Dom Helder Câmara dizia: “Feliz aquele que está sempre a mudar para permanecer o mesmo: Fiel a seus princípios...” Ele foi de integralista a socialista, mas sempre fiel a seus princípios Cristãos... Fez a opção PREFERENCIAL pelos pobres, não exclusiva e nem excludente, pois dizia: “Tem rico que é tão pobre que a única coisa que tem é dinheiro.” Foi o único que levantou a vós já antes do Vaticano II sobre uma PASTORAL DAS ELITES, pois as elites também precisam ser evangelizadas...Visão de um profeta, sempre a frente de seu tempo...Até hoje a CNBB não lhe deu ouvidos, e hoje as elites estão sendo usadas como massa de manobra da TEOLOGIA DA PROSPERIDADE Protestante, da pior forma possível.
Home » » A Origem do Santo Rosário Mariano

A Origem do Santo Rosário Mariano

Written By Beraká - o blog da família on domingo, 1 de janeiro de 2012 | 23:00


O Rosário é uma oração católica em honra da Santíssima Virgem Maria formado tradicionalmente por três terços.

Recentemente houve o acréscimo de mais um terço pelo Papa João Paulo II.

Cada terço compreende cinco mistérios da vida de Nosso Senhor Jesus Cristo e de Nossa Senhora.

Os mistérios são formados basicamente por um Pai-Nosso e dez Ave-Marias.

Cada mistério recorda uma passagem importante da história da salvação, segundo a doutrina católica, e cada terço é constituído por cinco mistérios.

1)- A ORIGEM


A oração do Santo Rosário surge aproximadamente no ano 800 à sombra dos mosteiros, como "Saltério" dos leigos. Dado que os monges rezavam os salmos (150), os leigos, que em sua maioria não sabiam ler, aprenderam a rezar 150 Pai-Nossos.

Com o passar do tempo, se formaram outros três saltérios com 150 Ave Marias, 150 louvores em honra a Jesus e 150 louvores em honra a Maria.
Segundo uma tradição a Igreja católica recebeu o Rosário em sua forma atual em 1206 quando a Virgem Maria apareceu a São Domingos Gusmão e o entregou como uma arma poderosa para a conversão dos hereges e outros pecadores daquele tempo. Desde então sua devoção se propagou rapidamente em todo o mundo com incríveis e milagrosos resultados.

No ano 1365 fez-se uma combinação dos quatro saltérios, dividindo as 150 Ave Marias em 15 dezenas e colocando um Pai nosso no início de cada uma delas. Em 1500 ficou estabelecido, para cada dezena a meditação de um episódio da vida de Jesus ou Maria, e assim surgiu o Rosário de quinze mistérios.
A palavra Rosário significa 'Coroa de Rosas'. É uma antiga devoção católica que a Virgem Maria revelou que cada vez que se reza uma Ave Maria lhe é entregue uma rosa e por cada Rosário completo lhe é entregue uma coroa de rosas. A rosa é a rainha das flores, sendo assim o Rosário de todas as devoções é, portanto, tido como sendo a mais importante.

Em quase todas as Suas Aparições, Maria Santíssima exibiu e estimulou a devoção do Rosário; numa delas chegou mesmo a oferecê-lo a uma jovem leiteira (Aparições de Argoncilhe,Portugal).

2)- ORAÇÃO E  MEDITAÇÃO COM O SANTO ROSÁRIO:


A meditação de cada mistério acha sua base na Sagrada Escritura: é opcional a leitura do trecho que narra o que será contemplado, ou a divisão de um ou mais trechos em dez pedaços, de forma que seja lido parte a parte antes de cada Ave-Maria.

Em sua maioria, as leituras são dos Evangelhos, mas também há trechos do Antigo Testamento que ajudam a compreender o que se passa na ocasião, ou comentários doutrinários sobre elas contidos nas epístolas.

Os dois últimos mistérios (Assunção e coroação) não são do Evangelho, mas profetizados: por exemplo, no Livro de Judite, uma mulher salva o povo; nos Salmos, há freqüentes elogios a uma figura feminina, presentes também noCântico dos Cânticos; e, definitivamente, no Apocalipse, um sinal nos céus apresenta uma mulher como Rainha, que a Tradição Apostólica, desde os primeiros tempos, afirmou tratar-se de Maria.

