“...O Amor nasce aí, na diferença de ser. O Amor quer surgir no que sou sem fingir. No respeito pelo amigo que coloca de seu jeito, confissões diferentes do que há no seu peito. Um sujeito não se faz de uma forma padrão. O sujeito se constrói nas mãos de Deus e com o olhar de amor dos irmãos...” (Fernanda Pontes).
Home » » A Origem do Santo Rosário Mariano

A Origem do Santo Rosário Mariano

Written By Beraká - o blog da família on domingo, 1 de janeiro de 2012 | 23:00


O Rosário é uma oração católica em honra da Santíssima Virgem Maria formado tradicionalmente por três terços.

Recentemente houve o acréscimo de mais um terço pelo Papa João Paulo II.

Cada terço compreende cinco mistérios da vida de Nosso Senhor Jesus Cristo e de Nossa Senhora.

Os mistérios são formados basicamente por um Pai-Nosso e dez Ave-Marias.

Cada mistério recorda uma passagem importante da história da salvação, segundo a doutrina católica, e cada terço é constituído por cinco mistérios.

1)- A ORIGEM


A oração do Santo Rosário surge aproximadamente no ano 800 à sombra dos mosteiros, como "Saltério" dos leigos. Dado que os monges rezavam os salmos (150), os leigos, que em sua maioria não sabiam ler, aprenderam a rezar 150 Pai-Nossos.

Com o passar do tempo, se formaram outros três saltérios com 150 Ave Marias, 150 louvores em honra a Jesus e 150 louvores em honra a Maria.
Segundo uma tradição a Igreja católica recebeu o Rosário em sua forma atual em 1206 quando a Virgem Maria apareceu a São Domingos Gusmão e o entregou como uma arma poderosa para a conversão dos hereges e outros pecadores daquele tempo. Desde então sua devoção se propagou rapidamente em todo o mundo com incríveis e milagrosos resultados.

No ano 1365 fez-se uma combinação dos quatro saltérios, dividindo as 150 Ave Marias em 15 dezenas e colocando um Pai nosso no início de cada uma delas. Em 1500 ficou estabelecido, para cada dezena a meditação de um episódio da vida de Jesus ou Maria, e assim surgiu o Rosário de quinze mistérios.
A palavra Rosário significa 'Coroa de Rosas'. É uma antiga devoção católica que a Virgem Maria revelou que cada vez que se reza uma Ave Maria lhe é entregue uma rosa e por cada Rosário completo lhe é entregue uma coroa de rosas. A rosa é a rainha das flores, sendo assim o Rosário de todas as devoções é, portanto, tido como sendo a mais importante.

Em quase todas as Suas Aparições, Maria Santíssima exibiu e estimulou a devoção do Rosário; numa delas chegou mesmo a oferecê-lo a uma jovem leiteira (Aparições de Argoncilhe,Portugal).

2)- ORAÇÃO E  MEDITAÇÃO COM O SANTO ROSÁRIO:


A meditação de cada mistério acha sua base na Sagrada Escritura: é opcional a leitura do trecho que narra o que será contemplado, ou a divisão de um ou mais trechos em dez pedaços, de forma que seja lido parte a parte antes de cada Ave-Maria.

Em sua maioria, as leituras são dos Evangelhos, mas também há trechos do Antigo Testamento que ajudam a compreender o que se passa na ocasião, ou comentários doutrinários sobre elas contidos nas epístolas.

Os dois últimos mistérios (Assunção e coroação) não são do Evangelho, mas profetizados: por exemplo, no Livro de Judite, uma mulher salva o povo; nos Salmos, há freqüentes elogios a uma figura feminina, presentes também noCântico dos Cânticos; e, definitivamente, no Apocalipse, um sinal nos céus apresenta uma mulher como Rainha, que a Tradição Apostólica, desde os primeiros tempos, afirmou tratar-se de Maria.

