A mera veiculação, ou reprodução de matérias e entrevistas deste blog não significa, necessariamente, adesão às ideias neles contidas. Tal material deve ser considerado à luz do objetivo informativo deste blog, não sendo a simples indicação, ou reprodução a garantia da ortodoxia de seus conteúdos. Os comentários devem ser respeitosos e relacionados estritamente ao assunto do post. Toda polêmica desnecessária será prontamente banida. Todos os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam, de maneira alguma, a posição do blog. Não serão aprovados os comentários escritos integralmente em letras maiúsculas, ou CAIXA ALTA. A edição deste blog se reserva o direito de excluir qualquer artigo ou comentário que julgar oportuno, sem demais explicações. Todo material produzido por este blog é de livre difusão, contanto que se remeta nossa fonte.
Home » , , , » O ministério de Cura e Aconselhamento – Orientações Práticas – O que fazer diante de uma MANIFESTAÇÃO ESPIRITUAL ?

O ministério de Cura e Aconselhamento – Orientações Práticas – O que fazer diante de uma MANIFESTAÇÃO ESPIRITUAL ?

Written By Beraká - o blog da família on quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017 | 01:07






O Perfil e a Espiritualidade do Ministro de Cura


Ao lermos os evangelhos, contemplamos Jesus, Filho de Deus, sempre a nos ensinar como devemos agir. No seu nascimento mostrou-nos a humildade; aos 12 anos vemos a sua familiaridade com a Palavra, quando pregava aos Doutores da Lei; até os seus 30 anos viveu oculto fazendo a vontade do Pai. Podemos imagina-lo estudando a Palavra e orando sem cessar, se preparando para se revelar aos homens. Após seu batismo, foi para o deserto para orar e se preparar para exercer seu Ministério, e durante 3 anos de sua vida pública, nos deu exemplos de vida de oração, de pregação ao levar a Boa Nova, de amor e compaixão ao curar os doentes, ao libertar os cativos, ao perdoar os pecados. Ao ficar a sós com os discípulos Jesus os instruía e os enviava em missão. ( Lc 4,31-37; 5,12-15; 56,17-23; 10,1-8).Jesus é o nosso mestre, é o modelo de vida que devemos seguir. Ele é a razão e o centro do nosso serviço no ministério de cura. À Êle devemos submeter toda a nossa vida, para a glória dÊle devemos servir e com Êle, consumir nossas vidas na construção do Seu Reino.






Como discípulos de Jesus, devemos cultivar em nós algumas atitudes básicas, para o exercício do ministério de cura:



1- Experiência Pessoal de Deus: O ministro de cura necessita da experiência pessoal de Deus, que se renova e se sustenta por uma vida de oração constante e diária, pelo estudo orante diário da Palavra de Deus, pela vida sacramental traduzida na participação freqüente, se possível, diária da santa missa e comunhão, e no sacramento da confissão mensal e sempre que sentir necessidade.


2- Acolhimento: O ministro de cura deve acolher o irmão como o próprio Jesus acolheria. Como servo de Jesus, deve ser ministro e discípulo da paz, anunciando, ministrando e transbordando em suas atitudes o Shalom do Pai.Shalom, para o homem bíblico, significa uma harmonia plena de todo o ser do homem: espiritual, psicológica, física e material. E esse equilíbrio total só pode ser alcançado em Deus . Só nÊle se pode receber o Shalom, se pode obter a paz. A saudação significa todas as bênçãos que alguém pode alcançar. Na verdade, o homem bíblico, ao saudar o outro com este termo, estava desejando para o outro a salvação de Deus. Jesus é o Shalom do Pai, Jesus é a verdadeira paz. É Ele o centro do nosso ministério, é a Ele que devemos levar aqueles que anseiam pela paz. É a Ele, na verdade, que as pessoas estão buscando através de nós, através do nosso ministério. Para sermos ministros e discípulos da paz, precisamos buscar o Príncipe da Paz, alimentarmo-nos dÊle, vivermos nÊle e Êle em nós. Só assim, transbordaremos a Paz que o mundo tanto necessita e seremos instrumentos de reconciliação e pacificação, como São Francisco: " Senhor, fazei-me instrumento de vossa paz, onde houver ódio…"É indispensável cultivar em si, uma postura misericordiosa para com o irmão que procura ajuda. Ele vem ferido pelos seus pecados, pelos pecados do mundo, trazendo em si, cegueiras espirituais, ignorância na fé, entendimento, às vêzes, limitado das realidades humanas, revoltas, etc…Nesse contexto, é preciso fazer como Jesus, que primeiramente acolhia e no amor, ia curando as feridas, trazendo para a luz o que estava em trevas, ministrando o perdão e a reconciliação com o Pai, com os irmãos e consigo mesmo, DELICADAMENTE, TERNAMENTE.


3. Abertura aos Carismas e Vivência Carismática:Se somos seguidores de Cristo e se queremos servir nesse ministério, devemos estar abertos à ação do Espírito Santo e deixar que os dons fluam em nós, pois o mesmo Espírito que esteve em Maria é o que esteve em Pentecostes, o mesmo que esteve no Batismo de Jesus, e no exercício de toda a Sua missão.Quando recebemos a graça do Batismo, recebemos graças inerentes à graça fundamental. É a Trindade que se introduz nas nossas vidas e nos tornamos participantes na vida de Deus. Recebemos também os dons infusos, as virtudes e os carismas. Sobre estes últimos, dedicaremos um capítulo especial nesta apostila.O ministro de cura deve ser dócil à ação da graça para amar e ser instrumento do poder de Deus para o irmão. Para isso, é necessário que tenha recebido a efusão do Espírito Santo.É no poder do Espírito Santo que buscamos ser pacificados e podemos ser instrumentos de paz. A Renovação Carismática é desígnio de Deus para os nossos tempos; por isso, precisamos viver radicalmente essa dimensão, servindo à Igreja. Porque precisamos da libertação, da cura, da ciência, da sabedoria e dos milagres de Deus, é que clamamos o poder do Espírito Santo, em meio a um mundo secularizado, marcado pelo materialismo, pelo ateísmo cientificista, pelo hedonismo…mundo onde proliferam inúmeras seitas que desviam o homem do sentido e da experiência da Salvação.



