A mera veiculação, ou reprodução de matérias e entrevistas no todo ou em parte, não significa necessariamente, a adesão às ideias nelas contidas, nem a garantia da ortodoxia de seus conteúdos. Todas postagens e comentários são de inteira responsabilidade de seus autores primários, e não representam de maneira alguma, a posição do blog. Tal material deve ser considerado à luz do objetivo informativo desta página.
Home » , » O Cristo ressuscitado que ri e proclama: Onde está ó morte, a tua vitória? (1 Cor 15,53-58 )

O Cristo ressuscitado que ri e proclama: Onde está ó morte, a tua vitória? (1 Cor 15,53-58 )

Written By Beraká - o blog da família on domingo, 13 de abril de 2014 | 12:18

(O Cristo que ri: "Onde está ó morte, a tua vitória?" - 1 Cor 15,53-58 )




A morte é uma realidade terrível! Isso milhares de pessoas já experimentaram quando se encontravam ao lado da sepultura de algum ente querido. Também o nosso Senhor Jesus Cristo jamais ignorou a realidade da morte. Quando Ele chegou para ressuscitar seu amigo Lázaro que já se encontrava quatro dias na sepultura, Ele até chorou ao lado do sepulcro. Mas assim como a morte é uma dura realidade, existe uma outra realidade que é maravilhosa: "essa mesma morte que nos inspira tanto pavor perdeu seu poder e sua força por meio da morte de Jesus!" Embora nós que cremos em Cristo  fiquemos com o passar dos  anos cada vez mais velho, e esteja se aproximando inexoravelmente do dia em que partiremos deste mundo, a pessoa que crê em Jesus se encontra dentro do raio de ação da promessa do Salmo 92:




“Como é bom render graças ao Senhor e cantar louvores ao teu nome, ó Altíssimo, anunciar de manhã o teu amor leal e de noite a tua fidelidade, ao som da lira de dez cordas e da cítara, e da melodia da harpa. Tu me alegras, Senhor, com os teus feitos; as obras das tuas mãos levam-me a cantar de alegria. Como são grandes as tuas obras, Senhor, como são profundos os teus propósitos! O insensato não entende, o tolo não vê que, embora os ímpios brotem como a erva e floresçam todos os malfeitores, serão destruídos para sempre. Pois somente Tu, Senhor, és exaltado para sempre! Mas os teus inimigos, Senhor, os teus inimigos perecerão; serão dispersos todos os malfeitores! Tu aumentaste a minha força como a do boi selvagem; derramaste sobre mim óleo novo. Os meus olhos contemplaram a derrota dos meus inimigos; os meus ouvidos escutaram a debandada dos meus maldosos agressores! Os justos florescerão como a palmeira, crescerão como o cedro do Líbano; plantados na casa do Senhor, florescerão nos átrios do nosso Deus. Mesmo na velhice darão fruto, permanecerão viçosos e verdejantes, para proclamar que o Senhor é justo. Ele é a minha rocha; n'Ele não há injustiça!"






E, conforme as palavras do apóstolo Paulo, essa pessoa constantemente rejuvenesce em seu interior:





“…mesmo que o nosso homem exterior se corrompa, contudo o nosso homem interior se renova de dia em dia.”



Essa pessoa é possuidora da juventude  vinda da graça daqueles que se confiam em Cristo, pois assim nos assegura o Salmo 103,1-5:





“Bendize, ó minha alma, ao SENHOR, e tudo o que há em mim bendiga o seu santo nome! Bendize, ó minha alma, ao Senhor, e não te esqueças de nenhum de seus benefícios! Ele é o que perdoa todas as tuas iniqüidades, que sara todas as tuas enfermidades! Que redime a tua vida da perdição; que te coroa de benignidade e de misericórdia.Que farta a tua boca de bens, de sorte que a tua mocidade se renova como a da águia...”





Esse é o fato eterno e  maravilhoso!



“Através da Sua morte, Jesus Cristo nos reconciliou e nos religou com Deus! A ponte quebrada em virtude do pecado, foi reconstruída! Ele nos libertou do poder de Satanás! Ele nos salvou do caráter deste mundo inteiro que  jaz sob o poder do malígno ( 1 João 5,19)






E por que a expressão o mundo inteiro  jaz?





Essa expressão "jaz" significa estar sob o poder do mal, ser mantido em submissão pelo diabo. Indica “alguém” que aceita o domínio do mal e o aprova.Temos aqui a menção do sistema mundano (o império da besta). A Bíblia nos diz que o diabo é o deus deste século. “nos quais o deus deste século cegou o entendimento dos incrédulos…” (2Cor 4, 4). - João tem em vista aqui a sociedade sem Deus, e sem os valores Cristãos, dominada pelo diabo e pelo pecado. É uma constatação! Todo o nosso mundo, quando não tem Deus como guia, está entregue nas mãos do diabo e sob o domínio de seu mal, prevalece a lei do mais forte, esfria a caridade e impera a violência, vícios e o egoismo, fazendo-se cumpri a profecia:



 

"E, ante o progresso crescente da iniqüidade, a caridade de muitos esfriará".  (Mt 24,12)

 




E no Maligno?





