A mera veiculação, ou reprodução de matérias e entrevistas deste blog não significa, necessariamente, adesão às ideias neles contidas. Tal material deve ser considerado à luz do objetivo informativo deste blog, não sendo a simples indicação, ou reprodução a garantia da ortodoxia de seus conteúdos. Os comentários devem ser respeitosos e relacionados estritamente ao assunto do post. Toda polêmica desnecessária será prontamente banida. Todos os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam, de maneira alguma, a posição do blog. Não serão aprovados os comentários escritos integralmente em letras maiúsculas, ou CAIXA ALTA. A edição deste blog se reserva o direito de excluir qualquer artigo ou comentário que julgar oportuno, sem demais explicações. Todo material produzido por este blog é de livre difusão, contanto que se remeta nossa fonte.
Home » , » O que é o REPOUSO NO ESPÍRITO ? - É bíblico, ou é mera invenção da RCC ?

O que é o REPOUSO NO ESPÍRITO ? - É bíblico, ou é mera invenção da RCC ?

Written By Beraká - o blog da família on quarta-feira, 4 de outubro de 2017 | 22:34




Repousar no Espírito é descansar nos Braços do Pai. O “repouso no Espírito” é um assunto de grande interesse em nossos dias e relacionado com a Renovação Carismática. Tal como o dom de línguas, a experiência de cair no chão durante uma oração tem despertado a atenção das pessoas. Pouco se tem escrito sobre ele e muito ainda é desconhecido. É como um território virgem, especialmente na comunidade católica.E justamente porque esse assunto está começando a se destacar e a ter os seus efeitos, quero abrir a comunicação e iniciar o diálogo a respeito, não tendo portanto nenhuma pretensão de encerrar o assunto com este post. Particularmente, quando é autêntico, vejo-o mais como uma manifestação carismática do Espírito Santo em nossos dias.





O repouso no Espírito é, provavelmente, mais um dom carismático, pelo menos em parte. Parece haver um duplo carisma: o carisma de algumas pessoas, em quem o poder é tão forte que a maior parte dos que recebem suas orações cai; e o carisma daqueles que recebem a oração e que ficam tão abertos para receber que caem sob o poder quando alguém ora.



A Constituição Dogmática sobre a Igreja, Lumen gentium, do Concílio Vaticano II, n°12, ao falar dos dons carismáticos diz:


“Estes carismas, quer eminentes, quer mais simples e mais amplamente difundidos, devem ser recebidos com gratidão e consolação, pois que são perfeitamente acomodados e úteis às necessidades da Igreja”.




Desse modo, o que pretendemos aqui é começar a explorar teologicamente e carismaticamente a “adequação e a utilidade” deste dom, e “recebê-lo com gratidão”.


Paulo VI, na Evangelii nuntiandi, n° 75, afirma:



“Repleta do ‘conforto do Espírito Santo’, a Igreja ‘ia crescendo’ (cf. At 9,31) . Ele é a alma desta mesma Igreja. É Ele quem faz com que os fiéis possam entender os ensinamentos de Jesus e o seu mistério. Ele é aquele que, hoje ainda, como nos inícios da Igreja, age em cada um dos evangelizadores que se deixa possuir e conduzir por Ele...”



Creio que seja útil começar de um ponto elementar, definindo primeiramente o que é “experiência religiosa”. E para aqueles que estão se iniciando no assunto do repouso no Espírito, daremos algumas definições sobre a experiência a partir de diversas perspectivas. Em seguida, abordaremos a diferença entre o repouso “espontâneo” e “ministrado”:


Experiência Religosa:


É a consciência de Deus em “nível de sensação e emoção” que gera uma resposta espontânea. É, frequentemente, acompanhada por revelação, inspiração, vozes, visões e por fim quando a experiência é autêntica: a conversão, ou metanoia, que é a mudança de mentalidade, tendo agora os mesmos sentimentos de Cristo:



“De sorte que haja em vós, o mesmo sentimento que houve também em Cristo  Jesus...” ( Filipenses 2,5).




