A mera veiculação, ou reprodução de matérias e entrevistas no todo ou em parte, não significa necessariamente, a adesão às ideias nelas contidas, nem a garantia da ortodoxia de seus conteúdos. Todas postagens e comentários são de inteira responsabilidade de seus autores primários, e não representam de maneira alguma, a posição do blog. Tal material deve ser considerado à luz do objetivo informativo desta página.
Home » , , » Prefiro errar com o Papa, do que acertar sozinho(a) – Certo ou errado?

Prefiro errar com o Papa, do que acertar sozinho(a) – Certo ou errado?

Written By Beraká - o blog da família on sábado, 26 de fevereiro de 2022 | 17:20



 

Claro que dizer: “prefiro errar com a Igreja" é apenas um mero AFORISMO e não uma sentença infalível, até mesmo porque o papa quando fala em nome da Igreja de forma SOLENE e DEFINITIVA, em virtude do auxílio do Espírito Santo, não pode errar, e nunca errou em nenhum dos dogmas solenemente proclamados! (você sabe quantos e quais são os dogmas proclamados solene e definitivamente pela Igreja desde Nicéia até o Vaticano II?) - Algumas pessoas desconhecedoras do Sagrado Magistério diz que HEREGE é todo aquele(a) que fala e age de forma contrária ao papa, bispos e padres. Desculpe-me a correção, mas não é assim que nos diz o Magistério da Igreja! Herege é aquele(a) que nega de modo consciente e obstinadamente um dogma da Igreja! Simples assim! A frase "Prefiro errar com o Papa, do que acertar sozinho" é muito citada. Especialmente por aqueles que, não tendo mais argumentos, se refugiam no argumento de autoridade. O tema é delicado, e, para evitar falsas interpretações, serei até um pouco repetitivo! A frase acima citada pretende demonstrar uma grande devoção ao Papa, e, ao mesmo tempo, insinua que o oponente está contra o Papa.Na verdade, ela é falsa e demonstra que quem a usa, de fato, não tem devoção ao Papa, e não tem também boa doutrina. Senão, vejamos: A pessoa diz: "Prefiro errar com o Papa...", fingindo devotamento ao Papa e à doutrina de Pedro. Mas o que, de fato, ela está dizendo é que o Papa pode errar - O Papa é infalível, quando fala ex-cathedra, ou quando, em seu Magistério Ordinário, ensina o que sempre os Papas ensinaram num problema universal, dando sempre a mesma solução, sempre ensinada pelos seus antecessores. Agora quando um Papa, um bispo, um padre, religioso(a), ou qualquer autoridade da Igreja dá sua simples opinião pessoal, sobre algum assunto pertinente, eles podem sim errar como qualquer um de nós, por mais sincero(a) e bem intencionado que esteja, pois a sinceridade não é o critério da verdade, em virtude de uma poder estar sinceramente equivocada e fechada em sua própria opinião pessoal. Na realidade, quem usa desse sofisma e dessas insinuações revela um parco ou NENHUM conhecimento da doutrina da infalibilidade papal. O Papa só é infalível quando fala EX CATHEDRA, isto é, quando ensina matéria de Fé ou de moral, a toda a Igreja, com o poder dado por Cristo a Pedro, e com intenção de definir, ensinando o que é certo, e condenando o que é errado. Estas são as condições da infalibilidade papal, segundo o Concílio Vaticano I, que proclamou o dogma da infalibilidade pontifícia. Os ensinamentos dos Papas, ainda que pronunciados não de modo ex cathedra, isto é, em seu Magistério Ordinário, por exemplo nas encíclicas pastorais de seus pontificados, podem ser consideradas de certo modo infalíveis quando os Papas, continuamente, tratando de uma questão de importância universal, ensinam continuamente a mesma coisa. Por isso, a doutrina do Magistério Ordinário também deve ser acatada como infalível, desde que ensinada desse modo. O Concílio Vaticano I não declarou que tudo o que a pessoa que exerce o papado diz é infalível. Noutras palavras, a infalibilidade está ligada à condição de expressar-se do Papa para a Igreja Universal, e não é uma qualidade pessoal de quem está exercendo o papado. Há pois que distinguir entre o Papa, infalível nas condições citadas, e a pessoa pecadora que é Papa, e que pode pessoalmente cair em erro, quando fala como simples pessoa particular, dando uma opinião puramente pessoal sobre algo (infalibilidade é diferente de impecância, ou seja, o papa é infalível quando se pronuncia ex cathedra, porém, é pecador como todos nós). Essa distinção pode ser encontrada no próprio Evangelho. Logo depois de dar a Pedro o poder das chaves, esse mesmo Apóstolo, falando como Simão, filho de Jonas - e não como Pedro, cometeu um erro dizendo a Jesus que devia afastar-se de Jerusalém e não se deixar ser morto e crucificado. Cristo lhe respondeu chamando-o de satanás! Deve-se seguir sempre a Pedro como Vigário de Cristo, o que não implica segui-lo quando Simão trai a Cristo três vezes. Afinal prefeririamos errar com Simão, no pátio da casa de Caifás, do que ficar fiel, sozinho, junto à Cruz no Calvário ? "Ubi Petrus, ibi Ecclaesia". Essa sim é uma verdade na qual todo católico deve firmemente crer. Mas ela não pode ser substituída por outra, que diga erroneamente: "Ubi Simão, ibi Ecclesia". Não é a pessoa de Simão que tem o cargo que deve ser seguida, e sim o PAPA como vigário de Cristo! Deve-se sempre, absolutamente, acatar todo ensinamento ex cathedra, sob pena de deixar de ser católico, como se deve também respeitar o Magistério Ordinário. Não é lícito crer que se pode, à vontade, discordar do Papa naquilo que ele ordinariamente afirma, acreditando ser obrigatório acreditar, apenas, naquilo que ele afirma em caráter extraordinário.Como princípio, não se pode discordar do Papa, mesmo quando se pronuncia de modo falível, como se discorda de um jornalista, por exemplo. É preciso haver fortíssimas razões para isso. E essas fortíssimas razões são os ensinamentos de outros Papas, e não nossa opinião pessoal.Na verdade, não se deve querer errar com ninguém, nem mesmo com o Papa, que pode errar quando dá uma simples opinião pessoal. A autoridade do Papa não foi instituída por Cristo para que errássemos com ele, mas para acertarmos com ele!