4. Comunhão com a Palavra de Deus e a Doutrina magisterial da Igreja:É indispensável ao ministro de cura que direcione o aconselhamento em comunhão plena com a Palavra de Deus e a doutrina da Igreja Católica Apostólica Romana. As fontes seguras para fundamentar o aconselhamento são os documentos da Igreja e o Novo Catecismo. Sugerimos alguns conteúdos, entre vários outros que são importantes para o exercício do aconselhamento, em um capítulo especial nesta apostila.É necessário uma postura de responsabilidade e seriedade junto às pessoas que se assiste, no compromisso que temos com Deus e com a Sua Igreja.



5. Postura de Fé e Autoridade em Jesus Cristo:O ministro de cura deve cultivar a fé e a confiança no amor e no poder de Deus, que sempre derrama suas graças, porque ama e quer salvar e santificar seus filhos. Ter plena convicção de que traz em si o próprio Espírito Santo e Seus carismas, recebidos no Batismo e liberados pela efusão do Espírito Santo.A autoridade é exercida por uma constante comunhão com o Senhor e em Seu nome: "Ao nome de Jesus se dobre todo joelho no céu, na terra e nos infernos" (Fl 2,10).Essa comunhão com o Senhor é conquistada, como já falamos, por uma vida de oração, pela fuga ao pecado( buscar viver em estado de graça) e o desejo de sempre fazer a vontade de Deus. Sabemos ainda que a penitência e o jejum são auxílios eficazes para o ministro de cura exercer sua missão. O próprio Jesus referiu que alguns demônios só são expulsos pela oração e o jejum (Mc 9,14-29).A penitência nos ajuda a melhor aproveitar das graças de Deus em nossa vida, pois, por ela, exercitamos o domínio sobre nossos impulsos e paixões. É preciso pedir que o Senhor nos ajude a levar uma vida santa. É Êle que nos dá a graça de querermos e agirmos, segundo o Seu Espírito (Fil 2,13).


6. Vida de Louvor:A exemplo da Trindade, na qual o pai se doa totalmente e nesta doação gera o Filho, e o Filho que devolve tudo ao Pai em louvor e ação de graças, gerando dessa doação mútua de amor, o Espírito Santo, devemos nos abrir a esse movimento contínuo de louvor e amor que liberta e transforma nossas vidas, fortalecendo-nos no combate contra o mal, pois sabemos que vivemos numa contínua batalha espiritual (Ef 6,10-20). Porém, sabemos também, antecipadamente , que a vitória é de Deus. O louvor nos fortalece no combate e na certeza da vitória. A murmuração, a tristeza, o desânimo arrefecem a nossa fé e nos fazem vacilar e até cair, muitas vezes (Josué 6,l-20; Ex l5; l6 ).


7. Fidelidade a Deus e a seu Povo: Todo batizado deve caminhar em contínua busca de conversão para que reine em sua vida o homem novo, cheio do Espírito Santo, capaz para toda boa obra, que Deus reservou para nós, seus filhos, criados à Sua imagem e semelhança. Onde existe a luz, as trevas são dissipadas. Que reine a luz de Cristo em nossos corações. Só assim seremos instrumentos dóceis nas mãos de Deus, na construção do Seu reino, a serviço dos irmãos.É necessário deixar o Espírito Santo formar em nós uma nova mentalidade, a mentalidade cristã. Precisamos aprender a discernir dentre as coisas que o mundo oferece, aquilo que é bom e cristão: no lazer, nas leituras, nos meios de comunicação, etc…se quero ser discípulo de Jesus, devo alimentar minha inteligência, meu coração e minha alma com um " bom alimento" , ou seja, de forma coerente com a minha fé e os valores cristãos, pois "a boca fala daquilo que o coração está cheio" (Lc 6,45).A fidelidade a Deus vai transparecer na vida do ministro de cura pela santidade que ele busca. Por isso, ele deve ter um empenho dobrado em buscar a santidade (Lc 1,74-75).A nossa defesa e a nossa guarda é a nossa santidade. E a nossa eficácia é asantidade de Cristo que deve exalar em nós.


Fonte:http://www.comshalom.org/o-perfil-e-a-espiritualidade-do-ministro-de-cura/





ALGUNS CONSELHOS PRÁTICOS AO MINISTRO DE CURA:



Quero apresentar aqui algo mais para aqueles que querem desenvolver o dom da cura e libertação, para servir melhor a Deus neste ministério. Os dons do Espírito são distribuídos por Ele quando, onde e no momento que Ele quer. Uma coisa é possuir o dom, outro coisa é exercer, ministrar. Não depende de nós e sim de Deus. Todos nós somos passiveis a sermos usados por Deus em seus dons e carismas. Existem três doenças que nos atingem: doença do corpo (física), do coração, ou da alma (psíquica), e do espírito(espiritual). Precisamos saber que o poder e ação de Satanás é limitado. É como diz Santo Agostinho: "Ele é como um cão realmente feroz, que late, e ataca, mas só morde aqueles que dele se aproximam..."



