A mera veiculação, ou reprodução de matérias e entrevistas deste blog não significa, necessariamente, adesão às ideias neles contidas. Tal material deve ser considerado à luz do objetivo informativo deste blog, não sendo a simples indicação, ou reprodução a garantia da ortodoxia de seus conteúdos. Os comentários devem ser respeitosos e relacionados estritamente ao assunto do post. Toda polêmica desnecessária será prontamente banida. Todos os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam, de maneira alguma, a posição do blog. Não serão aprovados os comentários escritos integralmente em letras maiúsculas, ou CAIXA ALTA. A edição deste blog se reserva o direito de excluir qualquer artigo ou comentário que julgar oportuno, sem demais explicações. Todo material produzido por este blog é de livre difusão, contanto que se remeta nossa fonte.
Home » , » A Igreja e os Metodos Anticoncepcionais Artificiais

A Igreja e os Metodos Anticoncepcionais Artificiais

Written By Beraká - o blog da família on quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012 | 15:48


A igreja é contra os métodos artificiais para a regulação da natalidade. 

Mulheres católicas, não utilizem esses métodos!


Antes de falar sobre os métodos em si, gostaria de colocar o posicionamento da igreja. Uma relação entre homem e mulher deve ser um ato de entrega total, como está na Palavra de Deus: "Por isso deixará o homem seu pai e sua mãe e se unirá a sua mulher e se tornarão uma só carne" Gn 2,24. E Jesus completa: "Assim, não são dois, mas uma só carne" Mc 10, 8.


Para a Igreja existem duas dimensões da relação sexual.

“Inseparáveis os dois aspectos: união e procriação

Esta doutrina, muitas vezes exposta pelo Magistério, está fundada sobre a conexão inseparável que Deus quis e que o homem não pode alterar por sua iniciativa, entre os dois significados do ato conjugal: o significado unitivo e o significado procriador.


Na verdade, pela sua estrutura íntima, o ato conjugal, ao mesmo tempo que une profundamente os esposos, torna-os aptos para a geração de novas vidas, segundo leis inscritas no próprio ser do homem e da mulher. Salvaguardando estes dois aspectos essenciais, unitivo e procriador, o ato conjugal conserva integralmente o sentido de amor mútuo e verdadeiro e a sua ordenação para a altíssima vocação do homem para a paternidade. Nós pensamos que os homens do nosso tempo estão particularmente em condições de apreender o caráter profundamente razoável e humano deste princípio fundamental.” Fragmento do “Humanae vitae” no site: http://www.vatican.va/

Ainda existem pessoas que pensam que para a igreja o sexo serviria somente para gerar filhos. Esse pensamento está errado, porque para a igreja também existe o aspecto unitivo! Ou seja, uma relação poderá, eventualmente, não gerar uma nova vida (como no caso dos períodos de infertilidade da mulher), mas essa relação contribui para a união e alegria do casal. Por essa razão a igreja é contra qualquer barreira colocada pelo homem para impedir a concepção ou a união total entre os esposos. Também é contra qualquer medicamento hormonal porque, alem de fazerem muito mal a saúde da mulher, também estão impedindo por completo a função reprodutiva da relação.

Agora explicarei sobre cada um dos métodos:

1)- A Pílula


É utilizada para inibir a fertilidade normal da mulher.

Como actua a pílula?

"as pílulas são medicamentos que contém uma combinação de dois hormônios (o estrógeno e o progestágeno) semelhantes àqueles produzidos normalmente pelos ovários; são, por isso, chamadas pílulas combinadas. Quando ingeridas, elas actuam sobre vários mecanismos da fertilidade feminina, fazendo cessar a ovulação e tornando o muco produzido no uterino hostil aos espermatozóides. Alterações na camada que reveste internamente o útero (o endométrio) e no funcionamento das trompas (estruturas que interligam os ovários com o útero) são efeitos complementares que reforçam a eficácia anticoncepcional deste método."
Fonte: Laboratórios Wyeth –Whitehall Ltda.

A maioria das mulheres dizem que a pílula impede a ovulação, mas a verdade é que ela não impede a 100%!! Como se pode ler acima a pílula também produz alterações no endométrio, por esse factor a pílula pode ser abortiva, porque impede a nidação (o útero faz uma espécie de ninho) do zigoto (óvulo já fecundado). Há uma probabilidade da hormona não impedir a ovulação, então o óvulo seria liberado, podendo haver fecundação e depois seria eliminado, porque não haveria possibilidade de nidação. ISSO É ABORTO!!!