 

MUITAS PESSOAS DIZEM: “AHH... MAS A IGREJA PRECISA SE ATUALIZAR PARA PODER ATÉ CRESCER MAIS”

 

 

 

Muitas dessas pessoas no fundo, estão a querer dizer:

 


-A Igreja precisa acabar com o Celibato sacerdotal e religioso! (ora, ninguém é obrigado a ser padre ou Religioso, é vocação e não profissão).

 

 

- A Igreja precisa tratar a pedofilia de outro modo, até mesmo porque tem muitos padres pedófilos! (já diz o velho ditado: "o abuso não tolhe o uso!" - Tem pedófilos em todos os níveis, inclusive casados e no meio protestante, basta uma rápida pesquisa na internet)

 

 

-O adultério consentido por um casal casado na Igreja, não deveria ser considerado adultério. (bom, me digam onde existe essa orientação nas escrituras? Jesus disse a mulher flagrada em adultério o que? "Vá minha filha e continue a adulterar?...")

 


-A igreja devia abandonar o ensino da legítima defesa e da guerra justa, o mundo está muito violento! (pelo visto está decretado o caos e deixar prevalecer a lei do mais forte então? O Papa Francisco disse que :“A legítima defesa não é um direito, mas um dever para aquele que é responsável pela vida de outro! A defesa do bem comum exige colocar o agressor na situação de não causar dano. Por essa razão, aqueles que têm autoridade legítima não devem rejeitar toda agressão, mesmo com o uso de armas, sempre que isso seja necessário para a preservação da própria vida ou das pessoas sob seus cuidados..." Audiência do papa na manhã de 17/12/2018, aos membros da delegação da Comissão Internacional contra a Pena de Morte)

 

 

 

-A Igreja devia abraçar o Comunismo Marxista, pois essa ideologia trata do igualitarismo! (a questão do Marxismo é que é contrária ao Cristianismo: No marxismo os fins justificam os meios para sua implantação, ou seja, matar e eliminar quem pensa diferente. No cristianismo, Jesus nos ensinou não a matar, mas a dar a vida).

