A mera veiculação, ou reprodução de matérias e entrevistas deste blog não significa, necessariamente, adesão às ideias neles contidas. Tal material deve ser considerado à luz do objetivo informativo deste blog, não sendo a simples indicação, ou reprodução a garantia da ortodoxia de seus conteúdos. Os comentários devem ser respeitosos e relacionados estritamente ao assunto do post. Toda polêmica desnecessária será prontamente banida. Todos os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam, de maneira alguma, a posição do blog. Não serão aprovados os comentários escritos integralmente em letras maiúsculas, ou CAIXA ALTA. A edição deste blog se reserva o direito de excluir qualquer artigo ou comentário que julgar oportuno, sem demais explicações. Todo material produzido por este blog é de livre difusão, contanto que se remeta nossa fonte.
Home » , » COMO ENTENDER TERTULIANO AO DIZER: “CREIO PORQUE É ABSURDO ?”

COMO ENTENDER TERTULIANO AO DIZER: “CREIO PORQUE É ABSURDO ?”

Written By Beraká - o blog da família on sábado, 2 de fevereiro de 2013 | 14:43




A Teologia de Tertuliano


Apesar de ser considerado por muitos o fundador da teologia ocidental, a verdade é que tal designação é exagerada, porque Tertuliano não tem propriamente um sistema teológico.


De facto, para isso faltou-lhe o equilíbrio necessário para organizar os vários artigos da fé, assim como a preocupação pela coerência, pois não era do seu interesse conciliar a fé com a razão humana.


A Fé e a Filosofia em Tertuliano


Para Tertuliano, a questão das relações entre a fé e a filosofia nem sequer se colocavam, pois entre ambas nada existia de comum.


A filosofia era vista como adversária da fé, e os filósofos antigos como patriarcas dos hereges. Para ele, de facto, fé e razão opõem-se, e podemos encontrar na filosofia a origem de todos os desvios da fé.

No entanto, é forçado a reconhecer que algumas vezes os filósofos pensaram como os cristãos, e denuncia algumas influências de correntes filosóficas antigas, nomeadamente do Estoicismo. É bem conhecida a frase credo quia absurdum.


Apesar de ela não se encontrar nos escritos de Tertuliano, mas apenas algumas semelhantes, ela condensa bem o seu pensamento acerca da razão.


Note-se que o seu significado é não apenas "creio embora seja absurdo", mas sim:  "creio porque é absurdo".

A verdadeira fé segundo Tertuliano tem de se opor à razão.

Por Filosofia Cristã compreende-se um sistema de pensamento que se distinguiu do helênico (grego) e de outros como os chineses, os hindus, etc., por ser um sistema orientado pela verdade revelada por Jesus, o Cristo.

Já o estudo dos dogmas cabe à Teologia, que tenta explicá-los e aplicá-los:

A Filosofia Cristã, que pressupõe a verdade dos dogmas, parte tão somente de evidências racionais metódicas e lógicas para explicar Deus e o mundo.

Vê-se assim que os filósofos cristãos se apoiam na fé para melhor compreenderem a realidade, enquanto esta mesma fé dita metas a serem alcançadas pela razão, evitando que erros ou desvios em suas inquirições aconteçam.

A relação que vemos aqui é, então, a de tentar harmonizar ou elucidar a fé através da razão, relação que é conflituosa e marcou distinções mesmo dentro do próprio corpo de filósofos cristãos.

Vejamos essas distinções:

1)- Creio porque absurdo: essa máxima representava aqueles pensadores cristãos que julgavam fé e razão irreconciliáveis e subjugavam a razão à superioridade da fé;

2)- Creio para compreender: já essa máxima representava o espírito daqueles que julgavam ambos os domínios conciliáveis, mas subordinavam a razão à fé;

3)- Compreender para crer: que fazia parte daqueles que não apostavam numa conciliação entre fé e razão, mas atestavam o campo próprio de cada uma, devendo, portanto, serem tratadas isoladamente.

Dessa forma, entende-se a diferença entre os pensadores antigos e os cristãos:

Os gregos compreendiam o lógos como instrumento de conhecimento da realidade em um esforço para encontrar seu lugar no cosmos, já que se entendiam como fazendo parte da natureza. Era o amor, Eros, o desejo que animava a busca para alcançar a virtude máxima, o Bem supremo e a perfeição do inteligível puro, porém inatingível.

A esse impulso erótico, contrapõe-se o amor cristão, o Ágape, a caridade, o amor de Deus-criador para com suas criaturas, pois Ele é perfeito e necessário, criou as coisas por causa do Bem que provém Dele, gratuitamente.

Deus é o próprio Lógos, o Verbo que se revela como aquele que é (essencial e existencialmente) como princípio do universo e única fonte de sabedoria e verdade das coisas, dos homens e do mundo que são criadas por vontade de Deus.

Portanto, o conhecimento que provém da palavra de Jesus, que é o Deus encarnado, é uma demonstração de amor para aqueles que o reconhecem, ensinando-lhes a humildade e, a partir do “absurdo para os gregos” de sua ressurreição, sendo o caminho da esperança e da salvação dos pecados.

À Filosofia cabe o estudo racional das provas da existência de Deus, debate este, aliás, que foi a temática da nova Paideia ou educação dos tempos medievos.


“Credo quia absurdum” - “Creio porque é absurdo!”




Tão absurdo quanto a acreditar que toda a Criação surgiu do nada e por mero acaso aconteceram todas as combinações em um ambiente calsuisticamente propício à vida.

Esquivando-me do contexto, a frase exposta por Tertuliano de Cartago, escritor cristão do século III, contém em si um princípio do Evangelho: “ O absurdo.”

O absurdo sobressalta os olhos, sobressalta a concretude, coloca-nos boquiabertos, coloca-nos diante do Sagrado, perante o qual a única coisa possível é tirar as sandálias, tirar o utensílio que se conformam aos nossos pés e mergulharmos na imensidão do Divino com os pés nus no chão.

É como se ouvíssemos o apóstolo Paulo, grande expoente do cristianismo, dizendo: “Porque os judeus pedem sinal, e os gregos buscam sabedoria. Mas nós pregamos a Cristo crucificado, que é escândalo para os judeus, e loucura para os gregos.”

Escândalo, absurdo, loucura...Tudo em conexão com a fé, essa mesma fé que justifica Abraão em meio ao dissabor de um pai que recebe a solicitação de sacrificar o “filho da Promessa”.

Para um descrente a fé é realmente um baita absurdo.


Logo, a fé perpassa por isso mesmo:a  loucura. Não devaneio ,ou delírio, mas a loucura da confiança em Deus, diante da impossibilidade de uma solução.Mas diz as escrituras que “aquilo que é loucura para os homens é sabedoria de Deus, e vice versa.”


Assim, a vida em suas disparidades por vezes apresenta o Mar Vermelho e nesse momento a única coisa que se pode fazer é acreditar que o bordão estendido vai abri-lo. Ou ainda, crer que cuspe e barro (lodo) vão nos fazer ver, já que apresentamo-nos cegos desde o nascimento.


