A mera veiculação, ou reprodução de matérias e entrevistas deste blog não significa, necessariamente, adesão às ideias neles contidas. Tal material deve ser considerado à luz do objetivo informativo deste blog, não sendo a simples indicação, ou reprodução a garantia da ortodoxia de seus conteúdos. Os comentários devem ser respeitosos e relacionados estritamente ao assunto do post. Toda polêmica desnecessária será prontamente banida. Todos os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam, de maneira alguma, a posição do blog. Não serão aprovados os comentários escritos integralmente em letras maiúsculas, ou CAIXA ALTA. A edição deste blog se reserva o direito de excluir qualquer artigo ou comentário que julgar oportuno, sem demais explicações. Todo material produzido por este blog é de livre difusão, contanto que se remeta nossa fonte.
Home » » Me ensinastes o caminho da cidade de Ars agora te ensinarei o caminho da Cidade do Céu – Cura d’Ars

Me ensinastes o caminho da cidade de Ars agora te ensinarei o caminho da Cidade do Céu – Cura d’Ars

Written By Beraká - o blog da família on quinta-feira, 16 de janeiro de 2020 | 19:40





Esta escultura em tamanho natural da foto acima, está na entrada da cidade de Ars na França, ela faz memória da chegada deste padre e humilde servo de Cristo, ao chegar a ela. Antes, Ele pergunta a um menino onde ficava esta pequena cidade? Prontamente este menino lhe desenha um mapa para chegar até ela. Então Cura d’Ars diz ao menino em agradecimento: “ Me ensinastes o caminho de Ars, e apontando para o céu diz ao menino: doravante te ensinarei o caminho da cidade Céu”.




Como nestes nossos dias precisamos de pastores assim, que nos ensinem não somente o caminho da cidade terrestre, mas da cidade de Deus. São João Maria Vianney, também conhecido como Cura d'Ars, viveu em meados do século XIX. É padroeiro dos párocos e exemplo de vida sacerdotal.


Cumpriu sua missão de salvar almas, passando até 16 horas por dia no confessionário. Bento XVI dedicou-lhe um Ano Sacerdotal em 2009.


Reconhecimento da Cidade do Vaticano


"Se soubéssemos bem o que é um padre na terra, morreríamos: não de medo, mas de amor. A vida de São João Maria Vianney pode ser resumida neste pensamento. E no dia em que a Igreja recorda a sua memória, o Papa Francisco tuitou a seguinte mensagem: Apoiem seus sacerdotes com proximidade e afeição".



Também conhecido como "Cura d'Ars", João Maria Vianney nasceu em 8 de maio de 1786, em Dardilly, próximo de Lyon. Seus pais eram camponeses, e desde pequeno, o encaminham ao trabalho da lavoura, tanto que, aos 17 anos, João ainda era analfabeto. No entanto, graças aos ensinamentos maternos, conseguiu memorizar muitas orações e viveu uma forte religiosidade.


“Queria conquistar muitas almas para Deus”

Na época, sopravam ventos de Revolução na França. Por isso, João Maria Vianney frequentou o Sacramento da Confissão em casa, não na igreja, graças a um sacerdote "refratário" (padres que não havia jurado fidelidade aos revolucionários, e permaneciam fieis a Roma, mesmo arriscando suas vidas). A mesma coisa aconteceu com a sua Primeira Comunhão, recebida em um celeiro, durante uma Missa "clandestina".Aos 17 anos, João sentiu-se chamado ao sacerdócio. "Se eu fosse padre, queria conquistar muitas almas", disse ele. Mas, não era fácil atingir esta meta, por causa dos seus poucos conhecimentos culturais. Mas, graças à ajuda de sábios sacerdotes, entre os quais o Abbé Balley, pároco de Écully, recebeu a ordenação sacerdotal em 13 de agosto de 1815, aos 29 anos.