 

 

-O aborto não deveria ser considerado pecado pela Igreja, pois a mulher deve ser dona de seu corpo e livre para decidir. (decidir sobre seu corpo e sua vida é uma coisa, agora sobre o corpo e vida de outro, já é difente! Responda com sinceridade: o aborto é a ÚNICA solução para uma gravidez indesejada? O valor da vida uterina diante de Deus é menor do que quem já está fora? Infelizmente o útero materno com esta ideologia assassina se tornou o lugar mais inseguro a vida humana).



 





-A Igreja deveria não mais considerar a prática homossexual como algo pecaminoso e abençoar os casais homossexuais!(Ahhh o amor!!! Mas qual a amor? O de Deus? Ou, o depravado amor humano?...Hoje em dia não há palavra mais desgastada que a palavra amor. Hoje, o amor significa "tô afim", significa apenas desejo momentâneo e meramente genital. Os membros do Estado Islâmico dizem que "amam" matar os infiéis, os drogados "amam" as drogas, os defensores do casamento gay dizem que os gays podem se casar porque "se amam". Os defensores da poligamia  também querem se casar, porque se amam. Daqui a pouco os defensores do incesto, da Zoofilia e da pedofilia dirão o mesmo. A  palavra "amor" deveria sofrer uma moratória, fosse apenas usada com o mesmo respeito que os judeus usam a palavra Deus (no tetragrama YWHW). Eles têm medo de falar a palavra Deus, por receio de usar a palavra em vão. Deveríamos hoje também, reverenciar a palavra AMOR, pois o mundo hoje "ama" os pecados e odeia as virtudes).

 

 

 

Romanos 12,2: “E não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus” 

 

 

 

 

A preocupação com o crescimento da igreja é legítima e necessária. Sempre foi! Ide e fazei discípulos! Porém, uma igreja que segue o mundo ela não forma discípulos, mas seguidora do mundanismo pelo qual tantos Cristãos deram suas vidas no passado e no presente. O desafio dessa expansão envolve afirmar a prioridade da missão, a centralidade do evangelho, a necessidade de falar para os de fora, bem como o esforço para ser relevante no contexto social e cultural, no estabelecimento de alvos objetivos, na importância de estratégias e no uso correto das ferramentas sociais e tecnológicas. Embora esta preocupação com o crescimento seja percebida em toda a história cristã, as mudanças sociais das últimas décadas trouxeram novas realidades, que precisam ser analisadas criticamente. Há algumas décadas, atrás, a preocupação da Igreja era quase que exclusivamente com a missão da luta pela transformação política e social, ou seja pela libertação meramente social, e já não pela salvação das almas. Lutar por mudanças sociais e políticas não era errado, mas ao ser tornar a única preocupação os resultados foram catastróficos! A preocupação hoje é com a igreja local, a paróquia, que deve ser comunidade de comunidades, com seu crescimento, e sua presença na sociedade. Antes o foco estava na esfera pública; agora, na esfera privada da vida comunitária. Antes a palavra de ordem era "revolução", hoje é "relevância".  A busca por uma igreja relevante abre portas para um novo mundo, trazendo novos desafios e possibilidades. Por outro lado, abre brechas para o risco de a igreja se comprometer, muitas vezes sem perceber, com o espírito desta libertino, egoista e consumista deste mundo! A modernidade não são um problema em si. O problema é a ideologia modernista! Porém, é preciso olhar criticamente para a forma como se faz a busca por relevância e de que maneira se lança mão dos recursos modernos de crescimento. É necessário discernir os riscos que tais ações representam para o futuro do cristianismo.  A expressão "crescimento e desenvolvimento da Igreja” pode ser compreendida em termos quantitativos (número de membros, orçamentos, projetos) e qualitativo (maturidade, caráter, profundidade). Ambos são importantes, e um não exclui, necessariamente, o outro. No entanto, o crescimento quantitativo nem sempre promove um crescimento qualitativo, mas sempre desperta um fascínio em função da visibilidade e do prestígio que uma paróquia local proporciona para seus lideranças pastorais. É aqui que enfrentamos um grave risco: o de se construir a casa (igreja) sobre a areia e não sobre a rocha, segundo a parábola de Jesus. Os riscos do crescimento são invisíveis, mas muito grandes. Construir uma casa sobre a areia sempre foi uma opção atraente e sedutora desde o princípio, não é à toa que Jesus nos alertou deste risco! Mas formar discípulos fiéis e obedientes de Jesus Cristo e a Sã doutrina da Salvação e libertação muito bem formulada na nossa DSI, ensiná-los a guardarem, viverem e multiplicar estas santas diretrizes, e integrá-los em uma comunidade de louvor, oração, adoração e serviço sacrificial sem a busca de aplausos, sempre foi uma tarefa difícil, lenta e trabalhosa.  Porém, quando vierem as tempestades e os vendavais testando o valor da fé, esta igreja, edificada sobre a rocha, testemunhará a glória da verdade redentora de Jesus Cristo. O Decreto papal Lamentabili condenou os seguintes erros da ideologia Modernista:

