A mera veiculação, ou reprodução de matérias e entrevistas deste blog não significa, necessariamente, adesão às ideias neles contidas. Tal material deve ser considerado à luz do objetivo informativo deste blog, não sendo a simples indicação, ou reprodução a garantia da ortodoxia de seus conteúdos. Os comentários devem ser respeitosos e relacionados estritamente ao assunto do post. Toda polêmica desnecessária será prontamente banida. Todos os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam, de maneira alguma, a posição do blog. Não serão aprovados os comentários escritos integralmente em letras maiúsculas, ou CAIXA ALTA. A edição deste blog se reserva o direito de excluir qualquer artigo ou comentário que julgar oportuno, sem demais explicações. Todo material produzido por este blog é de livre difusão, contanto que se remeta nossa fonte.
Home » » Quando o COITADISMO torna-se problema ao invés de solução estratégica

Quando o COITADISMO torna-se problema ao invés de solução estratégica

Written By Beraká - o blog da família on quarta-feira, 4 de março de 2015 | 12:59




Comentários do blog Berakash:"Há uma coisa que me incomoda profundamente, um certo comportamento de vários petistas mais radicais: O COITADISMO.TUDO é anti-Dilma, tudo tem a intenção de derrubar o governo ou, finalmente, tudo é PIG.Toda crítica que se faça à Dilma, respondem que é coisa do PIG. Nenhuma crítica é legítima. Ou melhor, só as críticas desta casta iluminada é aceita, o problema é que eles não se autocriticam.Conheço uma penca de gays petistas que estão revoltados. Muitos não-petistas que apoiaram Dilma que estão revoltados. E não tem nada a ver com o PIG. Dilma disse com todas as letras que SEQUER viu os vídeos ou o material do Kit anti-homofobia. No máximo deu uma olhada no que a mídia veiculou - onde pairam suspeitas de que sequer eram os vídeos corretos.Depois vem o Código Florestal, a Política Externa vergonhosa, uma comissão da Verdade que vai virando lenda, uma Reforma Agrária abandonada, cortes no orçamento, nenhuma preocupação com a qualidade do ensino, com a melhoria das bolsas de mestrado e doutorado, com o ensino básico, a saúde um verdadeiro caos, e ainda é para todos ficarem de bico calado ? Ora tenha paciência..."




O que foi feito em TODAS estas áreas?



Antes a resposta fosse “nada”. O problema é que foram recuos vergonhosos.PT e governo aprovam código florestal criminoso e tem quem me diga que o PIG é que levou o mundo a se revoltar? E que PIG é esse, se TODOS os ruralistas e partidos de direita apoiaram o código?Tá na hora de começar a responder as críticas com coragem, com propostas e com a verdade ao invés de tentar jogar TUDO nas costas do PIG.



Esse coitadismo que os petistas assumem sempre que cai uma bomba é irritante. A Reforma Agrária não é nem algo mais falado pelo governo, desistiram. O Código Florestal foi o golpe de misericórdia.Se o governo chegará ao ponto de criminalizar o MST (trair, já traiu) eu não sei, espero que não, mas não duvidaria.E, fato, o PIG está doido pra derrubar a Dilma, como tentou contra o Lula e, convenhamos, a Dilma está fazendo por onde.Não quero que Dilma caia, apenas que governe para o povo e não para uma parcela da população,que cumpra AO MENOS o programa que foi eleita para levar a frente.




Com a Reforma Agrária, era só um recuo momentâneo, estratégico do Lula.Aí passam-se 8 anos e nada acontece, vem campanha e nem uma linha sobre o tema, vão 5 meses de Dilma e vem o Código Florestal.



O maior inimigo (ou os maiores inimigos) do governo são os próprios petistas, que não se auto criticam. Ficam com medo de "fazer o jogo da direita", mas fazem exatamente isto.



Cheguei a perguntar quais teriam sido as realizações de Dilma até o momento, apenas para tentar entender "o outro lado"?




