A mera veiculação, ou reprodução de matérias e entrevistas deste blog não significa, necessariamente, adesão às ideias neles contidas. Tal material deve ser considerado à luz do objetivo informativo deste blog, não sendo a simples indicação, ou reprodução a garantia da ortodoxia de seus conteúdos. Os comentários devem ser respeitosos e relacionados estritamente ao assunto do post. Toda polêmica desnecessária será prontamente banida. Todos os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam, de maneira alguma, a posição do blog. Não serão aprovados os comentários escritos integralmente em letras maiúsculas, ou CAIXA ALTA. A edição deste blog se reserva o direito de excluir qualquer artigo ou comentário que julgar oportuno, sem demais explicações. Todo material produzido por este blog é de livre difusão, contanto que se remeta nossa fonte.
Home » » ESQUERDA, DIREITA,POLÍTICA, RELIGIÃO E SOBERBA – Pe Zezinho

ESQUERDA, DIREITA,POLÍTICA, RELIGIÃO E SOBERBA – Pe Zezinho

Written By Beraká - o blog da família on segunda-feira, 28 de setembro de 2015 | 11:44







Padre Zezinho, fala aqui sobre a mentalidade do guerrilheiro, que é mentalidade de confronto. Se conhece a história de Fidel Castro, de Bin Laden, Hugo Chaves (atualmente do Maduro), de Stedile e centenas de opositores sistemáticos no mundo, sejam de esquerda ou de direita, estes vão à guerra, preparam as pessoas para a guerra, falam de guerra e dizem que não podem perder nunca. Depois de um tempo ficam bem velhos, até aceitam dialogar como agora o Fidel Castro, mas quando estão bem querem o confronto, por que isso para eles o confronto está no sangue, não podem perder e qualquer pessoa que se opuser vai para a cadeia ou morre. Então esse tipo de atitude criou várias guerras. Bin Laden ao criar a situação que culminou com o massacre de 11 de setembro de 2001, no World Trade Center, sabia o que queria, ele queria o confronto, ele queria guerra, ele queria semear guerra, entrou para história como um dos piores guerreiros de todos os tempos, aqueles aviões mostraram que ele tinha estratégias mas não tinha escrúpulos, não importasse quantas pessoas ele matasse, o importante é que ele vencesse ou machucasse o regime que ele odiava.Quem não bebe da paz, acaba sujando-se com sangue. E é o que acontece com muita gente, se não vencer ele vai fazer sangue, ou vai criar prisões, e vai passar a vida inteira a querer derrotar o outro, e a resposta do outro vai ser igual a lei da física: "Toda ação corresponde a uma ação em igual intensidade."Por isso é muito difícil lidar com pessoas com sangue nos olhos e a guerra no sangue, e não é só a esquerda não, a direita também fez a mesma coisa. Quando a Igreja diz com Jesus Cristo, que o amor aproxima, e quando Jesus propôs amar aos inimigos ele não estava brincando, ele sabia exatamente onde o ódio é capaz de nos levar, Jesus sabia que este amar era o único jeito de evitar guerras, até porque amar não é concordar nem ceder, mas é simplesmente respeitar e dialogar com meu semelhante até a exaustão, até que se chegue a uma solução que seja boa para ambas as partes, e não apenas para uma delas.Se existe alguém que merece ir para o inferno são os criadores de guerra, sejam eles de esquerda ou de direita.





FALAR BEM DE D. EUGÊNIO SALES E DA IGREJA É SER DE DIREITA ?



O Documento de Aparecida fala da necessidade de voltar à “polêmica sadia” em defesa da Igreja. ( D.A. 229)



Se outros podiam falar para os aplausos de um dos lados, por que não D Eugenio Sales que, tímido, nunca buscou aplausos nem holofotes? Homem de bastidores, capaz de fazer politica sem alarde, Dom Eugênio fazia acontecer enquanto ele pouco aparecia. Era um articulador. Direito legítimo seu tanto quanto o era dos outros que, como ele, também falavam a agiam. Foi bom para o país e para a fé. Mostrou que os católicos não são um bando tímido de comedores de pipoca a ver na tela o que se passa lá fora.



Mas foi esta virtude de dialogar e de defender até quem dele discordasse que fez de Dom Eugênio de Araújo Sales uma figura marcante. Sei disso porque ele me livrou de uma ordem de prisão. Apostou em mim e tomou a minha defesa quando soube que eu tinha falado em Belo Horizonte que uma juventude que não aprende a votar aprende a se revoltar.