 

“53—“A constituição orgânica da Igreja não é imutável, senão que a sociedade cristã, da mesma forma que a sociedade humana, está sujeita a perpétua evolução”  

 

 

     

“64- O progresso das ciências exige que se reformem os conceitos da doutrina cristã sobre Deus, a criação, a revelação, a pessoa do Verbo Encarnado e a Redenção”

 

 

 

“65 –O Catolicismo atual não pode conciliar-se com a verdadeira ciência, se não se transforma em um cristianismo não dogmático, isto é, em um protestantismo amplo e liberal”.

 

 

       

“Censura: Sua Santidade aprovou e confirmou o decreto dos Eminentíssimos Padres e mandou que todas e cada uma das proposições acima enumeradas fossem por todos tidas como reprovadas e proscritas” - (São Pio X, Decreto Lamentabili, de 3 de Julho de 1907, in Denzinger, 2.053- 2.064- 2.065- 2.065 a).

 

 

 

Não é a Ciência a única fonte exclusiva da Verdade, mas Jesus Cristo e seu evangelho!

 

 

 

E o Divino Mestre nos ensinou: “Passarão os céus e a terra, mas minhas palavras não passarão” (Mateus 24, 35) - E o Salmo 116, 2 afirma contra o que lhe ensinaram: “Veritas Domini manet in aeternum” – “A Verdade de Deus permanece eternamente” – Porém, para muitos falsos mestres da verdade,  “as ciências são as únicas verdades”. São Paulo já prevendo este erro crasso escreveu: “Cientia inflat”?- “A ciência incha” (ICor. 8, 1).Incha de orgulho. Muito defensores da Ideologia modernista ficam ofendidos, quando são tachados de Modernistas ou Progressias, porque teve sua tese de doutorado chancelada pelo Papa, e que vários professores ditos modernistas, defenderam suas teses de mestrado e doutorado nas Pontificias em Roma (Itália),e tem seus diplomas chancelados pelo Vaticano, professores doutores em Bíblia, considerados por muitos membros da igreja como entre os maiores exegetas e hermenêutas do mundo, que são chamados para ensinar até bispos no Vaticano! Ora, alguém pode ter se diplomado em Roma, e ter tido seu diploma chancelado pelo Papa, e, entretanto, ele pode ser um ideólogo modernista. O Papa não é infalível quando chancela um diploma, pois ele não faz isso de forma solene e para toda Igreja. E se um padre ou Cardeal é modernista, nem por isso a Igreja fica Modernista. A exemplo disso temos o Cardeal Kasper que é Doutor em Teologia e é herege modernista, pois nega a Ressurreição de Cristo e seus milagres, e nem por isso a Igreja aderiu a ideologia Modernista! O Cardeal Carlo Maria Martini, também é Doutor em Sagrada Escritura, e defendeu teses sobre o aborto e outros horrores, como todo herege modernista que quer atualizar a moral de acordo com a Ciência moderna. E, contudo, ele não é a Igreja. O Cardeal Martini é um apenas um ideólogo modernista. A Igreja, não! Um Cardeal ou um teólogo não são a Igreja. E as Faculdades de Roma não são a Igreja infalível, são apenas faculdades de Roma. Alguns no alto de seu modernismo declaram:

