A mera veiculação, ou reprodução de matérias e entrevistas deste blog não significa, necessariamente, adesão às ideias neles contidas. Tal material deve ser considerado à luz do objetivo informativo deste blog, não sendo a simples indicação, ou reprodução a garantia da ortodoxia de seus conteúdos. Os comentários devem ser respeitosos e relacionados estritamente ao assunto do post. Toda polêmica desnecessária será prontamente banida. Todos os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam, de maneira alguma, a posição do blog. Não serão aprovados os comentários escritos integralmente em letras maiúsculas, ou CAIXA ALTA. A edição deste blog se reserva o direito de excluir qualquer artigo ou comentário que julgar oportuno, sem demais explicações. Todo material produzido por este blog é de livre difusão, contanto que se remeta nossa fonte.
Home » » Como deve ser a atuação na Política do Político Católico fiel a Igreja ?

Como deve ser a atuação na Política do Político Católico fiel a Igreja ?

Written By Beraká - o blog da família on sexta-feira, 19 de julho de 2013 | 14:48







“Apesar das contradições enfrentadas por este ideal, a fé cristã, longe de ver a vida e a ação política como um peso, ou pelo menos um mal necessário, entende que o espaço da vida comunitária organizada politicamente é um cenário propício para o desenvolvimento livre da vocação humana.”


Um cristão não concebe as relações com a autoridade política como relações problemáticas ou conflituosas.


A ação não pode ser, portanto, uma ação destrutiva, mas construtiva. A moral política não pode ser moral de oposição, mas busca e cumprimento do bem. Esta é, segundo Bento XVI, a moral política da Bíblia, de Jeremias a Pedro e Paulo.

Esta maneira de conceber as instituições políticas, as relações políticas e o exercício da função política contribui para desmistificar a política e dotá-la de racionalidade e, portanto, de moralidade.

A boa política é impossível sem referência ao bem.

“Só onde o bem se realiza e se reconhece como bem pode prosperar igualmente uma boa convivência entre os homens” (Bento XVI, “Cristianismo e política“, 1995).

Por isso, a moral política, longe de ser uma questão privada, como pretendem as teorias do poder inocente, é uma questão pública.

O católico fiel que exerce funções políticas deve agir de acordo com esta visão.

Algo assim é possível. A DSI (Doutrina Social da Igreja), consciente da fragilidade dos propósitos e realizações humanas, acredita que a fé cristã é historicamente operativa e que, em definitiva, a ordem humana depende de atitudes profundas capazes de materializar-se (Sollicitudo Rei Socialis, 1987).

Sem dúvida, a manifestação pública destas atitudes e sua tradução em comportamentos políticos capazes de recuperar a dimensão moral da democracia e fortalecer as relações de confiança entre cidadãos e governantes dependem, em primeiro lugar, da conduta política dos cargos eleitos.

E isso acontece, de maneira urgente, por superar a mentalidade tecnicista que reduz a democracia a uma simples estrutura de poder.

Mediante critérios práticos que, caminhando ao lado da DSI, poderíamos sintetizar assim:

1)- A democracia exige instituições confiáveis e autorizadas, que não estejam orientadas à simples gestão de poder, mas que sejam capazes de promover a participação popular no respeito às tradições de cada nação;

2)- A democracia não pode favorecer a formação de grupos dirigentes restritos que, seja por interesse de parte ou particulares, seja por motivos ideológicos, usurpem o poder do Estado;

3)- A democracia exige, independentemente do sentido do voto nas diversas consultas eleitorais, que todos os cidadãos cooperem de maneia ativa na promoção do bem comum. O comumente compartilhado é o que deve facilitar este exercício de cooperação, à margem dos programas dos partidos políticos.

4)- A democracia não é um regime de adesão e o poder político não é um objeto de uso restrito;

5)- A representação política, diferente da representação jurídica ou sociológica, nem converte os cidadãos em órgãos do Estado, nem permite estabelecer uma identificação absoluta entre opções eleitorais e adesão às decisões de governo. A representação tem uma dimensão moral que consiste no compromisso de compartilhar o destino do povo e em buscar soluções aos problemas sociais.