Antes de rezar por alguém,devemos:



1. Fazer o sinal da Cruz; o sinal da cruz é um sacramental de bênção.


2. Antes até mesmo de conversar com a pessoa, fazer uma pequena oração de entrega pedindo a proteção e o auxílio de Deus.


3. Explicar que o aconselhamento não é confissão, pois não temos o poder de perdoar pecados em nome de Cristo e da Igreja,como foi dado aos sacerdotes (João 20,23), mas, é um momento de partilha, desabafo, escuta, aconselhamento e principalmente de oração, mantendo-se o sigilo de tudo que ali foi partilhado.


4. Escutar; quando a pessoa fala, Deus cura. As pessoas tem necessidade de serem ouvidas. Mais que dar conselhos e falar devemos, ouvir com atenção, fazendo perguntas sem constrange-las, ou seja, sem força-la,para que a pessoa abra-se verdadeiramente com naturalidade e espontaneidade.



5. Após ter conversado com a pessoa, reze por ela.Se é uma pessoa, que não é de caminhada Cristã, e que ainda não teve a experiência com a misericórdia de Deus com a efusão do Espírito Santo, ou que não é Cristã, pergunte a pessoa se ela quer fazer esta experiência com o amor de Deus, na pessoa de Nosso Senhor Jesus Cristo. Alguns aceitam, mas outros(as) neste momento travam e então de detecta a necessidade de libertação. Imponha as mãos e peça o batismo no Espírito Santo sobre ela. Não se pode fazer acepção de pessoas.



A cura e libertação só acontece pelo amor. A pessoa que ama é canal de cura para pessoa amada.Não adianta buscar a Deus apenas para ser curado de algo específico, mas sem querer mudar de vida. Deus não cura partes, Ele cura o homem todo. O ministro de cura impõe as mãos sobre a cabeça do(a) acompanhado(a), por que reza pela pessoa toda e não somente por uma parte enferma.


Não desvincule a palavra de Deus inspirada da oração de cura. É a Palavra de que Deus que cura, liberta, pôe às claras o que estava oculto, alimenta e perdoa. A Palavra de Deus faz aquilo que o batismo faz: nos regenera, nos faz novos outra vez. Pela Palavra de Deus somos regenerados para uma vida nova.A Cura e a libertação começam a partir da escuta e interiorização da Palavra de Deus. As pessoas que não rezam para que as outras sejam curadas é por que não acreditam. E se não acreditam, não estão aptas a este ministério. A Cura e a libertação não é privilégio de santos, é um direito que nos foi dado para colocar a serviço do povo de Deus. A cura é um processo que começa com a oração, mas precisa de sequencia, precisa de perseverança. Não é instantâneo, é preciso acompanhamento e alimentar o desejo de ser curado(a) e libertado(a), pois Deus respeita o livre arbítrio de cada um.


Por fim, quem quer investir na oração pela cura e libertação das pessoas, precisa:



1. Rezar para obter o dom. Não é mérito, e independe de ser bom ou não.

2. Precisa tornar-se disponível.
3. Desprender-se da própria imagem. Não ficar preocupando-se com o que os outros vão dizer ou pensar.

4. Remover os obstáculos pela confiança em Deus: Medo, desconfiança, pecados instalados.

5. Anunciar o evangelho, pois é  palavra de Deus e não a nossa, que cura.


Por: Márcio Mendes – Comunidade Canção Nova




Algumas coisas importante que quero deixar bem claro para aqueles que rezam por Cura e Libertação:




Existem sim realidades de feitiçaria, de pessoas que mexem com todo o tipo de ocultismo e que desejam por meio disto fazer o mal às pessoas, famílias inteiras, objeto e locais. Existe sim a realidade da maldição, da inveja, e tantos outros males que podem influenciar a vida das pessoas; mas quero chamar a atenção para que "NEM TUDO DEVE SER DITO ALI NA HORA, PARA A PESSOA QUE ESTÁ RECEBENDO ORAÇÃO E ACONSELHAMENTO".É preciso muita maturidade e discernimento para se tratar de certos assuntos, é preciso prudência quanto a pessoa que esta envolvida, para saber se ela terá estrutura psicológica para receber este tipo de informação.


E a coisa mais importante deste primeiro ponto: É PRECISO AVALIAR SE ISSO QUE O SERVO ESTA DIZENDO VEM REALMENTE DE DEUS, DE NÓS MESMOS, OU INSPIRADO PELO DEMÔNIO. Existem casos de pessoas que procuram a cura e aconselhamento, e os servos ao rezarem pela pessoa dizem assim:


“Deus me revelou de forma muito clara que sua sogra fez um trabalho de macumba para você se separar do seu marido...”



Fico indignado com este tipos de coisas que acontece ainda hoje na Cura e aconselhamento,(estou dizendo isso com base no que recebo por e-mail). Como é que uma pessoa que esta rezando pela outra que esta a procura de ajuda, vai falar algo deste tipo, sem pensar nas consequências, e sem conhecer a estrutura da pessoa que está recebendo oração? “Como você acha que esta pessoa ficará com a sogra dela após esta SUPOSTA revelação?...”



