A mera veiculação, ou reprodução de matérias e entrevistas deste blog não significa, necessariamente, adesão às ideias neles contidas. Tal material deve ser considerado à luz do objetivo informativo deste blog, não sendo a simples indicação, ou reprodução a garantia da ortodoxia de seus conteúdos. Os comentários devem ser respeitosos e relacionados estritamente ao assunto do post. Toda polêmica desnecessária será prontamente banida. Todos os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam, de maneira alguma, a posição do blog. Não serão aprovados os comentários escritos integralmente em letras maiúsculas, ou CAIXA ALTA. A edição deste blog se reserva o direito de excluir qualquer artigo ou comentário que julgar oportuno, sem demais explicações. Todo material produzido por este blog é de livre difusão, contanto que se remeta nossa fonte.
Home » » Quando a falsa liberdade se torna uma prisão ?

Quando a falsa liberdade se torna uma prisão ?

Written By Beraká - o blog da família on sábado, 10 de setembro de 2016 | 22:14






A pior prisão é aquela onde não há grades e nem correntes. Onde não há muros, cadeados, ou guardas. São aquelas as quais nos aprisionamos por livre e espontânea vontade a pessoas ou ideologias, não por serem verdadeiras, mas porque simplesmente nos apegamos  cegamente. O conceito de lavagem cerebral foi proposto pelo psiquiatra americano Robert Jay Lifton, professor de Harvard, que é a maior autoridade no mundo em estudos sobre guerra política, controle mental e psico-historiografia. Em seu livro de 1961, Reforma do pensamento e da Psicologia do totalitarismo: Um Estudo da "lavagem cerebral" na China (University of North Carolina, Impressa 1989), resultado de uma pesquisa realizada a partir de 1953 com cidadãos americanos prisioneiros na Guerra da Coréia e também com exilados da China maoísta que sofreram doutrinação ideológica nas universidades chinesas, Lifton mergulhou nas variadas técnicas coercitivas usadas na China comunista, cunhando o termo “thought reform”, (reforma do pensamento) e descrevendo as suas principais características, além dos métodos que causam tal deturpação psicológica, moral e cognitiva.A boa notícia é que, segundo seus estudos, o ser humano não é intrinsicamente cruel e somente em raros casos de sociopatias a pessoa é capaz de ser induzida a cometer crimes e atrocidades sem um grande sofrimento e dano emocional. A má notícia é que é muito fácil fazer uma pessoa “normal” cometer tais crimes.





Em outro livro, Os médicos nazistas: Morte, Medicina e Psicologia do Genocídio (1986), Lifton estudou os inúmeros casos de médicos alemães – pessoas comuns – que justificavam e racionalizavam a própria participação nos sinistros experimentos do nacional-socialismo alemão, blindando-se psicologicamente desses grandes traumas.




A doutrinação pode ocorrer em vários níveis, seja um psicopata sedutor que obceca sua vítima, passando pelos famigerados líderes de seitas, grupos políticos e paramilitares, até a doutrinação em nível governamental e estatal, auxiliada pelo aparato cultural (universidades, cultura dominante e mídia).O conceito de doutrinação poderia ser confundido com o princípio da educação, não fosse por uma grande diferença: a educação é um processo pessoal, a pessoa deseja educar-se e escolhe o que irá aprender, a educação visa a liberdade e a autonomia. Já a doutrinação é realizada a despeito da vontade da vítima e visa a submissão e o controle mental. Não é à toa que os campos de concentração da URSS e da Alemanha nacional-socialista eram chamados de “campos de reeducação”.




Atualmente no Brasil há uma hegemonia de esquerda, ou comunista, socialista, progressista etc. (são sinônimos, de fato) e temos gerações e gerações de brasileiros doutrinados, vítimas desse contexto histórico. As evidências disso são muitas, de livros didáticos completamente deturpados e professores doutrinadores até as transformações radicais morais, físicas e psíquicas em jovens cooptados pela esquerda.




O perfil atual de nossa juventude (censurado inúmeras vezes nas redes sociais) revelou recentemente centenas de casos reais de jovens se transformando em seguidores radicais e fanáticos do culto esquerdista, vítimas de um processo exatamente idêntico ao de uma seita pós-apocalíptica. Engana-se quem pensa que esse é um perfil de humor. Ao contrário, essa iniciativa é um alerta, é uma página que revela histórias tristes, verdadeiros dramas da existência humana.





Precisamos entender com muita tranquilidade que o debate e confronto de idéias é uma arte que exige alguns cuidados e habilidades. Não é briga, nem discussão. É uma ponderada partilha de pontos de vista para chegar à conclusões mais amplas e aprofundadas. Algumas pessoas ao ver um debate acalorado até imaginam que aquelas pessoas estão brigando. Mas o verdadeiro debate, mesmo quente, procura concentrar a atenção sobre o objeto debatido e não parte para a agressão física ou moral das pessoas envolvidas no debate. Quem acha que possui todas as certezas (Não é o meu caso, mas parece ser o seu), não precisa de debates. Este gênero de aprendizagem é para quem tem ouvidos de discípulo, ou seja, disposto a superar paradigmas e apreender.Todo debate parte de uma dúvida. Existe no coração de um bom debate uma INTERROGAÇÃO, que em filosofia chamamos de PROBLEMA. Uma tese de doutorado não é nada mais do que uma boa resposta para um ótima pergunta, que até o momento ninguém conseguiu responder. Na pesquisa debatemos com nossos interlocutores nos livros.