As actuais pílulas de baixa dosagem, as quais os laboratórios dizem ter menos efeitos colaterais, são mais abortivas do que impedem a ovulação, porque tem maior concentração da hormona que impede a nidação (progestágeno) do que da hormona que impediria a ovulação (estrogênio):

"As dosagens e sequência de toma das pílulas estão feitas de tal maneira que, por um lado, os níveis de estrogeneos que passam a circular no organismo vão impedir a libertação do óvulo (uma vez que os níveis não chegam a permitir que a LH seja produzida e, logo, que haja ovulação). Por outro lado, OS PROGESTAGENEOS FAZEM COM QUE O INTERIOR DO ÚTERO NÃO FIQUE PREPARADO PARA RECEBER UM EVENTUAL EMBRIÃO e, por outro lado, espessam o muco cervical (muco existente no canal de entrada do útero) impedindo a entrada de espermatozóides."
http://www.sexualidades.info/

"A continuidade de novas tendências fez surgirem no mercado farmacêutico, por volta de 1975, preparados com 30 ucg de EE com progestágenos ainda mais modernos e aperfeiçoados: as pílulas de terceira geração que, por conterem ao redor de 30 ucg de estrógeno, tornaram-se conhecidas como pílulas anticoncepcionais de baixa dose.
Em 1955, fruto de novas pesquisas, entraram em uso pílulas com ainda menor quantidade de EE, 20 ucg, as quais foram seguidas pelas pílulas de “ultra-baixa dose”, que contêm apenas 15 ucg de EE"
Fonte: Laboratórios Wyeth –Whitehall Ltda.


Portanto pelos dados do próprio laboratório a tendência é baixar as doses de estrógeno, produzindo uma pílula na qual sua eficácia se dá muito mais impedindo a nidação do novo ser no útero do que impedindo a ovulação. Isso sem falar nas supermodernas mini-pílulas que contém somente progestágeno. Neste sentido a pílula é abortiva! Milhões de mulheres no mundo todo estão fazendo um aborto silencioso e nem sequer suspeitam disso...

A pílula também actua no espessamento do muco do colo do útero, sendo uma barreira à passagem dos espermatozóides, o que faz da pílula também um método de barreira, sobre esse factor explicarei a seguir quando expor sobre a camisinha.

O próprio uso da pílula é uma contradição porque o objectivo de tomar um remédio é promover a saúde, a cura. No caso, a pílula inibe a fertilidade natural da mulher, uma maneira menos chocante de dizer que a pílula torna a mulher infértil, ainda que seja uma infertilidade artificial, enquanto toma o medicamento. E, por outro lado, UM FILHO NÃO É UMA DOENÇA! Portanto não se devia tomar remédio para não engravidar.

Tomando a pílula A MULHER ESTÁ SE PREJUDICANDO E PODE VIR A TER DOENÇAS TERRÍVEIS!

O próprio laboratório que produz os medicamentos tem que assumir os efeitos colaterias possíveis. Leiam as bulas, a pílula provoca os seguintes efeitos colaterais:

“1) Mamas:- Aumento da sensibilidade. dor, aumento de volume, secreção
mamária.
2) Gastrointestinal:- náuseas, vômitos, colelitíase, icterícia colestática.
3) Cardiovascular:- trombose e aumento da pressão arterial.
4) Pele:- cloasma(mancha escura no rosto em asa de borboleta), erupção,
eritema nodoso.
5) S.N.C.:- cefaléia. enxaqueca, alterações do humor.
6) genitu-rinário:- sangramento intermenstrual, amenorréia pós-medicação,
aumento do tamanho de fibromiomas uterinos, agravamento da endometriose,
aumento de infecções genitais como Candidiase, alterações da secreção
genital.
7) Olho:- desconforto e alergia a lente de contato
8) Diversos:- retenção de líquidos, ganho de peso, redução a tolerância a
glicose, diminuição da libido e depressão.”

Hormonas injectáveis
Tem os mesmos efeitos colaterais das pílulas e não devem ser utilizados pelas mesmas razões.

A Pílula do dia seguinte
É abortiva! Porque caso o encontro entre o espermatozóide e o óvulo já tenha ocorrido, as pílulas fazem com que o novo ser não consiga ser implantado no útero, logo esse embrião será expelido.

Leia a entrevista com um médico especialista:
http://vida.aaldeia.net/entrevista-pilula-seguinte/

2)- O Diu


É abortivo! Porque ele além de afecta os espermatozóides, matando-os ou diminuindo sua movimentação, também poderia matar um óvulo fecundado, por isso que na contra indicação do mesmo está escrito que não podem utilizá-lo mulheres grávidas ou aquelas com suspeita!

