A mera veiculação, ou reprodução de matérias e entrevistas deste blog não significa, necessariamente, adesão às ideias neles contidas. Tal material deve ser considerado à luz do objetivo informativo deste blog, não sendo a simples indicação, ou reprodução a garantia da ortodoxia de seus conteúdos. Os comentários devem ser respeitosos e relacionados estritamente ao assunto do post. Toda polêmica desnecessária será prontamente banida. Todos os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam, de maneira alguma, a posição do blog. Não serão aprovados os comentários escritos integralmente em letras maiúsculas, ou CAIXA ALTA. A edição deste blog se reserva o direito de excluir qualquer artigo ou comentário que julgar oportuno, sem demais explicações. Todo material produzido por este blog é de livre difusão, contanto que se remeta nossa fonte.
Home » » Feitiçarias, maldições, macumbas, e trabalhos de magia negra podem nos atingir?

Feitiçarias, maldições, macumbas, e trabalhos de magia negra podem nos atingir?

Written By Beraká - o blog da família on quarta-feira, 22 de março de 2017 | 17:02






MISSIVISTA PERGUNTA: “Eu gostaria de saber se macumba existe, maldições hereditárias existem e, enfim, possessões demoníacas. Eu tinha tudo para ser feliz. De repente fiquei com depressão, pânico, gastrite, hipotireoidismo, policistos nos ovários, no útero, obesa, não consigo advogar, meu pai teve câncer, minha mãe diabete e hipotiereoidismo, brigam muito. Meu marido foi embora com outra mulher mais velha e teve duas filhas com ela, minha filha mais velha de 7 anos está muito rebelde, a pequena de 2 sempre está doente, enfim COLOCO AS MÃOS NA CABEÇA E DIGO: O QUE ACONTECE COMIGO? Amo meus pais, minhas filhas, quero nossa saúde de volta, quero ter uma família, ganhar meu próprio dinheiro. Outra dúvida: o dízimo tem que ser dado ou é invenção dos homens? Qual é a diferença entre dízimo, oferta e caridade? Reencarnação existe? Para onde vamos quando morremos? Obrigada”.




Em nossa resposta distinguiremos as três partes da indagação


1) A causa de tanta dor: macumba?, maldição hereditária? e ou, possessão diabólica?

2) que é dízimo?

3) existe reencarnação?


Causa da desgraça


a) Macumba: Devemos dizer que os despachos de macumba e umbanda, como também nenhum feitiço “pega”, pois não existem exús nem orixás nem pomba-gira nem alguma entidade invisível interessada nesses despachos (galinha preta, farofa, cachaça, etc). Existe, sim, o demônio ou o anjo mau decaído, mas este quer o pecado e não a doença. Os despachos são, como tais, inócuos, mas se alguém acredita que sua sugestão  o precipita na desgraça por imaginar que seu destino está traçado, pode cair naquilo que Cristo disse: Conforme crês te será concedido(Mateus11,23), Todavia quem não crê no poder dos despachos, não perde a paz.


b) Maldição hereditária:Não existe. Contrapondo-se ao que pensavam os israelitas, os Profetas proclamaram a responsabilidade individual de cada fiel; ninguém paga pelos pecados de seus antepassados; cf. Jr 31, 29:


“Nesses dias já não se dirá: “Os pais comeram uvas verdes e os dentes dos filhos ficaram embotados”. Cada um morrerá por sua própria falta. Quem tiver comido uvas verdes, terá seus dentes embotados”. Ver Ez 18, 1-3.


c) Possessão diabólica: Existe, mas há de ser cuidadosamente examinado cada caso de presumida possessão, a fim de não se confundir possessão com histeria, epilepsia ou outra doença nervosa. Ela se caracteriza principalmente pela blasfêmia e a revolta contra Deus.



Como então explicar o acúmulo de desgraças descritas?