Desse modo, o ser humano pode encontrar diversos meios racionais para sua suposta confissão de fé cristã: desde o preservar uma tradição familiar; ou pelo caráter moral de Cristo, bem como em um ceticismo que só interessa perguntas, sem refletir nas respostas, pois estas os incomodam e requerem mudanças.

Mas enquanto o absurdo verdadeiramente não penetrar na consciência do indivíduo, tudo não passa de opacidade ou vazio de significado.

O coração deve estar verdadeiramente inclinado ao absurdo da ressurreição, do contrário, será apenas o balbuciar de palavras.









É POSSÍVEL UMA FÉ RACIONAL ?


Nossa fé não é puro sentimento ou apenas a invenção de um grupo de homens mal intencionados e manipuladores. Existe a racionalidade da fé. E no Catolicismo esta inteligência da fé possui uma densidade tal, que seria um pecado de omissão não conhecer e estudar.


A Fé é um ato da inteligência; portanto não é um sentimento vago, mas é expressão da mais nobre faculdade que o homem tem: o intelecto,que tenta aplicar-se ao objeto mais nobre que possa ser concebido, ou seja, a Deus.



Esse ato do intelecto é movido pela vontade, pois o objeto da fé transcende os limites do intelecto humano (a verdade é mais ampla do que o alcance do nosso intelecto). Sendo assim, o objeto da fé não obriga a um assentimento, não é tão evidente que force a adesão de quem o contempla. A vontade, portanto, deve mover o intelecto para que diga Sim ou Não.


A vontade, porém, só move o intelecto depois do exame das credenciais sobre as quais se apoia cada proposição de fé. Cabe então ao intelecto humano averiguar as razões em virtude das quais o indivíduo pode e deve crer: estude o Evangelho, a história, a paleografia… e chegue eventualmente à conclusão:


“Não é absurdo crer; não é infantilismo ter fé”. Há razões suficientemente fortes para que o homem diga Sim ao objeto de fé, sem trair sua dignidade de homem adulto.


Portanto o homem crê inteligentemente. E a própria razão sadiamente crítica que aponta o caminho da fé. Assim evitam-se as superstições e crendices que não resistem ao crivo da razão.


AS FALSAS EXPRESSÕES DA FÉ AUTÊNTICA:




Se a fé tem por objeto algo não evidente por si mesmo, ela é um ato livre. Pode ser traída e rejeitada, como acontece nos casos em que as paixões predominam sobre o intelecto e a vontade. Daí haver falsas expressões da fé, que causam escândalo aos não crentes, mas que não são autênticos gestos de fé.


Aliás o senso de justiça obriga a lembrar os grandes benefícios que a Religião proporcionou à humanidade:


Sem a verdadeira religião, o homem e a humanidade estaria entregue as supertições e carnificinas materialistas que a história infelizmente já experimentou nos regimes totalitaristas ateus.


CONCLUSÃO:



A religiosidade é um elemento integrante da pessoa humana. O homem bem pode ser considerado um peregrino do Absoluto, um viandante rumo ao Eterno e Infinito. Até os materialistas marxistas procuram um novo estado de coisas e a plena satisfação de seus anseios através da mística do martelo e da foice.





Os atritos que a religião causou entre os homens se devem, em grande parte, à valorização dos bens espirituais, que os antigos e medievais julgavam ser superiores aos bens materiais. A religião inspirou a entrega de tudo, até da própria vida, para não renegar o Valor Supremo que é Deus. Quando se avalia o passado, não se pode deixar de levar em conta esse traço próprio da mentalidade de nossos ancestrais.


Acontece, porém, que esse elemento integrante da pessoa humana: o senso religioso ,não pode ser cego ou desligado da razão. É esta que distingue entre si fé e crendice. É com a inteligência que o homem crê, e não com os olhos da mente fechados pela cegueira do sentimentalismo ou das emoções.




Compete aos cristãos dar testemunho da autêntica religião, para que, mediante este testemunho claro e firme, o irmão que busca o Absoluto, embora não tenha fé, se entusiasme pela beleza de uma vida santa,heroicamente santa !!!



Na caminhada com Deus às vezes temos que fazer como General Namã o Sírio: 


"fazer e render-se ao ridículo e absurdos da fé, para Deus operar o maravilhoso...”



“LOUVADO SEJA NOSSO SENHOR JESUS CRISTO”


Curta este artigo :

+ Comentário. Deixe o seu! + 23 Comentário. Deixe o seu!

2 de fevereiro de 2013 16:37

Creio que uma filosofia digna de ser chamada de cristã deve partir da Bíblia e somente da mesma: Cristo, a Palavra que é a expressão exata do ser divino, como ensina Paulo aos efésios. Afora isso, tão-só há o senhorio de Cristo trocado por cerebralismos que tentam pecaminosamente e, por isso, humanamente tatear no escuro quando o Criador já revelou a sua glória na face do Senhor Jesus, através do conhecimento bíblico.

Conheça, caro irmão, o maior filósofo cristão do século XX, Dr. Gordon Clark, para saber mais a respeito de uma filosofia cristã mais lúcida e fiel a nosso Senhor.

Sola Scriptura!


JOÃO EMILIANO MARTINS NETO

Anônimo
2 de fevereiro de 2013 22:52

Prezado João Emiliano,

Veja onde desemboca o fundamentalismo bíblico irracional do seu fundador: O heregesirarca: Lutero do Sola Escriptura:

DOUTRINA LUTERANA NO PROTESTANTISMO:

"A Razão deveria ser destruída em todos os cristãos. Ela é a maior inimiga da Fé. Quem quiser ser um cristão deve arrancar os olhos de sua Razão".

"Os homens têm tórax grande e largo, quadris estreitos e mais entendimento que as mulheres, que têm tórax pequeno e estreito e quadris largos. Isto significa que elas devem ficar em casa, sentar-se quietas, cuidar do lar, gerar e criar crianças".

"As palavras e atos de Deus são bem claros: as mulheres foram feitas para ser esposas ou prostitutas".

"Não há maior defeito numa mulher que o desejar ser inteligente".

"Deus não salva pecadores fictícios. Seja um pecador e peque vigorosamente. …Nem por um instante pense que esta vida é a morada da justiça. O pecado deve ser cometido".

(Martinho Lutero - LIVRO DE SUA AUTORIA: Conversas à mesa - Alemanha)

Anônimo
2 de fevereiro de 2013 22:56

Pegunta que não cala: Se a fé fosse baseada apenas na experiência a nível pessoal,sem o uso da razão, teria se expandido e permanecido até hoje ?

Percorrendo o caminho de encontro e separação entre a Fé e a Razão:

1)- Analisando exegeticamente a discussão que o apóstolo Paulo teve com alguns filósofos epicuristas e estóicos no Areópago de Atenas conforme está relatado em atos:17, 18 - Vemos que o discurso no Areópago evidenciou repetidas alusões a ideias populares, predominantemente de origem estóica.