3)- OS MISTÉRIOS DO ROSÁRIO:

Mistérios Gozosos - (segundas e sábados)

O tema é a concepção, nascimento e infância de Jesus Cristo. Esses mistérios são:
           a Anunciação: "A Virgem Maria foi saudada pelo anjo e lhe foi anunciado que havia de conceber e dar à luz Cristo, nosso Redentor (Lc 1,26-39);
           a Visitação de Maria a sua prima, Isabel;
           o Nascimento do Filho de Deus;
           a Apresentação do Menino Jesus no Templo ou a Purificação de Maria;
           e, por fim, a Perda e o reencontro de Jesus no Templo.

Mistérios Luminosos - (quintas-feiras)


São aqueles acrescentados há pouco tempo pelo Papa João Paulo II e abordam a vida do Filho de Deus, seus milagres, pregações e feitos importantes:

           O Batismo de Jesus no rio Jordão (Mt 3,13-17);
           Auto-revelação nas Bodas de Caná (Jo 2,1-12);
           o Anúncio do Reino de Deus e convite à conversão (Mc 1,15; Lc 7,47-48 e Jo 20,22-23);
           a Transfiguração (Lc9,35);
           e a Instituição da Eucaristia (Jo 13,1).

Mistérios Dolorosos - (terças e sextas-feiras)


Neles medita-se a Paixão e Morte do Senhor, da mesma forma divididas em cinco mistérios:
           a Agonia do Senhor no Horto das Oliveiras;
           a Flagelação de Jesus;
           a Coroação de espinhos;
           Jesus carregando a Cruz até o Calvário;
           e a Crucificação e morte do Senhor.


Mistérios Gloriosos - (quartas-feiras e domingos)
           a Ressurreição triunfante do Senhor;
           a gloriosa Ascensão do Senhor aos céus;
           a Vinda do Espírito Santo (ver Pentecostes);
           a Assunção da Virgem Maria aos céus;
           e a Coroação de Nossa Senhora como Rainha dos Céus e da Terra.

4)- Forma de rezar o Santo Rosário de Nossa Senhora

O terço (no sentido de objeto usado para contar as orações) é formado por contas grandes e pequenas.
Após cada dezena de contas pequenas, há uma grande, e assim, cinco dezenas.
O fio no qual ficam as contas dá uma volta, ficando a quinta junto à primeira dezena, preparando para iniciar um novo terço.

Antes da contemplação dos mistérios, há uma parte inicial constituído por duas contas grandes, três pequenas e um crucifixo.

Existem algumas variações nas formas de se rezar o terço, de acordo com as devoções religiosas, mas em geral se faz da forma seguinte:


5)- Festividade


O dia 7 de outubro é dedicado à Virgem do Rosário. "O Rosário - diz Bento XVI - é o meio que nos dá a Virgem para contemplar a Jesus e, meditando sua vida, amá-lo e seguí-lo sempre fielmente". [1]

6)- O uso do terço


No dia a dia, o uso do terço pode ser visto em casamentos, protegendo, segundo a tradição católica, o sacramento matrimonial, e como acessório, geralmente amarrado no pulso ou pendurado no pescoço. Muitos fiéis defendem o uso do terço como uma espécie de amuleto. A Igreja não condena a popularização do terço como adorno desde que o símbolo não seja associado a atos que contradigam as leis bíblicas.


