A mera veiculação, ou reprodução de matérias e entrevistas deste blog não significa, necessariamente, adesão às ideias neles contidas. Tal material deve ser considerado à luz do objetivo informativo deste blog, não sendo a simples indicação, ou reprodução a garantia da ortodoxia de seus conteúdos. Os comentários devem ser respeitosos e relacionados estritamente ao assunto do post. Toda polêmica desnecessária será prontamente banida. Todos os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam, de maneira alguma, a posição do blog. Não serão aprovados os comentários escritos integralmente em letras maiúsculas, ou CAIXA ALTA. A edição deste blog se reserva o direito de excluir qualquer artigo ou comentário que julgar oportuno, sem demais explicações. Todo material produzido por este blog é de livre difusão, contanto que se remeta nossa fonte.
Home » » O que a Teologia (Antiga e Moderna) fala a respeito dos quatro seres vivos de Ezequiel e Apocalípse ?

O que a Teologia (Antiga e Moderna) fala a respeito dos quatro seres vivos de Ezequiel e Apocalípse ?

Written By Beraká - o blog da família on quinta-feira, 30 de agosto de 2012 | 00:38



Já se falou que o quarto ser vivo é Maria (Luis de Camões), bem como também seria a natureza humana de Cristo no seio da Trindade.

Para contextualizar a resposta, começo citando alguns textos onde, na Bíblia, aparece esse grupo de personagens:




Ezequiel 1,5: E do meio dela saía a semelhança de quatro seres viventes. E esta era a sua aparência: tinham a semelhança de homem.

Ezequiel 1,13: E, quanto à semelhança dos seres viventes, o seu aspecto era como ardentes brasas de fogo, com uma aparência de lâmpadas; o fogo subia e descia por entre os seres viventes, e o fogo resplandecia, e do fogo saíam relâmpagos;

Ezequiel 10,20: Estes são os seres viventes que vi debaixo do Deus de Israel, junto ao rio Quebar, e conheci que eram querubins.

Apocalipse 4,6-8: À frente do trono, havia como que um mar vítreo, semelhante ao cristal. No meio do trono e ao seu redor estavam quatro Seres vivos, cheios de olhos pela frente e por trás. O primeiro Ser vivo é semelhante a um leão; o segundo Ser vivo, a um touro; o terceiro tem a face como de homem; o quarto Ser vivo é semelhante a uma água em vôo. Os quatro Seres vivos têm cada um seis asas e são cheios de olhos ao redor e por dentro. E, dia e noite sem parar, proclaamam: Santo, Santo, Santo, Senhor Deus Todo-poderoso, Aquele-que-era, Aquele-que-é e Aquele-que-vem”




Apocalipse 5,6 E olhei, e eis que estava no meio do trono e dos quatro animais viventes e entre os anciãos um Cordeiro, como havendo sido morto, e tinha sete chifres e sete olhos, que são os sete espíritos de Deus enviados a toda a terra.


A imagem de Ezequiel com certeza é influenciada pela cultura dos assírios, pois lembra os Karibu, de onde vem os nossos “querubins”, sobretudo aqueles presentes na Arca da Aliança, conforme conta Êxodo 25,18ss.

O Apocalipse tem muitas imagens e tudo nele é simbólico, cheio de significados.

O próprio número 4 tem sua importância; representa os 4 cantos da terra, os pontos cardeais, os ventos. Além disso os animais são cheios de olhos, que podem ser símbolos da providência divina. A própria forma que têm representa o que há, na criação, de mais nobre, mais forte, mais sábio e mais ágil

Mais que personagens históricos, os 4 viventes são símbolos que exprimem o encontro entre a iniciativa salvífica de divina e a resposta que a criação, toda inteira, dá a Deus.

Desde o tempo de Irineu, bispo de Lião, na França, esses 4 viventes são símbolos dos 4 evangelistas: Mateus ; Marcos ; Lucas  e  João .

A VISÃO DOS QUATRO SERES NO CONTEXTO JUDAICO:

Deus se comunicou com Ezequiel em visões. A visão é uma revelação milagrosa da verdade de Deus. As de Ezequiel nos parece estranhas porque são apocalípticas. Ele viu imagens que simbolicamente transmitiam o que estava por vir.

As pessoas no exílio haviam perdido a perspectiva do propósito de Deus e de sua presença; Ezequiel lhes trouxe uma revelação com a finalidade de mostrar a imensa glória e santidade de Deus, e advertir sobre as conseqüências do pecado antes que fosse tarde demais. Daniel e João foram outros escritores bíblicos que tiveram visões apocalípticas.

