A mera veiculação, ou reprodução de matérias e entrevistas no todo ou em parte, não significa necessariamente, a adesão às ideias nelas contidas, nem a garantia da ortodoxia de seus conteúdos. Todas postagens e comentários são de inteira responsabilidade de seus autores primários, e não representam de maneira alguma, a posição do blog. Tal material deve ser considerado à luz do objetivo informativo desta página.
Home » , » #Grande dilúvio pintura de Joseph Désiré Court: o "presente tenta salvar primeiramente o passado" por que?

#Grande dilúvio pintura de Joseph Désiré Court: o "presente tenta salvar primeiramente o passado" por que?

Written By Beraká - o blog da família on domingo, 26 de março de 2023 | 19:43

 

(Pintura Grande Dilúvio de Joseph Désiré Court - 1826)



Por *Francisco José Barros Araújo 



Mateus 7,24-27: "Todo aquele, pois, que escuta estas minhas palavras, e as pratica, assemelhá-lo-ei ao homem prudente, que edificou a sua casa sobre a rocha; ²⁵ E desceu a chuva, e correram rios, e assopraram ventos, e combateram aquela casa, e não caiu, porque estava edificada sobre a rocha. ²⁶ E aquele que ouve estas minhas palavras, e não as cumpre, compará-lo-ei ao homem insensato, que edificou a sua casa sobre a areia; ²⁷ E desceu a chuva, e correram rios, e assopraram ventos, e combateram aquela casa, e caiu, e foi grande a sua queda."








O Grande Dilúvio, é uma pintura de 1826 do dilúvio de Noé por Joseph Désiré Court. Esta obra de arte foi exibida pela primeira vez no Salão de Paris em 4 de novembro de 1827. O Estado francês comprou a obra e agora está no Museu de Belas Artes de Lyon.pintura representa o dilúvio bíblico que eliminou quase toda humanidade na Terra, deixando apenas a família de Noé. Ao olhar para a imagem percebemos um homem tentando salvar um idoso (talvez seu pai) e ignorando completamente uma criança (talvez seu filho) e uma mulher (talvez sua esposa com o seio de fora como quem acabou de amamentar, a qual segura um frágil galho). Mesmo com toda dramaticidade da cena, o homem salvador não prioriza os demais personagens e foca apenas em resgatar o idoso oferecendo sua mão estando firmemente apoiado na rocha (convicções), para não sucumbir junto com o velho. Seis anos depois de ganhar o Prix de Rome, Joseph-Désiré Court pintou "A Scene from the Diluge" , uma tela que foi exibida no mesmo ano em Paris, na Bourbon Restoration France, sobre a qual Carlos X reinava desde 1824. A influência do rei é evidente durante o Salão de 1827 quando sabemos que a exposição abriu suas portas em 4 de novembro, Dia do Rei, que os membros do Júri (que detinham o controle sobre as obras escolhidas, as quais foram majoritariamente selecionados pelo Rei) mas também, que as recompensas fossem apresentadas na sua presença, ilustrando assim a intenção do Estado de deixar a sua marca na arte de seu tempo.











Esta imagem possui um significado profundo (apesar de não encontrarmos um significado único e oficial deixado pelo autor, o que deixa aberta a vários significados)



-A mãe: Representa a vida: aquela que gera e amamenta a subsistência.



-O filho bebê: representa o futuro nascente e incerto, porém, alimentado.



-O velho se afogando: representa o passado e a segurança da experiência comprovada.




-O homem tentando salvar: representa o presente tentando resgatar a experiência do passado.




Na pintura, o homem que representa o presente, estende a mão para salvar seu pai que representa toda experiência acumulada do passado, quem em vez de salvar seu próprio filho que representa, ainda que incerto, o futuro, e sua esposa que representa a geração e manutenção da vida. A obra é vista como uma alegoria, e cada um que a  vê tem uma interpretação e pontos de vista diferentes. É preciso portanto, já que "não existe nenhuma interpretação oficial", respeitar a riqueza de interpretações, releituras, e atualizações. Para mim, a mais equivalente é o presente tentando resgatar o passado por primeiro, já que a mulher geradora da vida, está com um mínimo de segurança, o galho, e se encontra acima do nível da água,  o filho já está alimentado e tem a segurança da mãe, a prioridade portanto, é salvar a sabedoria do passado que está completamente dependente do auxílio do presente.  Não é necessário que ninguém morra, deve-se salvar todos! Assim é a vida, salvando nosso passado, conseguimos entender o presente e construir com mais segurança o futuro. 