2)- Certamente isso não se deu por acaso; os primeiros cristãos, para se fazerem compreender pelos pagãos, não podiam citar apenas Moisés e os profetas nos seus discursos, mas tinham de servir-se também do conhecimento moral natural e da voz da consciência de cada homem, que aprova ou acusa nossas ações independente de religião.

3)- Se deduz que quando se menciona este movimento de aproximação dos cristãos à filosofia, é obrigatório recordar também a cautela com que eles olhavam outros elementos do mundo cultural pagão, como, por exemplo, a gnose. A filosofia, enquanto sabedoria prática e escola de vida, podia facilmente ser confundida com um conhecimento de tipo superior, esotérico, reservado a poucos iluminados.

4)- Pelo que vemos, o encontro do cristianismo com a filosofia não foi fácil nem imediato. A exercitação desta e a frequência das respectivas escolas foi vista mais vezes pelos primeiros cristãos como transtorno, do que como uma oportunidade.

5)- É preciso entender que para os primeiros Cristãos a primeira e mais urgente missão era o anúncio de Cristo ressuscitado, que havia de ser proposto num encontro pessoal, capaz de levar o interlocutor à conversão do coração e ao pedido do Batismo. De qualquer modo, isso não significa que ignorassem a obrigação de aprofundar a compreensão da fé e suas motivações na compreensão da própria fé aderida.

6)- É injusta e pretextuosa a crítica de Celso, quando acusa os cristãos de serem gente « iletrada e rude. A explicação deste desinteresse do Cristão neo-convertido, tem de ser procurado dentro do próprio Cristianismo. Na realidade, o encontro com o Evangelho oferecia uma resposta tão satisfatória à questão do sentido da vida, até então insolúvel, que frequentar os filósofos parecia-lhes uma coisa sem interesse e, em certos aspectos, superada.


7)- Agostinho o grande Doutor ocidental que passou OBRIGATORIAMENTE para a história do pensamento universal,contatara diversas escolas filosóficas, mas todas o tinham desiludido. Quando se lhe deparou a verdade da fé cristã, então teve a força de realizar aquela conversão radical a que os filósofos anteriormente contatados não tinham conseguido induzi-lo.


8)- Todavia, a partir da baixa Idade Média, essa distinção legítima entre os dois conhecimentos transformou-se progressivamente em nefasta separação. Devido ao espírito excessivamente racionalista de alguns pensadores, radicalizaram-se as posições, chegando-se, de fato, a uma filosofia separada e absolutamente autónoma dos conteúdos da fé. Entre as várias consequências de tal separação, sobressai a difidência cada vez mais forte contra a própria razão. Alguns começaram a professar uma desconfiança geral, céptica ou agnóstica, quer para reservar mais espaço à fé, quer para desacreditar qualquer possível referência racional à mesma.


A fé, privada da razão, pôs em maior evidência o sentimento e a experiência, correndo o risco de deixar de ser uma proposta universal.

Anônimo
2 de fevereiro de 2013 22:58

FÉ E RAZÃO AS DUAS ASAS PARA SE CHEGAR A DEUS.

Não há incompatilibilidade, mas complementariedade recíproca.


O Papa João Paulo II publicou a sua última Encíclica aos 15/10 pp., dedicando-o ao binômio "Fé e Razão".

Quer atender à situação de angústia e desespero de muitos cidadãos contemporâneos, que buscam, sem o encontrar, o sentido da vida ou a sua identidade: "Quem sou eu? Donde venho? Para onde vou?".

Está claro que somente Deus, pela revelação de seu plano de amor feita mediante Jesus Cristo, pode responder plenamente a tal anseio. Todavia a fé tem suas bases razão humana, que não é, como dizem pensadores modernos, incapaz de reconhecer a Verdade objetiva; a razão aponta as credenciais para a fé, a fim de que esta não degenere em fantasia ou superstição.

É preciso, pois, restaurar a confiança no intelecto, que foi para apreender a dos escolhos do historicismo, do ecleticismo, do cientificismo, do niilismo ... Razão e Fé se complementam mutuamente, de modo que se há de dizer racionalismo (que só aceita o que a razão pode demonstrar).

A Filosofia, que aponta na Metafísica a Causa Primeira e o Fim Último, há de ser, em nossos dias, o terreno comum em que se realize o diálogo entre cristãos e ateus.

Aos 14/09/1998 o Santo Padre João Paulo II assinou a sua última Carta Encíclica, que começa pelas palavras Fides et Ratio (Fé e Razão). É, de certo modo, a continuação da Encíclica Veritatis Splendor (O Esplendor da Verdade), que em 1993 abordava a verdade perene como referencial da Ética.

A nova Encíclica vai ao fundo da questão, considerando as possibilidades de chegar o homem a atingir a Verdade pela razão iluminada pela fé.

Pontificia Academia de Ciências do Vaticano - relação dos 24 Premios Nobel que dela fazem parte. Que outra Instituição tem tão alto grau de ciências?

Como podem dizer alguns que há oposição entre a Ciência e a Fé?

1. ARBER Werner (Nobel in Physiology or Medicine, 1978)
2. BALTIMORE David (Nobel in Physiology or Medicine, 1975)
3. BECKER Gary S. (Nobel Prize in Economics, 1992)
4. BLOBEL Günter (Nobel Prize in Physiology or Medicine, 1999)
5. CIECHANOVER Aaron J.(Nobel in Chemistry, 2004)
6. COHEN TANNOUDJI Claude (Nobel in Physics, 1997)
7. CRUTZEN Paul J. (Nobel in Chemistry, 1995)
8. De DUVE Christian (Nobel in Physiology or Medicine, 1974)
9. EIGEN Manfred (Nobel in Chemistry, 1967)
10. HÄNSCH Theodor (Nobel in Physics, 2005)
11. KHORANA Har Gobind (Nobel in Physiology or Medicine, 1968)
12. Von KLITZING Klaus (Nobel in Physics, 1985)
13. LEVI MONTALCINI Rita (Nobel in Physiology or Medicine, 1986)
14. MOLINA Mario J. (Nobel in Chemistry, 1995)
15. MÖSSBAUER Rudolf L. (Nobel in Physics, 1961)
16. MURRAY Joseph E. (Nobel in Physiology or Medicine, 1990)
17. NIRENBERG Marshall W. (Nobel in Physiology or Medicine, 1968)
18. NOYORI Ryoji (Nobel in Chemistry, 2001)
19. PHILLIPS William D.(Nobel in Physics, 1997)
20. POLANYI John C. (Nobel in Chemistry, 1986)
21. RUBBIA Carlo (Nobel in Physics, 1984)
22. TOWNES Charles H.(Nobel in Physics, 1964)
23. YANG Chen Ning (Nobel in Physics, 1957)
24. ZEWAIL Ahmed H. (Nobel in Chemistry, 1999)

“Pregando a Verdade e confirmando os irmãos na verdadeira fé, com a graça de Deus construo Catedrais nas almas para que nelas possam habitar o Espírito Santo de Deus” ( Pierry de Craon).