6)- A democracia requer um exercício responsável da autoridade, o que significa uma autoridade exercida mediante o recurso às virtudes que favorecem a prática do poder como serviço;

7)- A democracia deve evitar a conversão do Estado em uma burocracia caracterizada pela impessoalidade, a não-intervenção ou o simples “encolher os ombros”;

8)-A democracia deve favorecer e incentivar o pluralismo social, bem como garantir a “subjetividade da sociedade”;

9)- A democracia deve comprometer-se na promoção da justiça social;

10)- A democracia, por si só, não tem capacidade de estabelecer os fundamentos morais da convivência cidadã;

11)- As regras e procedimentos democráticos de tomada de decisões não são o fundamento moral das deliberaçõespolíticas;

12)- A democracia deve proteger a inviolabilidade da consciência, a liberdade religiosa e o direito à vida.

Aos políticos católicos corresponde levar à vida política normas objetivas que incentivem um comportamento político justo, sendo conscientes, no entanto, de que não é a religião que deve oferecer estas normas objetivas ao debate político.

O papel da religião, já dizia Bento XVI, é ajudar a purificar e iluminar a aplicação da razão à descoberta de princípios morais objetivos.

E isso porque a religião não é um problema que os legisladores devem solucionar, mas uma contribuição vital para o debate nacional

A consecução deste objetivo exige que o poder político reconheça que existem domínios reservados da consciência e que estes, no Ocidente, foram estabelecidos pelo cristianismo, pela lei natural e por uma ética dos direitos humanos.

É uma aberração que o poder político queira penetrar os as consciências, bem como sustentar que os juízos religiosos e morais não cabem no espaço público.

Cabe lembrar da figura de Tomás Moro, padroeiro dos governantes e políticos:



Sua história mostra uma verdade fundamental da moral política:

“A defesa da liberdade da Igreja frente às ingerências indevidas do Estado é, ao mesmo tempo, defesa da liberdade da pessoa frente ao poder político.”

Nisso reside o princípio fundamental de toda ordem autenticamente humana e, por isso, construída a favor do ser humano, e não contra ele.

Não é esta a primeira e principal responsabilidade e desafio ao qual deve responder o católico com vocação política?

Fonte: Aleteia

Curta este artigo :

Postar um comentário

Conforme a lei o blog oferece o DIREITO DE RESPOSTA a quem se sentir ofendido, desde que a resposta não contenha palavrões e ofensas de cunho pessoal e generalizados.Serão analisadas e poderão ser ignoradas e ou, excluídas.

Quem sou eu?

Minha foto
CIDADÃO DO MUNDO, NORDESTINO COM ORGULHO, Brazil
Neste Apostolado promovemos a “EVANGELIZAÇÃO ANÔNIMA", pois neste serviço somos apenas o Jumentinho que leva Jesus e sua verdade aos Povos. Portanto toda honra e Glória é para Ele.Cristo disse-nos:Eu sou o caminho, a verdade e a vida e “ NINGUEM” vem ao Pai senão por mim." ( João, 14, 6).Como Católicos,defendemos a verdade, contra os erros que, de fato, são sempre contra Deus.Cristo não tinha opiniões, tinha verdades, a qual confiou a sua Igreja, ( Coluna e sustentáculo da verdade – Conf. I Tim 3,15) que deve zelar por elas até que Cristo volte.Quem nos acusa de falta de caridade mostra sua total ignorância na Bíblia,e de Deus, pois é amor, e quem ama corrige, e a verdade é um exercício da caridade.Este Deus adocicado,meloso,ingênuo, e sentimentalóide,é invenção dos homens tementes da verdade, não é o Deus revelado por seu filho: Jesus Cristo.Por fim: “Não se opor ao erro é aprová-lo, não defender a verdade é nega-la” - ( Sto. Tomáz de Aquino)

As + lidas!

 
Support : Creating Website | Johny Template | Mas Template
Copyright © 2013. O BERAKÁ - All Rights Reserved
Template Created by Creating Website Published by Mas Template
Proudly powered by Blogger