A mera veiculação, ou reprodução de matérias e entrevistas deste blog não significa, necessariamente, adesão às ideias neles contidas. Tal material deve ser considerado à luz do objetivo informativo deste blog, não sendo a simples indicação, ou reprodução a garantia da ortodoxia de seus conteúdos. Os comentários devem ser respeitosos e relacionados estritamente ao assunto do post. Toda polêmica desnecessária será prontamente banida. Todos os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam, de maneira alguma, a posição do blog. Não serão aprovados os comentários escritos integralmente em letras maiúsculas, ou CAIXA ALTA. A edição deste blog se reserva o direito de excluir qualquer artigo ou comentário que julgar oportuno, sem demais explicações. Todo material produzido por este blog é de livre difusão, contanto que se remeta nossa fonte.
Home » , » SEJA SINCERO E RESPONDA: É POSSÍVEL SER CATÓLICO E ESPÍRITA AO MESMO TEMPO ?

SEJA SINCERO E RESPONDA: É POSSÍVEL SER CATÓLICO E ESPÍRITA AO MESMO TEMPO ?

Written By Beraká - o blog da família on domingo, 3 de outubro de 2010 | 14:02






Há um tempo vi uma pesquisa que dizia que em torno de 70% dos católicos acreditam em doutrinas espíritas e/ou participam de centros espíritas. Se este dado realmente corresponde ou não, eu não saberia dizer. Só sei que é muito comum ver pessoas dizerem que não é necessário deixar de ser católico para ser espírita e que ambas as doutrinas podem ser praticadas ao mesmo tempo. 


Outro fato muito comum é a constatação de que muitas pessoas frequentam o espiritismo apenas por motivos sentimentais, pois desejam uma consolação através de uma suposta comunicação com os mortos, através de receitas quase que mágicas para curar doenças ou conselhos para sair de um problema. Talvez seja por isso que as pessoas acabam não percebendo várias contradições que existem entre a fé católica e o espiritismo, além de existir uma falta de conhecimento a respeito das duas doutrinas.




A primeira grande divergência que existe entre catolicismo e espiritismo acontece pela compreensão diferente que ambas tem a respeito da salvação. Nós, católicos, cremos que Cristo veio a este mundo e morreu para nos redimir do pecado e nos restituir a graça de Deus, conforme nos ensina a carta de São Paulo aos Efésios: “É pelo sangue de Jesus Cristo que temos a redenção, a remissão dos pecados, segundo a riqueza de sua graça que Ele derramou profusamente sobre nós” (Ef 1,7). A doutrina espírita não acredita nisso. Segundo ela, cada pessoa humana vai reencarnando até quando não pagar todos os seus pecados. 


A partir disso, poderíamos concluir que a morte de Cristo na cruz foi inútil. Esta forma de pensar contradiz radicalmente o que acreditamos a respeito da misericórdia e do perdão de Deus. Para nós, católicos, Deus pode perdoar todos os nossos pecados quando estamos realmente arrependidos, pedimos perdão e fazemos penitência. Para o espiritismo não existe esta possibilidade, pois cada um deve pagar todos os pecados, uma vez que toda falta cometida, todo mal realizado é uma dívida contraída que deverá ser paga; se não for paga nesta vida, deverá ser paga nas vidas seguintes.




Outra divergência fundamental se dá quanto à pessoa de Jesus: nós católicos cremos que Jesus é verdadeiramente o Filho Unigênito de Deus, a Segunda Pessoa da Santíssima Trindade; enquanto que a doutrina espírita nega esta verdade fundamental da fé cristã, afirmando que Cristo foi apenas um grande “médium” e nada mais.




Concluo, aqui, apresentando estas duas divergências (lembrando que existem várias outras) e expressando meu respeito por todas as religiões que buscam a Deus, embora de formas diferentes. O que quero dizer aqui é que devemos fazer uma opção; não podemos viver duas doutrinas diferentes, ao mesmo tempo. Portanto, procuremos conhecer melhor a fé que temos para compreender a grande riqueza que existe em nossa fé católica!



PERGUNTA QUE NÃO QUER CALAR: “É POSSÍVEL UNIR DOUTRINAS COMPLETAMENTE DIFERENTES COMO A RESSURREIÇÃO CRISTà E  RE-ENCARNAÇÃO ESPÍRITA ?”


Ora, se os espíritas fossem realmente Cristãos, é lógico que não seriam espíritas, pois são doutrinas TOTALMENTE diferentes e divergentes. Pois o Cristão ao contrário dos espíritas , não nega o sacrifício de Cristo por seus pecados, e não acredita em auto salvação, pois ninguém pode Salvar a si mesmo.