 

 

 

“Não se moderniza a Palavra de Deus, mas a atualiza, contextualizando o ensinamento passado, primeiro via oral, e depois escrito, nos dias de hoje. É necessário se fazer a atualização da revelação, não sua modernização”

 

 

 

Que diferença há entre modernização e atualização da revelação? Peçam que um ideólogo modernista Explique essa diferença sutil entre atualizar e modernizar, e verá o malabarismo achológico em que se engalfinham levando do nada ao coisa alguma suas teses, porque as duas no frigir dos ovos, significam uma mudança no entendimento da revelação. São Pio X, outro papa profeta, na encíclica Pascendi, se antecipou e condenou a tese herética da evolução ou adaptação dos dogmas ao tempo:

 

 

 

”Logo também as fórmulas que chamamos dogmas tem que estar sujeitas às mesmas vicissitudes e, conseqüentemente, sujeitas a variação. E assim, em verdade, fica aberto o caminho para a íntima evolução do dogma. Por certo este é um amontoado infinito de sofismas que arruínam e aniquilam a religião” (São Pio X, Pascendi, in Denzinger, 2.079. Os destaques são meus)

 

 

Ainda não se dando por convencidos dizem: “Mas também não podemos continuar vivendo como se vivia na idade média. Temos que enxergar a palavra de Deus como falada hoje, na linguagem de hoje, senão cairemos no fanatismo, no fundamentalismo”

 

 

 

 

 

 

Ora, o Cardeal Ratzinger, hoje Papa emérito Bento XVI, afirmou no discurso de abertura do Conclave que o elegeu Papa, que os hereges logo lançam a pecha de fundamentalista sobre aqueles que defendem a Fé (só faltam agora considerar Bento XVI um dos maiores Teólogos do Sec. XXI como fundamentalista):

 

 

 

"Quantos ventos de doutrina conhecemos nestes últimos decênios, quantas correntes ideológicas, quantas modas do pensamento... A pequena barca do pensamento de muitos cristãos foi muitas vezes agitada por estas ondas lançadas de um extremo ao outro: do marxismo ao liberalismo, até à libertinagem, ao coletivismo radical; do ateísmo a um vago misticismo religioso; do agnosticismo ao sincretismo e por aí adiante. Cada dia surgem novas seitas e realiza-se quanto diz São Paulo acerca do engano dos homens, da astúcia que tende a levar ao erro (cf. Ef 4, 14). Ter uma fé clara, segundo o Credo da Igreja, muitas vezes é classificado como fundamentalismo. Enquanto o relativismo, isto é, deixar-se levar "aqui e além por qualquer vento de doutrina", aparece como a única atitude à altura dos tempos hodiernos. Vai-se constituindo uma ditadura do relativismo que nada reconhece como definitivo e que deixa como última medida apenas o próprio eu e as suas vontades...” (Cardeal Joseph Ratzinger, Decano do Colégio Cardinalício, Homilia na Missa Pro Eligendo Romano Pontifice, no Vaticano antes de começar o conclave. Cidade do Vaticano, segunda-feira, 18 de abril de 2005 - http://www.vatican.va/gpII/documents/homily-pro-eligendo-pontifice_20050418_po.html).