É preciso maturidade e discernimento naquilo que se diz. Pois às vezes falam o que não deveriam falar, e ainda falam em nome de Deus, e não ajudam em nada a pessoa a prosseguir o caminho dela, fazendo a pessoa sair pior do que quando chegou ao aconselhamento.Repito aqui o que aprendi com Padre Rufus Pereira em uma reunião que tivemos antes de um Acampamento de Cura e Libertação aqui na Canção Nova. Ele falou assim: 





“Se vocês forem atender um caso de libertação, vão com ele até o fim. Não comecem a rezar pela pessoa, e sem terminar o caso dela por completo, já iniciem com outro. Porque se isso acontecer vocês irão piorar a situação desta pessoa, ao invés de ajuda- la...”


As pessoas que vem buscar ajuda, iniciam um processo de aconselhamento, e não se dar a devida continuidade. Fala-se o que era para ser mantido no coração, e deixam a pessoa ir embora cheia de duvidas, e mais aflita do que quando chegou. Tudo isso é muito sério. São vidas que são colocadas em nossas mãos, e temos responsabilidade espiritual por elas.Padre Pio tem uma frase que sempre me lembro quando me dedico a acompanhar um caso de libertação:


“As almas! As almas! Se alguém soubesse o preço que custam“.




Se tivéssemos a noção do que Padre Pio quer dizer, talvez levássemos mais a sério a questão de acompanhar as pessoas em suas dores!


São Tomás de Aquino dizia: "Se você não sabe como tratar uma ferida, a melhor coisa a se fazer é não mexer com ela..."





Já ficou claro pela experiência, que existem sim a possibilidade de feitiçaria, trabalhos relacionados ao ocultismo e maldições atingirem nossas vidas.Você pode então estar se perguntando: 




“E se Deus me mostrar isso em oração, o que devo então fazer?”




A primeira coisa é avaliar se a pessoa que esta recebendo oração é madura na fé para receber este tipo de informação, ou é uma pessoa que esta fragilizada na sua vida com Deus, ou esta com tantos problemas que não saberá administrar aquilo. Lembro-me de anos atrás quando rezávamos em comunidade aqui na Canção Nova, em um momento de oração foi mostrado que haviam pessoas se dedicando a trabalhos de feitiçaria contra a Canção Nova. Isso foi revelado em oração, mas foi colocado em comum pois tínhamos uma maturidade para lidar com aquela situação, e sabíamos que estes tipos de coisas não nos afetaria. E por isso colocamos em comum.



Segunda coisa, se você perceber que a pessoa não está pronta para receber este tipo de informação, simplesmente não é preciso dizer! Uma vez que Deus mostrou tal situação, isso significa também que Ele já esta agindo.Isto vai apenas lhe ajudar a orientar melhor a pessoa na libertação.Deus não brinca com estas coisas. Ele não mostraria uma situação desta somente com o intuito da curiosidade. Uma vez que Deus revela, ali Ele já esta agindo. Portanto não precisa dizer nada. Mas você de maneira pessoal precisa assumir esta pessoa em oração também, para que o processo iniciado de cura e libertação seja cercado pela força da oração de intercessão, e do acompanhamento sistemático e ininterrupto.



Terceira coisa é que: se Deus mostrou uma situação, você já assumiu esta pessoa em oração; agora é o momento de você ensinar e ajudar esta pessoa a como caminhar para que ela chegue a total libertação. É o momento de você dizer que ela precisa se dedicar a se fortalecer pela Palavra de Deus diariamente, que ela precisa buscar a confissão, que ela precisa começar a rezar o santo Rosário, que ela precisa portanto buscar a fidelidade à Santa Missa,libertar-se do envolvimento com falsas doutrinas, e até de companhias que a afastam de Deus. E se ela não fez ainda um Seminário de Vida no Espírito Santo, orienta-la a fazer.


Você precisa ensinar esta pessoa a como rezar da maneira correta! Você precisa semanalmente se encontrar com esta pessoa, de preferência junto do ministério de intercessão, ou de Cura e Libertação, para rezarem e acompanharem esta pessoa (motiva-la a buscar a Cura saindo de sua zona de conforto). E se esta pessoa assumir uma vida de oração com fidelidade, sendo acompanhada por pessoas maduras em oração, e de caminhada, não existe mal, feitiçaria, ocultismo, ou qualquer maldição que não seja quebrada e desfeita pela presença e ação de Jesus na vida desta pessoa e de sua família. Se possível pedir para ela livrar-se de objetos e literatura não Cristãs, permutando por imagens, literatura, e símbolos Cristãos. Se objetos, que sejam sempre benzidos por um sacerdote, ou diácono devidamente ordenado pela Santa mãe Igreja.



O Mal sempre será afastado de nossa vida quando fielmente nos aproximarmos de Deus! É Deus que nos livra do Mal, é Deus que Cura e Liberta, portanto quanto mais estivermos caminhando com Deus, menor será a chance e oportunidades do mal aproximar-se e dominar-nos.Não quero me delongar mais.Acredito que tenha ficado claro que é preciso discernimento quando o assunto é rezar por Cura e Libertação.Não sejamos sem juízo quando o assunto for a vida das pessoas.Não queiramos dar passos maior que nossas pernas, e que seja o amor a nos reger.


Deus abençoe você !!!




Danilo Geraldo – Canção Nova






O QUE FAZER DURANTE UMA MANIFESTAÇÃO ESPIRITUAL, OU PSÍQUICA?



Muita confusão acontece na Igreja, capela, assembleia Cristã, ou fora dela, quando uma pessoa se manifesta. As pessoas não sabem o que fazer e ficam preocupadas, fazem besteiras, quando não saem correndo. Devemos entender que um demônio só se manifesta quando se sente incomodado. Se um demônio não se sente incomodado com algo que está acontecendo ao seu redor, ele permanecerá dentro da pessoa quietinho.