Meus amados, digo isto por amor a vocês e à verdade que liberta: Muito cuidado com doutrinas que pregam o adiamento de sua conversão para outra vida, porque não existe 2ª chance, pois está REVELADO NAS ESCRITURAS QUE VOCÊS DIZEM SEGUIR:


Hebreus 9,27: Só se morre uma vez e logo após vem o juízo.



CIC 1013: Purgatório é só para quem já está com a salvação garantida, é só para Salvos. Purgatório não é 2ª chance, e não substitui o sacrifício de Cristo na Cruz por nós, é apenas purificação dos eleitos para entrar no céu.Porém nossa meta é o ceu, e não o purgatório.(Rom 21,27: Ali nada de impuro entra - NO CÉU).



Isaias 26,10: “A graça sem aprender a justiça, MESMO NA TERRA DA RETIDÃO (NO CÉU) praticará o mal.”


Cuidado com doutrinas que negam o sacrifício de Cristo pelos nossos pecados, pregando a doutrina da Re-encarnação:



Gálatas 1,7-9: “Ainda que venha um anjo, ou outra qualquer criatura do céu anunciando um outro evangelho diferente do que vos anunciamos, que seja ANÁTEMA(Condenado).”



A doutrina da Re-encarnação é invenção humana, muito criativa, que engana os desavisados.O próprio Cristo NEGA A DOUTRINA RE-ENCARNACIONISTA em 03 passagens:




1ª)-Lucas 23,43 - Diz ao ladrão: Ainda hoje estarás comigo no paraíso, e não: Re-encarnarás várias vezes até atingir a perfeição e depois entrarás no Paraíso, bastou um sincero arrependimento de sua condição pecadora. Deus está sempre disposto a perdoar, pois Deus é justo, e não um legalista sem misericórdia.



2ª)-João 9,1-3 - Diz aos apóstolos que o cego de nascença nada fez para nascer daquele jeito, mas para que seja nela manisfestada a glória de Deus, e cura o cego.



3ª)- Lucas 16,19-31- "Diz ao Rico falecido que não adianta re-encarnar um parente dele, pois mesmo assim ninguém se converteria..."



Pensem Nisto meus amados e não adiem suas conversões, Deus os chama a conversão Hoje !!! Basta o arrependimento e conversão de vida, apenas isto, não compliquemos a misericórdia de Deus, pois ELE É SIMPLES, nós é que somos complicados e complicamos tudo.





CATECISMO DA IGREJA CATÓLICA: "Creio na ressurreição da carne" 





§988 O Credo cristão - profissão de nossa fé em Deus Pai, Filho e Espírito Santo, e em sua ação criadora, salvadora e santificadora - culmina na proclamação da ressurreição dos mortos, no fim dos tempos, e na vida eterna.



§989 Cremos firmemente - e assim esperamos - que, da mesma forma que Cristo ressuscitou verdadeiramente dos mortos, e vive para sempre, assim também, depois da morte, os justos viverão para sempre com Cristo ressuscitado e que Ele os ressuscitará no último dia. Como a ressurreição de Cristo, também a nossa será obra da Santíssima Trindade: “Se o Espírito daquele que ressuscitou Jesus dentre os mortos habita em vós, aquele que ressuscitou Cristo Jesus dentre os mortos dar vida também aos vossos corpos mortais, mediante o seu Espírito que habita em vós (Rm 8,11).”




§990 O termo "carne" designa o homem em sua condição de fraqueza e de mortalidade. A "ressurreição da carne" significa que após a morte não haverá somente a vida da alma imortal, mas que mesmo os nossos "corpos mortais" (Rm 8,11) readquirirão vida.




§991 Crer na ressurreição dos mortos foi, desde os inícios, um elemento essencial da fé cristã. "Fiducia christianorum resurrectio mortuorum; ilíam credentes, sumus - A confiança dos cristãos é a ressurreição dos mortos; crendo nela, somos cristãos":Como podem alguns dentre vós dizer que não há ressurreição dos mortos? Se não há ressurreição dos mortos, também Cristo não ressuscitou. E, se Cristo não ressuscitou, vazia é a nossa pregação é vazia é também a vossa fé. Mas não! Cristo ressuscitou dos mortos, primícias dos que adormeceram (1Cor 15,12-14-.20).




§992 A ressurreição dos mortos foi revelada progressivamente por Deus a seu povo. A esperança na ressurreição c corporal dos mortos foi-se impondo corno uma conseqüência intrínseca da fé em um Deus criador do homem inteiro, alma e corpo. O criador do céu e da terra é também aquele que mantém fielmente sua aliança com Abraão e sua descendência. E nesta dupla perspectiva que começará a exprimir-se a fé na reação. Nas provações, os mártires Macabeus confessam:



“O Rei do mundo nos fará ressurgir para uma vida eterna, a nós que morremos por suas leis (2Mc 7,9). É desejável passar para a outra vida pelas mãos dos homens, tendo da parte de Deus as esperanças de ser um dia ressuscitado por Ele (2Mc 7,14).”



