A mera veiculação, ou reprodução de matérias e entrevistas no todo ou em parte, não significa necessariamente, a adesão às ideias nelas contidas, nem a garantia da ortodoxia de seus conteúdos. Todas postagens e comentários são de inteira responsabilidade de seus autores primários, e não representam de maneira alguma, a posição do blog. Tal material deve ser considerado à luz do objetivo informativo desta página.
Home » , » Recomendação do corpo (exéquias) para leigos

Recomendação do corpo (exéquias) para leigos

Written By Beraká - o blog da família on quarta-feira, 21 de outubro de 2020 | 23:26

 

(foto reprodução)




Qual o significado das exéquias para os cristãos?

 



*Por: Lino Rampazzo

 



O Catecismo da Igreja Católica nos ajuda a compreender o que são as exéquias.A palavra exéquias provém do verbo latino exsequi, que significa “seguir” e refere-se ao cortejo fúnebre que segue o corpo do defunto até o túmulo. Para entender o significado cristão disso, encontramos uma profunda explicação das exéquias no Catecismo da Igreja Católica. A primeira parte do Catecismo nos apresenta as verdades da fé, o Credo. A segunda parte se refere à Celebração do Mistério Cristão; a terceira parte à moral cristã, definida como “vida em Cristo”; e a última parte à oração cristã (na qual se destaca o comentário sobre o ‘Pai-Nosso’).A reflexão sobre as exéquias se encontra na segunda parte, depois da explicação sobre os sacramentos (Batismo, Confirmação, Eucaristia etc.).É bom lembrar que todo o Catecismo da Igreja Católica está disponibilizado na Internet e, no seguinte site, encontra-se a parte que se refere às “Exéquias Cristãs” (números 1680-1690):

 



http://www.vatican.va/archive/cathechism_po/index_new/p2s2cap4_1667-1690_po.html

 

 

Reflexões

 

 

Destacam-se, a seguir, algumas reflexões do Catecismo sobre as Exéquias

 

 

Antes de tudo, há um item sobre “A última Páscoa do cristão”. Aqui, lembra-se que a Morte e a Ressurreição de Cristo revelam para nós o sentido da nossa morte: o cristão que morre em Cristo Jesus “abandona este corpo para ir morar junto do Senhor” (2 Coríntios 5,8).A Igreja, como mãe, acompanha o cristão no termo da sua caminhada para entregá-lo ‘nas mãos do Pai’. Em seguida, fala-se explicitamente sobre “A celebração das exéquias”.

 

 


Onde acontecem as exéquias?

 

 

A Celebração REGULAR E ORDINÁRIA das Exéquias, aqui no Brasil, acontece, frequentemente, em três lugares:

 


a)-No velório municipal, onde os parentes recebem os amigos do falecido;

 

b)-No cemitério, onde se sepulta o corpo do falecido;

 

c)-E na Igreja onde se celebra a Missa do sétimo dia e trigésimo dia.

 

 

Nesses três lugares, muitos cristãos escutam a Palavra de Deus, especialmente os Evangelhos, e rezam. A Palavra nos transmite o sentido da morte para o cristão, como acima lembrado. E a oração expressa a nossa fé na “comunhão dos santos”. “Santos” são os santificados pelo batismo, que procuram viver sua fé de maneira coerente. A morte não nos separa dos falecidos: nós permanecemos “em comunhão” com eles. Eles estão em Deus e rezam por nós; e vice-versa. Na vida presente, muitas vezes, a fé é misturada com pecados de fraqueza e egoísmo, que, mesmo assim, não rompem de maneira radical a comunhão com Deus e com os irmãos. Então, logo após a morte, os cristãos vão completar sua conversão: e aqui encontramos a fé católica na existência do Purgatório. Vivos e falecidos permanecem, pois, unidos, e rezam reciprocamente uns pelos outros, para que a conversão total a Cristo seja completa. A esse respeito, é bom lembrar a origem da palavra “cemitério”. Na língua grega koimeterion (κοιμητήριον) significa “lugar de repouso”, dormitório. Sim, mas quem vai dormir, depois do descanso, levanta. E nós levantaremos, no dia da ressurreição: para viver com Cristo, que destruirá a morte para sempre. A palavra “cemitério” aponta, pois, para o sentido profundamente cristão da morte.Quanto à Missa de sétimo e trigésimo dia, é importante lembrar que a Eucaristia é a celebração mais solene dos cristãos, na qual anunciamos a morte do Senhor que ressuscitou, que nos ressuscitará e está presente na Eucaristia como semente de ressurreição. Podemos, então, afirmar que este é o “momento forte” das exéquias cristãs. Nos três lugares das exéquias, nós cristãos somos chamados a ser missionários, quer dizer, anunciadores da morte-ressurreição de Cristo, que dá um novo sentido à vida e à morte.As exéquias são, pois, um “momento de graça” para renovar a nossa fé e para proclamá-la.