Quando o demônio sente o poder da Unção do Espírito Santo ele começa a ficar inquieto e começa a “cutucar” o seu hospedeiro, com o intuito de saírem daquele local, mas como o livre arbítrio e a força de vontade não podem ser vencidos facilmente, o demônio se vê tão encurralado a ponto de manifestar-se. Isso acontece, geralmente, quando é a hora de ele sair da vida da pessoa. A primeira reação normal de uma pessoa perante uma reação demoníaca é se assustar, porém, nesse momento o Espírito Santo de Deus dá uma força e uma coragem excepcional às pessoas.



PASSOS A SEREM DADOS DURANTE UMA MANIFESTAÇÃO:


1º. Manter a calma,  confiando-se a Deus e a Virgem Maria.


2º. Acabar com o tumulto, mantendo o(a) manifesto(a)longe dos curiosos, se possível com a ajuda de outras pessoas para um local mais reservado. Após isto, se for um simples ataque a nível psíquico, a pessoa vai se acalmar quanto menos pessoas estiverem por perto. Se souber o nome da pessoa trate-a constantemente pelo seu nome, perguntando como ela estar e se quer alguma coisa, tocando-a e acalmando-a, mantendo sempre os olhos abertos. Quando ela estiver mais calma, pode-se rezar pela libertação dela, desta carência de chamar a atenção.


4º. Caso se constate uma manifestação a nível espiritual. Usar unicamente a autoridade do nome de Jesus dirigindo-se diretamente ao demônio.


5º. Ordenar que o demônio não machuque a pessoa, e que se cale (quando estiver a falar em nome de Jesus).


6º. Não dar ouvido quanto às “asneiras” e blasfêmias proferidas por eles, sempre os repreendendo em nome de Jesus.


7º. Geralmente, isso não é regra, mas ordenar em nome de Jesus que se identifiquem (Nome e natureza).


8º. Não faça uma “entrevista” com os demônios, isto desvia o foco: Expulsa-lo.Não se esqueça que os demônios são mentirosos e enganadores.Com isso os demônios ficarão estudando o seu “entrevistador” até achar um ponto onde possa atacá-lo e irá ganhar terreno na ministração, tornando-a mais extensa e cansativa.


9º. Ordenar no nome de Jesus que o demônios (ou os demônios), saiam da vida da pessoa, objetos, de suas casas, e de onde quer que tenham se escondido, e vão para local reservado e ordenado para eles pelo próprio Nosso Senhor Jesus Cristo. Rezar o Credo dos apóstolos, convidando a todos os presentes a rezarem com fé e autoridade, intercalando com Avé Marias.


10º.Verificar se a pessoa está liberta ou se o demônio apenas está fingido (Isso é possível através do Discernimento Espiritual e da confissão de I Jo 4,1-3, repetindo as palavras: “Eu confesso que Jesus Cristo Nosso Senhor e Salvador, veio em carne, nasceu de uma virgem, padeceu, morreu e ressuscitou por todos nós, e Ele é Deus, que está assentado do lado direito do Pai, é Senhor e Salvador de minha vida, o seu sangue tem poder de curar, nos e nos libertar de todos mal, e Ele vive pelos séculos dos séculos. Amém”. (Geralmente os demônios não conseguem fazer uma confissão como essa, mas podem enganar a pessoa trocando as palavras ou não as pronunciando direito).


11º.Ungir com sal bento, ou água benta, a pessoa no nome de Jesus.


12º.Orar com a pessoas fazendo humildemente a confissão pública de pecados não confessados, colocando o sangue de Cristo entre nós e estes pecados, e conduzindo-a pelo seu nome e sangue redentor à Cristo.



O QUE "NÃO FAZER" DURANTE UMA LIBERTAÇÃO?


1º. Várias vozes de comandos: Um demônio não obedecerá a várias vozes de comando. Apenas um dá a ordem enquanto os outros intercedem. (Se uma pessoa gritar “Ta amarrado” e outra “sai dele” seria capaz do demônio debochar dizendo: “Decidam!!! ou amarra e fico, ou saio ???”...Entenderam ?... Não deve-se haver várias vozes confusas de comando, mas somente uma, pois Deus é um Deus de ordem).


2º. Bater no Endemoninhado: Muitas pessoas às vezes chegam a bater nas pessoas com suas Bíblias pensando que isso irá tirar o demônio de uma pessoa.


3º. Orar em línguas: Quem está expulsando o demônio não irá fazer isso orando em línguas. Os demônios não entenderão, pois a oração em línguas é dirigida a Deus, e não ao demônio. Os intercessores sim, estes podem e devem orar em línguas.


4º. Dar água para a pessoa: Muitos demônios se fortalecem na umidade, por isso não se pode dar água para um endemoninhado, nem após ele ser liberto, deve-se esperar um tempo, pois isso poderá fazer o demônio retornar.


5º. Entrevistar o endemoninhado: Algumas vezes Deus usará os demônios para nos trazer informações específicas, e muitas vezes devemos perguntar algo para eles sob a autoridade do nome de Jesus (Não se esqueça que os demônios são mentirosos), mas nunca fazer uma “entrevista com eles”. Com isso os demônios ficarão estudando o seu “entrevistador” até achar um ponto onde pode atacá-lo e irá ganhar terreno na ministração.


6º. Deixar os demônios te elogiarem: Muitas vezes os demônios irão elogiar o ministro de libertação chamando o de “O poderoso” ou coisa parecida. Eles fazem isso para envaidecer o ministro fazendo com que seu coração se encha de orgulho e assim os demônios tomarão conta da situação.