5 de fevereiro de 2013 17:56

Irmão Anônimo,

Eu acho que no fundo, no fundo, vocês católicos colocam Deus no banco dos réus das filosofias mundanas e da História.

O temor ao nosso Deus é que é o princípio da sabedoria e não as acobracias cerebrais da dúvida, como ensinava equivocadamente Aristóteles. Até porque se formos honestos, sábios mesmo com o método da dúvida, deveremos duvidar da utilidade da própria dúvida. Concorda?


JOÃO EMILIANO MARTINS NETO

Anônimo
5 de fevereiro de 2013 18:04

Prezado João Emiliano, o protestante confuso.

Sua missiva ficamos sem saber se vc é contra, a favor ou muito pelo contrário. Ao tentar passar-se por sábio acabou tornando-se um tolo meu caro.

Está claro que somente Deus, pela revelação de seu plano de amor feita mediante Jesus Cristo, pode responder plenamente a verdade, não foi colocada nenhuma dúvida quanto a isto.

Todavia a fé tem suas bases razão humana, que não é, como dizem pensadores modernos, incapaz de reconhecer a Verdade objetiva; a razão aponta as credenciais para a fé, a fim de que esta não degenere em fantasia ou superstição.

Saia do fanatismo religioso Protestante que é capaz de matar e roubar em nome da fé como fazem seus pastores.

Anderson - São paulo

5 de fevereiro de 2013 18:44

Anônimo,

Onde há confusão? Minha posição é a, por graça divina, da resiliência protestante. Apenas divaguei em minha mal traçada missiva, perdoe-me. Sua fidelidade ao Papa é que confunde você e torna loucura meu dogmatismo filosófico, minha fé cristã mais clara e séria: protestante fundamentalista até o osso. Paulo acertou, deveras, que a cruz é loucura para os sabichões gregos (hoje romanistas) que se perdem.

Note que o Ocidente decadente merece o Modernismo. Se desde o princípio a apologia da fé usou as filosofias mudanas e a História para justificar a fé, é porque no fundo a Revelação é um luxo, uma vacuidade. Isso parece-me muito claro, de fato. A tal Modernidade e a apologia tradicional de sua Igreja, no fundo, deixam a fé no campo de uma aposta.

Não é a toa que os padres cismáticos queimaram em praça pública as obras do pagão Aristóteles. Nosso Deus é maior que tudo, não precisamos tanto assim de nossas vãs filosofias fruto de nossos cérebros pecadores.

Quanto aos crimes de meus pastores, bem, eles acertarão contas com ninguém menos que perante o próprio Cristo no tribunal d'Este, após suas tão esperadas por muitos e por mim também mortes. Ainda bem que pertenço à uma fraternidade de cristãos reformados e não de - esses sim - fanáticos extáticos pentecostais/neopentecostais, cuja maioria não são nababos e malandros pseudocristãos.

JOÃO EMILIANO MARTINS NETO (Belém, Pará, Brasil)

Anônimo
6 de fevereiro de 2013 09:11

Prezado João Emiliano o reformado confuso,

Já tinha percebido que vc era protestante sim, e vc não foge às regras abaixo, o que é lamentável.Mas o seu próprio fundador Lutero já condenava a razão, olha só o que seu fundador disse:

"A razão é a prostituta da humanidade..."(Obra:Conversas à mesa).

Conheça mais as obras de seu fundador herege e ficará admirado e verá que ela não reformou a igreja,mas a DEFORMOU, e seus frutos estão ai: Divisão e confusão dos Cristãos. A Igreja Católica não muda sua doutrina, é a mesma de antes, durante e após o hesirarca Lutero.

COMO RECONHECER UM PROTESTANTE ?

1)-De 10 frases que fala, 11 contêm as palavras: encosto, bênção, Só vitória,demônio, capeta, Glóooooria!!! pomba-gira e afins; 69% das frases terminam com "irmão" de forma irônica – Desejar a Paz do Senhor ( Qual Senhor ? ) – Bom, como os Católicos dizem a Paz do Senhor Jesus eles em protesto saúdam diferente...(Não é a toa que se chamam protestantes...).




2)- Apesar da fé dos pais, as filhas em geral são frequentadoras assíduas de bailes funk !!! Pasmem !!! Mas é verdade !!!!



3)- Se você tropeçar e o rapaz ao seu lado disser que o tropeço foi obra do capeta, ele é Protestante, pois para ele tudo é culpa do diabo, que na doutrina Protestante o diabo é igual a Deus sendo: ONICIENTE (Sabe tudo) e ONIPRESENTE ( Está em todo lugar).



4)- Se você numa ladeira disser que pra baixo todo santo ajuda e o rapaz ao lado disser “e na subida só Jesus” (e ele ainda se acha engraçado!), bem, já sabe...é protestante.



5)- Juram de pés juntos que o pastor não é ladrão e que o dízimo vai para Deus. Quando sai notícia de pastor acusado de crime e estelionato com a receita, dizem que é tudo conspiração do capeta, e que não devemos julgar ninguem e nem generalizar (Exceto com as outras religiões, principalmente os coitados dos Católicos).


6)- Todo Protestante que se preze, tem sua própria ficha criminal, que é pra poder dar o testemunho pros irmão.


7)- Andam com a Bíblia em baixo do braço mas não sabem o que está escrito, pois são PAPAGAIOS DE PASTOR e só repetem e acreditam no que o pastor da sua seita diz.



8)- Ficam de mau-humor em dia de feriado católico.


9)- Apesar de o dicionário( O PAI DOS BURROS) dizer que REZAR E ORAR é a mesma coisa, eles dizem que Católico REZA e protestante ORA, ai está um protestante.



10)- Apesar da bíblia dizer que nem todo aquele que diz: Senhor, Senhor, entrará no reino dos Céus, se consideram os únicos Salvos e UNICAMENTE PELA FÉ e todos que não forem protestantes estão condenados ao inferno.


Afirma as escrituras em Ap 22,12 :


“Eis que venho em breve, e a minha recompensa está comigo, para dar a cada um conforme as suas obras.”

Anderson - SP

Anônimo
6 de fevereiro de 2013 09:14

Anderson,

É inútil esta discução com protestantes fanáticos.

Os protestantes sempre usam as mesmas táticas CONTRA A SANTA IGREJA CATÓLICA:


1ª)- Que católico adora ídolos.


Eles não conseguem entender que o que esta na bíblia, é que não serve adorar outros deuses, fato comum na época que isto foi escrito.
Já os protestantes europeus, compreenderam isso, sendo comum também terem imagens em suas igrejas, pois as mesma são usadas como ícones e de grande relevância na divulgação dos evangelhos.