Nesta primeira visão, Deus chamou Ezequiel para ser um profeta. Nada na experiência prévia de Ezequiel o havia preparado para uma exposição tão grande da gloriosa presença e poder de Deus. A imensa nuvem brilhou com um relâmpago, cercada por uma luz. Do fogo da nuvem saíram quatro seres viventes.

Estes mostraram a Ezequiel que a iminente destruição de Jerusalém era um castigo de Deus para Judá por causa dos pecados do povo (estes seres viventes também são citados em Ap 4:6,7).


Quando Ezequiel recebeu esta visão, estava longe do Templo de Jerusalém, um símbolo da presença de Deus.

Por meio desta visão, aprendeu que Deus está presente em todos os lugares (Nos quatro cantos do mundo antigo) e que as atividades dEle no céu dão forma aos acontecimentos na terra.


Cada um dos quatro seres viventes tinha quatro faces, simbolizando a natureza perfeita de Deus.

Alguns crêem que o leão representa a força; boi: o serviço diligente; o ser humano: a inteligência; e a águia: a divindade.

Outros vêem estas criaturas como as mais majestosas de Deus e dizem que, por esta razão, representam toda a criação.


A visão de João em Apocalípse 4 é semelhante à de Ezequiel.

A "figura semelhante a um homem" revelou a santidade de Deus e preparou Ezequiel para aquilo que Ele estava prestes a dizer-lhe. Esta figura representava o próprio Deus em seu Trono. De um modo semelhante, Cristo revelou Deus em uma forma humana e nos preparou para sua mensagem de salvação. Cristo entrou na história em um corpo real e humano.

A imagem dos quatro seres vivos na Bíblia.


João utiliza muitas imagens e símbolos no apocalipse. Ignorar estes elementos é passar despercebido pelo texto e nos levará a uma falsa compreensão ou interpretação. A preocupação da pergunta mostra que estas buscando a verdadeira compreensão do texto.

João retoma elementos do livro de Ezequiel quando fala dos quatro seres vivos em seu escrito, observemos em Ezequiel 1,5:


“E do meio dela saía à semelhança de quatro seres viventes. E esta era a sua aparência: tinham a semelhança de homem;”


João conhecedor destes textos do Antigo Testamento reutiliza ajudando a comunidade  a entender a mensagem que queria mostrar em Apoc 4,6-11:

“6 também havia diante do trono como que um mar de vidro, semelhante ao cristal; e ao redor do trono, um ao meio de cada lado, quatro seres viventes cheios de olhos por diante e por detrás;7 e o primeiro ser era semelhante a um leão; o segundoser, semelhante a um touro; tinha o terceiroser o rosto como de homem; e o quarto ser era semelhante a uma águia voando.8 Os quatro seres viventes tinham, cada um, seis asas, e ao redor e por dentro estavam cheios de olhos; e não têm descanso nem de noite, dizendo: Santo, Santo, Santo é o Senhor Deus, o Todo-Poderoso, aquele que era, e que é, e que há de vir.9 E, sempre que os seres viventes davam glória e honra e ações de graças ao que estava assentado sobre o trono, ao que vive pelos séculos dos séculos,10 os vinte e quatro anciãos prostravam-se diante do que estava assentado sobre o trono, e adoravam ao que vive pelos séculos dos séculos; e lançavam as suas coroas diante do trono, dizendo:11 Digno és, Senhor nosso e Deus nosso, de receber a glória e a honra e o poder; porque tu criaste todas as coisas, e por tua vontade existiram e foram criadas.”


A visão de Ezequiel:


As visões de Ezequiel são importantes, pois falam de quatro seres viventes com quatro rostos diferentes, rostos que correspondem às quatro criaturas citadas em (Ezequiel 1,5-14).

Para Ezequiel os seres viventes são os querubins (Ezequiel 10,9-17) e indica a missão e o papel destes querubins em defender e levar o trono de Deus conforme a vontade Dele. Uma vez que entendemos que os seres viventes citados por Ezequiel são os querubins, lembramos também dos querubins que ficavam acima da arca da aliança. Protegendo-a com suas asas.

Na visão de João


Na visão de João, os seres viventes o leão, touro, homem, águia, são semelhantes a quatro criaturas: Eles indicam os quatro seres mais fortes que estão liderando o universo físico.

Estes quatro seres também evidenciam os quatro elementos que constituem o ser humano: O leão = sentimento, águia = intelecto, touro = instinto, homem = rosto. Em resumo podemos afirmar: que leão, touro, águia, homem, os quatro seres humanos do apocalipse (Ap 4,6-7), ou em Ezequiel (Ez 1,5-21), representam o que domina o mundo e o que é mais nobre, forte, sábio e ágil na criação.

