prepara a base consensual imprescindível para o dogma. Grupos minoritários de leigos, religiosos, sacerdotes e bispos ensaiam a tematização, auxiliando ainda na sua divulgação e aceitação. Por fim, o magistério, através do conjunto dos bispos unidos ao Papa, realiza o discernimento final e o define. O trabalho não se encerra aí. Compete à mesma comunidade eclesial, na pessoa de seus diferentes sujeitos, tornar compreensível e, se necessário, reinterpretar o dogma, enriquecendo o seu sentido.




Os dogmas centrais do cristianismo são, ao mesmo tempo, infalíveis e reformáveis:


A infalibilidade reside no fato que o dogma significa uma conquista irrevogável, trazendo elementos vinculantes para expressão da fé. A "reformabilidade" advém de sua formulação humana, simultaneamente caducável e passível de maior exploração de sentido. A reforma, ou atualização do dogma visa "suprir o descompasso da língua, aperfeiçoar as fórmulas usadas, purificar o esquema de pensamento, manter viva a verdade da revelação em sua relação com a existência humana e dar mais clareza e plenitude a esta verdade". Pode-se falar, com propriedade, de uma "evolução do dogma"(Não confundir evolução com negação do dógma, é uma evolução sempre para melhor entendimento da formulação.Tudo sobre formulação dogmática é avanço, jamais é retrocesso, pois nenhum dógma proclamado ex-cátedra, jamais foi e jamais será negado, ou anulado).




O dogma pretende ter acesso ao mistério de Deus, sempre novo e insuperável. Como Deus é realidade insondável, inesgotável, inabarcável plenamente, pois como já dizia São Tomás de Aquino: “A verdade é sempre maior que nossa inteligência”. O dogma portanto, capta algo real sobre Deus, mas sempre insuficientemente. Necessita assim novas abordagens no correr dos tempos, que se aproximam mais do mistério de Deus sem dizer palavra final sobre ele,porém, nada que fuja ao que já foi revelado e definido pelo magistério milenar da Igreja.


Embora se servindo da razão, o dogma não se reduz a um conjunto de fórmulas frias e exatas, como uma equação matemática de segundo grau. Manifesta, ao contrário, um sentimento doxológico, isto é, de louvor. Só se compreende Deus deixando-se fascinar por Ele, abrindo o coração, a mente e o entendimento para a luz e o calor de sua presença irradiante.


Por fim, o dogma evita discussões vãs e vazias e propõem esclarecimentos sujeitos a evolução dentro de uma tradição revelada, porém, não totalmente interpretada, de temas cruciais sem retrocesso a problemáticas  já superadas e respondidas pela teologia, sempre em vista do bem comunitário e pessoal em relação a nossa salvação.

Curta este artigo :

Postar um comentário

Conforme a lei o blog oferece o DIREITO DE RESPOSTA a quem se sentir ofendido, desde que a resposta não contenha palavrões e ofensas de cunho pessoal e generalizados.Serão analisadas e poderão ser ignoradas e ou, excluídas.

Quem sou eu?

Minha foto
CIDADÃO DO MUNDO, NORDESTINO COM ORGULHO, Brazil
Neste Apostolado promovemos a “EVANGELIZAÇÃO ANÔNIMA", pois neste serviço somos apenas o Jumentinho que leva Jesus e sua verdade aos Povos. Portanto toda honra e Glória é para Ele.Cristo disse-nos:Eu sou o caminho, a verdade e a vida e “ NINGUEM” vem ao Pai senão por mim." ( João, 14, 6).Como Católicos,defendemos a verdade, contra os erros que, de fato, são sempre contra Deus.Cristo não tinha opiniões, tinha verdades, a qual confiou a sua Igreja, ( Coluna e sustentáculo da verdade – Conf. I Tim 3,15) que deve zelar por elas até que Cristo volte.Quem nos acusa de falta de caridade mostra sua total ignorância na Bíblia,e de Deus, pois é amor, e quem ama corrige, e a verdade é um exercício da caridade.Este Deus adocicado,meloso,ingênuo, e sentimentalóide,é invenção dos homens tementes da verdade, não é o Deus revelado por seu filho: Jesus Cristo.Por fim: “Não se opor ao erro é aprová-lo, não defender a verdade é nega-la” - ( Sto. Tomáz de Aquino)

As + lidas!

 
Support : Creating Website | Johny Template | Mas Template
Copyright © 2013. O BERAKÁ - All Rights Reserved
Template Created by Creating Website Published by Mas Template
Proudly powered by Blogger