A mera veiculação, ou reprodução de matérias e entrevistas deste blog não significa, necessariamente, adesão às ideias neles contidas. Tal material deve ser considerado à luz do objetivo informativo deste blog, não sendo a simples indicação, ou reprodução a garantia da ortodoxia de seus conteúdos. Os comentários devem ser respeitosos e relacionados estritamente ao assunto do post. Toda polêmica desnecessária será prontamente banida. Todos os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam, de maneira alguma, a posição do blog. Não serão aprovados os comentários escritos integralmente em letras maiúsculas, ou CAIXA ALTA. A edição deste blog se reserva o direito de excluir qualquer artigo ou comentário que julgar oportuno, sem demais explicações. Todo material produzido por este blog é de livre difusão, contanto que se remeta nossa fonte.
Home » , , » Dostoevsky : "Se Deus não existe, tudo é permitido

Dostoevsky : "Se Deus não existe, tudo é permitido

Written By Beraká - o blog da família on domingo, 24 de abril de 2011 | 18:05




1)- Os privilégios do homem excepcional de Dostoevsky:

"[...] é permitido a todo indivíduo que tenha consciência da verdade regularizar sua vida como bem entender, de acordo com os novos princípios. Neste sentido, tudo é permitido [...] Como Deus e a imortalidade não existem, é permitido ao homem novo tornar-se um homem-deus, seja ele o único no mundo a viver assim." - F. Dostoiévski - O diálogo com o demônio (in Irmãos Karamazov, 1879)


O jovem estudante Raskolhnikov angustiava-se no seu pequeno quarto, na verdade uma gaiola desbotada que o sufocava. Ali matutava como um ser dotado de inteligência reconhecidamente superior, como a dele, estava reduzido àquela vida miserável, sem tostão e sem futuro enquanto que, naquela mesma cidade de São Petersburgo, a capital do império russo, à bem poucas quadras dali, uma velha usurária, chamada Aliona Ivanovna podia entregar-se livremente à exploração de desgraçados como ele. 

Porque não eliminar aquele ser parasitário, inútil, e utilizar-se do seu dinheiro para sair daquela situação apremiante, salvando também sua mãe e sua irmã, reduzidas ao opróbrio?

Foi nestas circunstâncias terríveis que o jovem estudante desenvolveu sua doutrina do "direito ao crime", na qual todo aquele que se sente além das convenções tradicionais acerca do bem e do mal, que percebe-se mais forte do que os demais homens, na verdade tem "direito a tudo", inclusive o direito de eliminar os que considera estorvantes e prejudiciais ao seu objetivo, pois o homem extraordinário deve, obediente às exigências do seu ideal, "ultrapassar certas barreiras tão longe quanto possível".



2)- O surgimento do homem-idéia

Esta é a essência da novela que F. Dostoiévski publicou em 1867 com o título de Crime e castigo. Uns anos depois ele manifestaria ainda seu fascínio por este tipo de personagem, pelo homem-idéia, pelo ateu que vive de acordo com suas próprias regras, indiferente ao sofrimento que suas ações possam provocar.

3)- "Se Deus não existe....."

Pouco antes de morrer, Dostoiévski voltou novamente ao homem-idéia pois entendia-o como a encarnação maléfica das pulsões modernas; o ateísmo, o liberalismo, o socialismo e o niilismo, que ameaçavam sua Santa Rússia ortodoxa.
Desta vez esse personagem ressurge nos Irmãos Karamazov, de 1879, na figura do filho mais velho de Fiodor Karamazov, Ivan.

O pai, o velho Karamazov, um incorrigível libertino, um canalha completo, terminou assassinado por um servo, seu filho bastardo, chamado Smerdiakov, que confessa a Ivan que o que motivou para o crime foi um artigo que soube ter ele escrito no qual defendia a idéia de que "se Deus não existe, tudo é permitido". 

Na inexistência de um Criador, de um grande ser moral, o homicida Smerdiakov não se via um degenerado, nem mesmo um abominável parricida, mas sim um daqueles homem-deus aos quais tudo é possível.

Aterrorizado pela confissão do seu meio-irmão, atacado por culpas mil, Ivan mergulha numa febre nervosa em que, em meio a uma alucinação, até o demônio dialoga com ele.


4)- O ser ideológico

Dostoiévski foi o primeiro nome das letras do século passado a perceber a emergência do moderno homem-idéia, dos seres ideológicos, os quais vivem, matam e morrem em função de uma causa desvinculada de injunções religiosas.