7º. Deixar os demônios falarem: Os demônios são mentirosos e irão mentir se os deixar falar. Se estiver algum fraco na fé ou alguém que não conhece a vida do ministro o demônio conseguirá constranger em muito a vida e o ministério da pessoa.


8º. Ficar desatento: Desatenção pode causar hematomas num ministro de libertação. O Ministro nunca deve orar de olhos fechados, pois o endemoninhado pode tentar agarrá-lo. Seu pescoço deve estar sempre bem protegido e, o primeiro alvo de um endemoninhado é a gravata ou o pescoço. A Libertação só ocorre mediante a autoridade do nome de Jesus Cristo, diante da vida consagrada a Deus de quem o expulsa, e de seus ministros.











ORAÇÃO DE COMBATE A PREGUIÇA E DESCONTAMINAÇÃO ESPIRITUAL



Nem sempre, o cansaço físico, sonolência, náuseas, dor de cabeça, indisposição, e moleza no corpo, são sintomas de doença físicas, às vezes provem de uma contaminação espiritual, e o remédio para a doença é simples, não é genérico, é de graça, e está gratuitamente a disposição para todos, que é o nosso DEUS todo poderoso, pois é Ele mesmo quem nos assegura:




Mateus 11,28: “Vinde a mim todos os que estais cansados e desanimados em carregar suas pesadas cargas, e Eu vos darei descanso...”




Isaias 55,1-7: “Ah! Todos vós, os que tendes sede, vinde às águas; e vós, os que não tendes dinheiro, vinde, comprai e comei; sim, vinde e comprai, sem dinheiro e sem preço, vinho e leite. Por que gastais o dinheiro naquilo que não é pão, e o vosso suor, naquilo que não satisfaz? Ouvi-me atentamente, comei o que é bom e vos deleitareis com finos manjares. Inclinai os ouvidos e vinde a mim; ouvi, e a vossa alma viverá; porque convosco farei uma aliança perpétua, que consiste nas fiéis misericórdias prometidas a Davi. Eis que eu o dei por testemunho aos povos, como príncipe e governador dos povos. Eis que chamarás a uma nação que não conheces, e uma nação que nunca te conheceu correrá para junto de ti, por amor do SENHOR, teu Deus, e do Santo de Israel, porque este te glorificou. Buscai o SENHOR enquanto se pode achar, invocai-o enquanto está perto. Deixe o perverso o seu caminho, o iníquo, os seus pensamentos; converta-se ao SENHOR, que se compadecerá dele, e volte-se para o nosso Deus, porque é rico em perdoar...”
 




Lugares contaminados por maldições, consagrados ao mal, ou usados em rituais e ações não cristãs, pessoas emocionalmente abaladas, situações difíceis, discussões, sentimentos ali expostos de dor, mágoas, ódios, vinganças, tramas malignas, etc., e a até orações de libertação realizadas em pessoas ou lugares, podem nos contaminar. Isso tudo é muito complexo, e difícil de aceitar nos dias de hoje, em uma cultura meramente racionalista e descrente de tudo, mas acreditem: Infelizmente isto é real, e seus efeitos são perceptíveis.


Os Santos Padres vêem na preguiça espiritual "uma forma de depressão devida ao relaxamento da ascese, à diminuição da vigilância e à negligência do coração".Conheça e aplique, a partir deste ensinamento do Catecismo da Igreja Católica, os remédios para essa doença que debilita o nosso espírito e ameaça a vida da graça em nós.



A preguiça é considerada uma doença espiritual. Como toda doença, para que possa ser curada, é necessário saber o que a motivou, ou seja, a sua causa. O Catecismo da Igreja Católica ensina que ela é também uma tentação e provém de uma outra doença, a presunção; segundo ele, os "Padres espirituais entendem esta palavra [preguiça ou acídia] como uma forma de depressão devida ao relaxamento da ascese, à diminuição da vigilância, à negligência do coração."


Em outras palavras, "quanto mais alto se sobe, tanto maior é a queda. O desânimo doloroso é o inverso da presunção. Quem é humilde não se surpreende com sua miséria. Passa a ter mais confiança e a perseverar na constância." (CIC 2733).O Catecismo está ensinando que o cristão pode viver dois extremos negativos em sua vida de oração: a presunção, cuja filha é a preguiça, e o desânimo. O primeiro faz com que a pessoa julgue ter alcançado o grau máximo de comunhão com Deus, ou seja, presunçosamente já se considera santa. O segundo está relacionado à aridez espiritual e ocorre quando “o coração está desanimado, sem gosto com relação aos pensamentos, às lembranças, aos sentimentos, mesmo espirituais” (CIC 2731) e a pessoa acaba prostrada, sem forças, desanimada.



A presunção é a mãe da preguiça espiritual. Jesus sempre insistiu na necessidade de o cristão estar acordado, vigilante, esperando pela volta do seu Senhor. A presunção relaxa ou mesmo acaba com a vigilância. Quem nela se acomoda corre o sério risco de se perder.A fé exige um esforço porque existe uma tendência no homem de sair da realidade e entrar nas falsas promessas de felicidade contidas em cada tentação, em cada pecado. Por isso, é uma luta a vida do homem sobre a terra (Cf. Jó 7,1).A preguiça espiritual deve ser combatida com a ascese, a vigilância e o cuidado do coração que se exerce sobretudo na oração, no ouvir a Deus, deixá-lo falar, mesmo quando o ouvir não seja agradável.