1)- Rede Cegonha... Ok, interessante...aponto apenas para um artigo da Conceição Lemes no Vi o Mundo, que ainda não virou PIG, que desde o título dá o tom: Rede Feminista de Saúde alerta: A Rede Cegonha é retrocesso de 30 anos.



2)- Sobre programa de combate e prevenção ao câncer de mama e colo de útero e distribuição de remédios, disfarçam a precariedade do SUS. Ao invés de investir universalmente no SUS, em um sistema que efetivamente funcionasse.


3)- Pronatec, discutível. Insere-se na lógica perversa do nacional-desenvolvimentismo do governo, keynesianismo sem data para terminar, o que é um problema imenso! Produção de mão de obra qualificada para as obras de infra-estrutura do governo, ou melhor, para Belo Monte, Transposição e PAC em geral. Nenhuma intenção além.


Os retrocessos são terríveis.Sim, claro, não nego o fato. A crítica se centra, porém, na falta de coragem de avançar. De paliativos o mundo - e o Brasil - está cheio! O Bolsa Família, aliás, é o mais notável dos paliativos, assim como o ProUni.Bons projetos, vieram no momento certo, mas são insuficientes, deficientes. O Bolsa Família não vislumbra a superação desta situação, a isto vem a falta de reajuste decente no salário mínimo, para os que podem sair do ciclo do Bolsa Família. Já o ProUni leva muita gente à universidade, mas não exige qualquer contrapartida em termos de qualidade por parte da universidade e a falta de investimento do governo na educação básica não é sanada. Nem preciso comentar da total falta de incentivo ao mestrado e doutorado, com bolsas de fome.Peço APENAS para que Dilma aplique aquilo que o PT defendeu durante toda sua história.




O coitadismo nacional e o culto à vitimização



O “coitadismo” é uma característica muito difundida no Brasil, infelizmente. O povo, de forma geral, adora uma vítima. O PT sabe disso, e sempre explorou bastante tal fenômeno a seu favor. No debate do SBT, em que Dilma foi fulminada por argumentos, acusações e uma postura firme de Aécio Neves, os petistas viram na vitimização uma oportunidade para tentar reverter o quadro de evidente derrota, diria até massacre.



A vitimização oportunista de Dilma foi tema da coluna de Merval Pereira. O jornalista lembrou que essa tática já foi usada quando Dilma foi vaiada na Copa, e não deu muito certo. Também refrescamod a memória do leitor com as declarações da própria Dilma contra Marina Silva, quando esta foi alvo da artilharia pesada e infame de sua campanha. Disse na ocasião:


“Um presidente da República sofre pressão 24 horas por dia. Se a pessoa não quer ser pressionada, não quer ser criticada, não quer que falem dela, não dá para ser presidente da República. Acho que, (para) ser presidente, a gente tem que aguentar a barra.”


Mas o PT sempre foi assim: um discurso para cada hora e público. Dilma diz agora que não gosta de briga, mas mente, como de praxe, pois sua história sempre foi feita à base de muita briga. O PT sempre teve necessidade de criar inimigos, como fazem os regimes totalitários. Ele precisa do “nós contra eles” para sobreviver. Dessa vez, encontrou pela frente um tucano com mais coragem. Merval conclui:


“Na verdade, Aécio é o primeiro candidato tucano que enfrenta o PT sem receios, resgatando o legado de Fernando Henrique Cardoso e exorcizando de vez a demonização que o PT vem fazendo dos governos tucanos pelos últimos 12 anos.”



Tanto Serra quanto Alckmin entraram na disputa contra o PT com receio de se indispor com Lula e seus seguidores, e tiveram dificuldades para defender as políticas do PSDB, quando não evitaram simplesmente temas polêmicos como as privatizações. A postura de Aécio Neves já mostrou que há um projeto político para enfrentar o lulismo, e defendê-lo não tira votos.Dilma não está sabendo lidar bem com essa mudança. O PT não está acostumado a esta reação. Antes era só bater e pronto. Hoje, ele bate e apanha.