Como cristão convicto, chegando por vezes ao fundamentalismo, tentou combatê-los fazendo com que, em seus romances, eles se vissem atacados por terríveis dilacerações depois de terem cometido seus crimes, mostrando-os vítimas de delírios, de convulsões, tendo sua vida transformada num inferno.

O jovem Raskolhnikov entrega-se à polícia e, na prisão, dá os primeiros passos para reencontrar-se com o Cristianismo. Nikolai Stavroguin, deixando uma impressionante confissão, suicida-se, enquanto que Ivan Karamazov simplesmente enlouquece, arrasado pelas conseqüências do seu artigo ateu.


5)- Nietzsche e o super-homem

Nietzsche, porém, um confesso admirador de Dostoiévski, quase no mesmo momento em que o grande russo baixava à sepultura, em 1881, chegou à conclusões totalmente opostas ao grande russo quando iniciou a redação de Assim falou Zaratustra. A sua concepção de super-homem parece-me extraída diretamente daquelas novelas. 


Ateu militante, Nietzsche tirou as conseqüências últimas do homem-deus, não visualizando para ele nenhum grande tormento caso ele seguisse o seu ideário até o fim. Ao contrário, previu e enalteceu o homem-idéia que, em função da sua causa seria uma máquina de insensibilidade, trafegando, altaneiro, bem acima dos preceitos morais do seu tempo. Fazendo novas regras restritas a uma elite, o Übermensch teria seu comportamento a amoral regulado apenas pela sua inata vontade de domínio - Wille zur Macht - e por uma compulsiva sede de vida.


6)- Uma nova ordem

Uma nova casta se formaria em torno de princípios e identificações comuns, uma nova Ordem dos Templários, composta por seres que não só "saibam viver mais além dos credos políticos e religiosos, senão que também hajam superado a moral."

Podiam fazer o que lhes desse na telha, sem receio de qualquer tipo de punição supersticiosa. Nietzsche, antes de Freud, aboliu o pecado. 

E assim foi feito. Os homens-idéia do nosso século, os nazi-fascistas, os comunistas, os liberal-imperialistas, transformaram nosso mundo numa grande arena ideológica, eliminando dela tudo aquilo que, em algum momento, lhes pareceu adverso, dissidente, parasitário, bizarro, nocivo, atrasado ou banal...

A maioria deles sem esboçar um remordimento sequer. Nietzsche, em essência, nada mais fez do que transpor para a filosofia o discurso do demônio relatado por Dostoiévski, o que não lhe causou nenhum constrangimento moral, porque, afinal, se Deus não existe, também não há Satanás.
Curta este artigo :

+ Comentário. Deixe o seu! + 5 Comentário. Deixe o seu!

Anônimo
10 de agosto de 2011 18:18

o babaca que escreveu essa frase dizendo ser do dostoi, não leu o livro dele.

Jonas
29 de agosto de 2011 13:37

NÃO SOU CATÓLICO, mas independente do segmento sou Cristão e parabenizo-o pelo seu fervor apologético em defesa da Fé Cristã.

Descobri o site, no http://br.answers.yahoo.com/question/index?qid=20110803191005AAMpb0a

Por isso, seria de bom alvitre, que o caro irmão em Cristo "espalhasse" mais, ou melhor divulgasse seu blog em mais páginas, pois essa DEFESA DA FÉ CRISTÃ é uma busca constante de que precisam aqueles que querem "responder acerca da razão de nossa fé" a quem quer que nos questione.

Parabéns mesmo pelo blog. Que Deus o ilumine cada vez mais!

