A mera veiculação, ou reprodução de matérias e entrevistas deste blog não significa, necessariamente, adesão às ideias neles contidas. Tal material deve ser considerado à luz do objetivo informativo deste blog, não sendo a simples indicação, ou reprodução a garantia da ortodoxia de seus conteúdos. Os comentários devem ser respeitosos e relacionados estritamente ao assunto do post. Toda polêmica desnecessária será prontamente banida. Todos os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam, de maneira alguma, a posição do blog. Não serão aprovados os comentários escritos integralmente em letras maiúsculas, ou CAIXA ALTA. A edição deste blog se reserva o direito de excluir qualquer artigo ou comentário que julgar oportuno, sem demais explicações. Todo material produzido por este blog é de livre difusão, contanto que se remeta nossa fonte.
Home » » A Pedagogia de um Deus que é Pai - Fernanda Pontes (Shalom)

A Pedagogia de um Deus que é Pai - Fernanda Pontes (Shalom)

Written By Beraká - o blog da família on quarta-feira, 14 de dezembro de 2011 | 15:01


Sempre compare Deus com pais prudentes

Desde que li “A promessa” de Emmir Nogueira, passei a olhar a misericórdia de Deus com outros olhos.

Ela nos compara (para Deus) com bebês para os pais.

O mundo e suas belezas feitas por Deus especialmente para nós, são como o quarto detalhadamente arrumado para o  bebê!

Como não li o livro todo, corro o risco de neste texto de fazer, sem perceber, uma síntese superficial do livro de Emmir, se ela tiver prosseguido com esse mesmo raciocínio; mas creio que não.

Percebendo que Deus olha para nós como os pais olham para seus bebês, o “desenrolar” da estória fica muito fácil !!!

Cada vez que vejo um bebê babando, tentando balbuciar palavras, tentando andar e vejo todos os adultos ao redor maravilhados com aquela “coisinha” linda e desajeitada, vejo Deus olhando a gente tentando caminhar até Ele, dando nossos primeiros passos depois da grande descoberta de que Ele está vivo e habita em nós; (a gente, por exemplo, perdoando um irmão mesmo que por carta, desajeitados, tentando acertar... E Ele maravilhado com nosso esforço).


Quando o filho começa a errar, a mentir, a sair, etc., um pai prudente tem paciência, ensina com sabedoria, deixa o filho livre  até certo ponto, mostrando o que é certo e o que é errado.


Por exemplo, a criança (por falta de coordenação motora) deixa vários brinquedos caírem da prateleira de uma loja.


O pai prudente vai dizer “isso acontece”, mas vai explicar que é por isso que não se deve mexer nas coisas da loja e vai ensinar ao filho que seus erros têm conseqüências ao fazê-lo juntar os brinquedos e por em ordem o lugar.


Assim faz Deus conosco. Ele não nos castiga,nos corrige e  nos educa. Nos ensina que nossos erros têm conseqüências, e que por isso não devemos “mexer” no pecado.


Se um filho entra no mundo das drogas, por exemplo, os pais prudentes deixarão de amá-lo?

Não precisa responder que olharão mais ainda para ele, pois sabem que ele precisa de ajuda. E que alegria dos pais quando um filho assim volta pra casa!


Então, se você pecar, não tenha medo de se reencontrar com Deus; não esconda a sua face dEle pensando “mas Ele é perfeito e eu não sou”.

É justamente porque Ele é perfeito que você DEVE olhar para Ele! Ele sempre vai te amar e perdoar seus pecados e te ajudar a crescer.


Mas atenção !!!

Temos que tomar cuidado com a mente relaxada (Do livro: E jovem se confessa; de Pe. Léo), não devemos pensar: “ah, se Deus vai me perdoar, então vou pecar mesmo”.

Esse pensamento ocorre com mais veracidade no ápice da tentação.



Devemos lembrar que como pais prudentes, Jesus tem a missão e a natureza de nos perdoar, mas também de nos fazer crescer, e não de nos deixar ficar rodando nos nossos erros até morrermos em nós mesmos.


Ainda com relação ao filho muito pecador, me recordo do filho pródigo (Lucas 15, 11-32). Pensemos sempre como pais: eles amam todos os filhos, mas cada um de uma forma especial, de acordo com a personalidade de cada filho. Assim, também, Deus o faz.