Repouso no Espírito:


Experiência que consiste em cair de costas no chão durante uma oração, também algumas vezes chamada de “Dominado no Espírito”, “Cair sob o poder”, “Dormição”, “Morrer no Espírito” ou simplesmente “A bênção”. Ainda que eu prefira chamar essa experiência de “Repouso no Espírito”, haverá uma série de citações que se referem a ele. Esses termos para nós serão sinônimos.





Nas definições a seguir, existe certa concordância quanto à submissão, entrega, renúncia ou repouso da atividade e dos sentidos do corpo físico para que Deus possa Se manifestar mais claramente ao íntimo do homem:




1)- Padre Robert De Grandis em seu livro: Ministério de cura para leigos (4.a ed.) afirma:


“Parece que enquanto repousamos no Espírito, as nossas funções físicas e psicológicas se desaceleram e a sensibilidade se intensifica no relacionamento com o Senhor…”


2)- Francis MacNutt, em O poder de curar, afirma:


“Tanto quanto posso ver, é o poder do Espírito enchendo de tal forma a pessoa com uma consciência íntima muito elevada, que a energia do corpo desfalece a ponto de não poder ficar de pé”.


3)- Pe. George Montague afirma, na revista Catholic Charismatic:


“...a pessoa é dominada por uma profunda sensação de bem-estar que lhe causa um relaxamento momentâneo, a tal ponto que ela cede o controle de seu sistema motor e desmaia, ou cai flácida”.


4)- Pe. Ralph DiOrio comenta:


“Ele é parte do dom de cura, um toque direto, no mais íntimo do ser, da plenitude do amor e da paz de Deus”.



5)- Morton Kelsey comenta em Discernment:


“…geralmente descrevem uma sensação de poder divino ou energia que flui interiormente, que os faz relaxar e cair…”


6)- Pe. Ted Dobson prefere separar totalmente o ato de cair da avaliação da causa da queda, e simplesmente se refere à experiência como “o fenômeno da queda”. Referindo-se às variadas descrições, ele afirma:


“…Esses nomes só começam a nos dar uma pista do que realmente está acontecendo… faremos referência a ele como ‘o fenômeno da queda’ não só porque a queda no chão é o aspecto comum a todas as diversas formas da experiência, mas também porque é um termo isento de avaliação, pois não pressupõe uma causa para a experiência”.



7)- Pe. Thomas Keating em Open mind, open heart afirma:


“… sente-se uma leve interrupção no funcionamento normal dos sentidos e escorrega-se para o chão. Se as pessoas não experimentaram este tipo de oração anteriormente, caem com uma sensação de bem-estar e permanecem deitadas todo o tempo que podem”.




Uma analogia que podemos usar, é com o banho de sol. As pessoas simplesmente se estendem ao sol, deixam que ele venha e relaxam. O repouso no Espírito é como deixar que o sol do Espírito Santo penetre no íntimo. Enquanto repousam, terão, em muitos casos um encontro direto com o Senhor. Então, o Senhor realizará muitas curas. Elas sentem o Seu amor, ouvem o Senhor falando com elas e simplesmente repousam em Sua presença.



Mons. Vincent Walsh se refere a essa experiência como uma “dormição”, palavra que sugere “sono” e aponta para certa semelhança com a experiência de êxtase narrada nos escritos dos santos. Mas não se trata de sono. Durante o repouso, permanece a consciência dos outros agindo e falando ao redor; o sono é diferente. A pessoa pode ouvir o que está acontecendo, mas não se importa com nada. Sua energia parece estar canalizada para o Senhor. É como estar completamente absorvido por um programa de televisão em uma sala barulhenta e cheia de gente. A pessoa se concentra na televisão e desliga-se totalmente dos outros. No repouso no Espírito, ela também está profundamente concentrada no Senhor.



FUNDAMENTAÇÃO BÍBLICA:



À medida que entramos em contato com o’ fenômeno do repouso no Espírito, uma das primeiras perguntas é: “Onde podemos encontrá-lo na Escritura?” Há situações paralelas ou semelhantes na Bíblia?