Finalmente a Terceira Lei de Newton está em curso: para toda ação, há uma reação. Não vai colar essa vitimização.


De forma pérfida, os petistas acusam os outros daquilo que são:


Agressivos, truculentos, radicais. Mas o eleitor não cai mais nessa. Já sabe que o PT é que vem segregando o país, instigando o ódio, fomentando a divisão.Os que se uniram contra o PT – e são muitos, de todos os campos ideológicos – não odeiam ninguém; estão apenas cansados, indignados com tanta mentira, roubalheira, incompetência e imundice.


O PT se faz de vítima, mas a verdadeira vítima é o povo brasileiro, que não aguenta mais apanhar de um governo corrupto e autoritário. O brasileiro quer se libertar disso.


E Aécio fez bem ao comparar o quadro atual com aquele da época de seu avô:



Hoje nós temos um desafio que não é menor do que aquele (de Tancredo Neves), que é encerrar o ciclo deste governo que aí está, que perde condições de governar o Brasil, a meu ver, pelo fracasso da economia e descompromisso com a ética. Deixo de ser um candidato de uma coligação e passo a ser o candidato de um movimento de mudança.E como o Brasil precisa de mudança!


“Quando eu era criança, passei por extrema necessidade. Meus pais, muito pobres, não tinham dinheiro para alimentar todos os 7 filhos, e tínhamos que dividir o pouco de arroz e farinha que chegava à mesa. Carne era item mais raro do que honestidade no PT. Quando surgia um pedaço, celebrávamos como se tivéssemos ganhado na loteria.Além da fome, as doenças foram uma constante em nossas vidas. Dos sete irmãos, três não chegaram à adolescência. Eu mesmo escapei da morte por muito pouco. Acometido pela diabetes, cujo tratamento é bastante dispendioso, cheguei a ter crises em que o médico decretava a falta de possibilidade de reversão. No entanto, resisti, sobrevivi e cá estou eu.Enquanto outras crianças brincavam na rua nos fins de semana, desde muito cedo tive que trabalhar para ajudar no sustento em casa. Primeiro fazendo biscates, depois como contínuo em um escritório do patrão de minha mãe. Era o último a sair, e a grande dúvida era se chegaria vivo em casa, pois tinha que atravessar uma vizinhança extremamente perigosa no trajeto.Hoje estou aqui, pedindo o seu voto para poder ajudar todos aqueles que sofrem o mesmo tipo de penúria, que conhecem de perto as agruras da vida dos brasileiros simples. Quero retribuir de alguma forma aquilo que recebi como oportunidade para melhorar de vida. Conto com seu apoio.”



O texto acima, caro leitor, é totalmente fictício e inventei tudo agora (acho que alguns esquerdistas já estavam até com pena de mim e com um olhar mais obsequioso). Apesar de ser uma história criada, tenho certeza de que muitos passaram exatamente por isso, ou coisa bem parecida, uma vez que essa é a realidade de milhões de brasileiros.


Agora, pergunto: o que tal trajetória tem a ver com minha capacidade de gestão?


O que meu passado de miséria e sofrimento diz sobre minha habilidade como político? O que a fome da infância garante quando o desafio é aprovar medidas que efetivamente reduzam a fome dos outros?
Quis, com isso, mostrar como nosso país está mergulhado em um culto à vitimização. O que cada um sofreu na vida parece mais importante do que aquilo que desenvolvemos como habilidades e conhecimento. É uma ótica invertida, do coitadismo.Conheço algumas pessoas que tiveram infância quase tão triste como essa que criei. Deram a volta por cima, não pelas benesses estatais, mas com base em muito esforço e mérito pessoal, quase sempre contra os obstáculos criados pelos governos populistas que agem em nome dos mais pobres.



