A mera veiculação, ou reprodução de matérias e entrevistas deste blog não significa, necessariamente, adesão às ideias neles contidas. Tal material deve ser considerado à luz do objetivo informativo deste blog, não sendo a simples indicação, ou reprodução a garantia da ortodoxia de seus conteúdos. Os comentários devem ser respeitosos e relacionados estritamente ao assunto do post. Toda polêmica desnecessária será prontamente banida. Todos os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam, de maneira alguma, a posição do blog. Não serão aprovados os comentários escritos integralmente em letras maiúsculas, ou CAIXA ALTA. A edição deste blog se reserva o direito de excluir qualquer artigo ou comentário que julgar oportuno, sem demais explicações. Todo material produzido por este blog é de livre difusão, contanto que se remeta nossa fonte.
Home » » Como atuar politicamente sem estar filiado a um partido? Como estar sem estar no “SISTEMA” exercendo sua CIDADANIA ?

Como atuar politicamente sem estar filiado a um partido? Como estar sem estar no “SISTEMA” exercendo sua CIDADANIA ?

Written By Beraká - o blog da família on domingo, 4 de outubro de 2015 | 21:07







É interessante notar que  em um documento dos primeiros séculos da igreja Cristã conhecido como “Carta a Diogneto”, vemos neste documento que os primeiros Cristãos já viviam assim, em uma sociedade paganizada e com costumes hostis e contrários aos Cristãos. Um pagão culto, desejoso de conhecer melhor a nova religião que se espalhava pelas províncias do império romano, impressionado pela maneira como os cristãos desprezavam o mundo, a morte e os deuses pagãos, pelo amor com que se amavam, queria saber: 



"Que Deus era aquele em quem confiavam e que gênero de culto lhe prestavam; de onde vinha aquela raça nova e por que razões aparecera na história tão tarde ?..."


Foi para responder a estas e outras questões de igual importância que nasceu esta jóia da literatura cristã primitiva, o escrito que conhecemos como Epístola a Diogneto.O texto se revela, simultaneamente, como crítica do paganismo e do judaísmo e defesa da superioridade do cristianismo.Sobre este documento, infelizmente, não se sabe muita coisa. Elementos importantes que ajudam a determinar e caracterizar uma obra, tais como autor, data e local de composição, bem como o destinatário, ficam na sombra. De qualquer maneira trata-se de um documento de primeira grandeza sobre a vida cristã primitiva que merece ser colocado entre as obras mais brilhantes da literatura cristã.De acordo com os últimos estudos o destinatário mais provável seria o imperador Adriano, que exercia a função de arconte em Atenas desde 112 d.C:


“...Os cristãos, de fato, não se distinguem dos outros homens, nem por sua terra, nem por sua língua ou costumes. Com efeito, não moram em cidades próprias, nem falam língua estranha, nem têm algum modo especial de viver. Sua doutrina não foi inventada por eles, graças ao talento e a especulação de homens curiosos, nem professam, como outros, algum ensinamento humano. Pelo contrário, vivendo em casa gregas e bárbaras, conforme a sorte de cada um, e adaptando-se aos costumes do lugar quanto à roupa, ao alimento e ao resto, testemunham um modo de vida admirável e, sem dúvida, paradoxal. Vivem na sua pátria, mas como forasteiros; participam de tudo como cristãos e suportam tudo como estrangeiros. Toda pátria estrangeira é pátria deles, a cada pátria é estrangeira. Casam-se como todos e geram filhos, mas não abandonam os recém-nascidos. Põe a mesa em comum, mas não o leito; estão na carne, mas não vivem segundo a carne; moram na terra, mas têm sua cidadania no céu; obedecem as leis estabelecidas, mas com sua vida ultrapassam as leis; amam a todos e são perseguidos por todos; são desconhecidos e, apesar disso, condenados; são mortos e, deste modo, lhes é dada a vida; são pobres e enriquecem a muitos; carecem de tudo e tem abundância de tudo; são desprezados e, no desprezo, tornam-se glorificados; são amaldiçoados e, depois, proclamados justos; são injuriados, e bendizem; são maltratados, e honram; fazem o bem, e são punidos como malfeitores; são condenados, e se alegram como se recebessem a vida. Pelos judeus são combatidos como estrangeiros, pelos gregos são perseguidos, a aqueles que os odeiam não saberiam dizer o motivo do ódio. Em poucas palavras, assim como a alma está no corpo, assim estão os cristãos no mundo. A alma está espalhada por todas as partes do corpo, e os cristãos estão em todas as partes do mundo. A alma habita no corpo, mas não procede do corpo; os cristãos habitam no mundo, mas não são do mundo. A alma invisível está contida num corpo visível; os cristãos são vistos no mundo, mas sua religião é invisível...”