§993 Os fariseus e muitos outros contemporâneos do Senhor esperavam a ressurreição. Jesus a ensina com firmeza. Aos saduceus que a negam, ele responde: "Não é por isto que errais, desconhecendo tanto as Escrituras como o poder de Deus?" (Mc 12,24). A fé na ressurreição baseia-se na fé em Deus, que "que não é um Deus dos mortos, mas dos vivos" (Mc 12, 27).



§994 Mais ainda: Jesus liga a fé na ressurreição à sua própria pessoa: "Eu sou a ressurreição e a vida" (Jo 11,25). É Jesus mesmo quem, no último dia, há de ressuscitar os que nele tiveram crido e que tiverem comido seu corpo e bebido seu sangue. Desde já, Ele fornece um sinal e um penhor disto, restituindo a vida a certos mortos, anunciando com isso sua própria ressurreição, que no entanto será de outra ordem. Deste acontecimento único Ele fala como do "sinal de Jonas", do sinal do templo: anuncia sua ressurreição, que ocorrerá no terceiro dia depois de ser entregue à morte.



§995 Ser testemunha de Cristo é ser "testemunha de sua ressurreição" (At 1,22), "ter comido e bebido com Ele após sua ressurreição dentre os mortos" (At 10,41). A esperança cristã na ressurreição está toda marcada pelos encontros com Cristo ressuscitado. Ressuscitaremos como Ele, com Ele, por Ele.



§996 Desde o início, a fé cristã na ressurreição deparou com incompreensões e oposições. "Em nenhum ponto a fé cristã depara com mais contradição do que em torno da ressurreição da carne." Aceita-se muito comumente que depois da morte a vida da pessoa humana prossiga de um modo espiritual. Mas como crer que este corpo tão manifestamente mortal possa ressuscitar para a vida eterna?



§997 Que é "ressuscitar"? Na morte, que é separação da alma e do corpo, o corpo do homem cai na corrupção, ao passo que sua alma vai ao encontro de Deus, ficando à espera de ser novamente unida a seu corpo glorificado. Deus, em sua onipotência, restituirá definitivamente a vida incorruptível a nossos corpos, unindo-os às nossas almas, pela virtude da Ressurreição de Jesus.



§998 Quem ressuscitará ? Todos os homens que morreram: "Os que tiverem feito o bem (sairão) para uma ressurreição de vida; os que tiverem praticado o mal, para uma ressurreição de julgamento" (Jo 5,29).



§999 De que maneira? Cristo ressuscitou com seu próprio corpo: "Vede as minhas mãos e os meus pés: sou eu!" (Lc 24,39). Mas ele não voltou a uma vida terrestre. Da mesma forma, nele" ressuscitarão com seu próprio corpo, que têm agora"; porém, este corpo será "transfigurado em corpo de g1ória", em "corpo espiritual" (1Cor 15, 44):Mas, dirá alguém, como ressuscitam os mortos? Com que corpo voltam? Insensato! O que semeias não readquire vida a não ser que morra. E o que semeias não é o corpo da futura planta que deve nascer, mas um simples grão de trigo ou de qualquer outra espécie (...) Semeado corruptível, o corpo ressuscita incorruptível (...) os mortos ressurgirão incorruptíveis. (...) Com efeito, é necessário que este ser corruptível revista a incorruptibilidade e que este ser mortal revista a imortalidade (1Cor 15,35-37.42.52-53).



§1000 Este "corpo" ultrapassa nossa imaginação e nosso entendimento, sendo acessível só na fé. Nossa participação na Eucaristia, no entanto, já nos dá um antegozo da transfiguração de nosso corpo por Cristo:Assim como o pão que vem da terra, depois de ter recebido a invocação de Deus, não é mais pão comum, mas Eucaristia, Constituída por duas realidades, uma terrestre e a outra celeste, da mesma forma os nossos corpos que participam da Eucaristia não são mais corruptíveis, pois têm a esperança da ressurreição.



§1001 Quando? Definitivamente "no último dia" (Jo 6,39-40.44-54); "no fim do mundo". Com efeito, a ressurreição dos mortos está intimamente associada à Parusia de Cristo:Quando o Senhor, ao sinal dado, à voz do arcanjo e ao som da trombeta divina, descer do céu, então os mortos em Cristo ressuscitarão primeiro (1Ts 4,16).