Aqui temos uma menção clara ao diabo e ao mal. Note que no versículo o termo “Maligno” é grafado com a primeira letra em maiúscula, apontando para o representante de todo mal, o diabo. Ele é mencionado como o “deus” que domina a sociedade mundana. Juntando toda a expressão, e considerando o contexto, podemos observar que essa expressão significa que o sistema mundano, ou seja, sem Deus, jaz, ou seja, está sob o poder do diabo, está submisso a Ele e ao seu mal. Sem Deus, o mundo está aberto à ação do Maligno, principalmente, através das tentações que levam as pessoas a optarem pela vida de pecado. Uma vez consumado, o pecado gera a morte: “Então, a cobiça, depois de haver concebido, dá à luz o pecado; e o pecado, uma vez consumado, gera a morte.” (Tg 1. 15). Somente voltando-se a Deus pode-se quebrar esse domínio do Maligno, como vemos no versículo anterior: “Sabemos que todo aquele que é nascido de Deus não vive em pecado; antes, Aquele que nasceu de Deus o guarda, e o Maligno não lhe toca.” (1Jo 5. 18).Por sua morte e ressurreição, Ele nos concedeu a verdeira vida e a verdadeira liberdade, além do prêmio da vida eterna. “Se é só para esta vida que esperamos em Cristo, somos de todos os homens os mais dignos de lástima.” O apóstolo aproxima-se do fim da carta que estava escrevendo. Embora a finalidade precípua dela já houvesse sido alcançada, Ele precisava tocar num ponto fundamental para a melhor consistência espiritual daquela igreja.





Como crentes na Ressurreição e vida eterna, o que o Cristão deve esperar do futuro?











Para Paulo, “a fé na ressurreição correspondia à própria vitalidade e saúde do cristianismo”. O apóstolo queria lembrar aos coríntios o que lhes havia ensinado quando ali estivera, sobre a ressurreição do crente. “Muitas vezes, o que mais precisamos, não é de algo novo, mas de relembrar com vivacidade, aquilo que já aprendemos e experimentamos em Cristo!”




Paulo vai responder a algumas heresias que estavam se introduzindo na comunidade:





1) O corpo ressurreto logo após a morte é corpo espiritual e não físico!



2) Negar a ressurreição correspondia a negar a fé em Cristo!



3) Sem a fé na certeza da ressurreição o Cristão torna-se o mais infeliz dos homens, sem nenhuma esperança! Portanto: “...comamos e bebamos pois amanhã morreremos!” ( 1 Cor 15,32)




Alguns líderes infiéis a verdadeira TRADIÇÃO DOS APÓSTOLOS disseminavam na igreja primitiva a ideia de que a ressurreição não existia!





Para Paulo, negar a ressurreição, uma das doutrinas fundamentais do cristianismo, era algo como destruir a própria fé cristã! Vai basear-se no testemunho de várias pessoas vivas ainda, algumas delas conhecidas até dos coríntios, e finalmente, no seu próprio testemunho, para proclamar em alto e bom som que, “se Cristo não foi ressuscitado, é vã a vossa fé, e ainda estais (mortos) nos vossos pecados.”





Por isso, é que de forma semelhante a como lhes passara o mandamento da Ceia do Senhor, ele começa a expor (1 Cor 15,1-8):





“Porque primeiramente vos entreguei o que também recebi: que Cristo morreu por nossos pecados, segundo as Escrituras; que foi sepultado; que foi ressuscitado ao terceiro dia, segundo as Escrituras”. É quando vai então citar 6 aparições de Jesus Cristo, das quais tinha tomado conhecimento pessoal.”







Daí em diante Paulo vai ensinar:






1)- A razão essencial da ressurreição: 1 Cor 15,9-19



2)- Cristo, se tornou a “primícias dos que dormem”: 1 Cor 15,20-23;



3)- A ressurreição de Cristo e a implantação do seu reino: 1 Cor 15,24-30;



4)- Para desafiá-los então à vida nova em Cristo: 1 Cor 15,31-34)



5)- E, finalmente: Os que já morreram em Cristo  terão outro corpo, o corpo espiritual: 1 Cor 15,35-49





Em 1Coríntios 15,50-54 Paulo vai explicar-lhes algo essencial para os que criam que o corpo físico não podia ser ressurreto por se tratar de algo ruim em si mesmo. Ele lhes fala então da transformação que ocorreria:

 




1Coríntios 15,50-54: “...a ressurreição nos daria um corpo espiritual 50. Mas digo isto, irmãos, que carne e sangue não podem herdar o reino de Deus; nem a corrupção herda a incorrupção. 51. Eis aqui vos digo um mistério: Nem todos dormiremos mas todos seremos transformados, 52. num momento, num abrir e fechar de olhos, ao som da última trombeta; porque a trombeta soará, e os mortos serão ressuscitados incorruptíveis, e nós seremos transformados. 53. Porque é necessário que isto que é corruptível se revista da incorruptibilidade e que isto que é mortal se revista da imortalidade. 54. Mas, quando isto que é corruptível se revestir da incorruptibilidade, e isto que é mortal se revestir da imortalidade, então se cumprirá a palavra que está escrito: Tragada foi a morte na vitória!”






