A mera veiculação, ou reprodução de matérias e entrevistas deste blog não significa, necessariamente, adesão às ideias neles contidas. Tal material deve ser considerado à luz do objetivo informativo deste blog, não sendo a simples indicação, ou reprodução a garantia da ortodoxia de seus conteúdos. Os comentários devem ser respeitosos e relacionados estritamente ao assunto do post. Toda polêmica desnecessária será prontamente banida. Todos os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam, de maneira alguma, a posição do blog. Não serão aprovados os comentários escritos integralmente em letras maiúsculas, ou CAIXA ALTA. A edição deste blog se reserva o direito de excluir qualquer artigo ou comentário que julgar oportuno, sem demais explicações. Todo material produzido por este blog é de livre difusão, contanto que se remeta nossa fonte.
Home » » Finalmente: "uma enorme vitória para a família"

Finalmente: "uma enorme vitória para a família"

Written By Beraká - o blog da família on quarta-feira, 22 de julho de 2015 | 08:22






Reações entusiásticas após a resolução das Nações Unidas em favor da família natural


Por Federico Cenci – Agência Zenit

"A família é base da sociedade e o lugar onde as pessoas aprendem pela primeira vez os valores que os guiarão durante toda a vida". São João Paulo II (1920-2005)



A 29ª sessão do Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas em Genebra, no dia 25 de junho, trouxe uma "enorme vitória para a família", declarou a organização sem fins lucrativos Family Watch International, fundada em 1999, diante da resolução para a proteção da família que foi aprovada com 26 votos a favor, 14 contra e 6 abstenções.




A Family Watch International recorda que: "é a primeira vez na história das Nações Unidas que uma resolução global foi aprovada pedindo a proteção da família como unidade fundamental da sociedade, reconhecendo o direito de prioridade dos pais na educação dos seus filhos e convidando todas as nações a criarem políticas sensíveis às famílias e a reconhecerem suas obrigações vinculativas para proteger a família".




Foi estabelecido ainda que, na próxima sessão, será organizada uma mesa redonda sobre o tema. O caminho até esse resultado foi áspero:


Muitos países receberam instâncias do lobby LGBT para que o texto fosse atenuado nas suas referências à família como união entre um homem e uma mulher. Várias alterações foram propostas para incluir os tipos de união entre pessoas do mesmo sexo. Todas foram rejeitadas, incluindo a última, apresentada pelo Uruguai in extremis, e a do Reino Unido, que contava com o apoio de Estados Unidos, Alemanha, França, Brasil, Chile, Irlanda e Áustria.


Nem todos os países cederam à insistência externa:


Luis Losada, diretor de algumas campanhas da plataforma CitizenGo, salientou que "a Venezuela e a Bolívia tinham recebido muita pressão para mudar o seu voto", mas foi "muito positivo" o fato de terem mantido a sua posição em favor da família natural.



Assim como eles, votaram “sim” em favor da família os países africanos e os do Oriente Médio, bem como a Rússia e os países da Ásia (com exceção da Coreia do Sul e do Japão). Todos se opuseram aos países europeus, com exceção da Macedônia, que se absteve.


Durante a votação, houve um confronto verbal que é a imagem de dois mundos em dificuldades de entendimento:


A Rússia, ligada a valores tradicionais, condenou a proposta de incluir as uniões entre pessoas do mesmo sexo, feita pelo secularizado Reino Unido. Para os emissários russos, essa alteração era perigosa para o equilíbrio do texto original.




Os ventos da secularização sopram por todo o Ocidente:


Sharon Slater, presidente do Family Watch International, observou que os Estados Unidos não pouparam esforços para impedir a aprovação da emenda.

De acordo com Sharon, “promover a agenda LGBT no exterior tornou-se um objetivo primário da política externa dos EUA": a delegação norte-americana até ameaçou suspender a assistência aos países em desenvolvimento se eles apoiassem a família natural.



Na revista Touchston, o prof. Allan Carlson, secretário internacional do Congresso Mundial das Famílias, explicou que, no governo Obama, "ameaças, subornos e extorsão" a regiões "vulneráveis ​​da África, Ásia, América Latina e Europa Oriental" se tornaram estratégias habituais para exportar a revolução sexual.



O novo imperialismo, em suma, avança sob a égide do arco-íris:


Carlson observa, porém, que ele não deverá triunfar em escala planetária: os debates sobre gênero e sexualidade representam meramente o pico de entusiasmo de um pequeno número de "elites desenraizadas, secularizadas e, principalmente, sem filhos".


O futuro, no entanto, é de quem gera a vida: Um homem e uma mulher !!!


Curta este artigo :

Postar um comentário

Conforme a lei o blog oferece o DIREITO DE RESPOSTA a quem se sentir ofendido, desde que a resposta não contenha palavrões e ofensas de cunho pessoal e generalizados.Serão analisadas e poderão ser ignoradas e ou, excluídas.

Quem sou eu?

Minha foto
CIDADÃO DO MUNDO, NORDESTINO COM ORGULHO, Brazil
Neste Apostolado promovemos a “EVANGELIZAÇÃO ANÔNIMA", pois neste serviço somos apenas o Jumentinho que leva Jesus e sua verdade aos Povos. Portanto toda honra e Glória é para Ele.Cristo disse-nos:Eu sou o caminho, a verdade e a vida e “ NINGUEM” vem ao Pai senão por mim." ( João, 14, 6).Como Católicos,defendemos a verdade, contra os erros que, de fato, são sempre contra Deus.Cristo não tinha opiniões, tinha verdades, a qual confiou a sua Igreja, ( Coluna e sustentáculo da verdade – Conf. I Tim 3,15) que deve zelar por elas até que Cristo volte.Quem nos acusa de falta de caridade mostra sua total ignorância na Bíblia,e de Deus, pois é amor, e quem ama corrige, e a verdade é um exercício da caridade.Este Deus adocicado,meloso,ingênuo, e sentimentalóide,é invenção dos homens tementes da verdade, não é o Deus revelado por seu filho: Jesus Cristo.Por fim: “Não se opor ao erro é aprová-lo, não defender a verdade é nega-la” - ( Sto. Tomáz de Aquino)

As + lidas!

 
Support : Creating Website | Johny Template | Mas Template
Copyright © 2013. O BERAKÁ - All Rights Reserved
Template Created by Creating Website Published by Mas Template
Proudly powered by Blogger