Não tenho partido político, e não pretendo filiar-me a nenhum. Eu e mais de 90% da população brasileira, de acordo com o levantamento mais recente do TSE. Ora, nove em cada dez brasileiros, portanto, estariam excluídos do processo político? 




Vale lembrar o capítulo IV (dos direitos políticos) e o artigo 14º da Constituição da República Federativa do Brasil: o seu parágrafo 1º explica quem pode votar, enquanto seu parágrafo 3º lista as condições para quem deseja ser votado, sendo uma delas a filiação a partidos (um entre os 32 que existem até o momento).




Eu lamento isso profundamente. 93% dos países existentes permitem a possibilidade de candidaturas independentes, ou seja, sem que o cidadão tenha de fazer parte necessariamente de uma partido. E, para além disso tudo, vale perguntar: a política acontece apenas durante as eleições e se limita nisso? A resposta é não.



“O pior analfabeto é o analfabeto político. Ele não ouve, não fala, nem participa dos acontecimentos políticos. Ele não sabe o custo de vida, o preço do feijão, do peixe, da farinha, do aluguel, do sapato e do remédio dependem das decisões políticas. O analfabeto político é tão burro que se orgulha e estufa o peito dizendo que odeia a política. Não sabe o imbecil que, da sua ignorância política, nasce a prostituta, o menor abandonado, e o pior de todos os bandidos, que é o político vigarista, pilantra, corrupto e lacaio das empresas nacionais e multinacionais.” (Eugen Berthold Friedrich Brecht).



CONTEXTUALIZAÇÃO:




As eleições 2014: Desconheço um processo eleitoral que tenha mexido tanto com as pessoas. Todo mundo tinha um lado. E o resultado, bem, o resultado todo mundo conhece. Quando outubro passou e novembro chegou, muita gente ficou com uma vontade de não parar de agir, como um processo contínuo.Ou seja, as eleições despertaram em muitos o interesse de tomar parte na política. Só que a maior parte delas nunca tinha feito isso. Ainda, a quase totalidade delas não queria nem pensar em se filiar numa das 32 legendas que existem no país. Visivelmente há muita coisa ainda a se fazer, mas como?Em muitos locais do país, vários cidadãos diferentes começaram a conversar. A política é, sobretudo argumentativa. O diálogo começou a reunir pessoas e elas tomaram a decisão de constituir associações. 


A mesma constituição supracitada, no seu artigo 5º, prevê, nos incisos XVII a XXI, que os cidadãos podem se associar para fins lícitos. 


Há muita gente se unindo fora dos partidos no Brasil. Só os próprios partidos não percebem isso. Manuel Castells já avisava a respeito ainda na década de noventa. A internet permite que a velha fórmula que une pessoas e ideias ocorra de maneira mais fluida. O time de participantes desejava sobretudo pensar o Brasil! A efervescência política vai e vem, mas boas ideias precisam ser colocadas em prática para que brasileiros e brasileiras participem da construção de um futuro positivo e coletivo.







Cidadania se aprende como?


Quando a gente aprende a ler e a escrever, tudo começa segundo o método Fônico, por partes. Da mesma forma é o sentido e exercício da Cidadania. Ou você explica de modos diversos como conectar instrumentos que fazem sentido juntos, ou você não sai do lugar. A alfabetização cidadã que promova a participação das pessoas na construção política é certamente o principal objetivo dessas novas associações. Por fim, um ação brasileira de cidadania tem qual finalidade?A gente vive presenciando a disputa na política. Há quem pense assim, há quem pense assado. Alguns acham algo mais naquela direção, outras acham algo mais na outra.



Todavia, há uma disputa onde um lado está completamente correto e o outro lado está completamente errado: DEMOCRACIA X AUTOCRACIA.Você não sabe a diferença?



Com conhecimento e pesquisa você vai descobrir. Pela democracia, vale agir. É justamente numa ação brasileira de cidadania pela democracia que muitas pessoas pretendem colaborar.





Vemos que a política é feita em grande parte de argumentos ideológicos, certo? Também é feita da capacidade de escutar. Num ambiente democrático isso é muito importante. Numa rede de gente e pensamentos diferentes, queremos desenvolver projetos que some tudo isso sem que um anule o outro.



O que vem a ser o projeto CIDADANIA SEM PARTIDO ?


Vai depender muito do entusiasmo dos seus integrantes (que esperamos serem diversos em tipo e pensamento) e das oportunidades que vão aparecer. Querem um exemplo: no Brasil, as pessoas vivem tendo ideias,é verdade. Nosso povo é muito criativo. A coisa aperta quando é para colocá-las em prática. Pensamos que nele, as pessoas poderão depositar suas sementes e a associação vai ajudá-las a germinar nas condições adequadas. Se você identifica um problema na sociedade e achar que sabe como resolvê-lo, nós queremos lhe ajudar.




