A mera veiculação, ou reprodução de matérias e entrevistas deste blog não significa, necessariamente, adesão às ideias neles contidas. Tal material deve ser considerado à luz do objetivo informativo deste blog, não sendo a simples indicação, ou reprodução a garantia da ortodoxia de seus conteúdos. Os comentários devem ser respeitosos e relacionados estritamente ao assunto do post. Toda polêmica desnecessária será prontamente banida. Todos os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam, de maneira alguma, a posição do blog. Não serão aprovados os comentários escritos integralmente em letras maiúsculas, ou CAIXA ALTA. A edição deste blog se reserva o direito de excluir qualquer artigo ou comentário que julgar oportuno, sem demais explicações. Todo material produzido por este blog é de livre difusão, contanto que se remeta nossa fonte.
Home » , » A VONTADE DE DEUS NA VOCAÇÃO SHALOM: “É o meu paraíso...”

A VONTADE DE DEUS NA VOCAÇÃO SHALOM: “É o meu paraíso...”

Written By Beraká - o blog da família on sexta-feira, 10 de março de 2017 | 11:55







Objetivo: Abordar o chamado de Deus através da misericórdia; de onde fomos chamados; despertar a ter um coração grato a Deus e disposto a abraçar  a vontade de Deus em todas as dimensões da vida.Não importa como começamos a nossa caminhada com Deus, e sim como na perseverança a terminamos, pois o melhor vinho Deus serve sempre ao final como nas bodas de Caná. Creiamos que o melhor de nós ainda estar por vir. Deus está trabalhando em nós, sejamos dóceis a sua obra.


Mat 24,13: “ Mas aquele que perseverar até ao fim será salvo”




Tempo gasto com Deus, não é tempo perdido, mas tempo ganho em que acumulamos um tesouro, que nem os ladrões roubam nem as traças corroem (Mateus6,19-20).Mas é preciso perseverar  e cultivar a experiência da graça inicial e crescer nela dia a dia no conhecimento do nosso Senhor. Salomão foi um rei conhecido por muitas nações devido sua enorme sabedoria. A bíblia nos relata que uma rainha de uma terra distante foi ver com seus próprios olhos tudo o que haviam falado a respeito dele. Ao chegar na presença do rei ficou admirada com tudo o que vira. A bíblia nos diz que ela ficou fora de si (I Reis 10,5). Era muita glória, muita organização, muita excelência e alegria em um reino. A fama deste homem percorria por todos os lugares e muitas pessoas queriam vê-lo de perto[I Reis 10,24].A rainha de Sabá não fora ter com o rei somente para testá-lo com enigmas, ela queria ver sua vida e comprovar tudo o que havia escutado a respeito dele. O que é mais lindo é que ela reconheceu Deus em tudo o que Salomão fazia. Não reconheceu Deus somente na sua forma de lidar com seus servos, ou somente na sua casa, foi em tudo.[I Reis 10,5].



Será que as pessoas conseguem ver Deus em toda e qualquer área da nossa vida?Será que aqueles que não são Cristãos olham pra gente e pensam: “Uau, realmente existe !!! E é um Deus que rege a vida dessas pessoas”. Será que nossa vida glorifica a Deus? Não só quando rezamos por alguém, não só quando estamos reunidos em Comunidade, e sim em tudo, seja na família, na faculdade, trabalho, no shopping.Será que onde estamos reflete a glória e o poder de Deus?



 



VONTADE DE DEUS É O MEU PARAISO – João da Cruz



Efésios 5,15-17: “Tenham cuidado com a maneira como vocês vivem; que não seja como insensatos, mas como sábios, aproveitando ao máximo cada oportunidade, porque os dias são maus. Portanto, não sejam insensatos, mas procurem compreender qual é a vontade do Senhor.”


Por que não devemos ter medo de nada além do próprio Deus?

Primeiro por causa do valor que temos para Deus. O segundo motivo é que não há ninguém maior que Deus que nos ama incondicionalmente, gratuitamente, pessoalmente e infinitamente.



Vejamos o próprio Jesus nos falar:


"Eu lhes digo, meus amigos: Não tenham medo dos que matam o corpo e depois nada mais podem fazer. Mas eu lhes mostrarei a quem vocês devem temer: temam aquele que, depois de matar o corpo, tem poder para lançar no inferno. Sim, eu lhes digo, esse vocês devem temer...” (Mateus 10,28).


O que de pior nos pode acontecer no seguimento de Cristo e na própria vida?


O máximo que pode nos acontecer é a morte. Mas não cremos, como o apóstolo Paulo, que viver e morrer têm o mesmo peso (Filipenses 1,2)? - Nosso corpo pode ser levado por um inimigo, que nos torture e até nos mate, mas nenhum inimigo tem poder sobre a nossa vida espiritual, que é eterna. Nosso corpo pode ser levado por uma doença, mas a doença não leva a nossa vida, que é eterna. Nosso corpo pode ser levado por um acidente, mas nenhum acidente nos leva a vida, que é eterna.Portanto, não precisamos ter medo de ninguém e de nada. Só de Deus. 