 




"Mas, não permita que seu passado venha impor quem você é no presente, mas, que ele se torne apenas, parte daquilo que você virá a ser! Lembrando que: Jesus sempre serve o melhor vinho no final..."





Rememoração e redenção correta do passado para a construção sólida do futuro!



"A experiência mais “antropológica” da rememoração analisada até agora é acompanhada pela mais especificamente teológica, ou seja, esta [a rememoração] pode tornar o inacabado em algo acabado. Isso é teologia; na rememoração, porém, fazemos uma experiência que nos proíbe de conceber a história como fundamentalmente "ateológica", embora tampouco, nos seja permitido tentar escrevê-la com conceitos imediatamente teológicos." (BENJAMIN, 2018, p. 781). 




"Na lembrança e na rememoração experimentamos a teologia buscando o originário, incompleto e fragmentado. Mas isso não significa ser capaz de escrevê-lo nesses mesmos termos, mas apenas ser capaz de conjecturar sobre isso.Isso significa que, embora ao dar voz àquele eco, àquele lamento, àquele sopro de vento que permaneceu silencioso, experimentamos o que foi removido naquele passado e que ora pede justiça; ao mesmo tempo, porém, isso acontece em um plano histórico e profano que não pode ser “teologizado”. A rememoração e não o futuro dos adivinhos, como “essência” da concepção judaica da história, é o meio através do qual podemos antecipar a vinda do Messias porque “cada segundo era a porta estreita pela qual podia penetrar o Messias” (BENJAMIN, 1987, p. 232). 










"É evidente que tal formulação de apreensão do passado reverte qualquer conceitualização historiográfica tradicional, mas isso não vale para o historiador materialista que tem a teologia a seu serviço, que de fato “pratica em sua maneira uma espécie de análise espectroscópica. Assim como o físico vê um raio ultravioleta no espectro solar, ele também vê uma força messiânica na história” (BENJAMIN, 1997, p. 101). 




"É através da rememoração que os inacabados, os imperfeitos da história e aqueles que Hannah Arendt chamou de “párias” podem escapar de seu determinismo e através do historiador materialista e do revolucionário se vingar. A história fragmentada deles pode se tornar um todo coletivo, somente se essa também é uma história do que não aconteceu, mas do que permaneceu aberto o máximo possível e exige sua salvação. É na teologia que podemos experimentar a categoria metahistórica da justiça. É esse aspecto que fez Horkheimer falar em uma carta de 1937 de uma reivindicação “idealista” dessa concepção de história:A afirmação do não inacabamento é idealista, se nela não está contido o acabamento. A injustiça passada aconteceu e está consumada, acabada. As vítimas de assassinato foram assassinadas de fato! Quanto ao inacabamento, talvez exista uma diferença entre o positivo e o negativo, de forma que a injustiça, o terror, e as dores do passado são irreparáveis." (BENJAMIN, 2018, p. 781).

 

 



Olhar para o passado, redimindo-o, sem neutraliza-lo, mas, na incômoda verdade, é vislumbrar um melhor futuro!




Estudar o passado tem tudo a ver com a nossa vida presente e futura!










Não é possível entender “de onde viemos” se não olharmos para trás! 




Mas também, não podemos caminhar lamentando o passado que não podemos mudar! Contextualizando a funcionalidade do retrovisor com a vida, é preciso levar em conta sim o retrovisor para ampliar nossa visão, mas quem dirige a vida apenas olhando o retrovisor está fadado(a) a cair no primeiro abismo a sua frente! Faça uma retrospectiva e veja se neste ano que está chegando ao fim você ampliou sua visão das coisas, das pessoas, do universo como um todo. 




"São os eventos do passado que determinam o que somos hoje! A cada mistério revelado, afastamos um pouco a névoa do nosso caminho e assim podemos enxergar direito os nossos objetivos. Olhar para o passado de forma coerente e positiva, sem suprimir sua realidade negativa, é acender uma lanterna no escuro: é ouvir a voz da sabedoria."





Estudar o passado é importante tanto para a vida individual quanto para a vida social!