Querem outro exemplo: no Brasil, muita gente palpita no que acontece do outro lado do país e não atua para resolver uma questão na própria rua. Interagir com seus semelhantes e pensar globalmente atuando localmente será outro projeto: a República dos 10 Quarteirões. 




A final de contas, um plano nacional de educação pode surgir reunindo os vizinhos do bairro para recuperar uma escola. Há todo uma nação concentrada no limite de dez blocos de um bairro. Podem acreditar.




E quem pode participar?


Tem que haver uma triagem. Aquele que deseja pensar, mas também agir coletivamente e democraticamente. Aquele que deseja pensar o Brasil sem ideologias prontas.Aquele que deseja ser um cidadão antes de ser um militante. Aquele que deseja atuar pela democracia contra a autocracia. Se você se identifica e conhece alguém assim, pode inscrever-se e nos apresentar.A rede se expande dessa forma. Ainda, você pode ter uma ideia que vale a pena. Se você tem uma ideia valiosa e quer levar ela adiante, pode ser que a CIDADANIA SEM PARTIDO seja o seu lugar. Você tem que abrir bem os olhos e passar enxergar a política e o local onde você se encontra de maneira diferente. Você precisa prestar atenção e notar os problemas. Não se trata de correr atrás de cargos, remunerações e funções. Não !!!. Queremos pessoas interessadas em solucionar problemas, não gente que crie problemas. Você pode espalhar a novidade. Você não precisa ter um veículo de comunicação para ajudar (embora se tiver também é bem vindo) uma vez que pode divulgar pelo seu perfil nas redes sociais mesmo. Você precisa encarar o Brasil como uma oportunidade para o mundo, e não um laboratório de IDEOLOGIAS FRACASSADAS. Pode ser que tenhamos um crise a driblar, mas quem deseja apostar no pior já tem milhares de outras iniciativas para se associar.


  


“O objeto principal da política é criar a amizade entre membros da cidade” -  (Aristóteles).





Na CIDADANIA SEM PARTIDO, o interesse rasteiro por trocar seis por meia dúzia não tem vez. Se existe uma porção de gente querendo apenas criticar, o projeto CIDADANIA SEM PARTIDO existe para sugerir quais mudanças devem acontecer. Estamos a disposição da política, nunca a reboque dela e nem dos ditadores autocratas e salvadores da Pátria. Aqui não queremos apenas uma estrela a brilhar, mas o intenso brilho de toda uma constelação.





“Nem um homem e nem uma nação podem existir sem uma ideia sublime” – ( Fiódor Dostoiévski)



Nosso ponto de encontro será neste link abaixo (Curta e já deixe seus comentários e idéias):





Curta este artigo :

Postar um comentário

Conforme a lei o blog oferece o DIREITO DE RESPOSTA a quem se sentir ofendido, desde que a resposta não contenha palavrões e ofensas de cunho pessoal e generalizados.Serão analisadas e poderão ser ignoradas e ou, excluídas.

Quem sou eu?

Minha foto
CIDADÃO DO MUNDO, NORDESTINO COM ORGULHO, Brazil
Neste Apostolado promovemos a “EVANGELIZAÇÃO ANÔNIMA", pois neste serviço somos apenas o Jumentinho que leva Jesus e sua verdade aos Povos. Portanto toda honra e Glória é para Ele.Cristo disse-nos:Eu sou o caminho, a verdade e a vida e “ NINGUEM” vem ao Pai senão por mim." ( João, 14, 6).Como Católicos,defendemos a verdade, contra os erros que, de fato, são sempre contra Deus.Cristo não tinha opiniões, tinha verdades, a qual confiou a sua Igreja, ( Coluna e sustentáculo da verdade – Conf. I Tim 3,15) que deve zelar por elas até que Cristo volte.Quem nos acusa de falta de caridade mostra sua total ignorância na Bíblia,e de Deus, pois é amor, e quem ama corrige, e a verdade é um exercício da caridade.Este Deus adocicado,meloso,ingênuo, e sentimentalóide,é invenção dos homens tementes da verdade, não é o Deus revelado por seu filho: Jesus Cristo.Por fim: “Não se opor ao erro é aprová-lo, não defender a verdade é nega-la” - ( Sto. Tomáz de Aquino)

As + lidas!

 
Support : Creating Website | Johny Template | Mas Template
Copyright © 2013. O BERAKÁ - All Rights Reserved
Template Created by Creating Website Published by Mas Template
Proudly powered by Blogger