Os males que afetam a criatura humana têm causas suficientes na maldade e nas limitações mesmas das criaturas. A nossa consulente passa por uma fase difícil de sua vida, na qual três elementos lhe serão de grande ajuda: a oração, o raciocínio à procura de uma solução inteligente e a colaboração de amigos.A Providência Divina não falha; ela permite que as criaturas sejam provadas sempre em vista do bem da pessoa tentada. Diz o autor da epístola aos Hebreus (12, 5-13):



“Vós esquecestes a exortação que vos foi dirigida como a filhos: “Meu filho, não desprezes a educação do Senhor, não desanimes quando ele te corrige; pois o Senhor educa a quem ama, e castiga todo filho que acolhe”. É para a vossa educação que sofreis. Deus vos trata como filhos. Qual é, com efeito, o filho cujo pai não educa? Se estais privados da educação da qual todos participam, então sois bastardos e não filhos. Nós tivemos os nossos pais segundo a carne como educadores, e os respeitávamos. Não haveremos de ser muito submissos ao Pai dos espíritos, a fim de vivermos? Pois eles nos educaram por pouco tempo, segundo as suas impressões. Deus, porém, nos educa para o aproveitamento, a fim de nos comunicar a sua santidade. Toda educação, com efeito, no momento não parece motivo de alegria, mas de tristeza. Depois, no entanto, produz naqueles que assim foram exercitados um fruto de paz e de justiça. Por isso, reerguei as mãos enfraquecidas e os joelhos trôpegos; endireitai os caminhos para os vossos pés, a fim de que não se extravie o que é manco, mas antes seja curado”.



Por conseguinte tenha a amiga paz interior, confiança e ponha sua razão para funcionar.


2. Dízimo

Dízimo, no Antigo Testamento, era a contribuição que o israelita devia oferecer ao Templo do Senhor. Tinha caráter obrigatório, pois devia lembrar aos israelitas que a terra por eles habitada era puro dom de Deus, que tirara do cativeiro egípcio o seu povo.No Novo Testamento o dízimo deixou de ter vigência, pois o povo cristão não tem própria. É restaurado atualmente em algumas paróquias; não implica a doação de 10% dos emolumentos pessoais, mas uma oferta livre estipulada pelo dizimista. Vem a ser o testemunho da cooperação do cristão com a Igreja.O dízimo difere de oferta e caridade no sentido de que o dízimo é uma obrigação mensal que o católico assume livremente, ao passo que oferta e caridade não implicam obrigação.


3. Reencarnação


A reencarnação é um postulado gratuito ou carente de provas. Ninguém, em estado mental sadio, sabe dizer o que terá sido em encarnação anterior.A cosmovisão reencarnacionista é dualista: a matéria seria má por si mesma, e o espírito bom;; a história não merece estima, pois o grande anseio do homem é deixá-la mediante uma desencarnação definitiva. De resto, é o homem que salva a si mesmo no decorrer de quantas encarnações forem necessárias para se purificar.Outra é a cosmovisão cristã: afirma que a matéria é criatura que Deus fez boa e chama a participar da glória da alma justa. A história é o desdobramento do plano de Deus, que assim vai falando aos homens. De resto, é Deus quem salva sua criatura, dando-lhe todas as graças de que necessite no decorrer de uma única peregrinação terrestre; só se perde quem resiste à graça divina.Após a morte, veremos Deus, a Beleza Infinita, face-a-face, caso morramos na amizade dele. Se, mesmo como amigos dele, tivermos alguma sombra de pecado na hora da morte, teremos que nos purificar disso no purgatório póstumo; este não é tanque fumegante, mas um estado em que a alma considera o horror do pecado ou do “pecadinho” e o repudia radicalmente – o que dificilmente acontece na vida presente.


Cara amiga, eis o que em poucos parágrafos posso dizer em resposta às suas indagações. Seja firme e forte em seu ânimo. Reze e ponha a cabeça para funcionar.


Revista: “PERGUNTE E RESPONDEREMOS”
D. Estevão Bettencourt, osb
Nº 491 –  Ano 2003 – p. 227





O que fazer contra as maldições?


(Por Prof. Felipe Aquino, 10 de março de 2016)


A melhor defesa contra o mal é uma vida sem pecados.Certa vez, recebi um e-mail de uma pessoa me perguntando o que fazer quando alguém deseja que ele morra, que não arranje emprego, que fracasse na vida, etc.?Antes de tudo é preciso ficar claro que a pessoa que deseja o mal a outro, está pecando gravemente por inveja, ciúme, etc.; e o mal se volta contra ela mesma, pois a deixa num triste estado de pecado grave, sem a graça  bendita de Deus. Nada pior que isso para uma alma.