 

 

*Lino Rampazzo: Doutor em Teologia pela Pontificia Università Lateranense (Roma), Lino Rampazzo é professor e pesquisador no Programa de Mestrado em Direito do Centro Unisal – U.E. de Lorena (SP) – e coordenador do Curso de Teologia da Faculdade Canção Nova, Cachoeira Paulista (SP).

 

 


CELEBRAÇÃO DAS EXÉQUIAS DIRIGIDAS POR UM LEIGO

 



 

(foto reprodução)


 

Depois do cântico de entrada, estando todos de pé, fazem o sinal da cruz, enquanto o dirigente leigo diz:

 

. Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.

. Amém.

 

. Bendito seja Deus, Pai de misericórdia e de toda a consolação, que nos consola em todas as tribulações.

. Amém.

 

Irmãos:


A morte do nosso querido irmão (Nome) enche-nos de comoção e recorda-nos como é frágil e breve a vida do homem. Mas neste momento de tribulação, conforta-nos a nossa fé. Cristo vive eternamente, e o seu amor é mais forte do que a morte. Por isso, não deve vacilar a nossa esperança. O Pai de misericórdia e Deus de toda a consolação vos conforte nesta tribulação.

 

Oremos:


Pela vossa infinita misericórdia, recebei, Senhor, a alma do vosso servo N. e purificai-a de todas as culpas cometidas durante a vida terrena, para que, livre dos vínculos da morte, mereça entrar na vida eterna.

Por Cristo, nosso Senhor.

. Amém.

 

 

LEITURA:

 

Sab 3, 1-6.9 – “Deus aceita os justos como sacrifício de holocausto”

 

 

Leitura do Livro da Sabedoria:

 

 

“As almas dos justos estão na mão de Deus, e nenhum tormento os atingirá. Aos olhos dos insensatos parecem ter morrido; a sua saída deste mundo foi considerada uma desgraça, e a sua partida do meio de nós um aniquilamento. Mas eles estão em paz. Aos olhos dos homens eles sofreram um castigo, mas a sua esperança estava cheia de imortalidade. Depois de leve pena, terão grandes benefícios, porque Deus os pôs à prova e os achou dignos de Si. Experimentou-os como ouro no crisol e aceitou-os como sacrifício de holocausto.Os que n’Ele confiam compreenderão a verdade, e os que Lhe são fiéis permanecerão com Ele no amor, pois a graça e a misericórdia são para os seus santos e a sua vinda será benéfica para os seus eleitos.”

 

Palavra do Senhor!

 

 

Salmo 26 (27), 1.4.7 e 8b e 9a. 13-14

 

O Senhor é a minha luz e a minha salvação!

 

O Senhor é minha luz e salvação:

a quem hei-de temer?

O Senhor é o protetor da minha vida:

de quem hei-de ter medo?

 

Uma coisa peço ao Senhor, por ela anseio:

habitar na casa do Senhor todos os dias da minha vida,

para gozar da suavidade do Senhor

e visitar o seu santuário.

 

Ouvi, Senhor, a voz da minha súplica,

tende compaixão de mim e atendei-me.

A vossa face, Senhor, eu procuro:

não escondais de mim o vosso rosto.

 

Espero vir a contemplar a bondade do Senhor na terra dos vivos.

Confia no Senhor, sê forte.

Tem coragem e confia no Senhor.

 

 

 

 

Aclamação do Evangelho: cf. Mt 11, 25-30

 

 

.  Bendito sejais, ó Pai, Senhor do céu e da terra, porque revelastes aos pequeninos os mistérios do reino.

 

Mt 11, 28: «Vinde a Mim...Eu vos aliviarei»

 

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Mateus!

Glória a vós Senhor!