2ª)- O segundo é Inquisição ( Esquecem da Inquisição Protestante):

Afirmam sem fontes seguras que a igreja católica matou 20 milhões de europeus. (Deve ser por isso que não existe gente na europa, a ICAR matou todos e importou um monte da asia para poder fechar este numero).Não adianta dizer que houve sim, que a maioria dos julgamento eram feitos pelos príncipes, os números não foram tão autos assim. Que existe muita diferença numérica escritos na Europa e o escritos pelos protestantes americanos. prefiro os livros europeus, pois são de testemunhas ocular, e mostram que os fatos não como os protestantes queriam.


3ª)- PEDOFILIA - Já meio fora de moda, e eles também foram apanhados em denúncias do mesmo quilate de seus pastores, pois quando eles jogam uma pedra volta 10 pedradas.Interessante é notar o puro revanxismo e ódio cego aos Católicos: Se um padre cometesse um crime la na Muiiitooolongecity, no de 1.976 eles apresentavam com se o fato tinha ocorrido ontem.

Dai os católicos se especializaram em fazer enormes colagens de nomes de pastores que cometeram o mesmo crime, o que deixam eles meio perdidos entre eles mesmos.


AVISO AOS PROTESTANTES ADORADORES DE MAMON: LUCAS 16,13: “Ninguém pode servir a dois senhores, porque ou odiará a um e amará a outro, ou se prenderá a um e desprezará o outro. Não podeis servir simultaneamente a Deus e a Mamon...”

PERGUNTA QUE NÃO QUER CALAR: Por que os protestantes e suas lideranças pulam essa parte do Evangelho ? - Nunca os vi comentarem sobre esse trecho do Evangelho - Devem sentir-se constrangidos em ter de enfrentar a esta verdade dita pelo Cristo, contradizendo suas pregações de bençolatria , dizimolatria , sucessolatria e seus altos padrões de vida a custo dos ignorantes.

Conceição Borges - Fortaleza

Anônimo
6 de fevereiro de 2013 09:17

Excelente Conceição !!!

Para nós Católicos pouco importa julgamentos humanos vindos de hereges e falsos pastores protestantes que não passam de meros comedores de feijão, pois assim está escrito:




1)- I Cor 4,4 -5 : “Quanto a mim, pouco me importa ser julgado por vós ou por algum tribunal humano. Nem eu me julgo a mim mesmo. É verdade que minha consciência não me acusa de nada. Mas não é por isso que eu posso ser considerado justo. Quem me julga é o Senhor. Portanto, não queirais julgar antes do tempo. Aguardai que o Senhor venha. Ele iluminará o que estiver escondido nas trevas e manifestará os projetos dos corações. Então, cada um receberá de Deus o louvor que tiver merecido.”




2)- I Sm 16,7 : “Não julgo como as pessoas julgam. Elas olham para a aparência, mas EU vejo o coração.”


AVISO AOS PROTESTANTES ADORADORES DE MAMON: LUCAS 16,13: “Ninguém pode servir a dois senhores, porque ou odiará a um e amará a outro, ou se prenderá a um e desprezará o outro. Não podeis servir simultaneamente a Deus e a Mamon...”



PERGUNTA QUE NÃO QUER CALAR: Por que os protestantes e suas lideranças pulam essa parte do Evangelho ? - Nunca os vi comentarem sobre esse trecho do Evangelho - Devem sentir-se constrangidos em ter de enfrentar a esta verdade dita pelo Cristo, contradizendo suas pregações de bençolatria , dizimolatria , sucessolatria e seus altos padrões de vida a custo dos ignorantes.



“LOUVADO SEJA N. SR. JESUS CRISTO NOS SEUS ANJOS E SANTOS E NA SUA SANTA E ÚNICA IGREJA !!! “


Anderson - São Paulo

Anônimo
6 de fevereiro de 2013 09:21

Meus amados eu já cheguei a seguinte conclusão:

Não adianta debater com protestante.

Eles são fanáticos e não estão atrás da verdade. Até porque cada qual se acha um "infalível" intérprete. A religião protestante é permeada pela soberba, orgulho e auto-suficiência. Por isto mesmo é que brigam. Um não concorda com o outro e já surge uma nova seita.

A falta de amor é a principal características dos filhos de Lutero. Eu digo filhos, porque Lutero é seguido apenas no que interessa. Calvino idem. Lutero defendia a virgindade perpétua de Maria, já outros protestantes não...

O sujeito deixa de ler Santo Agostinho para ouvir Malafaia. Deixa de consultar São Tomás de Aquino para escutar Valdemiro Santiago. Deixa de ler sua santidade e maior teólogo do nosso tempo Bento XVI para escutar o defensor do aborto Edir Macedo ??? Ora tenha paciência !!!

Ignora o exemplo de Madre Teresa e copia o apóstata do RR Soares. Deixa de escutar a Igreja dos 2000 anos para dar ouvidos a Terra Nova ou Hernandez. Deixa de estudar Santa Teresinha de Lisieux para bater palmas para as palhaçadas de Ana Paula Valadão.

Nestas seitas se cumpre a promessa do evangelho : “Levados pelas próprias paixões e pelo prurido de escutar novidades, ajustarão mestres para si...”(II Timóteo 4,3).

José Carlos - Natal

7 de fevereiro de 2013 14:45

Prezados irmãos,

Quanto preconceito anti-protestante! Só gostaria de ressaltar que dada a prudentíssima e libertadora fragmentação institucional protestante, elementos citados por vocês como Edir Macedo ou o casal Hernandez, não representam a muitos evangélicos sérios.

Quanto à razão humana, bem, convenhamos, a razão é uma dádiva divina que deixa o homem auto-suficiente, é próprio da razão. Sejam realistas irmãos papistas sabichões, auto-suficiência é coisa de prostitutas, do diabo, enfim, que optou auto-suficientemente não servir a Deus.


JOÃO EMILIANO MARTINS NETO

Anônimo
7 de fevereiro de 2013 15:36

Prezado João Emiliano,

Não confunda expor a verdade com preconceito as quais vc soube sequer rebater pontualmente, mostrando sua total ignorãncia. Se não fosse ao uso da razão vc nem ao menos estaria lendo este blog e nem usando o computado. Pense nisto e mude seus conceitos com relação ao uso da razão dado por Deus.

A propósito em qual destas etapas vc está ?

AS ETAPAS DE UM “NOVO CONVERTIDO” NO PROTESTANTISMO:


1)-JÚBILO: Está empolgado com a experiência com Deus: Tudo nesta fase é : Ôôôô Glória!Aleluia!!!!!

2)-EXALTAÇÃO: Está extasiado e impressionado com com a atenção e tratamento VIP que não recebia quando estava em outra denominação.Participa ativamente de tudo, sendo fiel dizimista.

3)-CHOQUE: Fica escandalizado com os Contra-testemunhos de pastores e membros da atual denominação a qual está participando, e ver que não tem muita diferença da outra de onde veio.