A campanha de Pezão aqui no Rio tem batido insistentemente nessa tecla de seu passado de pobreza e de sua humildade permanente, mesmo depois de subir na vida. Sua mãe, soubemos na campanha, até hoje não tem empregada, mesmo bem idosa. Lindo! Mas… o que isso significa em termos de gestão do estado?


A MANIPULAÇÃO E APELO AO COITADISMO É CLARA!!!




A “marcha dos oprimidos” tem tudo a ver com isso. Em nosso modelo de estado de bem-estar social generoso, com um paternalismo exacerbado, quem não chora, não mama. É preciso chorar, e muito. É preciso extrair lágrimas dos outros, apelar às suas emoções e empatia. Quem posar de mais vítima, ganha.



E ficamos sem saber as propostas concretas, o histórico profissional de cada um, suas principais ideias, seu currículo de conquistas práticas.


Não é porque alguém passou fome que saberá como atacar o problema da fome ainda existente. O mundo não funciona assim, dependente da “vontade política” e das boas intenções. Ou será que somente quem teve câncer pode tratar do câncer, e não um médico especialista e bem treinado para tanto?



Como exemplo, basta pensar em Dilma:


Exploraram até o cansaço seu passado de “militante” (guerrilheira comunista, na verdade) que combateu a ditadura (defendia outra pior, na verdade) e foi vítima do regime militar. Enquanto bem mais importante do que isso era o eleitor saber que levara à falência uma loja de bugigangas, sua única experiência como gestora. Deu nisso ai que estamos vendo: Ingonvernabilidade e caos.


Temos a mania do sentimentalismo exagerado. Quem costuma vencer os insuportáveis Big Brother Brasil são os que se fazem de vítimas, mostram-se como “minorias” alvos da maioria dominante, procuram se vender como “bonzinhos” e sofredores. Como gostamos de uma vítima!

Digo o óbvio ululante. Mas, como sabia o nosso grande Nelson Rodrigues, que foi um desses que tiveram uma infância de fome e doenças, mas deu a volta por cima por mérito pessoal, é preciso constatar o óbvio, que só os profetas enxergam!



Rodrigo Constantino
Curta este artigo :

Postar um comentário

Conforme a lei o blog oferece o DIREITO DE RESPOSTA a quem se sentir ofendido, desde que a resposta não contenha palavrões e ofensas de cunho pessoal e generalizados.Serão analisadas e poderão ser ignoradas e ou, excluídas.

Quem sou eu?

Minha foto
CIDADÃO DO MUNDO, NORDESTINO COM ORGULHO, Brazil
Neste Apostolado promovemos a “EVANGELIZAÇÃO ANÔNIMA", pois neste serviço somos apenas o Jumentinho que leva Jesus e sua verdade aos Povos. Portanto toda honra e Glória é para Ele.Cristo disse-nos:Eu sou o caminho, a verdade e a vida e “ NINGUEM” vem ao Pai senão por mim." ( João, 14, 6).Como Católicos,defendemos a verdade, contra os erros que, de fato, são sempre contra Deus.Cristo não tinha opiniões, tinha verdades, a qual confiou a sua Igreja, ( Coluna e sustentáculo da verdade – Conf. I Tim 3,15) que deve zelar por elas até que Cristo volte.Quem nos acusa de falta de caridade mostra sua total ignorância na Bíblia,e de Deus, pois é amor, e quem ama corrige, e a verdade é um exercício da caridade.Este Deus adocicado,meloso,ingênuo, e sentimentalóide,é invenção dos homens tementes da verdade, não é o Deus revelado por seu filho: Jesus Cristo.Por fim: “Não se opor ao erro é aprová-lo, não defender a verdade é nega-la” - ( Sto. Tomáz de Aquino)

As + lidas!

 
Support : Creating Website | Johny Template | Mas Template
Copyright © 2013. O BERAKÁ - All Rights Reserved
Template Created by Creating Website Published by Mas Template
Proudly powered by Blogger