 

Naquele tempo, Jesus exclamou: «Eu Te bendigo, ó Pai, Senhor do céu e da terra, porque escondeste estas verdades aos sábios e inteligentes e as revelaste aos pequeninos. Sim, Pai, Eu Te bendigo, porque assim foi do teu agrado. Tudo Me foi dado por meu Pai. Ninguém conhece o Filho senão o Pai e ninguém conhece o Pai senão o Filho e aquele a quem o Filho O quiser revelar. Vinde a Mim, todos os que andais cansados e oprimidos, e Eu vos aliviarei. Tomai o meu jugo sobre vós e aprendei de Mim, que sou manso e humilde de coração, e encontrareis descanso para as vossas almas. Porque o meu jugo é suave e a minha carga é leve».

 

. Palavra da Salvação.

. Glória a Vós, Senhor.

 

*(Se conveniente, neste momento podem ser dirigidas algumas rápidas palavras aos presentes)

 

 

PROFISSÃO DE FÉ

 

 

Com a esperança posta na ressurreição e na vida eterna que em Cristo nos foi prometida, professemos agora a nossa fé:

 

Creio em Deus, Pai todo-poderoso,

Criador do céu e da terra.

E em Jesus Cristo, seu único Filho, Nosso Senhor:que foi concebido pelo poder do Espírito Santo.

Nasceu da Virgem Maria.

Padeceu sob Pôncio Pilatos.

Foi crucificado, morto e sepultado.

Desceu à mansão dos mortos.

Ressuscitou ao terceiro dia.

Subiu aos Céus

Está sentado à direita de Deus Pai todo-poderoso

De onde há-de vir a julgar os vivos e os mortos.

Creio no Espírito Santo.

Na santa Igreja Católica.

Na comunhão dos Santos.

Na remissão dos pecados.

Na ressurreição da carne.

E na vida eterna.

 

Amém.

 

 

ORAÇÃO DOS FIÉIS

 

 

. Irmãos: unidos na mesma fé, oremos ao Senhor pelo nosso irmão falecido, pela Igreja, pela paz do mundo e pela nossa salvação, dizendo com toda a confiança:

. Senhor, escutai a nossa prece.

. Pelos pastores da santa Igreja, para que sejam fiéis à graça que receberam e realizem o seu ministério em favor do povo de Deus, supliquemos:

. Senhor, escutai a nossa prece.

. Pelos que governam a sociedade civil, para que promovam sempre o bem comum, a concórdia, a liberdade e a paz, oremos:

. Senhor, escutai a nossa prece.

. Pelos que sofrem no corpo ou na alma, para que sintam sempre junto de si a presença invisível do Senhor, supliquemos:

. Senhor, escutai a nossa prece.

. Pelo nosso querido irmão N., para que o Senhor o livre do poder das trevas e da morte eterna, supliquemos a Deus:

. Senhor, escutai a nossa prece.

. Pelo nosso querido irmão N., para que o Senhor lhe mostre a sua misericórdia e o receba no reino da luz e da paz, oremos:

. Senhor, escutai a nossa prece.

. Pelos nossos familiares e benfeitores já falecidos, para que o Senhor os conduza à assembleia gloriosa dos Santos,peçamos:

. Senhor, escutai a nossa prece.

. Por todos nós que participamos nesta celebração, para que a providência paterna de Deus nos assista e nos proteja pelos caminhos da vida, oremos:

. Senhor, escutai a nossa prece.

 

 

PAI NOSSO


 

Obedientes à palavra do Salvador e formados por seu divino ensinamento, ousamos dizer:

 

Pai Nosso que estais nos Céus, santificado seja o vosso Nome, venha a nós o vosso Reino, seja feita a vossa vontade assim na terra como no Céu. O pão nosso de cada dia nos dai hoje, perdoai-nos as nossas ofensas assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido, e não nos deixeis cair em tentação, mas livrai-nos do Mal. Amém.

 

 

ORAÇÃO FINAL

 

Oremos... “Senhor nosso Deus, Criador e nosso único e verdadeiro Salvador, concedei às almas dos vossos servos e servas que morreram na vossa amizade e praticando o bem,o perdão dos seus pecados, de modo que, pelas nossas humildes súplicas, alcancem a indulgência que sempre desejaram e necessitam pelo tesouro dos vossos méritos da Cruz e da Comunhão dos santos. Dignai-vos Sr ressuscitá-lo gloriosamente com este corpo que agora vos recomendamos, junto com os Vossos santos no dia da ressurreição e da recompensa eterna. Que Tu Deus bom e misericordioso, perdoe todos os seus pecados cometidos por pensamentos, palavras, atos e omissões. Porque não existe homem que viva nesta terra e que não peque, pois Tu mesmo recordas que justo peca sete vezes ao dia (conf Prov 24,16), somente Tu és sem pecado, somente a tua justiça é perfeita e a tua palavra é plenamente verdadeira. Perdoai-lhe Sr os seus pecados para que alcance junto a Vós a vida imortal no vosso reino eterno. 