Mc 8,35-36: Aquele que tentar salvar sua vida vai perde-la...



Não é da vontade de Deus que você sofra


Muitas vezes sofremos como resultado de nossas escolhas, ou consequência das escolhas de outras pessoas, que Deus permite em forma de provação para nossa santificação:


João 16,33 – “No mundo passais por aflições; mas tende bom ânimo, eu venci o mundo.”



Devemos passar pelas tribulações que nos são impostas neste mundo, na medida em que somos convidados a termos bom ânimo. Na verdade, é uma grande graça viver neste mundo, mas aprendendo através da sabedoria de Jesus Cristo a importância disto. Outros versículos encorajadores sobre viver as tribulações neste mundo são:



2 Cor 4,17 – ‘’Porque a nossa leve e momentânea tribulação produz para nós um peso eterno de glória mui excelente.’’


Romanos 12,12 – ‘’Alegrai-vos na esperança, sede pacientes na tribulação, perseverai na oração...”




Creio que a vontade de Deus é perfeita, e ela é nosso paraíso. Mesmo que muitas vezes eu queira algo, e Deus na verdade tem outra coisa preparada para mim, e cabe a mim aceitar ou não. Vejo diversos jovens se questionando sobre o que Deus quer para a vida deles, principalmente sobre os relacionamentos. Entendo que ansiamos estar com alguém preparado por Deus, porém prefira aguardar o tempo certo. Conheço diversos relacionamentos que deram errado por não ser nem a hora, nem a vontade de Deus. Não se engane com os banquetes que Satanás possa lhe oferecer. Aguarde o banquete real, do Senhor, Deus Soberano.


Eu sou responsável pelas minhas escolhas, e não Deus. Muitas vezes passamos por cima da vontade de Deus, dou lugar a minha vontade humana e depois tento consertar dizendo que era vontade de Deus. Eu realmente posso fazer de tudo. Mas convém fazer? O que me acrescentará?


Para entender a diferença de forma clara, pense você como um pai, ou mãe, e seu filho lhe pede algo. Você não quer que ele faça sua própria vontade, pois sabe das consequências danosas, e algumas vezes você diz não e pronto, e outras por diversos motivos, você acaba cedendo e deixa (permissão). Você não queria, mas deixou. Há uma grande diferença nisto não há?



De fato, tudo somente acontece se Deus permitir. Mas entenda que muitas vezes Ele permitiu algo, não desejando aquilo. Ele, por exemplo, não queria que Adão e Eva pecassem, porém, devido ao livre arbítrio, eles pecaram, Deus não ia impedi-los, uma vez que era isso que eles optaram fazer e fizeram.



Busquemos saber qual a real vontade de Deus para nossa vida. E não peçamos a Ele que as nossas vontades aconteçam, mas a graça de saber e cumprir a sua vontade, pois muitas vezes não somos atendidos porque pedimos errado e fora da vontade de Deus.


“Pois quando pedem, não recebem, pois pedem por motivos errados, para gastar em seus prazeres...” - Tiago 4,3



Podemos até começar bem nossa jornada, cheios de vontade de buscar a Deus, com uma sede que parece ser insaciável, rezamos horas, lemos a bíblia, documentos da Igreja, não perdemos nenhum congresso, retiro, vigília, reuniões, ministérios, mas  se não tivermos cuidado, alguma coisa poderá nos tirar do foco, nos esfriar a ponto de não nos interessar mais as coisas de Deus, e o pior, é que nem sempre serão coisas ilícitas, muitas vezes o que nos distancia de Deus são as coisas lícitas, que aparentemente não há problema nenhum. 



E muitos só percebem quando já estão tão longe do Pai que nem conseguem mais ouvir a sua voz chamando para voltar. Não se sentem mais atraídos e estimulados pelas coisas de Deus, mas apenas pelas coisas do mundo.




A VONTADE DE DEUS LIBERTA-ME DE MIM MESMO:


A maior escravidão do homem é o pecado, que ele mesmo escolhe. O homem torna-se fraco, ou seja, não é mais livre o suficiente para decidir-se pelo melhor para si, mas sofre agora porque a sua liberdade está sujeita a alimentar a sua fraqueza e fazê-lo cada vez mais infeliz. É aqui, nesta condição, que Deus deseja manifestar a todo homem a sua Vontade, que não escraviza, mas, ao contrário, devolve a liberdade, aquela que ficou comprometida por causa do pecado.A Vontade de Deus vai se revelando de forma suave e libertadora na vida daqueles que tiveram uma experiência verdadeira com Seu amor. O amor aqui não é somente um sentimento, que sem duvida é um maravilho impulso inicial, mas o amor toca o indivíduo no todo, desde o sentimento até a união das vontades.