Norton Kelsey afirma:


“É óbvio que nos tempos bíblicos não havia nada exatamente similar à uma cerimônia moderna em que as pessoas se dirigem para a frente, são tocadas e caem; por outro lado, há muitas referências no Antigo e no Novo Testamentos a pessoas que caíram diante de Deus e parecem ter sido atingidas pelo Seu Espírito”.


Há referências bíblicas a quedas ante a presença de Deus, tanto voluntárias como involuntárias, em contextos positivos é negativos:




Prostração voluntária



“Só em Deus repousa minha alma, só dele me vem a salvação.”(Salmos 61,2)

“Por isso meu coração se alegra e minha alma exulta, até meu corpo descansará seguro...”(Salmos 15,9)

Ez 43,3: “A aparência que vi era igual à aparência que eu vira quando vim para a destruição da cidade e igual à aparência que eu vira junto ao rio Cobar. Então, prostrei-me com o rosto em terra”.


Em ação de graças - Prostrar-se diante do Deus em adoração e gratidão:

Lc 17,15-16: “Um dentre eles; vendo-se curado, voltou atrás, glorificando a Deus em alta voz, e lançou-se aos pés de Jesus com o rosto por terra, agradecendo-lhe.”


Em um ímpeto de profunda oração:

“Por essa razão eu dobro os joelhos diante do Pai, de quem toma o nome toda família no céu e na terra, para pedir-lhe que ele conceda, segundo a riqueza da sua glória, que vós sejais fortalecidos em poder pelo seu Espírito no homem interior…” (Ef 3,14-16).


Também em Mt 26,39:

“Jesus no Getsêmani , prostrou-se com o rosto em terra e orou: Meu pai, se é possível, que passe de mim este cálice; contudo, não seja como eu quero, mas como tu queres...”




Prostração involuntária







Atos 20,7-12: “E no primeiro dia da semana, ajuntando-se os discípulos para partir o pão, Paulo, que havia de partir no dia seguinte, falava com eles; e prolongou a prática até à meia-noite.E havia muitas luzes no lugar onde estavam juntos.E, estando um certo jovem, por nome Êutico, assentado numa janela, caiu do terceiro andar, tomado de um sono profundo que lhe sobreveio durante o extenso discurso de Paulo; e foi levantado morto.Paulo, porém, descendo, inclinou-se sobre ele e, abraçando-o, disse: Não vos perturbeis, que a sua alma nele está...”



“No caminho, pelo meio-dia, eu vi, ó rei, vinda do céu e mais brilhante que o sol, uma luz resplandecente ao redor de mim e daqueles que me acompanhavam. Caímos todos por terra, e ouvi uma voz que me dizia em língua hebraica: ‘Saulo, Saulo, por que me persegues? …'” (At 26,13-14).



Jr 46,15: “Por que o teu Touro não resistiu? Porque lahweh o derrubou!”


Jo 18,4-6:  “…Sabendo Jesus tudo o que lhe aconteceria, adiantou-se e lhes disse: ‘A quem procurais?’ Responderam: ‘Jesus o Nazoreu’. Disse-lhes: ‘Sou eu’ … Quando Jesus lhes disse: ‘Sou eu’, recuaram e caíram por terra.”


Dn 10,8-9: “Fiquei sozinho, pois, a contemplar esta grande visão: não restou força alguma em mim, a bela cor do meu rosto mudou-se em lividez, perdi todo o vigor. Ouvi, então, o som de suas palavras. Ao ouvir o som de suas palavras, desfaleci sobre o meu rosto, meu rosto contra a terra”.



Ez 1,28: “…Tal era o brilho em torno, isto é, uma aparência semelhante à Glória de lahweh. Ao vê-la, caí com o rosto em terra e ouvi a voz de alguém que falava comigo”.