Por Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo. Amém”

 

 Ave Maria, cheia de graças...




Breves considerações acerca das exéquias e sepultura eclesiástica para os suicidas

 

 


1) Há relatos de que a Igreja Católica não realizava missas de sétimo dia para as pessoas que cometeram suicídio. Isso é verdade? Por que não fazia?

 




De fato, a anterior legislação canônica, promulgada em 1917 pelo papa Bento XV excluía os suicidas dentre aqueles aos quais se deveria negar a sepultura eclesiástica (cf. c. 1240 § 1 nº 3) e, por consequência, ao que tivesse sido negada a sepultura eclesiástica, se lhe negava igualmente a missa exequial (missa de corpo presente) e também aquelas por ocasião do aniversário de morte e outros ofícios fúnebres públicos (cf. c. 1241).Quanto ao período de vigência daquela legislação, a interpretação da doutrina majoritária referente aos dois cânones acima citados era a seguinte: “mesmo rechaçando o erro daqueles que afirmam que todos os que se suicidam não estão em são juízo, é preciso reconhecer que nem sempre é coisa fácil determinar quando os suicidas agiram com deliberação, nem quando provocaram a morte a si mesmos os que aparecem enforcados ou afogados ou mortos de um tiro ou de uma facada, mesmo que se encontre a arma junto ao cadáver. E está claro que enquanto não conste com certeza o suicídio deliberado e ademais este seja de domínio público, não se lhes pode privar da sepultura eclesiástica” (cf. ALONSO MORÁN, S., Comentário al c. 1240 § 1 nº 3 in Código de Derecho Canónico, BAC, Madrid 1951, p. 465).A legislação canônica de 1917 foi revogada aos 25 de janeiro de 1983 com a promulgação do novo Código de Direito Canônico pelo papa João Paulo II, o qual entrou em vigor no dia 27 de novembro do mesmo ano.

 



2) Atualmente a Igreja faz ou não missa de sétimo dia para a pessoa que se suicidou?

 

 


A vigente legislação canônica, promulgada pelo papa João Paulo II aos 25 de janeiro de 1983 e que entrou em vigor no dia 27 de novembro do mesmo ano, estabelece em seus cânones 1183-1185 os casos nos quais “se deve conceder ou negar as exéquias eclesiásticas”.A concessão de exéquias eclesiásticas se entende como um direito dos fiéis e como uma obrigação correlativa dos responsáveis pela sua concessão. Aliás, os próprios fiéis procuram que ninguém, a quem corresponda, seja privado delas.Agora, a negação de exéquias eclesiásticas não exclui desde já, a possibilidade de oferecer sufrágios e orações em favor de qualquer pessoa defunta seja ou não crente, posto que a norma se refere unicamente em sentido específico às exéquias eclesiásticas, que como é sabido, diferem dos sufrágios, e estes por sua vez, são sempre possíveis em favor de quaisquer defuntos. Por outra parte, se trata de uma matéria delicada, como indicam os autores, que supõe uma exceção ao princípio geral do direito às exéquias eclesiásticas. Portanto, a negação de exéquias deve ser interpretada de forma estrita. Também é preciso levar em conta a sensibilidade do povo cristão e o próprio legislador que favorecem a generosidade e por isso se eliminou da legislação canônica a privação da sepultura eclesiástica (como uma sanção penal) por ser demasiado duro e ineficaz. O elenco dos casos nos quais “se deve negar as exéquias eclesiásticas” encontra-se no c. 1184 e, ali não se contempla o fato dos suicídios. Durante a fase de revisão do texto, antes da sua promulgação, o fato foi levantado, mas não houve a sua incorporação no texto definitivo porque se julgou que antes que esclarecer, iria provocar ainda mais interrogações. Assim, neste suposto se deve resolver a questão com benignidade: 



a) devem-se remover quaisquer possibilidades de escândalos na comunidade. 



b) deve-se evitar a missa exequial (missa de corpo presente). 



c) mas, não se proíbem os denominados sufrágios, dentre os quais se situa a comumente denominada “missa de sétimo dia”.

 

 



3) Como a Igreja vê o suicídio? A pessoa que se suicida tem salvação ou condenação eterna (céu e inferno)? Qual a posição da Igreja sobre isso?