Antes, porém, do início da oração, convém fazer a Invocação do Espírito Santo e o Oferecimento do terço/Rosário
           Segurando a cruz, se faz o "Sinal da Cruz" e reza-se oCredo.
Reza-se um Pai-Nosso e três Ave-Maria, seguido do Glória. Depois do Glória pode ser acrescentado algumas jaculatórias.
           Nas contas grandes, começam-se os mistérios com o Pai-Nosso.
           Nas contas pequenas, rezam-se as Ave-Marias.
           Ao final de cada dezena reza-se o Glória. Podem-se, também, acrescentar jaculatóriasentre o Glória e o Pai-Nosso. Costuma-se rezar a Ó meu Jesus e pedir a intercessão do/a(s) santo/a(s), Nossa Senhora e/ou pessoa da Santíssima Trindade a que o terço se dedica, por exemplo: Divino Espírito Santo, tende piedade de nós, Nossa Senhora Aparecida, rogai por nós, Santo Expedito, rogai por nós. Nos terços pelas almas doPurgatório, reza-se também o Requiem.
           Por fim, reza-se a Salve Rainha, antes da qual é facultativa a Infinitas graças vos damos. Estas orações são acrescentadas de acordo com costumes e devoções locais, mas não fazem parte integrante do Rosário.
Enquanto se faz a oração vocal medita-se ou contempla-se a passagem do respectivo mistério. Após o terço, costuma-se rezar também a Ladainha de Nossa Senhora, que é uma seqüência de invocações à Nossa Senhora.
Costuma-se rezar diariamente um desses conjuntos de cinco mistérios. A Igreja, reconhecendo a importância dessa prática de piedade, concede indulgência plenária a quem reza o terço em família, nas condições habituais.

7)- Documentos pontifícios:

Em todos os tempos os papas aconselharam a prática da devoção do Santo Rosário. Nos últimos dois séculos foram publicados os seguintes documentos sobre esta devoção:
           Rosarium Virginis Mariae (16 de outubro de 2002): Carta Apostólica de João Paulo II.
           Marialis Cultus (2 de fevereiro de 1974): Exortação Apostólica de Paulo VI.
           Christi Matri (15 de setembro de 1966): Carta Encíclica de Paulo VI.
           Grata Recordatio (26 de setembro de 1959): Carta Encíclica de João XXIII.
           Ingruentium Malorum (15 de setembro de 1951): Carta Encíclica de Pio XII.
           Magnae Dei Matris (8 de Setembro de 1892): Carta Encíclica de Leão XIII.
           Superiore Anno (30 de agosto de 1884): Carta Encíclica de Leão XIII.
           Supremi Apostolatus Officio (1 de setembro de 1883): Carta Encíclica de Leão XIII.

FONTE BIBLIOGRÁFICA:
           Vatican Information Service 08.10.2007 - Ano XVII - Num. 169
           Santo Rosário no sítio da Santa Sé
           Encíclica Magnae Dei Matris do Papa Leão XIII sobre o Rosário.
           Carta Apostólica Rosarium Virginis Mariae
Curta este artigo :

Postar um comentário

Conforme a lei o blog oferece o DIREITO DE RESPOSTA a quem se sentir ofendido, desde que a resposta não contenha palavrões e ofensas de cunho pessoal e generalisados.Serão analisadas e poderão não ser mostradas e ou, excluidas.

Quem sou eu?

Minha foto
CIDADÃO DO MUNDO, NORDESTINO COM ORGULHO, Brazil
Neste Apostolado promovemos a “EVANGELIZAÇÃO ANÔNIMA", pois neste serviço somos apenas o Jumentinho que leva Jesus e sua verdade aos Povos. Portanto toda honra e Glória é para Ele.Cristo disse-nos:Eu sou o caminho, a verdade e a vida e “ NINGUEM” vem ao Pai senão por mim." ( João, 14, 6).Como Católicos,defendemos a verdade, contra os erros que, de fato, são sempre contra Deus.Cristo não tinha opiniões, tinha verdades, a qual confiou a sua Igreja, ( Coluna e sustentáculo da verdade – Conf. I Tim 3,15) que deve zelar por elas até que Cristo volte.Quem nos acusa de falta de caridade mostra sua total ignorância na Bíblia,e de Deus, pois é amor, e quem ama corrige, e a verdade é um exercício da caridade.Este Deus adocicado,meloso,ingênuo, e sentimentalóide,é invenção dos homens tementes da verdade, não é o Deus revelado por seu filho: Jesus Cristo.Por fim: “Não se opor ao erro é aprová-lo, não defender a verdade é nega-la” - ( Sto. Tomáz de Aquino)

As + lidas!

 
Support : Creating Website | Johny Template | Mas Template
Copyright © 2013. O BERAKÁ - All Rights Reserved
Template Created by Creating Website Published by Mas Template
Proudly powered by Blogger