4 de setembro de 2011 10:20

Crime e Castigo foi um dos poucos livros que consegui ler todo os outros eram apenas aquelas obras infantis curtas do fundamental e olhe lá, fiquei facinado com Raskolhnikov e todos aqueles dilemas mentais em que ele queria ser Napoleão, chamava a judia de piolho e fiquei muito chocado com a miséria do povo russo, eu achei aquele livro na biblioteca da escola e li que ele tinha sido o único traduzido diretamente do russo o tradutor disse que as demais versões eram traduzidas do francês e que eram uma tradução da tradução.
Fiz umas pesquisas sobre a Russia e a União Sovietica e vi que era totamente satânico, fora ele terem sido ateus e completamente abortitas, alcolatras e genocidas e corruptos, além do mais segundo o Olavo de Carvalho um dos estudiosos mais respeitados do Brasil que curiosamente é católico fervoroso a KGB ainda tá doidinha pra dominar o mundo e implantar uma nova ordem mundial com um único governate por isso fundou o moveimento eurasiano baseado na desinformação aliado a uma irmande ilsâmica e as familas mais ricas do mundo que almejam uma nova ordem mundial em que não sejam desfavorecidas pelas ocilações do mercado que curiosdamente foi o que as enriqueceu e tudo tá ficando tão doido e homessexual no mundo que não sei nem que conclusões tiro a respeito disso, eu sou ateu e não acredito na Biblia e tambem não cofio na ciência, tratam ela como inquestionável e seguem segamente o que seus estudos dizem, não me importo em ser ateu e nem confiar nem na ciencia pois vi que isso realmete é ser ateu, o que adianta não acreditar na bilbia e quetitionala se se abraça a dogmas evolucionistas muito mais mau explicados que as escrituras da bíblia, estão cometendo um erro que eles mesmo condenam, tenho moral e me vigiu pra não cometer erros virei ateu depois de desenvolver esquizofrenia paranoide aos quinze anos, eu via Nossa senhora de Fátima me dizia que eu tinha que salvar o mundo do pecado e que ia acabar em breve, ouvia várias vozes mesmo sem nunca ter me interassado pela massonaria acrediatava que me perdeguia desde os treze anos e via seus rituais na minha mente depois de sofrer muito vi que era tudo mentira e mesmo depois de tomar remédios ainda ouço vozes principalmete antes de dormir e toda que vez que resolvo orar ouço a voz de Deus conversar comigo, depois de varios delirios religiosos que iam contra tudo que eu acreditava desisti de Deus e apenas o enchergo como uma possibiliade absurda e improvável. Mas tenho mais respeieto por quemn acredita nele do que pelos outros ateus.

5 de setembro de 2011 08:26

Prezado Sebastião,

Sei que vc está sendo sincero, e sei que vc é uma pessoa inteligente para saber que a " SINCERIDADE NÃO É O CRITÉRIO DA VERDADE", pois uma pessoa pode estar SINCERAMENTE ENGANADA, caso semelhante ao seu. Vou lhe prestar alguns esclarecimentos:

Se Deus é ato puro, sem potência passiva, Ele tem que ter todas as qualidades em grau absoluto, pois se pudesse aumentar ou diminuir suas qualidades, Ele teria potência.

O ateu diz que perdeu a Fé na existência de Deus.

A existência de Deus não é artigo de Fé. Prova-se pela razão que Deus existe.

O ateu tem dificuldade em aceitar que Deus exista, porque de fato, não quer que Ele exista.

O problema do ateu é moral e não inelectual, o que podemos confirmar por seu desabafo acima.

Vencendo as tendências para o mal, ficará fácil entender os argumentos que comprovam que Deus existe.

Um abraço!

Anônimo
28 de setembro de 2011 15:54

Onipotente existe quando não queira permitir algo sem perder a capacidade de desaparecer quando isto é o que basta como permissão.

Postar um comentário

Conforme a lei o blog oferece o DIREITO DE RESPOSTA a quem se sentir ofendido, desde que a resposta não contenha palavrões e ofensas de cunho pessoal e generalizados.Serão analisadas e poderão ser ignoradas e ou, excluídas.

Quem sou eu?

Minha foto
CIDADÃO DO MUNDO, NORDESTINO COM ORGULHO, Brazil
Neste Apostolado promovemos a “EVANGELIZAÇÃO ANÔNIMA", pois neste serviço somos apenas o Jumentinho que leva Jesus e sua verdade aos Povos. Portanto toda honra e Glória é para Ele.Cristo disse-nos:Eu sou o caminho, a verdade e a vida e “ NINGUEM” vem ao Pai senão por mim." ( João, 14, 6).Como Católicos,defendemos a verdade, contra os erros que, de fato, são sempre contra Deus.Cristo não tinha opiniões, tinha verdades, a qual confiou a sua Igreja, ( Coluna e sustentáculo da verdade – Conf. I Tim 3,15) que deve zelar por elas até que Cristo volte.Quem nos acusa de falta de caridade mostra sua total ignorância na Bíblia,e de Deus, pois é amor, e quem ama corrige, e a verdade é um exercício da caridade.Este Deus adocicado,meloso,ingênuo, e sentimentalóide,é invenção dos homens tementes da verdade, não é o Deus revelado por seu filho: Jesus Cristo.Por fim: “Não se opor ao erro é aprová-lo, não defender a verdade é nega-la” - ( Sto. Tomáz de Aquino)

As + lidas!

 
Support : Creating Website | Johny Template | Mas Template
Copyright © 2013. O BERAKÁ - All Rights Reserved
Template Created by Creating Website Published by Mas Template
Proudly powered by Blogger