§1002 Se é verdade que Cristo nos ressuscitará "no último dia", também que, de certo modo, já ressuscitamos com Cristo. Pois, graças ao Espírito Santo, a vida cristã é, já agora na terra, uma participação na morte e na ressurreição de Cristo:Fostes sepultados com Ele no Batismo, também com Ele ressuscitastes, pela fé no poder de Deus, que o ressuscitou dos mortos. (...) Se, pois, ressuscitastes com Cristo, procurai as coisas do alto, onde Cristo está sentado à direita de Deus (Cl 2,12;3,1).



§1003 Unidos a Cristo pelo Batismo, os crentes já participam realmente na vida celeste de Cristo ressuscitado, mas esta vida permanece "escondida com Cristo em Deus" (Cl 3,3). "Com ele nos ressuscitou e fez-nos sentar nos céus, em Cristo Jesus" (Ef 2,6). Nutridos com seu Corpo na Eucaristia, já pertencemos ao Corpo de Cristo. Quando ressuscitarmos, no último dia, nós também seremos "manifestados com Ele cheios de glória" (Cl 3,3).



§1004 Enquanto aguardam esse dia, o corpo e a alma do crente participam desde já da dignidade de ser "de Cristo"; daí a exigência do respeito para com seu próprio corpo, mas também para com o de outrem, particularmente quando este sofre:O corpo é para o Senhor, e o Senhor é para o corpo. Ora, Deus, que ressuscitou o Senhor, ressuscitará também a nós por seu poder. Não sabeis que vossos corpos são membros de Cristo? (...) Não pertenceis a vós mesmos. (...) Glorificai, portanto, a Deus em vosso corpo (1Cor 6,5.19-20).



§1005 Para ressuscitar com Cristo é preciso morrer com Cristo, é preciso "deixar a mansão deste corpo para ir morar junto do Senhor" (2 Cor 5,8). Nesta "partida" que é a morte, a alma é separada do corpo. Ela será reunida a seu corpo no dia da ressurreição dos mortos



§1006 "É diante da morte que o enigma da condição humana atinge seu ponto mais alto." Em certo sentido, a morte corporal é natural; mas para a fé ela é na realidade "salário do pecado" (Rm 6,23). E, para os que morrem na graça de Cristo, é uma participação na morte do Senhor, a fim de poder participar também de sua Ressurreição.




§1008 A morte é conseqüência do pecado. Intérprete autêntico das afirmações da Sagrada Escritura e da tradição, o magistério da Igreja ensina que a morte entrou no mundo por causa do pecado do homem. Embora o homem tivesse uma natureza mortal, Deus o destinava a não morrer. A morte foi, portanto, contrária aos desígnios de Deus criador e entrou no mundo como conseqüência do pecado. "A morte corporal, à qual o homem teria sido subtraído se não tivesse pecado", é assim "o último inimigo" do homem a ser vencido (1 Cor 15,26).


§1010 Graças a Cristo, a morte cristã tem um sentido positivo. "Para mim, a vida é Cristo, e morrer é lucro" (Fl 1,21). "Fiel é esta palavra: se com Ele morremos, com Ele viveremos" (2Tm 1,11). A novidade essencial da morte cristã está nisto: pelo Batismo, o cristão já está sacramentalmente "morto com Cristo", para Viver de uma vida nova; e, se morrermos na graça de Cristo, a morte física consuma este "morrer com Cristo" e completa, assim, nossa incorporação a ele em seu ato redentor:É bom para mim morrer em ("eis") Cristo Jesus, melhor do que reinar até as extremidades da terra. É a Ele que procuro, Ele que morreu por nós: é Ele que quero, Ele que ressuscitou por nós. Meu nascimento aproxima-se. (...) Deixai-me receber a pura luz; quando tiver chegado lá, serei homem.



Alma e corpo na ressurreição final



§366 A Igreja ensina que cada alma espiritual é diretamente criada por Deus - não é "produzida" pelos pais - e é imortal: ela não perece quando da separação do corpo na morte e se unirá novamente ao corpo na ressurreição final.



Cremação e fé na ressurreição dos corpos



§2301 A autópsia de cadáveres pode ser moralmente admitida por motivos de investigação legal ou de pesquisa científica. A doação gratuita de órgãos após a morte é legítima e pode ser meritória.



A Igreja permite a cremação, se esta não manifestar uma posição contrária à fé na ressurreição dos corpos.



Eucaristia força de ressurreição



§1524 O viático, último sacramento do cristão Aos que estão para deixar esta vida, a Igreja oferece, além da Unção dos Enfermos, a Eucaristia como viático. Recebida neste momento de passagem para o Pai, a comunhão do Corpo e Sangue de Cristo tem significado e importância particulares. E semente de vida eterna e poder de ressurreição, segundo as palavras do Senhor: "Quem come a minha carne e bebe o meu sangue tem a vida eterna, e eu o ressuscitarei no último dia" (Jo 6,54). Sacramento de Cristo morto e ressuscitado, a Eucaristia é aqui sacramento da passagem da morte para a vida, deste mundo para o Pai.