 

 

 

 

O Cardeal Ratzinger afirmou então que as heresias dos últimos decênios – 4 decênios desde o Concílio Vaticano II — agitaram a barca da Igreja, e que os hereges logo chamam de fundamentalistas quem defende a Fé contra o relativismo da evolução doutrinária.Foi um discurso profético e nada agradável a trupe da ideologia modernista! E os modernista quando dizem: “não podemos continuar vivendo como se vivia na idade média” - frase de efeito muita usada neste meio, carente de verdade e carregada de sofismo. Claro que não podemos mais andar de armadura, e nem morar em castelos. Mas os católicos de hoje tem que viver seguindo a mesma doutrina católica e obedecendo os mesmos mandamentos que seguiam e obedeciam os católicos medievais e inclusive os Cristãos anteriores a eles! Veritas Domini Manet in aeternum.A verdade é que uma doutrina e religião mutante e moderninha, sempre adaptada aos tempos, estará fadada ao desaparecimento. É a religião do “Para que seguir, hoje, o que amanhã não valerá mais?”

 



Jesus nos fala hoje, sobre os problemas atuais, sobre nossa realidade e não sobre a realidade de Israel de 2.000 anos atrás ou da idade média!

 

 

 

Ora, Nosso Senhor Jesus Cristo, nos deu a solução dos problemas do homem. E os problemas trazidos pela natureza humana são os mesmos em todos os tempos. Cristo não veio trazer a solução para o problema do trânsito nas avenidas marginais, nem de esgoto a céu aberto (que existiam na sua época). Ele veio trazer a solução dos problemas religiosos e morais, que são sempre os mesmos, pois a natureza humana não muda. O orgulho dos falsos teólogos atuais é o mesmo que o dos teólogos do farisaísmo.

 


 


 

 

CONCLUSÃO

 

 

 

Graças a Deus o Concílio Vaticano II como obra do Espírito Santo, frutificou em seu meio clérigos fieis a Sã Doutrina da Salvação, um exemplo disse é o padre Juan Manuel Góngora, da diocese espanhola de Almería, o qual respondeu às pessoas que dizem que a Igreja Católica precisa se atualizar. Em uma reflexão divulgada em suas redes sociais, padre Góngora disse que:

 

 

 

“Quando alguém lhe diz que tem ‘uma fé adulta’ e que a Igreja ‘precisa se atualizar’, pergunte se busca cristianizar o mundo ou mundanizar os cristãos”. O padre espanhol, que tem mais de 42 mil seguidores no Twitter, escreveu: “atualmente alguns porta-vozes midiáticos, que se dizem católicos, pensam que dissolver a fé católica em um espiritualismo filantrópico, no contexto da aberrante Agenda 2030 da ONU fará a Igreja crescer” (Agenda 2030 é um plano de desenvolvimento sustentável adotado pela Organização das Nações Unidas) - Meus senhores, a história nos ensinou o contrário, disse.   Para o padre Góngora, esses gnósticos iluminados, com uma certa teologia e muita ideologia, usam a figura do papa Francisco de forma distorcida e interesseira, quando em seu magistério nos ensina e adverte todo o contrário. Por isso devemos estar atentos, educar-nos, pedir aos nossos pastores que o depósito da fé, que é a fé revelada aos simples, seja valorizado frente aos interesses daqueles que pretendem nos ‘domar’, externa e internamente, e nos converter em uma ONG, disse. Lembremos que a chamada batalha cultural nada mais é do que a rejeição da transmutação antropológica, bem financiada e politicamente apoiada, que eles querem nos impor: destruição da família, ideologia de gênero, cultura da morte, economia utilitária, consumismo”, acrescentou. O padre espanhol nos aconselhou a buscar compreender os sinais dos tempos. E abramos a casa da nossa alma aos que estão à porta e batem para jantar conosco (Ap 3, 19-22). Animo!”, concluiu.




“No dia em que eu achar que sei mais que a Igreja, seus apóstolos e o próprio Espírito Santo que a conduz, eu não preciso mais dela! Se já não a obedeço, não me esforço em entendê-la, de ama-la e defende-la, é porque há muito tempo já deixei de ser católico...” (Pe. Leo)

 

 

 

------------------------------------------------------

 

 