Ap 1,17: João, em Patmos, foi arrebatado em êxtase, quando viu “alguém semelhante a um filho de Homem”. “Ao vê-lo, caí como morto a seus pés…”


Quando Deus faz com que um homem caia de bruços (ou de costas), por que o faz? Pe. John Hampsch sugere algumas razões prováveis:



“Com Pedro e Paulo, o objetivo era assegurar que aquele que estava recebendo a revelação tivesse um impacto ao perceber o seu envolvimento direto com Deus… Com Daniel, foi para convencê-lo de que a visão e a profecia eram verdadeiras… Em Patmos, João foi dominado quando recebeu a revelação que resultou em um livro completo, o livro do Apocalipse. Com os soldados no sepulcro, Deus demonstra Seu poder dominador. Deus pode fazer com que Seus amigos e Seus inimigos caiam por terra, com diferentes propósitos para cada caso. Em uma oportunidade, demonstra que o poder do homem não sobrepuja o poder de Deus; em outra, com os amigos, é para que o poder de Deus os fortaleça. A ênfase principal deste fenômeno especial está no poder de Deus. At 1,8 diz: ‘Mas o Espírito Santo descerá sobre vós e dele recebereis força’. O poder também foi manifestado através do domínio de Deus, como quando os soldados foram dominados pela presença de Jesus e caíram por terra, no momento em que tentaram prendê-lo. Em outras situações, o poder talvez tenha possibilitado um fortalecimento ao se tomar consciência da natureza e da bondade de Deus…”


O objetivo do que se segue é dar uma visão geral e acessível do repouso no Espírito, qual a aparência exterior e qual a sensação de repousar, numa visão externa e interna:




Muitas pessoas ligadas a um tradicionalismo cego e fanático, não acolhem e não aceitam a RCC como ela é, mesmo sendo totalmente aceita e recomendada pelo magistério, e pelos papas São João Paulo II, Bento XVI e pelo nosso querido e atual Papa Francisco. Usam de acusações maldosas e sem fundamento, com adjetivos que não cabem ao que foi proposto.Alguns de forma maldosa e deturpada, afirmam sem conhecimento de causa que o repouso no Espírito seria uma manifestação Espiritual inventada pela RCC ou simplesmente um fator psicológico refletindo uma variação de acontecimentos advindos de outras religiões. Devemos analisar os fatos cuidadosamente de acordo com a palavra de Deus e o Magistério oficial da Igreja Católica, e não sob visões particulares deturpadas.




Todo o poder pertence a Jesus e d’Ele emana irradiando sobre todos nós, curando, libertando e transformando nossos corações.  Esta sempre foi a vontade de Deus, curar e libertar os cativos, este ministério ocupou a maior parte do tempo de Jesus quando esteve presente entre nós, ao enviar os 72 discípulos para preparar o seu caminho, instruiu-os como deveriam curar os enfermos e expulsar os demônios em seu nome (Lucas 9), vimos também que assim aconteceu conforme a sua palavra, depois ao se elevar para o céu reafirmou esta ordem a todos aqueles que creem no seu nome, deveríamos continuar a sua missão, de acolher e curar os oprimidos, tanto no corpo como na alma. (Marcos. 16, 15).


Podemos experimentar a sua presença e as suas graças sendo derramadas sobre nossos corações, cada pessoa pode ter seu próprio momento individual com Deus, mesmo que estejamos em comunidade ou em um grande Ginásio de esportes. Este poder se manifesta das mais diferentes formas possíveis, depende da necessidade e da abertura interior de cada um.Nós ainda mal conhecemos todas as maneiras que Jesus utiliza para curar os corações.   A RCC reconhece que estamos aprendendo conforme vamos caminhando, mas não podemos impedir o Espírito de agir só porque alguma coisa que esteja acontecendo pareça incomum aos nossos olhos.