Os quatros seres têm a ver com os evangelistas na releitura Cristã:

Respondendo agora a pergunta. Ao interpretarmos ao pé da letra o texto, não encontraremos por escrito uma relação dos seres vivos do apocalipse com os quatros evangelistas. Entretanto muitos estudiosos fazem esta interpretação desde a época de Irineu aproximadamente no ano 400 d.C.

A tradição católica

Os católicos no decorrer dos séculos, segundo a tradição tem atribuído a cada um dos quatro evangelistas (Mateus, Marcos, Lucas e João) um simbolismo.

Desde os tempos de Constantino (aprox. 400 d. C.), a tradição cristã com Irineu de Lião, assim interpretou estes seres vivos:


1)- Atribui ao Evangelista Marcos, a figura do Leão (Apo 5.5), o Leão de Judá. A figura do Leão: aparece 28 vezes no Livro de Apocalipse, Jesus é chamado de Leão por Marcos. Contrapõe Jesus com o Imperador Romano. Jesus é o Salvador e não o Imperador.

2)- Bezerro: Lucas mostra toda humildade de Jesus através da figura do Novilho. É um animal de serviço, Jesus veio a terra para servir. Representa este aspecto do ministério de Jesus. Ou ainda lembra a abertura do evangelho de Lucas que acontece no Templo de Jerusalém, com seus sacrifícios rituais e purificações.

3)- Homem: Mateus mostra o lado humano de Jesus. O chama de "Filho do Homem". Seu evangelho inicia com a genealogia de Jesus. Jesus faz parte da historia do Povo de Deus.

4)- Águia: Representa o evangelista João e a idéia é apresentar Jesus como quem tem visão privilegiada. Alguém capaz de chegar aos altos céus. O primeiro capítulo de João apresenta Jesus como Deus. Seu lado Divino. Ele está muito acima de tudo o que podemos ver ou compreender. É o evangelho espiritual, e muitas passagens são difíceis de compreensão.

Esta simbólica é retomada por São João no Apocalipse (anos 70 de nossa era, anterior à redação dos Evangelhos).

Os primeiros textos que propõem repartição dos símbolos entre os evangelistas são do segundo século e os símbolos surgem na arte cristã a partir do século V.


Com Irineu de Lião (morto em 202) discípulo de Policarpo (convertido por São João), aparece a primeira repartição dos símbolos entre os evangelistas; ela repousa no texto do Apocalipse e a consideração do início de cada evangelho.

A seguir excertos de seu tratado Contra as Heresias (III, XI, 8):

São Jerônimo trata igualmente este problema em uma passagem importante de seu Comentário de Ezequiel (I. 1,10):FRAGMENT DU COMMENTAIRE SUR LE PROPHÈTE ÉZÉCHIEL.

A Homilia retoma e explicita as correspondências indicadas:
À direita o HOMEM (alegre)           Mateus           "aquele que raciocina"        Nascimento do Redentor
À esquerda o BOI (triste)    Lucas "Aquele que é sacrificado" Crucificação
À direita o LEÃO (alegre)    Marcos           "aquele que é forte e seguro"        Ressurreição
Acima a ÁGUIA         João   "aquele que é celeste e eterno"    Ascensão (ou melhor: o Verbo assentando junto ao Pai)

Vemos três sistemas diferentes:

1)- Irineu de Lião:

sacrifício táurico       Lucas
realeza leonina         João
nascimento humano           Mateus
espírito de profecia (águia) Marcos
 
2)- Atanásio:
Touro Marcos
Leão   Lucas
Homem          Mateus
Águia  João
 
3)- Jerônimo:

Touro Lucas
Leão   Marcos
Homem          Mateus
Águia  João
 
Há acordo entre os três no tocante a Mateus; Irineu de Lião e Jerônimo estão de acordo sobre Lucas = Touro; Atanásio e Jerônimo estão de acordo quanto João = Águia.
Agostinho de Hipona fala do Tetramorfo no capítulo VI de sua obra Concordância dos Evangelhos; conhece o sistema de Irineu de Lião que cita para rejeitar mas parece ignorar o de Jerônimo, propondo as seguintes correspondências:

Leão   Mateus
Homem          Marcos
Boi      Lucas
Águia  João

"Ninguém duvida, diz ele, da correspondência do Boi com Lucas. Três dos símbolos são terrestres (o leão, o homem, o boi) acima como uma águia, voa João".



