A mera veiculação, ou reprodução de matérias e entrevistas deste blog não significa, necessariamente, adesão às ideias neles contidas. Tal material deve ser considerado à luz do objetivo informativo deste blog, não sendo a simples indicação, ou reprodução a garantia da ortodoxia de seus conteúdos. Os comentários devem ser respeitosos e relacionados estritamente ao assunto do post. Toda polêmica desnecessária será prontamente banida. Todos os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam, de maneira alguma, a posição do blog. Não serão aprovados os comentários escritos integralmente em letras maiúsculas, ou CAIXA ALTA. A edição deste blog se reserva o direito de excluir qualquer artigo ou comentário que julgar oportuno, sem demais explicações. Todo material produzido por este blog é de livre difusão, contanto que se remeta nossa fonte.
Home » , » Exercitando a virtude da Paciência entre os cônjuges

Exercitando a virtude da Paciência entre os cônjuges

Written By Beraká - o blog da família on terça-feira, 6 de abril de 2021 | 19:55

 



 

Você já perdeu a paciência alguma vez? Tem gente que perde a paciência todo dia, ou até toda hora. Vive à flor da pele e por qualquer coisa, explode. São pessoas de pavio curto, outras nem pavio tem. Já outros, não são assim, mas sofrem também no dia a dia com a impaciência dos outros. Paciência no relacionamento significa aceitar que o outro é imperfeito, como você também é. Naturalmente, queremos exigir que o outro seja tão bom quanto as nossas exigências, sejam pontuais, mesmo que não sejamos, sejam organizados e tenham as respostas certas e prontas para tudo. Essa exigência cria conflitos que despertam nossa ira, principalmente quando o outro não atende a nossa expectativa. Quando nos relacionamos com outra pessoa, passamos a dividir a rotina, os sonhos e também os problemas e desafios diários. Levamos para a relação nossa carga emocional, temperamento e educação, e temos que combinar isto com o que também, nosso cônjuge trás, não tem como evitar isto. Uma relação amorosa não envolve apenas situações prazerosas: é preciso administrar os altos e baixos de maneira coerente, e o ponto chave é desenvolver a paciência e o autocontrole. É preciso ter em mente que, algumas vezes, os desacordos estarão presentes e isso é completamente normal na rotina de um casal. Afinal, são duas pessoas com princípios diferentes, desejos, valores, bagagens e histórias de vida também distintos. Muitas vezes nos tornamos especialistas em irritar e tirar a paciência do cônjuge ao invés de cultivar essa virtude. A boa notícia é que a paciência no relacionamento é uma virtude, portanto, quanto mais exercitada, mais ela pode ser desenvolvida e aprimorada.

 

 



A VIRTUDE DA PACIÊNCIA NO MAGISTÉRIO DA IGREJA:


 

§2822 Seja feita a vossa Vontade assim na terra como no céu.É Vontade de nosso Pai "que todos os homens sejam salvos e cheguem ao conhecimento da verdade" (1 Tm 2,3-4). Ele "usa de paciência, porque não quer que ninguém se perca" (2Pd 3,9).Seu mandamento, que resume todos os outros, e que nos diz toda a sua vontade, é que "nos amemos uns aos outros, como Ele nos amou".

 

 

A paciência na família

 

§2219 O respeito filial favorece a harmonia de toda a vida familiar e diz respeito também às relações entre irmãos e irmãs. O respeito aos pais ilumina todo o ambiente familiar..."Suportai-vos uns aos outros na caridade, em toda humildade, doçura e paciência" (Ef 4,2).

 

 

Paciência como fruto do Espírito

 

 

§736 É por este poder do Espírito que os filhos de Deus podem (dar fruto. Aquele que nos enxertou na verdadeira vida nos fará produzir "o fruto do Espírito, que é amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão, autodomínio" (Gl 5,22-23). "Se vivemos pelo Espírito", quanto mais renunciarmos a nós mesmos, tanto mais "pelo Espírito pautemos também a nossa conduta".