Fé na ressurreição dos mortos elemento essencial na fé cristã



§991 Crer na ressurreição dos mortos foi, desde os inícios, um elemento essencial da fé cristã. "Fiducia christianorum resurrectio mortuorum; ilíam credentes, sumus - A confiança dos cristãos é a ressurreição dos mortos; crendo nela, somos cristãos":Como podem alguns dentre vós dizer que não há ressurreição dos mortos? Se não há ressurreição dos mortos, também Cristo não ressuscitou. E, se Cristo não ressuscitou, vazia é a nossa pregação é vazia é também a vossa fé. Mas não! Cristo ressuscitou dos mortos, primícias dos que adormeceram (1Cor 15,12-14-.20).




Revelação progressiva da ressurreição dos mortos



§992 A ressurreição dos mortos foi revelada progressivamente por Deus a seu povo. A esperança na ressurreição c corporal dos mortos foi-se impondo corno uma conseqüência intrínseca da fé em um Deus criador do homem inteiro, alma e corpo. O criador do céu e da terra é também aquele que mantém fielmente sua aliança com Abraão e sua descendência. E nesta dupla perspectiva que começará a exprimir-se a fé na reação. Nas provações, os mártires Macabeus confessam:O Rei do mundo nos fará ressurgir para uma vida eterna, a nós que morremos por suas leis (2Mc 7,9). É desejável passar para a outra vida pelas mãos dos homens, tendo da parte de Deus as esperanças de ser um dia ressuscitado por Ele (2Mc 7,14).



Significação de ressurgir



§997 Que é "ressuscitar"? Na morte, que é separação da alma e do corpo, o corpo do homem cai na corrupção, ao passo que sua alma vai ao encontro de Deus, ficando à espera de ser novamente unida a seu corpo glorificado. Deus, em sua onipotência, restituirá definitivamente a vida incorruptível a nossos corpos, unindo-os às nossas almas, pela virtude da Ressurreição de Jesus.



Artigo republicado a pedido: Padre exalta figura de Chico Xavier e o espiritismo








"Seja espiritismo ou catolicismo, todos nós somos cristãos e é isso que sempre vai nos unir", declarou o Padre José Lourenço.



"Chico Xavier exalava amor, era extremamente humano em suas palavras e em suas ações". Foi dessa maneira que o padre José Lourenço da Silva Júnior, titular da paróquia São Judas Tadeu, em Uberaba (MG), descreve o médium mineiro: “Apesar de diferenças filosóficas entre espiritismo e catolicismo, a referência humanitária de Chico Xavier quebrou barreiras e possíveis preconceitos entre diferenças religiosas.”


O padre disse ainda que a união religiosa evidenciada em Uberaba pode ser considerada um exemplo para os povos no mundo. "O homem erra quando se divide religiosamente. Não se pode ser hipócrita, pois a irmandande humana não se quebra com a religião de cada um. É preciso deixar de lado esse sectarismo religioso e ter mais acolhimento e misericórdia", afirmou.


Fonte: G1





Nota de Rainhamaria – (por Dilson Kutscher)



Prezado Padre José, infelizmente o senhor deveria se informar melhor, pois o espiritismo näo é cristáo. Eu, como católico, temente a DEUS, temo também pelo seu sacerdócio e principalmente por seus paroquianos (que tipo de orientaçäo cristä estäo tendo ?), quando da frase que o senhor disse:



"Seja espiritismo ou catolicismo, todos nós somos cristãos e é isso que sempre vai nos unir"



Padre, quem é espírita näo é cristäo, já que o espiritismo nega as verdades da fé cristä e a doutrina da Santa Igreja Católica, chegando ao ponto de negar a Redençäo de Cristo e a possibilidade do perdäo dos pecados:



1)- O Católico: crê que Jesus veio para nos salvar por sua Paixão e Morte. O Espírita: afirma que Jesus não é nosso Redentor, mas apenas veio para ensinar algumas verdades e isso mesmo de um modo obscuro, e que cada pessoa precisa remir-se a si mesmo.


2)-O Católico: crê que Deus pode perdoar o pecador contrito. O Espírita: afirma que Deus não pode perdoar pecados sem que preceda rigorosa expiação e reparação feita pelo próprio pecador, sempre em novas reencarnações.O senhor como sacerdote näo sabia disto? Ou importa mais agradar aos homens que a DEUS?