A NECESSIDADE DA ORAÇÃO DE DESCONTAMINAÇÃO:



Em nome de Jesus , e pelo sangue derramado em nosso favor, a autoridade desta oração, mediante a fé, é poderosa.Para se descontaminar, você pode rezá-la em qualquer lugar, mas é mais eficaz na frente de um Sacrário numa Igreja Católica. E reze-a quantas vezes necessário for, até sentir a ação libertadora de Deus.



O ideal é rezar esta oração sempre no fim do dia, especialmente para quem tem contato com muitas pessoas, ou seja pessoas do ministério de Cura e Libertação, promoção humana e primeiro anúncio:


“Eu… em nome de Jesus, ordeno que saia de mim, de minha casa, de meus filhos, de minha esposa (o),de minha família, de meus amigos, irmãos, de minha comunidade, diocese e de toda Santa Igreja, todo espírito de contaminação espiritual, e o ordeno em nome de jesus, que este vá se prostrar aos Pés da Cruz do Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo, e os proíbo em nome de Jesus de voltar. Que saia também pelo nome de Jesus, toda contaminação, e que seja aniquilada pelo sangue e poderoso nome de Jesus, toda fúria do inimigo, toda seta,  dardos inflamados, lançado por quem quer que seja, de forma maligna, a todos os meus bens materiais, físicos, espirituais e emocionais. E agora meu Senhor Jesus, eu me lavo no Teu Sangue precioso, juntamente com toda minha família biológica e espiritual. Que o Teu Sangue, meu Senhor Jesus, seja para nós cobertura e proteção suficiente, e definitiva a todo poder do mal. Divino Espírito Santo, consolador, nosso advogado, e espírito de verdade, renova em cada um de nós todo ânimo, perseverança, e dai-nos a  Tua unção, a Tua força e o Teu poder restaurador. E que a santa Virgem Maria, mãe de Nosso Senhor Jesus Cristo, os apóstolos, os mártires da fé Cristã e os Anjos fieis ao Senhor, roguem por nós ao Deus Uno e Trino, que é Pai, Filho e Espírito Santo, Amém”








Oração a Nossa Senhora do Desterro



(Fazer esta oração por 7 dias consecutivos)


Ó Bem-aventurada Virgem Maria, Mãe de Nosso Senhor JESUS CRISTO, Rainha do Céu e da Terra, advogada dos pecadores, auxiliadora dos cristãos, desterradora das indigências, das calamidades, dos inimigos corporais e espirituais, dos maus pensamentos, das cenas terríveis do dia do juízo, das pragas, das bruxarias, dos malfeitores, ladrões, arrombadores, assaltantes e assassinos. Minha amada Mãe, eu prostrado agora aos Vossos pés, cheio de arrependimento das minhas pesadas culpas, por Vosso intermédio, imploro perdão ao boníssimo DEUS. Rogai ao Vosso Divino filho JESUS CRISTO nosso Senhor, por nossas famílias, para que Ele desterre de nossas vidas todos estes males ( citar aqui os males a desterrar), nos dê o perdão de nossos pecados e que nos enriqueça de Sua divina graça e misericórdia. Cobri-nos com Vosso manto maternal e desterrai de todos nós, todos males e maldições. Afugentai de nós a peste e os  desassossegos que nos afastam de Deus.Possamos por Vosso intermédio obter a cura de todas as doenças, encontrar as portas do Céu abertas e sermos felizes por toda a eternidade. Amém! 


Nossa Senhora do Desterro, rogai por nós !!!



Glória ao Pai...Ave Maria...Pai Nosso...Salve Rainha, e encerrar com o Credo dos apóstolos.





Nossa Senhora do Desterro tem origem na Bíblia como nos narra São Mateus em seu Evangelho (Mt 2, 13-23), quando a Sagrada Família teve que fugir com o Menino Jesus para o Egito, por causa da perseguição do Rei Herodes. Nossa Senhora permaneceu cerca de quatro anos fugitiva, desterrada no Egito.




Virtudes Desta Oração:


Todos os fiéis cristãos que rezarem diariamente e divulgarem esta devoção a Nossa Senhora do Desterro, verão a extinção de todos os castigos que houver conta eles; nem fome, nem peste, nem guerra, nem doenças contagiosas lhes afligirão. Os seus inimigos não terão mãos nem poder de ofendê-los, nem roubá-los. Estarão livres das tentações de satanás e dos demônios. Pragas, ratos e formigas lhes serão desterrados das lavouras. Todos os que tiverem confiança nas misericórdias da grande Mãe de Nosso senhor Jesus Cristo, serão felizes nos seus negócios e nas viagens. Não morrerão sem confissão e estarão livres da morte repentina.


Na prática:



Esta oração é muito utilizada para desterrar, ou seja, revelar a origem, a causa de determinados problemas, ou situações conflitantes em nossas vidas (para que possamos diante da causa e não a consequência conseguir as graças que precisamos de Deus).


Muitos dos problemas atuais,por exemplo, uma briga em família, um filho que passa mal sem motivo aparente, uma doença rara, pessoas que não conseguem engravidar, um negócio, ou emprego que não se concretiza sem motivo aparente, tem causa espiritual envolvida.


O ideal é fazer por 7 dias a oração de Nossa Senhora do Desterro, sendo que no 7 dia reza-se:  7 Pai Nosso, 7 Ave Maria e 1 Creio  ao Sagrado Coração de  Jesus e as 7 Dores de Maria Santíssima.



Você pode perguntar: e agora o que eu faço com o fruto desta oração? O que me foi revelado ainda não é suficiente para resolver. O que faço com a origem, ou causa do problema?