Só se poder falar de Vontade de Deus para quem teve esta experiência, pois quando descobrimos que Deus é Amor (cf. 1 Jo 4,8),entendemos também que é próprio do amor querer o melhor para o amado. Estranho seria o amor de Deus se simplesmente nos criasse e nos deixasse entregue à força de nossas paixões. Estaríamos, assim, destinados a uma vida voltada somente para nós mesmos, sendo aquilo para o qual não fomos criados e nunca podendo nos realizar plenamente.



“A história do amor entre Deus e o homem consiste precisamente no fato de que esta comunhão de vontade cresce em comunhão de pensamento e de sentimento e, assim, o nosso querer e a vontade de Deus coincidem cada vez mais: a vontade de Deus deixa de ser para mim uma vontade estranha que me impõem de fora os mandamentos, mas é a minha própria vontade, baseada na experiência de que realmente Deus é mais íntimo a mim mesmo de quanto o seja eu próprio” (Deus caritas est, 17)



Deus, por amor, deseja fazer conhecida a Sua Vontade. Aqui, entramos no mistério da VOCAÇÃO. Quando compreendemos o amor de Deus,vemos a grandeza de sermos chamados a uma vocação. Que privilégio! Deus me chama. Agora não é mais um peso, não é uma obrigação fazer a vontade de Deus, mas nós, livremente, optamos pela nossa liberdade, e nela encontramos também a nossa felicidade.



É por isto que tantas vezes vemos o apelo dos santos que dizem: “vontade de Deus, meu paraíso”. Do Papa Emérito Bento XVI: “Deus não tira nada, dá tudo” e de outros que nos encorajam: “Se sentirdes o chamado do Senhor,não o recuseis” (João Paulo II).


Lembre-se, ninguém tropeça em montanhas



Quais são as pequenas coisas que podem nos afastar de Deus? Sempre tropeçamos nas pequenas pedras. Nunca é da noite para o dia que sairemos da presença do Senhor. São as pequenas coisas que vão gelando nosso coração, minando nossa mente e murchando nosso espírito.

Mas por outro lado, você pode estar começando sua jornada “capengando”, todo arrebentado pela vida, destruído e ferido. Mas pode buscar a cura que vem do alto, pode procurar melhorar, buscar a Deus em oração na sua verdade e assim crescer  em graça e conhecimento de si mesmo(A miséria) e de Deus (A misericórdia).



VONTADE DE DEUS NA VOCAÇÃO SHALOM:



“Não poderá jamais existir a verdadeira Paz nas almas dos homens e no mundo se esta Paz não estiver embasada em um amor incondicional a Jesus Cristo, pois aí nasce o Shalom de Deus. Aí está também aquilo a que fomos chamados: a entregar, consumir nossas vidas neste amor. No amor que busca cada vez mais o esquecimento de si, de sua própria vontade, de seus próprios interesses, de sua própria vida e que, cada vez mais inflamado de amor pelo Amado busca somente a Ele, a vontade d’Ele, os interesses d’Ele, a vida d’Ele, a obra d’Ele” (Regras de Vida).


Estas palavras escritas em nossa Regra são um farol que ilumina o caminhar de nossa vivência comunitária. É da comunhão com o Senhor que o nosso coração se abastece para também entrar em comunhão com os irmãos. É dela que brotam a unidade e a fraternidade a que somos chamados a viver e a revelar ao mundo o plano de Deus sobre a comunhão a qual todos os homens foram criados para viver. É assim, aos poucos, doando as nossas vidas, unindo os nossos corações, vivendo a fraternidade entre nós para transbordá-la para o mundo, que colaboramos com a construção da “civilização do amor”.



Se temos a consciência profunda de que somos chamados a viver a união com Deus e com os homens, para nós a pobreza, a obediência e a castidade são um porto seguro para que não nos afastemos deste chamado de comunhão. Eles são como terra fértil que ajudarão a desenvolver o amor em nossos corações.



1)- A pobreza a que somos atraídos a viver é “em primeiro lugar estarmos nas mãos de Deus, ser Seus operários, e como fruto de nosso trabalho, esperarmos o pão de cada dia” (Regras de Vida). Trabalhamos com dedicação para evitarmos toda “pseudo pobreza” e investimos nossas vidas na busca da sobriedade em todos os aspectos dela para não atropelarmos a vida dos irmãos e tirar o que é do outro para a nossa própria satisfação, saindo assim de todo individualismo e apegos, como nos ensina Catherine Doherty: “No Reino de Deus, Deus é o primeiro, o irmão é segundo e eu sou o terceiro”. “É isto ser pobre: ser o terceiro”. Seguindo assim também o pensamento de São Francisco: Quando há uma necessidade, aparece a ajuda do outro. A pobreza cria necessidades e as necessidades abrem os irmãos uns para os outros” (Irmão de Assis, p. 203).