Como anular essas maldições e pragas lançadas contra nós?


São Paulo diz na Carta aos Efésios que é pela fé que devemos anular “os dardos inflamados do maligno”. Se alguma maldição pode nos atingir viria certamente do demônio, então, é pela fé em Jesus Cristo, no seu amor, por seu Sangue, por Sua Cruz, por Suas Palavras e sofrimentos, que devemos anular a ação maligna. São João nos lembra em suas Cartas que “Aquele [o Espírito Santo] que está em nós é maior do que aquele que está no mundo”. Somos templos vivos do Espírito Santo que habita em nós.Portanto, nada de medo, e nem se deixar levar pela sugestão de que as palavras de maldição, “trabalhos”, “feitiços” e pragas lançadas contra nós, diretamente ou às escondidas, possa nos fazer mal. Creia firmemente em Jesus Cristo e rejeite todo medo. É claro que não devemos abusar do demônio, e não desafiá-lo, como Deus recomenda, pois ele é mais forte do que nós, mas não tenhamos medo quando estamos em Deus.


A melhor defesa contra o mal é uma vida sem pecados, pois o demônio nos escraviza pelo pecado. Além disso, uma fé viva em Deus, uma consagração permanente à Virgem Maria; a São José, aos Santos Arcanjos e aos santos Anjos da Guarda, e demais santos. Quem pode algo contra esse exército celeste comandado pela Virgem Mãe de Deus? Acima de tudo, peça a Jesus quando você comungar o Seu precioso Corpo que destrua todo mal lançado contra você; contra os seus entes queridos, contra os seus antepassados; ou mesmo todo mal que possa ter chegado a você e à sua família por herança hereditária.


Santo Agostinho dizia que o demônio é como um cão preso na coleira com uma corrente; só morde quem dele se aproxima; ele nos assusta com seus gritos e tentações,  mas Cristo o prendeu. A Igreja nos ensina que ele não pode nos fazer qualquer mal sem que Deus o permita; e se Deus o permite, é para nosso bem; então, estejamos sempre em paz. Seja sempre feita a vontade bendita de Deus.


Prof. Felipe Aquino


Curta este artigo :

Postar um comentário

Conforme a lei o blog oferece o DIREITO DE RESPOSTA a quem se sentir ofendido, desde que a resposta não contenha palavrões e ofensas de cunho pessoal e generalizados.Serão analisadas e poderão ser ignoradas e ou, excluídas.

Quem sou eu?

Minha foto
CIDADÃO DO MUNDO, NORDESTINO COM ORGULHO, Brazil
Neste Apostolado promovemos a “EVANGELIZAÇÃO ANÔNIMA", pois neste serviço somos apenas o Jumentinho que leva Jesus e sua verdade aos Povos. Portanto toda honra e Glória é para Ele.Cristo disse-nos:Eu sou o caminho, a verdade e a vida e “ NINGUEM” vem ao Pai senão por mim." ( João, 14, 6).Como Católicos,defendemos a verdade, contra os erros que, de fato, são sempre contra Deus.Cristo não tinha opiniões, tinha verdades, a qual confiou a sua Igreja, ( Coluna e sustentáculo da verdade – Conf. I Tim 3,15) que deve zelar por elas até que Cristo volte.Quem nos acusa de falta de caridade mostra sua total ignorância na Bíblia,e de Deus, pois é amor, e quem ama corrige, e a verdade é um exercício da caridade.Este Deus adocicado,meloso,ingênuo, e sentimentalóide,é invenção dos homens tementes da verdade, não é o Deus revelado por seu filho: Jesus Cristo.Por fim: “Não se opor ao erro é aprová-lo, não defender a verdade é nega-la” - ( Sto. Tomáz de Aquino)

As + lidas!

 
Support : Creating Website | Johny Template | Mas Template
Copyright © 2013. O BERAKÁ - All Rights Reserved
Template Created by Creating Website Published by Mas Template
Proudly powered by Blogger