 

 

§1832 Os frutos do Espírito são perfeições que o Espírito Santo forma em nós como primícias da glória eterna. A Tradição da Igreja enumera doze: "caridade, alegria, paz, paciência, longanimidade, bondade, benignidade, mansidão, fidelidade, modéstia, continência e castidade" (Gl 5,22-23).

 

 

A paciência como obra de misericórdia espiritual

 

 

 

§2447 As obras de misericórdia são as ações caritativas pelas quais socorremos o próximo em suas necessidades corporais e espirituais. Instruir, aconselhar, consolar, confortar são obras de misericórdia espiritual, como também perdoar e suportar com paciência as imperfeições do próximo...

 

 

 

Cinco dicas práticas dadas por conselheiros matrimoniais para que você desenvolva mais paciência no seu relacionamento conjugal:

 

 

1)-Tenha cuidado com as expectativas:Para ser uma pessoa mais paciente é preciso entender e aceitar que o outro, assim como você, não é perfeito. Portanto, não exija demais. Esse hábito cria conflitos, dificulta a rotina e a harmonia entre o casal. Ninguém é uma máquina programada para suprir as suas expectativas e viver de acordo com o que você acredita.

 

 

2)-Não fale de maneira agressiva: Quando algo lhe tira do sério e provoca sua irritação, respire e pondere antes de falar ou tomar alguma atitude. Por mais que determinada situação tenha despertado incômodo, agir ou falar de maneira agressiva só irá piorar a questão. Espere alguns instantes e aguarde voltar ao seu estado de normalidade para tomar qualquer atitude, isso evitará que o conflito tome proporções desnecessárias.


 



3)-Aprenda a respirar nas situações de conflitos: Em situações de conflito é essencial saber o momento para se afastar e respirar. Procure ter essa atitude sempre que perceber que seu estado emocional foi afetado e que você está prestes a explodir. Conte até dez e espere a raiva passar. Explosões, ataques de fúria e discussões desnecessárias só desgastam o relacionamento. O descontrole emocional pode ser evitado quando paramos para nos recompor, assim é possível encontrar soluções mais saudáveis para resolver conflitos.

 

 

4)-Fale sobre como você se sente: Quando o parceiro fizer algo que lhe incomode, fale de maneira clara e tranquila sobre como você se sente. Os ruídos na comunicação é a principal causa dos conflitos, não só nos relacionamentos amorosos, mas na vida em geral. Aprenda a expor seus sentimentos sem “joguinhos “emocionais. Agir de maneira reativa só irá dificultar a comunicação entre o casal e, entenda que o outro não tem a capacidade de adivinhar como você se sente. Portanto, não guarde com você as coisas que incomodam. É muito mais fácil mudar de atitude quando sabemos que estamos machucando alguém.

 

 

5)-Desenvolva a tolerância: Nenhuma relação humana se sustenta quando não se sabe ceder. Dentro de um namoro ou casamento, é preciso conciliar os interesses, as preferências, a rotina e os horários. Lembre-se: um relacionamento é uma via de mão dupla na qual ninguém precisa se anular ou sobressair. O casal precisa encontrar um equilíbrio e saber ceder quando é preciso e se impor quando for necessário, sempre com respeito e de maneira saudável.

 

 


CONCLUSÃO:

 

 

A paciência é um dos frutos de uma vida com Jesus. A paciência nos ajuda a tomar decisões certas no tempo certo e nos dá tempo para ouvir a voz de Deus. Quem se apressa comete erros mas quem tem paciência alcança seus objetivos. Deus é paciente conosco. Ele nos dá muitas chances para nos arrependermos e nos perdoa quando erramos. Nós também precisamos de paciência com outras pessoas, principalmente com nosso cônjuge e nossos familiares, confiando que Deus vai agir no tempo certo. Quem não tem paciência deve pedir a Deus, que Ele vai lhe ajudar a exercitar e desenvolver esta virtude. Algumas passagens bíblicas que nos ajudam a entender e viver esta virtude (algumas são ordenanças, outras são promessas):

 

 

 

Efésios 4,2: “Sejam completamente humildes e dóceis, e sejam pacientes, suportando uns aos outros com amor”.