"É, porventura, o favor dos homens que eu procuro, ou o de Deus? Por acaso tenho interesse em agradar aos homens? Se quisesse ainda agradar aos homens, não seria servo de Cristo". (Gl 1,10)



3)- Padre, o espiritismo também nega a presença real de Cristo na Eucaristia.Isto também é muito grave,pois a Eucaristia é o centro da fé Cristã e Católica por excelência.Diz na Sagrada Escritura:


"Não podeis beber ao mesmo tempo o cálice do Senhor e o cálice dos demônios. Não podeis participar ao mesmo tempo da mesa do Senhor e da mesa dos demônios". (1Cor 10,21)



Conforme eu havia dito em outra nota, a vaidade e a soberba humana em tentar encontrar Deus cada um a sua maneira, onde a maioria tenta adaptar Deus conforme as suas necessidades e conveniências terrenas, faz o mundo tornar-se um grande mercado de religiões e seitas diversas, buscando cada uma, a sua própria interpretação da palavra Deus.


Vamos fazer algumas considerações com relação a tal moda do momento - o espiritismo:


Será que o espiritismo é mesmo cristão, como pregam os seus adeptos e simpatizantes? O espiritismo nega pelo menos 40 verdades da fé cristã. Vamos citar apenas algumas negações muito graves:


1)-Nega a inspiração divina da Bíblia.

2)- Nega a instituição divina da Igreja.

3)- Nega a suficiência da Revelação.

4)- Nega o mistério da Santíssima Trindade.

5)- Nega a existência dos anjos.

6)- Nega a existência dos demônios.

7)- Nega a divindade de Jesus.

8)- Nega os milagres de Cristo.

9)- Nega nossa Redenção por Cristo (Este é o mais grave! ).

10)- Nega o pecado original.

11)- Nega a possibilidade do perdão dos pecados pelo arrependimento (Como o ladrão na Cruz que ganhou o paraíso).

12)- Nega a eficácia redentora do Batismo.

13)- Nega o juízo depois da morte.

14)- Nega a existência do Purgatório.

15)- Nega a existência do Inferno.

16)- Nega a ressurreição da carne.

17)- Nega o juízo final.



Apesar de tudo isso muitos continuam a proclamar que o espiritismo e o Cristianismo ensinam a mesma coisa.Na verdade é o ´joio no meio do trigo´ (Mt 13,28), que o inimigo semeou na messe do Senhor. Nada como o espiritismo nega tão radicalmente a doutrina católica. Ouçamos, finalmente, a palavra oficial da nossa Mãe Igreja, que tão bem nos ensina através do Catecismo:


Todas as formas de adivinhação hão de ser rejeitadas: recurso a Satanás ou aos demônios, evocação dos mortos ou outras práticas que erroneamente se supoem ´descobrir´ o futuro. A consulta aos horóscopos, a astrologia, a quiromancia (leitura das mãos), a interpretação de presságios e da sorte, os fenômenos de visão (bolas de cristais), o recurso a médiuns escondem uma vontade de poder sobre o tempo, sobre a história e finalmente sobre os homens, ao mesmo tempo que um desejo de ganhar para si os poderes ocultos. Estas práticas contradizem a honra e o respeito que, unidos ao amoroso temor, devemos exclusivamente a Deus´ (N° 2116). ´O espiritismo implica frequentemente práticas de adivinhação ou de magia. Por isso a Igreja adverte os fiéis a evitá´lo´ (N° 2117).



Os católicos que se deram a essas práticas condenadas pela Igreja podem e devem abandoná-las com urgência. Devem procurar um sacerdote, fazer uma confissão clara dos seus pecados e prometer a Deus nunca mais se dar a essas práticas. É preciso também destruir todo material (livros, imagens, gravuras, vestes, etc) usadas e consagradas nesses cultos.



A gravidade está no fato da pessoa ir buscar poder, fama, dinheiro, consolação (através da comunicaçäo com os mortos), etc, num lugar e numa prática não permitida por Deus e pela Igreja. Isto ofende a Deus. Essas práticas eram usadas na Mesopotâmia antiga, no Egito, entre os povos de Canãa, enfim, entre os pagãos, e eram terminantemente proibidas por Deus ao seu povo. Parece que hoje, grande parte do povo, volta ao paganismo e às suas práticas idolátricas. Isto nega o Cristianismo. A Igreja, como Mãe bondosa e cautelosa não quer que os seus filhos se percam.A prática do espiritismo sempre foi severamente proibida por Deus. Abaixo estão alguns textos da Bíblia com referência ao espiritismo e também à adivinhação, que freqüentemente acompanha os que se dizem médiuns:



"Não recorrais aos médiuns, nem consulteis os espíritos para não vos tornardes impuros. Eu sou o Senhor vosso Deus" (Lv 19,31).