De falcão ele tinha pouco, de cordeirinho também não, mas estava longe de ser o lobo que o pintaram. Havia um misto de pomba serena e de leão quando ele se erguia em defesa da fé e quando acolhia os perseguidos pela ditadura na sua residência ou em espaços da diocese.Esteve presente em momentos lúcidos e fortes do país. E foi inovador em muitos campos. Participou e agiu na criação da Sudene, na alfabetização dos pobres, na valorização do rádio como instrumento de cidadania dos pequenos, na distribuição de terras da igreja, na pastoral da criança, pastoral das favelas, nas Comunidades Eclesiais de Base e em dezenas de outras atividades que apontavam para o social. 




Se ele não era simpatizante da esquerda como se apresentava naqueles dias, esquerda que também matou e fez guerrilha, também não era da direita que em alguns casos foi brutal. Hoje sabemos um pouco mais sobre aqueles dias de convulsão que só não foi pior porque houve uma igreja que falou e reagiu contra desmandos dos dois lados.



Situá-lo como direitista ou ultraconservador foi, é e será uma enorme injustiça. Conservador lúcido, sim, ultraconservador nunca:


Imobilistas aferrados ao passado não fazem as inovações que ele fez. Dom Eugênio, isto sim, era avesso a aventuras de quem sabia o que não queria, mas nem sempre sabia o que queria. Reagiu contra determinados discursos incendiários dentro e fora da Igreja, mas ele mesmo era um padre e bispo com fortes preocupações politicas e sociais, ao mesmo tempo em que não aceitava o marxismo nem aplaudia o capitalismo selvagem que se delineava no Brasil.



Suas falas no rádio e na televisão mostravam fé e moderação. Se lutou contra algum movimento de Igreja ou alguma corrente política era seu direito de cidadão e de cardeal. Suas ideias venceram. Entre os que perderam muitos conservaram respeito por suas posturas humanísticas e outros o reverberam até hoje.



Imagino que nos anos 300 , em Alexandria e arredores os defensores do padre Ário não admirassem os bispos Alexandre e Atanásio e vice-versa. Mas foram eles que propiciaram o Credo que rezamos hoje! Era um tempo de concepções antagônicas sobre Jesus e sobre fé e política que envolviam até os imperadores. Hoje, os leitores e eleitores da esquerda ou da direita terão seus gurus, seus afetos e seus desafetos. Indiferente a rótulos, Dom Eugênio falou e agiu.




Ele era um bispo católico e ponto final: defendia a fé que jurara defender



Tivesse morrido um padre ou um pastor famoso, destes que ficam bem diante de um holofote, aquele pombo que ficou o tempo todo ao lado e sobre o caixão do falecido cardeal, até quando o transportavam, teria se transformado em símbolo de alguma coisa. Mas, como Dom Eugênio não tinha milhões de seguidores nem os buscava, ele ficou reduzido a apenas uma coincidência.Mas pode-se tirar alguma lição do fato. Pombos não ficam perto de falcões.Talvez aquele pombo dissesse que não houve o que temer diante dele nem na vida nem na morte. Era homem de diálogo que, porém, não se dobrava a pressões e não se calava. Era e é possível amá-lo, porque foi um baluarte.





Um período como aquele talvez não volte, mas registre-se a vida e os atos do cardeal Eugênio Sales como proféticos. Ele cabe muito bem na galeria dos mais de trinta bispos e sacerdotes católicos que marcaram aqueles dias. Das muitas locomotivas laicas e religiosas que puxaram o pesado país Brasil para a democracia, situe-se Dom Eugênio. Levou a sério a ideia de Ordem e Progresso. Alguém perguntaria: -“Que ordem e que progresso?” Exatamente o que ele também perguntou!… Vamos e venhamos! Coerência não tem sido a virtude brasileira dos últimos 60 anos. Ele a exerceu. Foi um homem coerente!




POLÍTICA, RELIGIÃO E SOBERBA:






Da raiz “super” a soberba consiste na supervalorização de pessoas ou grupos, com clara intenção de desprestigiar os outros. É um colocar-se acima de todos e, às vezes acima do bem e do mal. Mais do que ser eleito, é um eleger-se mais, melhor e maior. É o peru com penas de pavão.






Acontece em todos os quadrantes da vida, na família, na escola, na fábrica, na firma, na vizinhança. Há sempre alguém ou algum grupo a se colocar acima dos outros e a pisotear alguém. Pior ainda: o soberbo consegue, num indisfarçável marketing, mostrar-se a única solução, lançando as suspeitas e culpas sobre quem porventura dele discorde. Ditadores assim falam e assim agem. E matam quem ouse redimensioná-los para aquém do que eles mesmos se mediram.