 



Responderei as duas perguntas numa só consideração. O Catecismo da Igreja Católica, promulgado mediante a Constituição Apostólica “Fidei depositum”, do papa João Paulo II, datada de 11 de outubro de 1992, em sua terceira parte (“A vida em Cristo”), secção segunda (Os dez mandamentos), capítulo segundo (“Amarás o próximo como a ti mesmo), artigo sexto (O quinto mandamento), número I (O respeito à vida humana), esclarece acerca do suicídio:




“Cada um é responsável por sua vida diante de Deus que lha deu e que dela é sempre o único e soberano Senhor. Devemos receber a vida com reconhecimento e preservá-la para sua honra e a salvação de nossas almas. Somos administradores e não os proprietários da vida que Deus nos confiou. Não podemos dispor dela” (nº 2280).




“O suicídio contradiz a inclinação natural do ser humano a conservar e perpetuar a própria vida. É gravemente contrário ao justo amor de si mesmo. Ofende igualmente o amor do próximo porque rompe injustamente os vínculos de solidariedade com as sociedades familiar, nacional e humana, às quais nos ligam muitas obrigações. O suicídio é contrário ao amor do Deus vivo (nº 2281)”.




“Se for cometido com a intenção de servir de exemplo, principalmente para os jovens, o suicídio adquire ainda a gravidade de um escândalo. A cooperação voluntária ao suicídio é contrária à lei moral” (nº 2282).




“Distúrbios psíquicos graves, a angústia ou o medo grave da provação, do sofrimento ou da tortura podem diminuir a responsabilidade do suicida” (nº 2282).




“Não se deve desesperar da salvação das pessoas que se mataram. Deus pode, por caminhos que só Ele conhece, dar-lhes a ocasião de um arrependimento salutar. "A Igreja ora" pelas pessoas que atentaram contra a própria vida” (nº 2283).

 



Dom Valdir Mamede - Bispo auxiliar de Brasília

 

 


FONTES DE CONSULTA:

 



-https://formacao.cancaonova.com/igreja/catequese/voce-sabe-qual-e-o-significado-das-exequias-para-os-cristaos/

 

-https://www.manualdacm.com/p/exequiasleigo.html


-https://www.liturgia.pt/rituais/Exequias.pdf



-https://treinamento24.com/library/lecture/read/864970-quem-pode-fazer-as-exequias



-https://www.cnbbco.com/conteudo/artigos/item/521-breves-consideracoes-acerca-das-exequias-e-sepultura-eclesiastica-para-os-suicidas#.YthVtHbMJPY

 

 




 

----------------------------------------------------------

 

 

 

 