4)- FRUSTRAÇÃO: Percebe também as suas próprias fraquezas e quedas, mas cobra mais dos outros que de si mesmo – Tudo isto vai gerando uma frustração e diminuindo aquele encanto e fervor inicial.

5)-AFLIÇÃO: Começa a estudar e conhecer melhor a origem da denominação a qual está freqüentando e ver que ela surgiu de divisões interesseiras – Tenta ocultar mas está aflito e precisa tomar uma decisão.


6)- DESLIGAMENTO: Começa a se convencer que não precisa de denominação alguma para ser salvo ( Cristo sim, Igreja Não!!!), e lentamente vai deixando de freqüentar a denominação e cortando laços com seus membros. Volta a vida de antes, apenas Crendo em Deus, depois, nega a divindade de Cristo, próximo passo é negar a existência de Deus, depois por fim sem sentido para tudo nega a própria vida. Isto é o que está acontecendo na Europa e agora vindo para o Brasil.

*1Jo 2,19 - "Eles Saíram do nosso meio, mas não eram dos nossos; pois, se tivessem sido dos nossos, teriam permanecido conosco. Mas, [saíram] para que se mostrasse que nem todos são dos nossos, nem do número dos eleitos.

"Há um só Senhor, uma só fé, um só batismo" (Efésios 4:5).

Anderson - São paulo

9 de fevereiro de 2013 19:24

Anderson,

Eu diria que tão só por graça divina, já passei e venci a todos esses estágios terríveis, mas reais que você citou preconceituosamente, pois você acha que não é séria a minha religião que é nada mais, nada menos que a única digna da tradição cristã, por ser bíblica.

Hoje, tão só por graça divina, eu lhe asseguraria que estou próximo do nível do varão perfeito (Filipenses 3:13), como ensina Paulo. Até porque, ser cristão não é o encontro com uma pessoa qualquer: o Papa e a vontade de potência do mesmo, a Arte Sacra, a cultura, uma denominação protestante ou um pastor e a sede de mando deste. O Cristianismo, parafraseando Bento XVI, é um acontecimento. Cristianismo é o encontro com uma Pessoa, A Pessoa certa: nosso Senhor Jesus.

Deixe o papismo, a idolatria e esse castelo de heresias que é a Igreja de Roma.

Que Deus o abençoe.


JOÃO EMILIANO MARTINS NETO (Belém, Pará, Brasil)

Anônimo
10 de fevereiro de 2013 00:10

Prezado João Emiliano,

A Paz de Cristo e o amor de Maria a mãe do meu Senhor Luc.1,43

O FRUTO DA LIVRE INTERPRETAÇÃO PROTESTANTE ? A DIVISÃO DIABÓLICA


A BUSCA POR UM DEUS MAIS PODEROSO E VITORIOSO OLHA NO QUE DAR:

Diz a palavra: "há um só Senhor, uma só fé, um só batismo" (Efésios 4:5)
1)-O malfadado livre exame das escrituras, proposto pelo heresiarca Lutero como sendo o verdadeiro método de ler e de entender a Bíblia, tem mostrado, nos dias atuais, sua verdadeira face. Por recusar a unidade de governo e de ensino da Santa Igreja, os protestantes, logo na infância, se dividiram em diversas seitas, que, com o passar do tempo, foram se dividindo sempre mais, estilhaçando-se em milhares de igrejolas

2)-O protestantismo tupiniquim se nos apresenta como uma estupidez vergonhosa; e digo vergonhosa porque justamente o Brasil, que tem a honra de ser o maior país católico do mundo, é aquele em que se aparece tamanha loucura. Seitas dos mais variados falsos quilates escolhem os nomes mais ridículos possíveis para se auto-proclamarem envidadas de Deus, apresentando-se como salvadoras.

3)-Deixamos ao juízo do estimados internautas estas "pérolas", que se nos causam riso,pois seria cômico, se não fosse trágico,pois nos causam também muita dor, por ver essa a heresia se alastrar cada vez mais em nossa amada terra de Santa Cruz.

4)-Alguem pode provar bliblicamente que estas divisões são da vontade de Deus ?

5)-Por que a verdadeira Igreja de Cristo : A CATÓLICA ( Conf. Mateus 16,18) não usa placa ?

Listas de igrejas em que Lutero é a árvore, e estes são seus ramos:

Assembléia De Deus Com Doutrinas E Sem Costumes (Rio De Janeiro - RJ)
Associação Evangélica Fiel Até Debaixo D'água
Bola De Neve Church (Esta garante que vai para o Abismo)
Catedral Evangélica Pentecostal Do Grande Deus (Bragança Paulista - SP)
Comunidade Arqueiros De Cristo
Comunidade Do Coração Reciclado
Comunidade Evangélica Shalom Adonai, Cristo!
Comunidade Porta Das Ovelhas
Congregação Anti-Blasfêmias
Congregação J.A.T. (Jesus Ama A Todos)
Cruzada De Emoções
Cruzada Do Poder Pleno E Misterioso
Cruzada Evangélica Do Ministério De Jeová, Deus Do Fogo
Cruzada Evangélica Do Pastor Waldevino Coelho, A Sumidade
Igreja "A" De Amor
Igreja "Eu Sou A Porta"
Igreja A Fé De Gideão
Igreja A Serpente De Moisés, A Que Engoliu As Outras (Rio De Janeiro - RJ)
Igreja Aceita A Jesus
Igreja Assembléia De Deus Dos Remanescentes (Petrolina - PE)
Igreja Atual Dos Últimos Dias (Araras - SP)
Igreja Automotiva Do Fogo Sagrado

ALGUEM ME CONVENCE DO CONTRÁRIO QUE NÃO É UMA TORRE DE BABEL !!!???

Lutero é a árvore e estes são os seus ramos.

I João 2,19: Eles saíram dentre nós, mas não eram dos nossos. Se tivessem sido dos nossos, ficariam certamente conosco. Mas isto se dá para que se conheça que nem todos são dos nossos.

Anderson - São Paulo

24 de fevereiro de 2013 15:30

Sou protestante mas estou pensando em virar católico, só que não acho legal aquele negócio de comunhão.

Anônimo
24 de fevereiro de 2013 20:32

Prezado Fabrício,

A Comunhão ou Eucaristia não é uma questão de gosto, ou achar legal ou não, foi instituída e querida pelo Própio Cristo e é o centro da Vida Cristã.