Longas horas no confessionário



Três anos depois da sua ordenação, em 1818, João foi enviado para Ars, uma pequena aldeia no sudeste da França, que contava 230 habitantes. Ali, dedicou todas as suas energias ao cuidado pastoral dos fiéis: fundou o Instituto da "Providência" para acolher órfãos; visitava os enfermos e as famílias mais necessitadas; restaurou a pequena igreja e organizou quermesses na festa do padroeiro. Entretanto, o Santo Cura d’Ars destacou-se na sua missão de administrar o Sacramento da Confissão: sempre pronto a ouvir e oferecer o perdão aos fiéis, passava até 16 horas por dia no confessionário. Diariamente, uma multidão de penitentes de todas as partes da França ia confessar-se com ele, tanto que a cidadezinha de Ars ficou conhecida como o "grande hospital das almas". O próprio João Maria Vianney vigiava e jejuava para ajudar os fiéis a expiarem seus pecados. Certo dia, disse a um confrade:



"Vou dizer-lhe qual é a minha receita: dou aos pecadores uma pequena penitência e o resto faço eu no lugar deles".



Patrono dos párocos


Após ter-se dedicado totalmente a Deus e aos seus paroquianos, João Maria Vianney faleceu no dia 4 de agosto de 1859, aos 73 anos. Seus restos mortais descansam em Ars, no Santuário a ele consagrado, que recebe a visita de cerca de 450 mil peregrinos a cada ano. São João Maria Vianney foi beatificado em 1905 pelo Papa Pio X, e canonizado em 1925, pelo Papa Pio XI, que o proclamou, em 1929, "padroeiro dos párocos do mundo". Em 1959, por ocasião do centenário da sua morte, São João XXIII dedicou-lhe a Encíclica “Sacerdotii Nostri Primordia”, apresentando-o como modelo para os sacerdotes.


(Corpo incorrupto de Santo Cura d'Ars)


Em 2009, no 150° aniversário de morte, Bento XVI convicou um "Ano Sacerdotal", para "favorecer e promover uma maior renovação interior de todos os sacerdotes e um testemunho evangélico mais forte e mais incisivo no mundo contemporâneo".


Santo Cura d’Ars rogai por nós !


Fonte: Vatican News

Curta este artigo :

Postar um comentário

Conforme a lei o blog oferece o DIREITO DE RESPOSTA a quem se sentir ofendido(a), desde que a resposta não contenha palavrões e ofensas de cunho pessoal e generalizados.Os comentários serão analisados criteriosamente e poderão ser ignorados e ou, excluídos.

Quem sou eu?

Minha foto
CIDADÃO DO MUNDO, NORDESTINO COM ORGULHO, Brazil
Neste Apostolado promovemos a “EVANGELIZAÇÃO ANÔNIMA", pois neste serviço somos apenas o Jumentinho que leva Jesus e sua verdade aos Povos. Portanto toda honra e Glória é para Ele.Cristo disse-nos:Eu sou o caminho, a verdade e a vida e “ NINGUEM” vem ao Pai senão por mim." ( João, 14, 6).Como Católicos,defendemos a verdade, contra os erros que, de fato, são sempre contra Deus.Cristo não tinha opiniões, tinha verdades, a qual confiou a sua Igreja, ( Coluna e sustentáculo da verdade – Conf. I Tim 3,15) que deve zelar por elas até que Cristo volte.Quem nos acusa de falta de caridade mostra sua total ignorância na Bíblia,e de Deus, pois é amor, e quem ama corrige, e a verdade é um exercício da caridade.Este Deus adocicado,meloso,ingênuo, e sentimentalóide,é invenção dos homens tementes da verdade, não é o Deus revelado por seu filho: Jesus Cristo.Por fim: “Não se opor ao erro é aprová-lo, não defender a verdade é nega-la” - ( Sto. Tomáz de Aquino) “Não a nós, Senhor, não a nós, mas ao vosso nome dai glória...” (Salmo 115,1)

As + lidas!

 
Support : Creating Website | Johny Template | Mas Template
Copyright © 2013. O BERAKÁ - All Rights Reserved
Template Created by Creating Website Published by Mas Template
Proudly powered by Blogger