3)- A Camisinha



Impede que haja contacto carnal na relação, já que o sexo deveria ser um ato de entrega TOTAL dos conjugues, além disso ela pode causar alergia e irritação vaginal e também o seu uso é incomodo para os dois! Ela actua impedindo que os espermatozóides subam através do colo do útero, logo impedem o encontro do espermatozóide e óvulo, impedindo que haja uma nova vida (também é o caso da pílula quando actua no espessamento do muco do colo do útero). A camisinha incentiva o sexo sem compromisso, a promiscuidade e as traições extras conjugais! E não previne nem a gravidez, nem as doenças sexualmente transmissíveis, como insistem em afirmar! As pesquisas demonstram alto índice de falha do preservativo. Usado para evitar a gravidez a falha é de 15 a 25%, segundo dados obtidos. Sua falha é bem maior no que se refere a prevenção da AIDS e das doenças sexualmente transmissíveis. O espermatozóide humano e 450 vezes maior que o vírus HIV e a fissura do látex (poros), de que é feito o preservativo, é de 50 a 500 vezes maior que o tamanho do vírus. Para maiores informações sobre a falha da camisinha no site:
http://www.providafamilia.org.br/doc.php?doc=doc70945

Lembrando que a Igreja defende a fidelidade matrimonial. Um casal unido pelo sagrado matrimonio tem os seus valores fundamentados na confiança mutua, portanto não há necessidade do uso da camisinha para uma suposta prevenção das doenças sexualmente transmissíveis.


4)- O Diafragma


É uma barreira para a entrada dos espermatozóides. As mulheres que usam o diafragma podem ter irritação vaginal, reacção alérgica, dor na relação e infecção urinária.

5)- Os Espermicidas

Tem a mesma razão para não usar do diafragma, porque matam ou deixam sem acção os espermatozóides, impedindo a entrada deles no colo do útero.

5)- A Vasectomia e Ligadura das Trompas

É um acto absurdo, pois só Deus tem o direito decidir até quando podemos ser férteis. Quem tem o poder da vida é Deus! E pode causar frigidez sexual!


Qual é a saída então?


A igreja nos orienta a utilizar os métodos naturais! Leiam o documento “Humanae vitae” no site: http://www.vatican.va/


Eles SÃO SEGUROS! Se bem seguidos, claro! Foram testados e são científicos! São aprovados pela Organização Mundial de Saúde! E não tem efeitos colaterais!!! Para quem tem dúvidas e quiser saber como são os métodos naturais pode se informar no site do pró-vida: http://www.providafamilia.org.br/

O inimigo tenta nos impor essas coisas, toda a sociedade entende o assunto como uma coisa normal... mas nós que escolhemos viver de acordo com as leis de Deus temos que ter consciência que utilizar esses métodos anticoncepcionais é impedir que se faça a vontade divina em nossas vidas!

Publicada por Taiana Froes em Domingo, Março 21, 2010

Fonte:http://temaspolemicosigreja.blogspot.com/2010/03/contra-os-metodos-anticoncepcionais.html
Curta este artigo :

Postar um comentário

Conforme a lei o blog oferece o DIREITO DE RESPOSTA a quem se sentir ofendido, desde que a resposta não contenha palavrões e ofensas de cunho pessoal e generalizados.Serão analisadas e poderão ser ignoradas e ou, excluídas.

Quem sou eu?

Minha foto
CIDADÃO DO MUNDO, NORDESTINO COM ORGULHO, Brazil
Neste Apostolado promovemos a “EVANGELIZAÇÃO ANÔNIMA", pois neste serviço somos apenas o Jumentinho que leva Jesus e sua verdade aos Povos. Portanto toda honra e Glória é para Ele.Cristo disse-nos:Eu sou o caminho, a verdade e a vida e “ NINGUEM” vem ao Pai senão por mim." ( João, 14, 6).Como Católicos,defendemos a verdade, contra os erros que, de fato, são sempre contra Deus.Cristo não tinha opiniões, tinha verdades, a qual confiou a sua Igreja, ( Coluna e sustentáculo da verdade – Conf. I Tim 3,15) que deve zelar por elas até que Cristo volte.Quem nos acusa de falta de caridade mostra sua total ignorância na Bíblia,e de Deus, pois é amor, e quem ama corrige, e a verdade é um exercício da caridade.Este Deus adocicado,meloso,ingênuo, e sentimentalóide,é invenção dos homens tementes da verdade, não é o Deus revelado por seu filho: Jesus Cristo.Por fim: “Não se opor ao erro é aprová-lo, não defender a verdade é nega-la” - ( Sto. Tomáz de Aquino)

As + lidas!

 
Support : Creating Website | Johny Template | Mas Template
Copyright © 2013. O BERAKÁ - All Rights Reserved
Template Created by Creating Website Published by Mas Template
Proudly powered by Blogger