APOSTOLADO BERAKASH: Como você pode ver, ao contrário de outros meios midiáticos, decidimos por manter a nossa página livre de anúncios, porque geralmente, estes querem determinar os conteúdos a serem publicados. Infelizmente, os algoritmos definem quem vai ler o quê. Não buscamos aplausos, queremos é que nossos leitores estejam bem informados, vendo sempre os TRÊS LADOS da moeda para emitir seu juízo. Acreditamos que cada um de nós no Brasil, e nos demais países que nos leem, merece o acesso a conteúdo verdadeiro e com profundidade. É o que praticamos desde o início deste blog a mais de 20 anos atrás. Isso nos dá essa credibilidade que orgulhosamente a preservamos, inclusive nestes tempos tumultuados, de narrativas polarizadas e de muita Fake News. O apoio e a propaganda de vocês nossos leitores é o que garante nossa linha de conduta. A mera veiculação, ou reprodução de matérias e entrevistas deste blog não significa, necessariamente, adesão às ideias neles contidas. Tal material deve ser considerado à luz do objetivo informativo deste blog. Os comentários devem ser respeitosos e relacionados estritamente ao assunto do post. Toda polêmica desnecessária será prontamente banida. Todos as postagens e comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam necessariamente, a posição do blog. A edição deste blog se reserva o direito de excluir qualquer artigo ou comentário que julgar oportuno, sem demais explicações. Todo material produzido por este blog é de livre difusão, contanto que se remeta nossa fonte. Não somos bancados por nenhum tipo de recurso ou patrocinadores internos, ou externo ao Brasil. Este blog é independente, e representamos uma alternativa concreta de comunicação. Se você gosta de nossas publicações, junte-se a nós com sua propaganda, ou doação, para que possamos crescer e fazer a comunicação dos fatos, doa a quem doer. Entre em contato conosco pelo nosso e-mail abaixo, caso queira colaborar:

 





filhodedeusshalom@gmail.com

 

 

 

Curta este artigo :

Postar um comentário

Conforme a lei o blog oferece o DIREITO DE RESPOSTA a quem se sentir ofendido(a), desde que a resposta não contenha palavrões e ofensas de cunho pessoal e generalizados.Os comentários serão analisados criteriosamente e poderão ser ignorados e ou, excluídos.

TRANSLATE

QUEM SOU EU?

Minha foto
CIDADÃO DO MUNDO, NORDESTINO COM ORGULHO, Brazil
Neste Apostolado APOLOGÉTICO (de defesa da fé, conforme 1 Ped.3,15) promovemos a “EVANGELIZAÇÃO ANÔNIMA", pois neste serviço somos apenas o Jumentinho que leva Jesus e sua verdade aos Povos. Portanto toda honra e Glória é para Ele.Cristo disse-nos:Eu sou o caminho, a verdade e a vida e “ NINGUEM” vem ao Pai senão por mim" (João14, 6).Defendemos as verdade da fé contra os erros que, de fato, são sempre contra Deus.Cristo não tinha opiniões, tinha a verdade, a qual confiou a sua Igreja, ( Coluna e sustentáculo da verdade – Conf. I Tim 3,15) que deve zelar por ela até que Ele volte(1Tim 6,14).Deus é amor, e quem ama corrige, e a verdade é um exercício da caridade. Este Deus adocicado, meloso, ingênuo, e sentimentalóide, é invenção dos homens tementes da verdade, não é o Deus revelado por seu filho: Jesus Cristo.Por fim: “Não se opor ao erro é aprová-lo, não defender a verdade é nega-la” - ( Sto. Tomás de Aquino).Este apostolado tem interesse especial em Teologia, Política e Economia. A Economia e a Política são filhas da Filosofia que por sua vez é filha da Teologia que é a mãe de todas as ciências. “Não a nós, Senhor, não a nós, mas ao vosso nome dai glória...” (Salmo 115,1)

POSTAGENS MAIS LIDAS

SIGA-NOS E RECEBA AS NOVAS ATUALIZAÇÕES EM SEU CELULAR:

VISUALIZAÇÃO DE ACESSOS NO MÊS

ÚLTIMOS 5 COMENTÁRIOS

 
Support : Creating Website | Johny Template | Mas Template
Copyright © 2013. O BERAKÁ - All Rights Reserved
Template Created by Creating Website Published by Mas Template
Proudly powered by Blogger