Dessa forma é possível entender como o passado influencia o presente, o porquê das coisas serem como são, e quais são os melhores modelos de vida social já testados e aprovados na história humana e da sociedade (republicano com as liberdades democráticas, e o livre mercado) bem como, aqueles que nunca deram certo (ditaduras, totalitarismos Comunistas, censuras e interrupções das liberdades democráticas),  além de muitas outras realidades de caráter moral que trouxeram benéficos (a milenar cultura judaico-cristã) e malefícios (o paganismo inescrupuloso, o politeísmo, o hedonismo, a superstição, o ateísmo materialista onde os fins justificam os meios, etc). Precisamos conhecer o passado para compreender melhor o presente e planejar o futuro, evitando erros já cometidos de outrora. 




"Se a humanidade deu grandes passos e viu mais longe, é por que estava no ombro de gigantes do passado!"


 



 







*Francisco José Barros Araújo – Bacharel em Teologia pela Faculdade Católica do RN, conforme diploma Nº 31.636 do Processo Nº  003/17





BIBLIOGRAFIA






-GAGNEBIN, J. M, Walter Benjamin – Esquecer o passado? In: Walter Benjamin. Experiência histórica e imagens dialéticas. São Paulo: UNESP, 2015.

 

-SZONDI, P. Speranza nel passato. Su Walter Benjamin. In: Aut Aut, n. 189-190 - 1982.

 

- BENJAMIN, W. Sobre o conceito de história. In: Magia e técnica, arte e política – Obras escolhidas; v. 1. São Paulo: Brasiliense, 1987.

 

- BONOLA, G. Redenzione del passato. Su origine e senso delle metafore di salvezza nelle tesi «Sul concetto di storia» di W. Benjamin. In: Discipline filosofiche, v. 4 n.  1994.




----------------------------------------------------------

 

 



GOSTOU Do APOSTOLADO berakash?  QUER SER UM (A) SEGUIDOR (a) E RECEBER AS ATUALIZÇÕES EM SEU CELULAR, OU, E-MAIL?

 


 

Segue no link abaixo o “PASSO-A-PASSO” para se tornar um(a) seguidor(a) - (basta clicar):

 

 

https://berakash.blogspot.com/2023/10/como-ser-um-ser-um-seguidor-e-ou.html

 

 

Shalom!




.............................................

 





 

APOSTOLADO BERAKASH - A serviço da Verdade: Este blog não segue o padrão comum, tem opinião própria, não querendo ser o dono da verdade, mas, mostrando outras perspectivas racionais para ver assuntos que interessam a todos. Trata basicamente de pessoas com opiniões e ideias inteligentes, para pessoas inteligentes. Ocupa-se de ideias aplicadas à política, a religião, economia, a filosofia, educação, e a ética. Ele constitui uma tentativa de manter um pensamento crítico e independente sobre literatura,  questões culturais, e em geral, focando numa discussão bem fundamentada sobre temas os mais relevantes em destaques no Brasil e no mundo. A mera veiculação, ou reprodução de matérias e entrevistas deste blog não significa, necessariamente, adesão às ideias neles contidas. Tal material deve ser considerado à luz do objetivo informativo deste blog, não sendo a simples indicação, ou reprodução a garantia da ortodoxia de seus conteúdos. As notícias publicadas nesta página são repostadas a partir de fontes diferentes, e transcritas tal qual apresentadas em sua origem. Este blog não se responsabiliza e nem compactua com opiniões ou erros publicados nos textos originais. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com as fontes originais para as devidas correções, ou faça suas observações (com fontes) nos comentários abaixo para o devido esclarecimento aos internautas. Os comentários devem ser respeitosos e relacionados estritamente ao assunto do post. Toda polêmica desnecessária será prontamente banida. Todos os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam, de maneira alguma, a posição do blog. Não serão aprovados os comentários escritos integralmente em letras maiúsculas, ou CAIXA ALTA. A edição deste blog se reserva o direito de excluir qualquer artigo ou comentário que julgar oportuno, sem demais explicações. Todo material produzido por este blog é de livre difusão, contanto que se remeta nossa fonte.Não somos bancados por nenhum tipo de recurso ou patrocinadores internos, ou externo ao Brasil. Este blog é independente e representamos uma alternativa concreta de comunicação. Se você gosta de nossas publicações, junte-se a nós com sua propaganda para que possamos crescer e fazer a comunicação dos fatos, doa a quem doer. Entre em contato conosco pelo nosso e-mail abaixo, caso queira colaborar de alguma forma:

 

 

 

 

filhodedeusshalom@gmail.com


Curta este artigo :

+ Comentário. Deixe o seu! + 2 Comentário. Deixe o seu!