"Se alguém recorrer aos médiuns e adivinhos, prostituindo-se com eles, eu voltarei minha face contra ele e o eliminarei do meio do povo" (Lv 20,6).



"Não se ache o meio de ti quem faça passar pelo fogo seu filho ou sua filha, nem quem se dê à adivinhação, à astrologia, aos agouros, ao feiticismo, à magia, ao espiritismo, à adivinhação ou à invocação dos mortos, porque o Senhor, teu Deus abomina aqueles que se dão a essas práticas, e é por causa dessas abominações que o Senhor, teu Deus, expulsa diante de ti essas nações" (Dt 18,10-12).



Os espíritas costumam a citar 1Sm 28,5-25, demonstrando que o espírito de Samuel comunicou-se com o rei Saul através da pitonisa de Endor, no entanto omitem a informação de 1Cr 10,13 que afirma claramente que o Senhor Deus puniu Saul com a morte por este ter-se dirigido à pitonisa.


Portanto, concluindo, que fique bem claro:


O espiritismo é abominável diante de Deus"; e como não existem três caminhos, são apenas dois, ou seja, o que conduz à Deus e o que leva ao inimigo de Deus, esteja pois, bem alerta, porque a ação do espírito das trevas é tirar as pessoas do verdadeiro Evangelho, o único que Jesus deixou; leia à seguir o que São Paulo diz na Epístola aos Gálatas, capítulo 1, versículos 6 à 10:



"Mas, ainda que alguém, nós ou um anjo baixado do Céu, vos anunciasse um evangelho diferente do que vos temos anunciado, que ele seja anátema. (maldito) Repito aqui o que acabamos de dizer: se alguém pregar doutrina diferente da que recebeste, seja ele excomungado!" (Gálatas 1,6-10).



Portanto, note bem, o evangelho segundo Alan Kardec é um anátema (maldito); seja ele e seus seguidores excomungados, alerta São Paulo!



Porque o católico não pode ser espírita ?



1. O Católico: admite a possibilidade de "mistério" e aceita as verdades sempre que tem certeza que foram reveladas por Deus. O Espírita: proclama que absolutamente não há "mistérios" e tudo o que a mente humana não pode compreender, é falso e deve ser rejeitado.


2. O Católico: instruído crê que Deus pode e faz milagres. O Espírita: rejeita a possibilidade de milagres e ensina que Deus também deve obedecer às "leis" da natureza.


3. O Católico: crê que os livros da Sagrada Escritura foram inspirados por Deus, portanto não podem ter erros em questão de fé e moral. O Espírita: declara que a Bíblia está cheia de erros e contradições e que nunca foi inspirada por Deus.


4. O Católico: crê que Jesus enviou o Espírito Santo aos apóstolos e seus sucessores para que pudessem transmitir fielmente, sem erros, a sua Doutrina. O Espírita: declara que os apóstolos e seus sucessores não entenderam os ensinamentos de Cristo e que tudo o que eles nos transmitiram está errado, é falsificado.


5. O Católico: crê que Jesus instituiu a Igreja para continuar sua obra. O Espírita: declara que até a vinda de Allan Kardec a obra de Cristo estava perdida e inutilizada.


6. O Católico: crê que o Papa, sucessor de Pedro, é infalível em questões de fé e moral. O Espírita: proclama que os Papas só espalharam o erro e a incredulidade.


7. O Católico: crê que Jesus nos ensinou toda a Revelação e nada mais há para ser revelado. O Espírita: proclama que o espiritismo é a terceira revelação, destinada a retificar e substituir o Evangelho de Cristo.


8. O Católico: crê no Mistério da Santíssima Trindade. O Espírita: nega esse augusto mistério.


9. O Católico: crê que Deus é o Criador de tudo, Ser Pessoal, distinto do mundo. O Espírita: afirma que os homens são partículas de Deus - verdadeiro panteísmo.


10. O Católico: crê que Deus criou a alma humana no momento de sua união com o corpo. O Espírita: afirma que nossa alma é o resultado da lenta e longa evolução, tendo passado pelo reino mineral, vegetal e animal.


11. O Católico: crê que o homem é uma composição substancial de corpo e alma. O Espírita: afirma que é um composto entre "perispírito" e alma e que o corpo é apenas invólucro temporário, um "Alambique para purificar o espírito".



12. O Católico: obedece a Deus que, sob penas severas, proibia a evocação dos mortos. O Espírita: faz dessa evocação uma nova religião.



13. O Católico: crê na existência de anjos e demônios. O Espírita: afirma que não há anjos, mas espíritos mais evoluídos e que eram homens. Que não há demônios, mas apenas espíritos imperfeitos que alcançarão a perfeição.