3)- OS MISTÉRIOS DO ROSÁRIO:

Mistérios Gozosos - (segundas e sábados)

O tema é a concepção, nascimento e infância de Jesus Cristo. Esses mistérios são:
           a Anunciação: "A Virgem Maria foi saudada pelo anjo e lhe foi anunciado que havia de conceber e dar à luz Cristo, nosso Redentor (Lc 1,26-39);
           a Visitação de Maria a sua prima, Isabel;
           o Nascimento do Filho de Deus;
           a Apresentação do Menino Jesus no Templo ou a Purificação de Maria;
           e, por fim, a Perda e o reencontro de Jesus no Templo.

Mistérios Luminosos - (quintas-feiras)


São aqueles acrescentados há pouco tempo pelo Papa João Paulo II e abordam a vida do Filho de Deus, seus milagres, pregações e feitos importantes:

           O Batismo de Jesus no rio Jordão (Mt 3,13-17);
           Auto-revelação nas Bodas de Caná (Jo 2,1-12);
           o Anúncio do Reino de Deus e convite à conversão (Mc 1,15; Lc 7,47-48 e Jo 20,22-23);
           a Transfiguração (Lc9,35);
           e a Instituição da Eucaristia (Jo 13,1).

Mistérios Dolorosos - (terças e sextas-feiras)


Neles medita-se a Paixão e Morte do Senhor, da mesma forma divididas em cinco mistérios:
           a Agonia do Senhor no Horto das Oliveiras;
           a Flagelação de Jesus;
           a Coroação de espinhos;
           Jesus carregando a Cruz até o Calvário;
           e a Crucificação e morte do Senhor.


Mistérios Gloriosos - (quartas-feiras e domingos)
           a Ressurreição triunfante do Senhor;
           a gloriosa Ascensão do Senhor aos céus;
           a Vinda do Espírito Santo (ver Pentecostes);
           a Assunção da Virgem Maria aos céus;
           e a Coroação de Nossa Senhora como Rainha dos Céus e da Terra.

4)- Forma de rezar o Santo Rosário de Nossa Senhora

O terço (no sentido de objeto usado para contar as orações) é formado por contas grandes e pequenas.
Após cada dezena de contas pequenas, há uma grande, e assim, cinco dezenas.
O fio no qual ficam as contas dá uma volta, ficando a quinta junto à primeira dezena, preparando para iniciar um novo terço.

Antes da contemplação dos mistérios, há uma parte inicial constituído por duas contas grandes, três pequenas e um crucifixo.

Existem algumas variações nas formas de se rezar o terço, de acordo com as devoções religiosas, mas em geral se faz da forma seguinte:


5)- Festividade


O dia 7 de outubro é dedicado à Virgem do Rosário. "O Rosário - diz Bento XVI - é o meio que nos dá a Virgem para contemplar a Jesus e, meditando sua vida, amá-lo e seguí-lo sempre fielmente". [1]

6)- O uso do terço


No dia a dia, o uso do terço pode ser visto em casamentos, protegendo, segundo a tradição católica, o sacramento matrimonial, e como acessório, geralmente amarrado no pulso ou pendurado no pescoço. Muitos fiéis defendem o uso do terço como uma espécie de amuleto. A Igreja não condena a popularização do terço como adorno desde que o símbolo não seja associado a atos que contradigam as leis bíblicas.