Anônimo
6 de junho de 2023 às 10:00

Perfeito!!! "Estudar o passado tem tudo a ver com a nossa vida. Não é possível entender “de onde viemos” se não olharmos para trás. São os eventos do passado que determinam o que somos hoje. A cada mistério revelado, afastamos um pouco a névoa do nosso caminho e assim podemos enxergar direito os nossos objetivos. Olhar para o passado de forma coerente e positiva, sem suprimir sua realidade negativa, é acender uma lanterna no escuro: é ouvir a voz da sabedoria. Estudar o passado é importante tanto para a vida individual quanto para a vida social. Dessa forma é possível entender como o passado influencia o presente, o porquê das coisas serem como são, e quais são os melhores modelos de vida social já testados e aprovados na história humana e da sociedade (republicano com as liberdades democráticas, e o livre mercado) bem como aqueles que nunca deram certo (ditaduras, totalitarismos Comunistas, censuras e interrupções das liberdades democráticas), além de muitas outras realidades de caráter moral que trouxeram benéficos (a milenar cultura judaico-cristã) e malefícios (o paganismo inescrupuloso, o politeísmo, o hedonismo, a superstição, o ateísmo materialista onde os fins justificam os meios, etc). Precisamos conhecer o passado para compreender melhor o presente e planejar o futuro, evitando erros já cometidos de outrora. Se a humanidade deu grandes passos e viu mais longe, é por que estava no ombro de gigantes do passado!"

Anônimo
2 de maio de 2024 às 12:07

Isso foi libertador para mim!

"Mas, não permita que seu passado venha impor quem você é no presente, mas, que ele se torne apenas, parte daquilo que você virá a ser! Lembrando que: Jesus sempre serve o melhor vinho no final..."

Marlúcia Santiago - SP

Postar um comentário

Todos os comentários publicados não significam a adesão às ideias nelas contidas por parte deste apostolado, nem a garantia da ortodoxia de seus conteúdos. Conforme a lei o blog oferece o DIREITO DE RESPOSTA a quem se sentir ofendido(a), desde que a resposta não contenha palavrões e ofensas de cunho pessoal e generalizados. Os comentários serão analisados criteriosamente e poderão ser ignorados e ou, excluídos.

TRANSLATE

QUEM SOU EU?

Minha foto
CIDADÃO DO MUNDO, NORDESTINO COM ORGULHO, Brazil
Neste Apostolado APOLOGÉTICO (de defesa da fé, conforme 1 Ped.3,15) promovemos a “EVANGELIZAÇÃO ANÔNIMA", pois neste serviço somos apenas o Jumentinho que leva Jesus e sua verdade aos Povos. Portanto toda honra e Glória é para Ele.Cristo disse-nos:Eu sou o caminho, a verdade e a vida e “ NINGUEM” vem ao Pai senão por mim" (João14, 6).Defendemos as verdade da fé contra os erros que, de fato, são sempre contra Deus.Cristo não tinha opiniões, tinha a verdade, a qual confiou a sua Igreja, ( Coluna e sustentáculo da verdade – Conf. I Tim 3,15) que deve zelar por ela até que Ele volte(1Tim 6,14).Deus é amor, e quem ama corrige, e a verdade é um exercício da caridade. Este Deus adocicado, meloso, ingênuo, e sentimentalóide, é invenção dos homens tementes da verdade, não é o Deus revelado por seu filho: Jesus Cristo.Por fim: “Não se opor ao erro é aprová-lo, não defender a verdade é nega-la” - ( Sto. Tomás de Aquino).Este apostolado tem interesse especial em Teologia, Política e Economia. A Economia e a Política são filhas da Filosofia que por sua vez é filha da Teologia que é a mãe de todas as ciências. “Não a nós, Senhor, não a nós, mas ao vosso nome dai glória...” (Salmo 115,1)

POSTAGENS MAIS LIDAS

SIGA-NOS E RECEBA AS NOVAS ATUALIZAÇÕES EM SEU CELULAR:

TOTAL DE ACESSOS NO MÊS

ÚLTIMOS 5 COMENTÁRIOS

ANUNCIE AQUI! Contato:filhodedeusshalom@gmail.com

SÓ FALTA VOCÊ! Contato:filhodedeusshalom@gmail.com

SÓ FALTA VOCÊ! Contato:filhodedeusshalom@gmail.com
 
Support : Creating Website | Johny Template | Mas Template
Copyright © 2013. O BERAKÁ - All Rights Reserved
Template Created by Creating Website Published by Mas Template
Proudly powered by Blogger