Apocalipse (William Barclay):

E a mesma grande verdade aplica-se a qualquer outro servivente. O trabalho bem feito se eleva como um hino de louvor a Deus.Isto significa que o médico ao fazer sua ronda de visitas, o cientistaem seu laboratório, o mestre em sua sala de aula, o músico com seuinstrumento, a secretária com seu computador, a dona-de-casa em suacozinha, todos os que estão fazendo as tarefas que são necessárias paraque o mundo siga funcionando, unem-se num grande ato harmônico delouvor. Não somente o culto na Igreja, mas sim cada dia, e em cada diacada uma das tarefas que se executam deveria ir precedida pelo convite:"Adoremos, louvemos a Deus."

O SIMBOLISMO DOS SERES VIVENTES

Apocalipse 4:6b-8 (continuação)

Não transcorreu muito tempo antes da Igreja Primitiva encontrarum simbolismo bem definido para os quatro seres viventes. Emparticular, os quatro seres foram, para ela, símbolo dos quatroevangelhos.

Esta concepção encontra-se representada, muito freqüentemente, nos vitrais das Igrejas mais antigas.

A mais anterior das identificações foi a que fez Irineu no ano 170.Disse que as quatro criaturas representavam quatro aspectos da obra deCristo, os quais, por sua vez, estão representados nos quatro evangelhos.

O leão
simboliza a poderosa e efetiva obra do Filho de Deus, sualiderança e seu poder soberano.
O bezerro
significa o aspecto sacrificiale sacerdotal de sua obra, porque é um animal que se usava para oferecersacrifícios.

O homem
simboliza a encarnação, sua vinda como humano.

A águia
representa o dom do Espírito Santo, que sobrevoa a Igreja comsuas asas. Por outro lado, João representa "a original, efetiva e gloriosageração do Filho a partir do Pai", e diz como todas as coisas foram feitaspor Ele. João, portanto, está representado pelo leão

Lucas começa com aimagem de Zacarias, o sacerdote, e conta como se matou o bezerro engordado para festejar o retorno do filho mais novo.

O esquema de Agostinho era:

Mateus: o leão Marcos: o bezerroLucas: o boi João: a águiaDeve destacar-se que em geral a identificação de Agostinho é amais freqüentemente usada, pois é a que mais se ajusta aos fatos:


Mateus está muito bem representado pelo leão, porque nele Jesus é o Leão deJudá, aquele em quem se tornam realidade todas as esperanças e sonhosdos profetas.

Marcos corresponde à fome, porque é o Evangelho que mais se aproxima de uma descrição puramente humana da vida de Jesus.

Lucas se identifica com o boi, porque representa a Jesus como a oferta sacrificial por toda classe e condição de homem e mulher, em qualquer lugar e época.

João está representado na águia, porque entre todas asaves é a que voa mais alto e a única coisa que pode fixar seu olhar noSol; e João, entre os quatro evangelhos, é aquele que se eleva às zonas mais altas do pensamento humano.

“LOUVADO SEJA NOSSO SENHOR JESUS CRISTO”
Curta este artigo :

Postar um comentário

Conforme a lei o blog oferece o DIREITO DE RESPOSTA a quem se sentir ofendido, desde que a resposta não contenha palavrões e ofensas de cunho pessoal e generalizados.Serão analisadas e poderão ser ignoradas e ou, excluídas.

Quem sou eu?

Minha foto
CIDADÃO DO MUNDO, NORDESTINO COM ORGULHO, Brazil
Neste Apostolado promovemos a “EVANGELIZAÇÃO ANÔNIMA", pois neste serviço somos apenas o Jumentinho que leva Jesus e sua verdade aos Povos. Portanto toda honra e Glória é para Ele.Cristo disse-nos:Eu sou o caminho, a verdade e a vida e “ NINGUEM” vem ao Pai senão por mim." ( João, 14, 6).Como Católicos,defendemos a verdade, contra os erros que, de fato, são sempre contra Deus.Cristo não tinha opiniões, tinha verdades, a qual confiou a sua Igreja, ( Coluna e sustentáculo da verdade – Conf. I Tim 3,15) que deve zelar por elas até que Cristo volte.Quem nos acusa de falta de caridade mostra sua total ignorância na Bíblia,e de Deus, pois é amor, e quem ama corrige, e a verdade é um exercício da caridade.Este Deus adocicado,meloso,ingênuo, e sentimentalóide,é invenção dos homens tementes da verdade, não é o Deus revelado por seu filho: Jesus Cristo.Por fim: “Não se opor ao erro é aprová-lo, não defender a verdade é nega-la” - ( Sto. Tomáz de Aquino)

As + lidas!

 
Support : Creating Website | Johny Template | Mas Template
Copyright © 2013. O BERAKÁ - All Rights Reserved
Template Created by Creating Website Published by Mas Template
Proudly powered by Blogger