O soberbo apossa-se do que era do outro e, quando pode, apaga e deleta o passado que descaradamente copiou (Grifo do autor do blog Beraká: Qualquer semelhança com um determinado governo, é mera coincidência):




Faz de tudo para ser elogiado e de tudo para não elogiar. Raramente um soberbo escapa do baixo calão. Mais cedo ou mais tarde mostrará o quanto se adora. Não resiste à tentação de erguer seu próprio trono, seu monumento, sua imagem, seu pódio, seu altar e suas regras. Se ele faz, é certo, se o outro faz é errado. E se alguém dos seus erra é logo perdoado, mas ai do adversário que errar! O soberbo é capaz de transformar em diabo um anjo que se lhe oponha e em anjo o demônio que lhe traga vantagens.





Olhe os partidos políticos, olhe os governantes que conhece, olhe os pregadores de religião, observe como falam em estádios, praças, rádio, televisão, anote suas frases, vejam quem os aplaude e lhes faz claque, preste atenção na sua certeza de vitória, observe como diminuem o adversário e como se mostram totalmente incapazes de admitir o que era bom e é bom nos outros e conclua você mesmo.Quando alguém discursa ou prega de tribuna ou de púlpito que antes dele nada prestava e depois dele tudo ficou melhor; quando o que ele copia dos outros e modifica, agora é bom e o que ele rejeita é porque tinha que ser jogado no lixo, fique certo de que encontrou um coração soberbo. 




Há pessoas soberbas, grupos soberbos, igrejas soberbas, movimentos soberbos:



Tudo neles extrapola a seu favor. Sobre eles, diz a Bíblia que é bem aventurado quem não lhes faz reverência (Sl 40, 4), quem os enfrenta e a eles não se dobra nem lhes canta elogios (Mal 3, 15). E prossegue dizendo que o braço de Deus vai dissolver suas pretensões. Um dia cairão do seu falso pedestal (Lc 1, 51-52). Paulo alerta que eles sempre existirão ao lado dos traidores, dos resmungões, dos criadores de maldade e dos maus filhos (Rm 1, 30).



Sempre haverá os adoradores de si mesmos, presunçosos, ingratos e incapazes de aceitar alguém que lhes seja superior. (2 Tm 3, 2) Igual talvez, maior e melhor, nunca! Você já ouviu este discurso de políticos e religiosos.




Tiago diz que Deus os rejeita e que sua predileção vai para os humildes. (Tg 4, 6) Provérbios 11, 12 diz que a sabedoria está com os humildes e que o soberbo não resiste a comparar-se aos outros e mostrar-se acima de todos. Mateus diz que Jesus propõe humildade como condição de paz interior e serenidade. (Mt 11, 29).




Triste do povo que cai nas mãos desse tipo de liderança seja ela política ou religiosa! Estará sempre mais perto da ditadura do que da liberdade.



 
Pe. Zezinho, scj


Curta este artigo :

Postar um comentário

Conforme a lei o blog oferece o DIREITO DE RESPOSTA a quem se sentir ofendido, desde que a resposta não contenha palavrões e ofensas de cunho pessoal e generalizados.Serão analisadas e poderão ser ignoradas e ou, excluídas.

Quem sou eu?

Minha foto
CIDADÃO DO MUNDO, NORDESTINO COM ORGULHO, Brazil
Neste Apostolado promovemos a “EVANGELIZAÇÃO ANÔNIMA", pois neste serviço somos apenas o Jumentinho que leva Jesus e sua verdade aos Povos. Portanto toda honra e Glória é para Ele.Cristo disse-nos:Eu sou o caminho, a verdade e a vida e “ NINGUEM” vem ao Pai senão por mim." ( João, 14, 6).Como Católicos,defendemos a verdade, contra os erros que, de fato, são sempre contra Deus.Cristo não tinha opiniões, tinha verdades, a qual confiou a sua Igreja, ( Coluna e sustentáculo da verdade – Conf. I Tim 3,15) que deve zelar por elas até que Cristo volte.Quem nos acusa de falta de caridade mostra sua total ignorância na Bíblia,e de Deus, pois é amor, e quem ama corrige, e a verdade é um exercício da caridade.Este Deus adocicado,meloso,ingênuo, e sentimentalóide,é invenção dos homens tementes da verdade, não é o Deus revelado por seu filho: Jesus Cristo.Por fim: “Não se opor ao erro é aprová-lo, não defender a verdade é nega-la” - ( Sto. Tomáz de Aquino)

As + lidas!

 
Support : Creating Website | Johny Template | Mas Template
Copyright © 2013. O BERAKÁ - All Rights Reserved
Template Created by Creating Website Published by Mas Template
Proudly powered by Blogger