APOSTOLADO BERAKASH: Como você pode ver, ao contrário de outros meios midiáticos, decidimos por manter a nossa página livre de anúncios, porque geralmente, estes querem determinar os conteúdos a serem publicados. Infelizmente, os algoritmos definem quem vai ler o quê. Não buscamos aplausos, queremos é que nossos leitores estejam bem informados, vendo sempre os TRÊS LADOS da moeda para emitir seu juízo. Acreditamos que cada um de nós no Brasil, e nos demais países que nos leem, merece o acesso a conteúdo verdadeiro e com profundidade. É o que praticamos desde o início deste blog a mais de 20 anos atrás. Isso nos dá essa credibilidade que orgulhosamente a preservamos, inclusive nestes tempos tumultuados, de narrativas polarizadas e de muita Fake News. O apoio e a propaganda de vocês nossos leitores é o que garante nossa linha de conduta. Sempre nos preocupamos com as questões de direito autoral e de dar o crédito a quem lhe é devido. Se por acaso alguém se sentir ferido(a) em seus direitos autorais quanto a textos completos, ou parciais, publicados ou traduzidos aqui (já que não consegui identificar e contatar alguns autores(as), embora tenha tentado), por favor, não hesite em nos escrever para que possamos fazer o devido registro de seus créditos, sejam de textos, fontes, ou imagens. Para alguns, erros de ortografia e de digitação valem mais que o conteúdo, e  já invalida “todes” o texto? A falta de um “a”, de alguma vírgula, ou alguns trocadilhos, já são suficientes para não se ater a essência do conteúdo? Esclareço que levo mais tempo para escrever, ou repostar um conteúdo do que corrigi-lo, em virtude do tempo e  falta de assessoria para isto. A maioria aqui de nossos(as) leitores(as) preferem focar no conteúdo e não na superficialidade da forma (não quero com isto menosprezar as regras gramaticais, mas aqui, não é o essencial). Agradeço as correções pontuais, não aquelas genéricas, tipo: “seu texto está cheio de erros de português” - Nas próximas pontuem esses erros (se puderem e souberem) para que eu faça as devidas correções. Semanalmente faço postagens sobre os mais diversos assuntos: política, religião, família, filosofia, sociologia, moral Cristã, etc. Há quem goste e quem não gosta de minhas postagens! Faz parte do processo, pois nem todos pensamos igual. Isso também aconteceu com Jesus e com os apóstolos e com a maioria daqueles(as) que assim se expõem. Jesus não disse que só devemos pregar o que agrada aos outros, mas o que precisamos para nossa salvação! Paulo disse o mesmo ao jovem bispo Timóteo (2Tm 4,1-4). Padre, seminarista, leigo católico e catequista não devem ter medo de serem contestados! Seja fiel ao Magistério Integral da igreja! Quem disse que seria fácil anunciar Jesus e seus valores? A mera veiculação, ou reprodução de matérias e entrevistas deste blog não significa, necessariamente, adesão às ideias neles contidas. Tal material deve ser considerado à luz do objetivo informativo deste blog. Os comentários devem ser respeitosos e relacionados estritamente ao assunto do post. Toda polêmica desnecessária será prontamente banida. Todos as postagens e comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam necessariamente, a posição do blog. A edição deste blog se reserva o direito de excluir qualquer artigo ou comentário que julgar oportuno, sem demais explicações. Todo material produzido por este blog é de livre difusão, contanto que se remeta nossa fonte. Não somos bancados por nenhum tipo de recurso ou patrocinadores internos, ou externo ao Brasil. Este blog é independente e representamos uma alternativa concreta de comunicação. Se você gosta de nossas publicações, junte-se a nós com sua propaganda, ou doação, para que possamos crescer e fazer a comunicação dos fatos, doa a quem doer. Entre em contato conosco pelo nosso e-mail abaixo, caso queira colaborar:

 

 

 

filhodedeusshalom@gmail.com

Curta este artigo :

Postar um comentário

Conforme a lei o blog oferece o DIREITO DE RESPOSTA a quem se sentir ofendido(a), desde que a resposta não contenha palavrões e ofensas de cunho pessoal e generalizados.Os comentários serão analisados criteriosamente e poderão ser ignorados e ou, excluídos.

TRANSLATE

QUEM SOU EU?

Minha foto
CIDADÃO DO MUNDO, NORDESTINO COM ORGULHO, Brazil
Neste Apostolado APOLOGÉTICO (de defesa da fé, conforme 1 Ped.3,15) promovemos a “EVANGELIZAÇÃO ANÔNIMA", pois neste serviço somos apenas o Jumentinho que leva Jesus e sua verdade aos Povos. Portanto toda honra e Glória é para Ele.Cristo disse-nos:Eu sou o caminho, a verdade e a vida e “ NINGUEM” vem ao Pai senão por mim" (João14, 6).Defendemos as verdade da fé contra os erros que, de fato, são sempre contra Deus.Cristo não tinha opiniões, tinha a verdade, a qual confiou a sua Igreja, ( Coluna e sustentáculo da verdade – Conf. I Tim 3,15) que deve zelar por ela até que Ele volte(1Tim 6,14).Deus é amor, e quem ama corrige, e a verdade é um exercício da caridade. Este Deus adocicado, meloso, ingênuo, e sentimentalóide, é invenção dos homens tementes da verdade, não é o Deus revelado por seu filho: Jesus Cristo.Por fim: “Não se opor ao erro é aprová-lo, não defender a verdade é nega-la” - ( Sto. Tomás de Aquino).Este apostolado tem interesse especial em Teologia, Política e Economia. A Economia e a Política são filhas da Filosofia que por sua vez é filha da Teologia que é a mãe de todas as ciências. “Não a nós, Senhor, não a nós, mas ao vosso nome dai glória...” (Salmo 115,1)

POSTAGENS MAIS LIDAS

SIGA-NOS E RECEBA AS NOVAS ATUALIZAÇÕES EM SEU CELULAR:

VISUALIZAÇÃO DE ACESSOS NO MÊS

ÚLTIMOS 5 COMENTÁRIOS

 
Support : Creating Website | Johny Template | Mas Template
Copyright © 2013. O BERAKÁ - All Rights Reserved
Template Created by Creating Website Published by Mas Template
Proudly powered by Blogger