Seguem algumas passagens referentes a Comunhão Eucarística:

Apenas as espécies do pão e do vinho podem ser consagradas: Lc 24,30; Jo 6,51.57-58; At 20,7; 1Cor 10,17; 11,27.
Chamada "a Ceia do Senhor": 1Cor 11,20.
Chamada "ágape" (=festa do amor): Jd 1,12.
Chamada "Fração do Pão": At 2,42.
Comemoração do Calvário: Mt 26,28; Lc 22,19-20; 1Cor 10,16; 11,25-26.
Cristo está realmente presente nela: Mt 26,26; Lc 22,19-20; Jo 6,35.41.51-58; 1Cor 11,27-29.
Discurso sobre a Eucaristia: Jo 6,32-58.
Fonte de vida divina: Jo 6,27.33.50-51.58; 1Cor 11,30.
Instituída por Cristo: Mt 26,26-29; Mc 14,22; Lc 22,15-20; 1Cor 11,23-25.
"Isto É o meu Corpo... Isto É o meu Sangue": Mt 26,26-27; Mc 14,22.24; Lc 22,19-20; 1Cor 10,24-25.
Jesus é o Pão da Vida: Jo 6,35.41.48.51.
Nos une a Cristo: At 2,42; Rm 12,5; 1Cor 10,17.
Prometida por Cristo: Jo 6,27-59.
Sérias consequências de pecar contra a eucaristia: 1Cor 11,26-30.

Esperando tê-lo ajudado,

Anderson - São Paulo

13 de junho de 2015 10:04

Quanta discussão entre "católico" x "protestante" que não tiram uma alma do inferno. Os campos estão prontos, meus irmãos! Onde estão os ceifeiros? Ah... Estão no blog debatendo quem tem a "verdade". Bem, deixa eu ir ali que tem um tal de Evangelho de Cristo, que liberta o homem do pecado, a ser pregado. Ó Espírito Santo que convencer algumas pessoas do pecado, da justiça e do juízo. Que Deus nos abençoe.

14 de junho de 2015 08:24

Prezado protestante Guilherme Soares.


Todo protestante com você é assim: adora atacar, mas não gosta de ser contestado, pois se julgam infalíveis em suas interpretações pessoais e divididas.O senhor confessa que teme pela salvação das almas Já é alguma coisa.O senhor caro Guilherme Soares,deve conhecer bem a situação de certos advogados que, tendo que defender réus, contra os quais pesam provas esmagadoras de sua culpa, são obrigados, por dever de ofício, a apelar para sofismas a fim de cumprir o dever de defender o indefensável. O senhor, não tendo como defender e justificar as heresias protestantes, recorre a um sofisma ao me desafiar, escrevendo-nos, como se fosse muito bonsinho. Pergunto-lhe: Onde se permite, a qualquer um, dar uma interpretação pessoal da Sagrada Escritura?Isso não existe na Bíblia. Existe o contrário. São Pedro, em uma epístola, diz que a ninguém é dado dar uma interpretação pessoal da Escritura.Entretanto, os protestantes dizem que todos devem ler a Bíblia, e que cada um pode interpretá-la livremente, porque, ao lê-la, seriam todos inspirados por Deus. Dai as incontáveis seitas protestantes com os nomes mais esdrúxulos e estranhos possíveis e que não encontramos estas denominações nas escrituras, nem foi ensino de Cristo e dos apóstolos a fazerem assim, muito pelo contrário, pois uma é só a Igreja fundada por Cristo sobre Pedro (Mateus 16,18).


Cristo fundou uma só Igreja, pois está escrito que há uma só Fé e um só Batismo. Essa Igreja tem que ser una, santa,e por isso, santificadora, e apostólica.Mais: tem que servir a todos, buscar a salvação de todos;A Igreja de Cristo não pode ser só dos ricos, só dos pobres,ou só dos Protestantes como defendem alguns.Ela não pode ser uma Igreja só para os judeus, só para os brancos ou só para um povo.Cristo é o Redentor de todos os homens. Logo, a Igreja que Ele fundou tem que ser para todos. Tem que ser universal.Ora, a palavra católica quer dizer universal.Assim como você, protestante, usa o termo "Bíblia" para designar as Sagradas Escrituras, usamos o termo católica para qualificar a primeira nota da Igreja. A Igreja é para todos. A Igreja de Cristo é Católica. Tem quer Católica.Você me exige explicação e recusa explicação.

Tire as conseqüências do que disse o senhor e do que lhe argumentei. Pelo ao menos de uma coisa o senhor tem razão: em temer por sua salvação. A sentença do Supremo Juiz o ameaça. E, porque o senhor não compreende até o valor de sinônimos, explico-lhe que a expressão Supremo Juiz sigifica Deus.E veja caro Guilherme Soares,que não lhe ataquei, mas fui verdadeiro, e a verdade sabemos que doi, mas cura.E, para terminar, quero advertir que não sou, e nem pretendo ser "Rei da Verdade", mas apenas quero ser um bem pobre servo dela, para servi-la e também através dela servir a todos incluindo você.



Shalom !!!

29 de março de 2016 16:08

Meus caros irmãos católicos e protestantes digo-lhes que o Evangelho é a superação da mentalidade religiosa, e que ambas confissões de fé, tem suas raízes criadas e fundadas em constantino e em seus concílios,cismas e etc no seculo 3 e não em Cristo e seu Reino. Nosso Senhor Jesus Cristo diz no evangelho segundo joão cap.3 vs 6 que " O que é nascido da carne é carne o que é nascido do Espirito é espirito." portanto o caminhar com Deus é simples e profundo. Aonde a fé e a razão caminham juntas confirmando um a outra.

Porém digo que não se entreguem aos excessos partidaristas pois isso promove discussões do que o serviço de Deus,na fé.

Gostei muito do seu blog pois ele é esclarecedor e com excelente conteúdo .
Parabéns

29 de março de 2016 16:35

Prezado Vinny Soul,


Nossa fé não é puro sentimento ou apenas a invenção de um grupo de homens mal intencionados e manipuladores. Existe a racionalidade da fé. E no Catolicismo esta inteligência da fé possui uma densidade tal, que seria um pecado de omissão não conhecer e estudar.A Fé é um ato da inteligência; portanto não é um sentimento vago, mas é expressão da mais nobre faculdade que o homem tem: o intelecto,que tenta aplicar-se ao objeto mais nobre que possa ser concebido, ou seja, a Deus.Esse ato do intelecto é movido pela vontade, pois o objeto da fé transcende os limites do intelecto humano (a verdade é mais ampla do que o alcance do nosso intelecto). Sendo assim, o objeto da fé não obriga a um assentimento, não é tão evidente que force a adesão de quem o contempla. A vontade, portanto, deve mover o intelecto para que diga Sim ou Não.A vontade, porém, só move o intelecto depois do exame das credenciais sobre as quais se apoia cada proposição de fé. Cabe então ao intelecto humano averiguar as razões em virtude das quais o indivíduo pode e deve crer: estude o Evangelho, a história, a paleografia… e chegue eventualmente à conclusão: “Não é absurdo crer; não é infantilismo ter fé”. Há razões suficientemente fortes para que o homem diga Sim ao objeto de fé, sem trair sua dignidade de homem adulto.Portanto o homem crê inteligentemente. E a própria razão sadiamente crítica que aponta o caminho da fé. Assim evitam-se as superstições e crendices que não resistem ao crivo da razão, a qual o próprio Cristo aconselhou usa-la nesta passagem:


“Porquanto, qual de vós, desejando construir uma torre, primeiro não se assenta e calcula o custo do empreendimento, e avalia se tem os recursos necessários para edificá-la?Para não acontecer que, havendo providenciado os alicerces, mas não podendo concluir a obra, todas as pessoas que a contemplarem inacabada zombem dele, proclamando: ‘Este homem começou grande construção, mas não foi capaz de terminá-la!’ Ou ainda, qual é o rei que, pretendendo partir para guerrear contra outro rei, não se assenta primeiro para analisar se com dez mil soldados poderá vencer aquele que vem enfrentá-lo com vinte mil? Se chegar à conclusão de que não poderá vencer, enviará uma delegação, estando o inimigo ainda longe, e solicitará suas condições de paz.(Lucas 14,28-32).