O pai desta parábola não necessariamente amou mais o filho pecador do que o filho obediente, mas sabia que o pecador precisava mais dele naquele momento, e como pai, sofria o sofrimento de seu filho; vendo que ele voltou, se alegrou pois viu que o filho não precisava mais sofrer (as conseqüências de seus erros já foram pagas no sofrimento vivido no mundo).


Se pensarmos como os pais, veríamos que na hora que o filho obediente quebrasse o braço durante o trabalho, o pai iria imediatamente socorrê-lo e dar mais  atenção e cuidados pelo tempo que ele estava vivendo.


Então, não ache que porque você não é fiel a Deus sempre, que Ele ama mais aos que caem e ao voltar se sentem extremamente mais amados por Deus .Deus é sempre sim !!!.


O sofrimento do seu irmão é digno também de sua misericórdia e compaixão.

O Pai também tem essa misericórdia para com você, Ele só não precisa usar com tanta força e freqüência porque você não precisa, porque, graças a Ele mesmo, você já vive a felicidade plena n’Ele!


A maior alegria do pai (apesar da saudade do bebê balbuciante) é ver o filho crescido, maduro, responsável, atento e grato ao pai por todos os ensinamentos dados por ele.

Essa também é a alegria de Deus e a nossa!

Resumindo:

1)-Não tenhamos medo de ao errar nos aproximar de Deus. Ele aproveita tudo  para o nosso crescimento, pois somente Ele é capaz de um mal tirar um bem.

2)- Tentemos ser melhores seguindo os ensinamentos de Deus, e pedindo sempre a sua graça, pois sem a sua graça nada somos nesta vida e não podemos fazer nada.

3)- Não comparemo-nos com os irmãos: A pedagogia de Deus é diferente para cada um, pois somos únicos e irrepetíveis.

4)- Sejamos felizes e santos na maturidade divina, pois nosso alvo é a santidade, não por presunção, mas por vocação.


Fernanda Pontes, 16 de novembro de 2011(Vocacional Shalom ).
Curta este artigo :

+ Comentário. Deixe o seu! + 2 Comentário. Deixe o seu!

Francisco Hélio Adriano
17 de janeiro de 2012 13:05

muito bela estas palavras todas que estão escritas
com todas elas e a graça e um crecimento na minha vida
de pai,esposo e filho.

Anônimo
30 de janeiro de 2012 09:24

Frederico S. T. Pontes
Belo texto: na forma e no conteúdo.

Postar um comentário

Conforme a lei o blog oferece o DIREITO DE RESPOSTA a quem se sentir ofendido, desde que a resposta não contenha palavrões e ofensas de cunho pessoal e generalizados.Serão analisadas e poderão ser ignoradas e ou, excluídas.

Quem sou eu?

Minha foto
CIDADÃO DO MUNDO, NORDESTINO COM ORGULHO, Brazil
Neste Apostolado promovemos a “EVANGELIZAÇÃO ANÔNIMA", pois neste serviço somos apenas o Jumentinho que leva Jesus e sua verdade aos Povos. Portanto toda honra e Glória é para Ele.Cristo disse-nos:Eu sou o caminho, a verdade e a vida e “ NINGUEM” vem ao Pai senão por mim." ( João, 14, 6).Como Católicos,defendemos a verdade, contra os erros que, de fato, são sempre contra Deus.Cristo não tinha opiniões, tinha verdades, a qual confiou a sua Igreja, ( Coluna e sustentáculo da verdade – Conf. I Tim 3,15) que deve zelar por elas até que Cristo volte.Quem nos acusa de falta de caridade mostra sua total ignorância na Bíblia,e de Deus, pois é amor, e quem ama corrige, e a verdade é um exercício da caridade.Este Deus adocicado,meloso,ingênuo, e sentimentalóide,é invenção dos homens tementes da verdade, não é o Deus revelado por seu filho: Jesus Cristo.Por fim: “Não se opor ao erro é aprová-lo, não defender a verdade é nega-la” - ( Sto. Tomáz de Aquino)

As + lidas!

 
Support : Creating Website | Johny Template | Mas Template
Copyright © 2013. O BERAKÁ - All Rights Reserved
Template Created by Creating Website Published by Mas Template
Proudly powered by Blogger