1)- Primeiro Passo reserve um tempo para ter uma conversa intima com Deus, de preferência diante do Santíssimo Sacramento, em uma paróquia, capela, ou santuário. Converse com Ele, coloque a situação, o fruto da oração do desterro (Se necessário repita a oração por varias semanas, até que tudo seja revelado o que estava encoberto aos seus olhos), através de você ou de outras pessoas, fique atento às inspirações do Espírito Santo.


2)- Deus nos deu um presente, o Sacramento da Reconciliação (confissão), tire proveito dele, use amplamente deste direito a nós concedido gratuitamente.A chave para abrir os portões das graças de Deus, é a humildade de se perceber pecador, reconhecer seus erros, pedir perdão por seus pecados, ou por pecados de seus ancestrais, e principalmente perdoar no mundo espiritual, através de uma confissão com um sacerdote. Liberte-se de suas magoas, raivas.Jesus veio ao mundo por nos,entregue seus fardos para Ele,e peça sua misericórdia.A nós compete o possível a Ele o impossível.




3)- Durante a Missa, coloque no momento do ofertório, todo o contexto de seus problemas e, ou as pessoas relacionadas, para o Senhor, peça ao seu anjo da guarda para entregar no Altar (todos têm um anjo da guarda, lembre-se dele!). Se for o caso de ancestrais, encomende missa pela alma dessa  pessoa falecida em sua família , ou de seu cônjuge ,ou por toda a sua arvore genealógica,se não souber os nomes ,use os sobrenomes .Nossos antepassados precisam muito de nossas orações,eles não podem rezar por si próprios,(eles podem até interceder por nós), mas nossas orações são de grande valia para eles em especial  a Santa Missa.



4)- Problemas de hoje, nem sempre são consequência de nossos pecados, mas sim de consequências de pecados de nossos antepassados. É um sinal que devemos também rezar por estas pessoas já falecidas, para que também sejam libertas todas as gerações presentes e futuras. Perceba que em algumas famílias se repetem traços de alcoolismo, suicídios, brigas familiares, adultério, depressão, assassinatos, roubos, vícios e mortes trágicas na família. Este ciclo deve ser quebrado no mundo espiritual através de orações de libertação.




5)- Uma forma de rezar pela LIBERTAÇÃO e descontaminação espiritual, é o tradicional e maravilhoso Terço, ou rosário de Nossa de Nossa Senhora, ou o ofício d Imaculada. Segunda a irmã Lucia de Fátima:” Não há problema material, espiritual, pessoal ou familiar, nacional ou internacional que a reza do terço não possa ajudar a resolver”. Com o Terço na mão, creia, você pode atingir o que parece impossível, pois tudo pode ser mudado pela força da oração do justo. O Ofício da Imaculada Conceição foi aprovado pelo Papa Inocêncio XI em 1678 e enriquecido por Pio IX em 1876,uma antiga tradição diz que Nossa Senhora se ajoelha no céu ,quando alguém na terra ,reza o Ofício.




Existe uma infinidade de’’ Orações de Libertação’’ para libertar-se das amarras de antepassados, procure a que mais se adéqua a seu problema, mas certifique-se que tenha aprovação Eclesiástica. (por exemplo: oração de Julgo Hereditário, oração de Quebra de Maldições, Terço da Cruzada, Terço de Renuncia e Libertação, Rosário de São Miguel Arcanjo).




Sempre iniciar o processo de oração de Cura e Libertação com uma oração de proteção inicial, e ao finalizar, faça a oração de descontaminação. No caso do Terço de Maria e do Oficio da Imaculada não é necessária a descontaminação, nem as orações de proteção, se estes dois meios são rezados com fé.Se possível receba a comunhão, frequente a Missa.


Que Deus nos abençoe, e que Nossa Senhora  do Desterro nos socorra em todas as necessidades, e principalmente daqueles que acompanham e rezam por este apostolado.




"Louvado Seja Nosso Senhor Jesus Cristo"


Curta este artigo :

Postar um comentário

Conforme a lei o blog oferece o DIREITO DE RESPOSTA a quem se sentir ofendido, desde que a resposta não contenha palavrões e ofensas de cunho pessoal e generalizados.Serão analisadas e poderão ser ignoradas e ou, excluídas.

Quem sou eu?

Minha foto
CIDADÃO DO MUNDO, NORDESTINO COM ORGULHO, Brazil
Neste Apostolado promovemos a “EVANGELIZAÇÃO ANÔNIMA", pois neste serviço somos apenas o Jumentinho que leva Jesus e sua verdade aos Povos. Portanto toda honra e Glória é para Ele.Cristo disse-nos:Eu sou o caminho, a verdade e a vida e “ NINGUEM” vem ao Pai senão por mim." ( João, 14, 6).Como Católicos,defendemos a verdade, contra os erros que, de fato, são sempre contra Deus.Cristo não tinha opiniões, tinha verdades, a qual confiou a sua Igreja, ( Coluna e sustentáculo da verdade – Conf. I Tim 3,15) que deve zelar por elas até que Cristo volte.Quem nos acusa de falta de caridade mostra sua total ignorância na Bíblia,e de Deus, pois é amor, e quem ama corrige, e a verdade é um exercício da caridade.Este Deus adocicado,meloso,ingênuo, e sentimentalóide,é invenção dos homens tementes da verdade, não é o Deus revelado por seu filho: Jesus Cristo.Por fim: “Não se opor ao erro é aprová-lo, não defender a verdade é nega-la” - ( Sto. Tomáz de Aquino)

As + lidas!

 
Support : Creating Website | Johny Template | Mas Template
Copyright © 2013. O BERAKÁ - All Rights Reserved
Template Created by Creating Website Published by Mas Template
Proudly powered by Blogger