 

1 Coríntios 13,4:O amor é paciente, o amor é bondoso. Não inveja, não se vangloria, não se orgulha”

 

Provérbios 15,18: “O homem irritável provoca confusão, mas quem é paciente acalma uma discussão”

 

Provérbios 25,15: “Com muita paciência pode-se convencer a autoridade, e a língua branda quebra até ossos”.

 

Hebreus 6,15: “E foi assim que, depois de esperar pacientemente, Abraão alcançou a promessa”

 

Colossenses 3,12: “Portanto, como povo escolhido de Deus, santo e amado, revistam-se de profunda compaixão, bondade, humildade, mansidão e paciência.”

 

Gálatas 5,22: “Mas o fruto do Espírito é amor, alegria, paz, paciência, amabilidade, bondade e fidelidade...”

 

Salmos 37,7-9: “Descanse no Senhor e aguarde por Ele com paciência; não se aborreça com o sucesso dos outros nem com aqueles que maquinam o mal. Evite a ira e rejeite a fúria; não se irrite: isso só leva ao mal. Pois os maus serão eliminados, mas os que esperam no Senhor receberão a terra por herança”.

 

 

----------------------------------------------------------

 

 

 

 

Apostolado Berakash – Trazendo a Verdade: Se você gosta de nossas publicações e caso queira saber mais sobre determinado tema, tirar dúvidas, ou até mesmo agendar palestras e cursos em sua paróquia, cidade, pastoral, e ou, movimento da Igreja, entre em contato conosco  pelo e-mail:

 

 

 

 

filhodedeusshalom@gmail.com

 

Curta este artigo :

Postar um comentário

Conforme a lei o blog oferece o DIREITO DE RESPOSTA a quem se sentir ofendido(a), desde que a resposta não contenha palavrões e ofensas de cunho pessoal e generalizados.Os comentários serão analisados criteriosamente e poderão ser ignorados e ou, excluídos.

Quem sou eu?

Minha foto
CIDADÃO DO MUNDO, NORDESTINO COM ORGULHO, Brazil
Neste Apostolado promovemos a “EVANGELIZAÇÃO ANÔNIMA", pois neste serviço somos apenas o Jumentinho que leva Jesus e sua verdade aos Povos. Portanto toda honra e Glória é para Ele.Cristo disse-nos:Eu sou o caminho, a verdade e a vida e “ NINGUEM” vem ao Pai senão por mim." ( João, 14, 6).Como Católicos,defendemos a verdade, contra os erros que, de fato, são sempre contra Deus.Cristo não tinha opiniões, tinha verdades, a qual confiou a sua Igreja, ( Coluna e sustentáculo da verdade – Conf. I Tim 3,15) que deve zelar por elas até que Cristo volte.Quem nos acusa de falta de caridade mostra sua total ignorância na Bíblia,e de Deus, pois é amor, e quem ama corrige, e a verdade é um exercício da caridade.Este Deus adocicado,meloso,ingênuo, e sentimentalóide,é invenção dos homens tementes da verdade, não é o Deus revelado por seu filho: Jesus Cristo.Por fim: “Não se opor ao erro é aprová-lo, não defender a verdade é nega-la” - ( Sto. Tomáz de Aquino) “Não a nós, Senhor, não a nós, mas ao vosso nome dai glória...” (Salmo 115,1)

As + lidas!

 
Support : Creating Website | Johny Template | Mas Template
Copyright © 2013. O BERAKÁ - All Rights Reserved
Template Created by Creating Website Published by Mas Template
Proudly powered by Blogger