E para proclamar esta verdade basilar do Evangelho, o apóstolo vai terminar o texto sobre a ressurreição dos crentes em Cristo, com um verdadeiro hino de vitória! Este sentimento de confiança deve levar-nos então a uma vida de firmeza e segurança na fé em Cristo:“55. Onde está, ó morte, a tua vitória? Onde está, ó morte, o teu aguilhão? 56. O aguilhão da morte é o pecado, e a força do pecado é a lei. 57. Mas graças a Deus que nos dá a vitória por nosso Senhor Jesus Cristo. 58. Portanto, meus amados irmãos, sede firmes e constantes, sempre abundantes na obra do Senhor, sabendo que o vosso trabalho não é vão no Senhor!”





1Coríntios 16 - Neste último capítulo da carta, o apóstolo, escreve então:







1) Sobre o espírito de solidariedade e amor da igreja de Cristo (1-4);



2) Sobre sua próxima visita à igreja (5-7)



3) Sobre seus projetos missionários (8-12);



4) Sobre as recomendações apostólicas que julgava necessárias (13-18);



5) Sua saudação final (19-24)






Conclusão reflexiva:




-Você realmente crê na ressurreição daquele(a) que crer em Jesus e anda em boas obras, para a vida eterna?



-Que argumento o convence desta verdade?



-Você sente em seu coração a alegria da certeza desta ressurreição para a glória eterna?



-De que forma podemos testemunhar o Ressuscitado que passou pela Cruz ?






“LOUVADO SEJA NOSSO SENHOR JESUS CRISTO”





----------------------------------------------------------







Apostolado Berakash – Trazendo a Verdade: Se você gosta de nossas publicações e caso queira saber mais sobre determinado tema, tirar dúvidas, ou até mesmo agendar palestras e cursos em sua paróquia, cidade, pastoral, e ou, movimento da Igreja, entre em contato conosco  pelo e-mail:






filhodedeusshalom@gmail.com


Curta este artigo :

Postar um comentário

Conforme a lei o blog oferece o DIREITO DE RESPOSTA a quem se sentir ofendido(a), desde que a resposta não contenha palavrões e ofensas de cunho pessoal e generalizados.Os comentários serão analisados criteriosamente e poderão ser ignorados e ou, excluídos.

TRANSLATE

QUEM SOU EU?

Minha foto
CIDADÃO DO MUNDO, NORDESTINO COM ORGULHO, Brazil
Neste Apostolado APOLOGÉTICO (de defesa da fé, conforme 1 Ped.3,15) promovemos a “EVANGELIZAÇÃO ANÔNIMA", pois neste serviço somos apenas o Jumentinho que leva Jesus e sua verdade aos Povos. Portanto toda honra e Glória é para Ele.Cristo disse-nos:Eu sou o caminho, a verdade e a vida e “ NINGUEM” vem ao Pai senão por mim" (João14, 6).Defendemos as verdade da fé contra os erros que, de fato, são sempre contra Deus.Cristo não tinha opiniões, tinha a verdade, a qual confiou a sua Igreja, ( Coluna e sustentáculo da verdade – Conf. I Tim 3,15) que deve zelar por ela até que Ele volte(1Tim 6,14).Deus é amor, e quem ama corrige, e a verdade é um exercício da caridade. Este Deus adocicado, meloso, ingênuo, e sentimentalóide, é invenção dos homens tementes da verdade, não é o Deus revelado por seu filho: Jesus Cristo.Por fim: “Não se opor ao erro é aprová-lo, não defender a verdade é nega-la” - ( Sto. Tomás de Aquino).Este apostolado tem interesse especial em Teologia, Política e Economia. A Economia e a Política são filhas da Filosofia que por sua vez é filha da Teologia que é a mãe de todas as ciências. “Não a nós, Senhor, não a nós, mas ao vosso nome dai glória...” (Salmo 115,1)

POSTAGENS MAIS LIDAS

SIGA-NOS E RECEBA AS NOVAS ATUALIZAÇÕES EM SEU CELULAR:

VISUALIZAÇÃO DE ACESSOS NO MÊS

ÚLTIMOS 5 COMENTÁRIOS

 
Support : Creating Website | Johny Template | Mas Template
Copyright © 2013. O BERAKÁ - All Rights Reserved
Template Created by Creating Website Published by Mas Template
Proudly powered by Blogger