E para confirmar o que afirmamos acima se você tivesse usado a razão e estudado um pouco de história não falaria uma besteira desta em dizer que o Catolicismo e Protestantismo são oriundos de Constantino (Mero repeteco de papagaio de pastor). Dizem os protestantes que foi Constantino que fundou a Igreja Católica. Negam que a Igreja Católica tenha sido fundada pelo Senhor Jesus Cristo sobre Pedro em Mateus 16,18,como se já antes de Constantino não já existissem a Igreja e papas sucessores de Pedro. Pergunta que não Cala: A qual igreja Pertenciam os 34 Papas antes de Constantino ?

Continua...

29 de março de 2016 16:36

Interpretando muito distorcidamente os textos de Eusébio de Cesárea e de outros historiadores do ou sobre o período de Constantino, os tendenciosos inimigos da ICAR concluem erroneamente que Constantino foi o primeiro Papa e que uniu Igreja e Estado – Vamos aos fatos históricos:


REFUTAÇÃO:


1)-AFIRMAÇÃO PROTESTANTE: “Ora sabemos que Constantino I foi Imperador Romano e que ostentou mesmo após a conversão ao Cristianismo o título de Pontifex Maximus pagão, visto que não aboliu os cultos pagãos. “


2)-Essa é uma inverdade muito fácil de refutar: Se Constantino inventou uma religião cristã-pagã e deu liberdade a essa religião por ele inventada (em 313), POR QUE ELE SÓ FOI BATIZADO NO FINAL DA VIDA (EM 337)?


3)-Constantino levou o resto da vida para se converter de fato, e ser batizado no leito de morte. O bem que Constantino fez à Igreja foi imenso, porém sua atitude pessoal foi péssima até o final da vida (inclusive favorecendo o paganismo em algumas ocasiões) quando graças a Deus aceitou o batismo.


4)-Mas disto concluir que ele foi papa já é demais! Aliás, havia um papa nessa época, era São Silvestre I, que inclusive aprovou a reunião do Concílio de Nicéia convocada pelo Imperador Constantino, enviando como representantes papais dois clérigos.


5)-É errado dizer que Constantino uniu a Igreja com o Estado, visto que não tornou o cristianismo religião oficial do Império,tal fato só ocorreria posteriormente com o Imperador Teodósio I.


6)-No Edito de MIlão, Constantino concede apenas a liberdade de culto para os cristãos, baseado numa ética de tolerância, que o imperador julgava necessária à paz no império.


7)-Por fim cabe-nos perguntar se Constantino FUNDOU A ICAR ?Não, visto que a influência do Imperador nos assuntos religiosos era ínfima, bastando lembrarmos que a corrente cristã apoiada por ele ERA ARIANISTA e foi considerada herética pelo Concílio de Nicéia. Entretanto Constantino não retirou o seu apoio aos hereges, o que lhe valeu a oposição de muitos bispos, entre eles Santo Atanásio de Alexandria, cujo papel no combate a política pró-ariana de Constâncio II (filho e sucessor de Constantino) será notória na história eclesiástica do século IV.O Papa da época de Constantino São Silvestre só o batizou em seu Leito de morte, e já era 36º antes de Constantino, portanto a ICAR já existia antes de Constantino.


8)-Uma coisa é certa, até mesmo Lutero reconhecia São Pedro como papa. Isso é claro na tese n.78 – Vejamos:“Dizemos contra isto que qualquer papa, mesmo São Pedro, tem maiores graças que essas, a saber, o Evangelho, as virtudes, as graças da administração,ou da cura,etc.,como está escrito em I Cor. 12”.


9)-Contra fatos NÃO HÁ ARGUMENTOS : Cristo quis sim fundar UMA ÚNICA IGREJA e fundou sobre Pedro – Mateus 16,18


COM RELAÇÃO AO PROTESTANTISMO - 1Jo 2,19 - "Eles Saíram do nosso meio, mas não eram dos nossos; pois, se tivessem sido dos nossos, teriam permanecido conosco. Mas, [saíram] para que se mostrasse que nem todos são dos nossos, nem do número dos eleitos.

Obrigado pelos elogios, mas nosso propósito aqui não é agradar os homens para receber elogios, mas levar a verdade que salva, cura e liberta.

Shalom e volte sempre !!!


Postar um comentário

Conforme a lei o blog oferece o DIREITO DE RESPOSTA a quem se sentir ofendido, desde que a resposta não contenha palavrões e ofensas de cunho pessoal e generalizados.Serão analisadas e poderão ser ignoradas e ou, excluídas.

Quem sou eu?

Minha foto
CIDADÃO DO MUNDO, NORDESTINO COM ORGULHO, Brazil
Neste Apostolado promovemos a “EVANGELIZAÇÃO ANÔNIMA", pois neste serviço somos apenas o Jumentinho que leva Jesus e sua verdade aos Povos. Portanto toda honra e Glória é para Ele.Cristo disse-nos:Eu sou o caminho, a verdade e a vida e “ NINGUEM” vem ao Pai senão por mim." ( João, 14, 6).Como Católicos,defendemos a verdade, contra os erros que, de fato, são sempre contra Deus.Cristo não tinha opiniões, tinha verdades, a qual confiou a sua Igreja, ( Coluna e sustentáculo da verdade – Conf. I Tim 3,15) que deve zelar por elas até que Cristo volte.Quem nos acusa de falta de caridade mostra sua total ignorância na Bíblia,e de Deus, pois é amor, e quem ama corrige, e a verdade é um exercício da caridade.Este Deus adocicado,meloso,ingênuo, e sentimentalóide,é invenção dos homens tementes da verdade, não é o Deus revelado por seu filho: Jesus Cristo.Por fim: “Não se opor ao erro é aprová-lo, não defender a verdade é nega-la” - ( Sto. Tomáz de Aquino)

As + lidas!

 
Support : Creating Website | Johny Template | Mas Template
Copyright © 2013. O BERAKÁ - All Rights Reserved
Template Created by Creating Website Published by Mas Template
Proudly powered by Blogger