14. O Católico: crê que Jesus é verdadeiramente o Filho Unigênito de Deus, a segunda pessoa da Santíssima Trindade. O Espírita: nega esta verdade fundamental da fé cristã e afirma que Cristo era apenas um grande "médium" e nada mais.


15. O Católico: crê que Jesus é também verdadeiro homem, com corpo real e alma humana. O Espírita: em grande parte, afirma que Cristo tinha apenas um corpo aparente ou fluídico.


16. O Católico: crê que Maria é Mãe de Deus, imaculada, assunta ao céu. O Espírita: nega e ridiculariza todos os privilégios de Maria, Mãe de Deus.


17. O Católico: crê que Jesus veio para nos salvar por sua Paixão e Morte. O Espírita: afirma que Jesus não é nosso Redentor, mas apenas veio para ensinar algumas verdades e isso mesmo de um modo obscuro, e que cada pessoa precisa remir-se a si mesmo.

18. O Católico: crê que Deus pode perdoar o pecador contrito. O Espírita: afirma que Deus não pode perdoar pecados sem que preceda rigorosa expiação e reparação feita pelo próprio pecador, sempre em novas reencarnações.


19. O Católico: crê nos sete sacramentos e na graça própria de cada sacramento. O Espírita: não aceita nenhum sacramento, nem mesmo o poder da graça santificante.


20. O Católico: crê que o homem vive sobre a terra e que desta única existência depende a vida eterna. O Espírita: afirma que a gente nasce, vive e morre e renasce ainda e progride continuamente.

21. O Católico: crê que após esta vida, há céu,purgatório e inferno. O Espírita: nega - crê em novas reencarnações.



A Bíblia condena a reencarnação , a incorporação de espíritos e a comunicação com os mortos , a chamada necromancia , portanto condena o espiritismo em geral e o kardecismo em particular.Sobre a reencarnação lemos :


"Como está determinado que os homens morram uma só vez, e logo em seguida vem o Juízo" (Heb 9,27).



Somos salvos pelo Sangue do Senhor, pela graça justificadora , e não por sucessivas reencarnações purificadoras.Jesus disse a São Dimas , o bom ladrão :


"Hoje estarás comigo no paraíso" (Lc 23,43).Jesus eliminou nitidamente , nessa expressão , a chance de qualquer reencarnação. Dimas não reencarnaria muitas vezes para ser salvo.

Aqui estão matérias definitivas e contundentes de vida e de fé, as quais o espírita não abre mão, e porque nós Cristãos haveríamos de abrir mão da verdadeira e única fé ? Pense nisto antes de aderir a esta falsa doutrina.


Ou acreditamos no evangelho revelado por Jesus Cristo, ou no evangelho revelado por Alan Tetrec ?



“LOUVADO SEJA NOSSO SENHOR JESUS CRISTO”
Curta este artigo :

Postar um comentário

Conforme a lei o blog oferece o DIREITO DE RESPOSTA a quem se sentir ofendido, desde que a resposta não contenha palavrões e ofensas de cunho pessoal e generalizados.Serão analisadas e poderão ser ignoradas e ou, excluídas.

Quem sou eu?

Minha foto
CIDADÃO DO MUNDO, NORDESTINO COM ORGULHO, Brazil
Neste Apostolado promovemos a “EVANGELIZAÇÃO ANÔNIMA", pois neste serviço somos apenas o Jumentinho que leva Jesus e sua verdade aos Povos. Portanto toda honra e Glória é para Ele.Cristo disse-nos:Eu sou o caminho, a verdade e a vida e “ NINGUEM” vem ao Pai senão por mim." ( João, 14, 6).Como Católicos,defendemos a verdade, contra os erros que, de fato, são sempre contra Deus.Cristo não tinha opiniões, tinha verdades, a qual confiou a sua Igreja, ( Coluna e sustentáculo da verdade – Conf. I Tim 3,15) que deve zelar por elas até que Cristo volte.Quem nos acusa de falta de caridade mostra sua total ignorância na Bíblia,e de Deus, pois é amor, e quem ama corrige, e a verdade é um exercício da caridade.Este Deus adocicado,meloso,ingênuo, e sentimentalóide,é invenção dos homens tementes da verdade, não é o Deus revelado por seu filho: Jesus Cristo.Por fim: “Não se opor ao erro é aprová-lo, não defender a verdade é nega-la” - ( Sto. Tomáz de Aquino)

As + lidas!

 
Support : Creating Website | Johny Template | Mas Template
Copyright © 2013. O BERAKÁ - All Rights Reserved
Template Created by Creating Website Published by Mas Template
Proudly powered by Blogger