Neste momento em particular, podemos ver pessoas de joelhos em adoração, algumas de pé meditando em seus problemas interiores e outras repousando no Espírito, demonstrando sua confiança e entrega total nas mãos de Jesus, sendo que em relação à maneira correta de se “Repousar no Espírito” ninguém pode garantir como seria, isto pode ocorrer de diversas formas diferentes, até mesmo em público e inesperadamente, tanto pela pessoa que ministra o evento como pela pessoa que recebe a manifestação, por outro lado, outras pessoas acabam imitando o verdadeiro Repouso no Espírito, pensando ser uma prova exterior de que Deus esteja manifestando em si mesma e por isso seria obrigatório deitar-se no chão, como uma prova de que Deus está agindo, quando na verdade isto não é necessário, já que Deus também pode nos curar sem ser preciso acontecer o “Repousar no Espírito”.



É normal ocorrer algum Repouso no Espírito, principalmente quando fazemos uma oração particular e individual visando a cura de traumas mais profundos, se bem que isso não é uma regra geral, muito menos obrigatório, mas não podemos impedir que alguém sinta um toque especial de Jesus em seu coração e venha a repousar em nossa presença, “em particular ou em público”, mesmo quando não a induzimos à esta manifestação, já que pode ser esta a maneira que Cristo deseje usar para tocar em seu coração curando-a e libertando-a de todas as suas dores e traumas interiores.




Em um encontro Carismático aberto “padrão” recebemos pessoas dos diversos níveis da sociedade e diversos níveis de participação na Igreja, desde os mais atuantes como os que nunca entraram em uma Igreja. Direcionamos o encontro especialmente para as pessoas mais afastadas que necessitam de mais conhecimento, que são como ovelhas feridas ser Pastor, com o objetivo de atingir e restaurar a vida dos filhos  de Deus afastados da Igreja, ou seja, “Evangelizar os Batizados”, neste caso recebemos pessoas feridas pelo pecado, pela droga, pelas mágoas, pelas enfermidades, pelo desprezo, pelo ressentimento, pela discriminação, em fim, o rebanho está cheio de OVELHAS feridas a serem curadas antes de efetivamente receberem um bom alimento sólido para suas almas. De que adianta alimentar uma ovelha que está morrendo, sangrando ou envenenada por uma serpente maligna, antes de tudo precisamos tratar suas feridas e curar suas dores, este era o método de Jesus, foi assim que Ele nos ensinou, foi assim que Ele nos mandou fazer quando fossemos evangelizar o mundo que não o conhecia.Isto é arar a terra e preparar o terreno para receber a boa semente,  isto é abrir os corações para receber Jesus no Sacramento da Eucaristia e o alimento da Palavra de Deus na “Santa Missa” ponto central e máximo de um encontro da RCC, nós apenas preparamos o caminho para que Ele “JESUS” receba todos os méritos, e será Ele mesmo quem realizará a sua obra perfeita em cada um de nós.



Críticas e perguntas mais Frequentes:


1)- Dizem que as pessoas ficam aparentemente fora de si, descontroladas, e se estrebuchando no chão:


Não é verdade, as pessoas ficam como que dormindo por um curto espaço de tempo, mas mantendo o completo domínio de si mesmas  sem perder os sentidos e não só podem como devem controlar esta manifestação, podendo se levantar quando bem entenderem ou se forem chamadas a se levantar.É comum ouvirmos testemunhos que confirmam o fato de que continuamos ouvindo e sentindo as coisas que acontecem em volta de nós, semelhante quando estamos sonhando e o sono termina e começamos a perceber os acontecimentos em volta porém ainda permanecemos dormindo e tentando se levantar ou se mover, mas o corpo não responde por isso o repouso no Espírito não se assemelha em nada à um desmaio, sendo mais semelhante a um cochilo no sofá enquanto assistimos tv.



Só repousa no Espírito quem se permite e tem coragem de se entregar de corpo e alma a Jesus.  O repouso é uma entrega total aos braços do Pai onde até mesmo seríamos capazes de saltar de um prédio em chamas, confiando apenas na voz do bombeiro pedindo-nos para pular.