2)- A castidade é o outro caminho seguro que nos leva a mergulhar nossas vidas inteiramente nos braços de Deus, onde a graça divina encontra um vazio criado por ela para realizar em nós a transcendência do prazer. Não queremos viver apenas para nos contentar, para termos o prazer egoísta que só pensa em si mesmo, que se fecha em si mesmo, que não sabe pensar nos outros. Temos a certeza que não nascemos apenas para sermos felizes, mas principalmente para fazermos os outros felizes. Queremos trilhar este caminho casto para que possamos amar a Deus Pai e a todos os homens com o mesmo amor total, divino e humano de Cristo, que gera relacionamentos interpessoais que continuarão sendo válidos na outra vida, transcendendo assim toda mediação fundada nos sentidos.



3)- A obediência é sinal para nós de perfeita submissão filial plena e amorosa ao querer do Pai. É demonstração concreta de docilidade ativa e responsável à vontade de Deus diante do conhecimento do plano salvífico d’Ele para as nossas vidas e aceitá-lo incondicionalmente com todas as suas consequências. Por ela nos comprometemos, diante de Deus e dos irmãos, a viver em total docilidade à vontade amorosa do Pai e a acolhê-la como critério único de vida, sejam quais forem as mediações humanas ou sinais que manifestem esta vontade. Pela obediência temos a oportunidade de vivermos a verdadeira liberdade de filhos de Deus, a liberdade cristã, que nos projeta além do horizonte individual, que nos conduz a não decidirmos autonomamente sobre nós mesmos, mas nos liberta dessa tendência inata de colocarmos no centro do universo os nossos próprios interesses.



Para compor este belo jardim divino, o Senhor chama casais ou famílias inteiras, celibatários e sacerdotes, porque estes estados de vida para nós, apesar de terem características próprias que devem e são respeitadas, nunca poderão ser vividos numa perspectiva individualista, fechados neles próprios, mas sempre abertos à doação e transbordamento para a Comunidade, a Obra, a Igreja e o mundo. Compreendemos claramente que os estados de vida, seja ele matrimônio, celibato ou sacerdócio, “são um dom que o Senhor nos dá para amá-lO melhor e servi-lO segundo a Sua vontade, em sinceridade, abertura e serviço” (Regras de Vida).


E é isso que todos devemos almejar, terminar nossa carreira como Paulo falou:


“Combati o bom combate, terminei a corrida, guardei a fé.” [2 Timóteo 4,7].

Que a graça de Nosso Senhor Jesus Cristo nos auxilie a guardar a nossa fé, para que no grande dia, na presença Dele, sejamos aprovados, não por méritos, pois pela graça somos salvos, mas pela perseverança em seu amor misericordioso.

“LOUVADO SEJA NOSSO SENHOR JESUS CRISTO”




Curta este artigo :

Postar um comentário

Conforme a lei o blog oferece o DIREITO DE RESPOSTA a quem se sentir ofendido, desde que a resposta não contenha palavrões e ofensas de cunho pessoal e generalizados.Serão analisadas e poderão ser ignoradas e ou, excluídas.

Quem sou eu?

Minha foto
CIDADÃO DO MUNDO, NORDESTINO COM ORGULHO, Brazil
Neste Apostolado promovemos a “EVANGELIZAÇÃO ANÔNIMA", pois neste serviço somos apenas o Jumentinho que leva Jesus e sua verdade aos Povos. Portanto toda honra e Glória é para Ele.Cristo disse-nos:Eu sou o caminho, a verdade e a vida e “ NINGUEM” vem ao Pai senão por mim." ( João, 14, 6).Como Católicos,defendemos a verdade, contra os erros que, de fato, são sempre contra Deus.Cristo não tinha opiniões, tinha verdades, a qual confiou a sua Igreja, ( Coluna e sustentáculo da verdade – Conf. I Tim 3,15) que deve zelar por elas até que Cristo volte.Quem nos acusa de falta de caridade mostra sua total ignorância na Bíblia,e de Deus, pois é amor, e quem ama corrige, e a verdade é um exercício da caridade.Este Deus adocicado,meloso,ingênuo, e sentimentalóide,é invenção dos homens tementes da verdade, não é o Deus revelado por seu filho: Jesus Cristo.Por fim: “Não se opor ao erro é aprová-lo, não defender a verdade é nega-la” - ( Sto. Tomáz de Aquino)

As + lidas!

 
Support : Creating Website | Johny Template | Mas Template
Copyright © 2013. O BERAKÁ - All Rights Reserved
Template Created by Creating Website Published by Mas Template
Proudly powered by Blogger