Antes, porém, do início da oração, convém fazer a Invocação do Espírito Santo e o Oferecimento do terço/Rosário
           Segurando a cruz, se faz o "Sinal da Cruz" e reza-se oCredo.
Reza-se um Pai-Nosso e três Ave-Maria, seguido do Glória. Depois do Glória pode ser acrescentado algumas jaculatórias.
           Nas contas grandes, começam-se os mistérios com o Pai-Nosso.
           Nas contas pequenas, rezam-se as Ave-Marias.
           Ao final de cada dezena reza-se o Glória. Podem-se, também, acrescentar jaculatóriasentre o Glória e o Pai-Nosso. Costuma-se rezar a Ó meu Jesus e pedir a intercessão do/a(s) santo/a(s), Nossa Senhora e/ou pessoa da Santíssima Trindade a que o terço se dedica, por exemplo: Divino Espírito Santo, tende piedade de nós, Nossa Senhora Aparecida, rogai por nós, Santo Expedito, rogai por nós. Nos terços pelas almas doPurgatório, reza-se também o Requiem.
           Por fim, reza-se a Salve Rainha, antes da qual é facultativa a Infinitas graças vos damos. Estas orações são acrescentadas de acordo com costumes e devoções locais, mas não fazem parte integrante do Rosário.
Enquanto se faz a oração vocal medita-se ou contempla-se a passagem do respectivo mistério. Após o terço, costuma-se rezar também a Ladainha de Nossa Senhora, que é uma seqüência de invocações à Nossa Senhora.
Costuma-se rezar diariamente um desses conjuntos de cinco mistérios. A Igreja, reconhecendo a importância dessa prática de piedade, concede indulgência plenária a quem reza o terço em família, nas condições habituais.

7)- Documentos pontifícios:

Em todos os tempos os papas aconselharam a prática da devoção do Santo Rosário. Nos últimos dois séculos foram publicados os seguintes documentos sobre esta devoção:
           Rosarium Virginis Mariae (16 de outubro de 2002): Carta Apostólica de João Paulo II.
           Marialis Cultus (2 de fevereiro de 1974): Exortação Apostólica de Paulo VI.
           Christi Matri (15 de setembro de 1966): Carta Encíclica de Paulo VI.
           Grata Recordatio (26 de setembro de 1959): Carta Encíclica de João XXIII.
           Ingruentium Malorum (15 de setembro de 1951): Carta Encíclica de Pio XII.
           Magnae Dei Matris (8 de Setembro de 1892): Carta Encíclica de Leão XIII.
           Superiore Anno (30 de agosto de 1884): Carta Encíclica de Leão XIII.
           Supremi Apostolatus Officio (1 de setembro de 1883): Carta Encíclica de Leão XIII.

FONTE BIBLIOGRÁFICA:
           Vatican Information Service 08.10.2007 - Ano XVII - Num. 169
           Santo Rosário no sítio da Santa Sé
           Encíclica Magnae Dei Matris do Papa Leão XIII sobre o Rosário.
           Carta Apostólica Rosarium Virginis Mariae
Curta este artigo :

Postar um comentário

Conforme a lei o blog oferece o DIREITO DE RESPOSTA a quem se sentir ofendido, desde que a resposta não contenha palavrões e ofensas de cunho pessoal e generalisados.Serão analisadas e poderão não ser mostradas e ou, excluidas.

Quem sou eu?

Minha foto
CIDADÃO DO MUNDO, NORDESTINO COM ORGULHO, Brazil
Neste Apostolado promovemos a “EVANGELIZAÇÃO ANÔNIMA", pois neste serviço somos apenas o Jumentinho que leva Jesus e sua verdade aos Povos. Portanto toda honra e Glória é para Ele.Cristo disse-nos:Eu sou o caminho, a verdade e a vida e “ NINGUEM” vem ao Pai senão por mim." ( João, 14, 6).Como Católicos,defendemos a verdade, contra os erros que, de fato, são sempre contra Deus.Cristo não tinha opiniões, tinha verdades, a qual confiou a sua Igreja, ( Coluna e sustentáculo da verdade – Conf. I Tim 3,15) que deve zelar por elas até que Cristo volte.Quem nos acusa de falta de caridade mostra sua total ignorância na Bíblia,e de Deus, pois é amor, e quem ama corrige, e a verdade é um exercício da caridade.Este Deus adocicado,meloso,ingênuo, e sentimentalóide,é invenção dos homens tementes da verdade, não é o Deus revelado por seu filho: Jesus Cristo.Por fim: “Não se opor ao erro é aprová-lo, não defender a verdade é nega-la” - ( Sto. Tomáz de Aquino)

As + lidas!

 
Support : Creating Website | Johny Template | Mas Template
Copyright © 2013. O BERAKÁ - All Rights Reserved
Template Created by Creating Website Published by Mas Template
Proudly powered by Blogger