Há quem coloque como uma característica padrão uma queda instantânea como um desligamento pontual, mas podemos perceber que na grande maioria das vezes as pessoas dão sinais de que estão prestes a repousar, pois começam a perder as forças e vão desfalecendo aos poucos dando tempo para que as pessoas ao seu redor percebam a iminência do acontecimento e a auxiliem em uma queda suave ou até mesmo sentando a em uma cadeira para que não caia com insegurança no chão ou em cima de outra pessoa ou seja, deitar as pessoas no chão não pode ser seguido como uma regra ou obrigatoriedade já que este tipo de ação já acontecia a muito tempo antes mesmo do termo Repouso se tornar mais conhecido.É comum ouvirmos testemunhos de que pessoas caíram de repente e não se machucaram, porém este não seria um testemunho comum ou de regra geral, pois aqueles que não caem de repente também estão repousando no Espírito e se beneficiam com os mesmos efeitos de cura interior e alívio que o Pai propõe para todos.Portanto, Repouso no Espírito não implica em cair no chão ou sobre qualquer coisa como se fosse um fruto maduro despencando de uma árvore “ISTO NÃO É UMA REGRA GERAL MUITO MENOS OBRIGATÓRIO” que deve acontecer a qualquer custo para provar que Jesus nos tocou.



Mas se por acaso alguma pessoa não for capaz de se controlar e começar realmente a demonstrar reações de descontrole físico e emocional, isto não será um “Repouso no Espírito” e sim uma manifestação de possessão, uma crise epilética, ou descontrole psicológico em pessoas sob tratamento, ou com transtornos psicológicos.Esta pessoa deverá ser retirada do ambiente para não causar transtorno aos demais e ser atendida por uma equipe preparada em um ambiente reservado, salientamos que isto pode ocorrer e que devemos estar preparados para tal acontecimento, porém geralmente não ocorre com freqüência  principalmente quando o encontro é voltado à um nível de participantes mais crescidos na fé, por outro lado quando o evento é voltado para a cura e libertação e aberto para pessoas enfermas e problemáticas, podemos estar preparados que isto poderá acontecer com muitas pessoas. A Própria Igreja mantém um Sacerdote preparado para o “Exorcismo”, reservado para esse tipo de atendimento quando necessário, mostrando que nada disso é anormal em nosso meio, porque o próprio Jesus assim sempre atuou além de mandar que seus discípulos fizessem o mesmo que Ele.



Hoje estamos bem acostumados a nos colocar de joelhos na presença do Santíssimo Sacramento, quando entramos numa Igreja fazemos a nossa reverência a Ele e quando entramos em oração nos colocamos nesta condição para expressar nosso respeito e nossa total submissão, se bem que a maioria das pessoas não sabe nada sobre isso, mas podemos relembrar que no passado do povo Judeu a expressão física externa de respeito ao Senhor Deus era um pouco mais do que apenas se colocar de joelhos e sim era um ato de total prostração e como diz os mais entendidos, “Colocar a boca no pó da terra” para demonstrar que não somos nada a não ser pó.  Um ato de total humildade, é este ato observado nas fotos de Ordenação Sacerdotal onde o Jovem candidato se doa a Jesus demonstrando o sentimento de seu coração neste ato externo de seu corpo físico, portanto a fato de alguém estar prostrado na presença de Deus nada mais é do que uma entrega total a Deus, que pode ser de maneira voluntária e consciente e as vezes acontece de maneira involuntária guiada e conduzida pela ação do Divino Espírito Santo de Deus.


Enfim, Repouso no Espírito nada mais é do que um momento em que uma pessoa cheia de problemas interiores se entrega totalmente e incondicionalmente nas mãos de Jesus para que Ele trabalhe em seu interior livremente, arrancando todas as dores e enfermidades e assim ela descansa em Deus como diz o salmista:


“Só em Deus repousa minha alma, só d’Ele me vem a salvação...” (Salmos 61,2)



2)- Quem recebe o Espírito Santo é só quem repousa?


R.: Definitivamente NÃO !!!


3)- O que de fato acontece quando repousamos no Espirito Santo?

R.: Se for realmente um repouso autêntico, pode acontecer muitas coisas, depende de cada pessoa e situação particular vivida por cada indivíduo: Pode acontecer uma revelação, uma cura espiritual, um consolo espiritual, etc.



“Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo”


----------------------------------------------------------




Apostolado Berakash – Trazendo a Verdade: Se você gosta de nossas publicações e caso queira saber mais sobre determinado tema, tirar dúvidas, ou até mesmo agendar palestras e cursos em sua paróquia, cidade, pastoral, e ou, movimento da Igreja, entre em contato conosco  pelo e-mail:




filhodedeusshalom@gmail.com
Curta este artigo :

+ Comentário. Deixe o seu! + 6 Comentário. Deixe o seu!

7 de outubro de 2017 14:15

Vocês são protestantes? É bíblico ou não? Foda-se! O católico se preza pelo Sagrado Magistério e tudo o mais está abaixo disso, inclusive a Bíblia, um objeto inerte, e até mesmo o Papa, seja ele quem for.

12 de setembro de 2018 16:53

Apesar de ser da Obra shalom, eu tenho sérias dúvidas com relação ao repouso ser algo efetivamente espiritual. Isso, depois de ter iniciado meus estudos em estados alterados de consciência.

16 de novembro de 2018 09:27

A verdadeira intenção de Cristo ñ era operar milagres, era nos levar ao pai através dele por meio de nossa fé. Os milagres eram feitos para provar q Ele era filho de Deus. Os profetas faziam milagres para provarem q estavam realizando a obra de Cristo, mas todos esses dons iriam cessar qnd viesse o que era perfeito (a palavra). Hj temos a bíblia pra nos guiar, sendo assim, pra nós foi deixado apenas a fé, esperança e o amor.

16 de fevereiro de 2019 14:00

Quando repousar e a pessoa sentir tanta energia e começa aguentar o corpo todo e os dados das mao estão pegando fogo

15 de julho de 2019 08:19

O Espírito Santo Faz é Criativo e contínua criando coisas para favorecer a nossa conversão. Glória a Deus pelo Repouso no Espírito.... mais uma ferramenta do Espírito Santo para nossa edificação!

24 de julho de 2019 03:32

Eu fui hoje pra. Adoração e não cai mas sentir aceleração do coração e tremura em controrlavel será que repousei gostaria muito de repousar

Postar um comentário

Conforme a lei o blog oferece o DIREITO DE RESPOSTA a quem se sentir ofendido(a), desde que a resposta não contenha palavrões e ofensas de cunho pessoal e generalizados.Os comentários serão analisados criteriosamente e poderão ser ignorados e ou, excluídos.

Quem sou eu?

Minha foto
CIDADÃO DO MUNDO, NORDESTINO COM ORGULHO, Brazil
Neste Apostolado promovemos a “EVANGELIZAÇÃO ANÔNIMA", pois neste serviço somos apenas o Jumentinho que leva Jesus e sua verdade aos Povos. Portanto toda honra e Glória é para Ele.Cristo disse-nos:Eu sou o caminho, a verdade e a vida e “ NINGUEM” vem ao Pai senão por mim." ( João, 14, 6).Como Católicos,defendemos a verdade, contra os erros que, de fato, são sempre contra Deus.Cristo não tinha opiniões, tinha verdades, a qual confiou a sua Igreja, ( Coluna e sustentáculo da verdade – Conf. I Tim 3,15) que deve zelar por elas até que Cristo volte.Quem nos acusa de falta de caridade mostra sua total ignorância na Bíblia,e de Deus, pois é amor, e quem ama corrige, e a verdade é um exercício da caridade.Este Deus adocicado,meloso,ingênuo, e sentimentalóide,é invenção dos homens tementes da verdade, não é o Deus revelado por seu filho: Jesus Cristo.Por fim: “Não se opor ao erro é aprová-lo, não defender a verdade é nega-la” - ( Sto. Tomáz de Aquino) “Não a nós, Senhor, não a nós, mas ao vosso nome dai glória...” (Salmo 115,1)

As + lidas!

 
Support : Creating Website | Johny Template | Mas Template
Copyright © 2013. O BERAKÁ - All Rights Reserved
Template Created by Creating Website Published by Mas Template
Proudly powered by Blogger