O filósofo René Descartes (1596), em seu DISCURSO SOBRE O MÉTODO, formula o conceito de “dúvida metódica”. Segundo ele é preciso colocar as nossas certezas em dúvida para chegar à verdade absoluta. A dúvida metódica não é uma “duvida séria”, ou seja, algo que desequilibra meu universo de certezas. Duvido para não ficar aprisionado a uma certeza equivocada. Neste sentido a dúvida não é uma insegurança, mas uma sábia humildade.




Quando debatemos devemos ter a coragem de fazer muitas perguntas. Algumas pessoas fogem do debate como se fosse algo perverso. Ou se apressam em chegar a uma conclusão categórica e individual. Este tipo de postura normalmente nos empobrece. Sábios são humildes, pois sabem que não sabem e por isso estão abertos a aprender mais. Orgulhosos são medíocres, pois achando que sabem tudo, fecham para si mesmo a possibilidade de aprender mais. Na falta de contra-argumentos sobra apenas ofensas ao mentor da provocação. Esta é a forma mais fácil e rústica que inventaram para escapar de uma discussão saudável. O provocador fica sem resposta e é obrigado a ver e ler um monte de besteiras que não geram frutos, nem muito menos conhecimento.




Quando nos fechamos em nossos julgamentos, desqualificamos qualquer argumento,e invalidamos qualquer prova, mesmo que convincente, que não se ajustem a eles.Nada que mereça ser chamado de verdade pode ser alcançado por este método...Porque "O sábio discute idéias. O comum discute fatos. Mas o medíocre discute pessoas."


Qual você escolhe doravante ?


Curta este artigo :

+ Comentário. Deixe o seu! + 2 Comentário. Deixe o seu!

20 de setembro de 2016 21:55

Perfeito este texto,as vezes me sinto assim,por causa destas situações,já recebi algumas ameaças na vida,pois pensam que o jovem tem o direito de ficar somente calado e aceitar uma ideologia marxista,como se fosse um dogma.

21 de setembro de 2016 08:37

Prezada Amandinha,

Que Deus lhe abençoe e lhe de a graça da fidelidade de ser sempre você mesma!

Ame você a mesma, seja quem você é, nunca deixe ninguém dizer o que você deveria ou não deveria ser, porque você nasceu assim, do jeito que Deus lhe fez. Ele nunca erra, e te ama como você é.

Não somos aquilo que pensamos de nós, nem o que os outros pensam de nós, mas somos aquilo que Deus pensa de nós (Santa Teresinha do menino Jesus).

Não seja nunca uma Maria vai com as outras, seja você mesma e faça a diferença.Não seja ninguém além de você mesma. Estamos em um mundo de constantes mudanças, e feliz é aquele que luta para continuar a ser o mesmo, ou seja fiel a seus princípios. Seja você mesma, porque ou somos nós mesmos ou não somos coisa nenhuma!!!

‘’Vós sois o sal da terra . Mas , se o sal perder o sabor com que se há de salgar ? Para nada mais serve senão para ser lançado fora e pisado pelos homens . vós sois a luz do mundo . Não se pode esconder uma cidade construída sobre um monte . Nem se acende uma lâmpada e se coloca debaixo de uma vasilha , mas no candelabro e assim ilumina a todos os que estão na casa . Assim brilhe a vossa luz diante dos homens , para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem ao vosso pai que está nos céus.’’(Mateus 5,13-16).

Postar um comentário

Conforme a lei o blog oferece o DIREITO DE RESPOSTA a quem se sentir ofendido, desde que a resposta não contenha palavrões e ofensas de cunho pessoal e generalizados.Serão analisadas e poderão ser ignoradas e ou, excluídas.

Quem sou eu?

Minha foto
CIDADÃO DO MUNDO, NORDESTINO COM ORGULHO, Brazil
Neste Apostolado promovemos a “EVANGELIZAÇÃO ANÔNIMA", pois neste serviço somos apenas o Jumentinho que leva Jesus e sua verdade aos Povos. Portanto toda honra e Glória é para Ele.Cristo disse-nos:Eu sou o caminho, a verdade e a vida e “ NINGUEM” vem ao Pai senão por mim." ( João, 14, 6).Como Católicos,defendemos a verdade, contra os erros que, de fato, são sempre contra Deus.Cristo não tinha opiniões, tinha verdades, a qual confiou a sua Igreja, ( Coluna e sustentáculo da verdade – Conf. I Tim 3,15) que deve zelar por elas até que Cristo volte.Quem nos acusa de falta de caridade mostra sua total ignorância na Bíblia,e de Deus, pois é amor, e quem ama corrige, e a verdade é um exercício da caridade.Este Deus adocicado,meloso,ingênuo, e sentimentalóide,é invenção dos homens tementes da verdade, não é o Deus revelado por seu filho: Jesus Cristo.Por fim: “Não se opor ao erro é aprová-lo, não defender a verdade é nega-la” - ( Sto. Tomáz de Aquino)

As + lidas!

 
Support : Creating Website | Johny Template | Mas Template
Copyright © 2013. O BERAKÁ - All Rights Reserved
Template Created by Creating Website Published by Mas Template
Proudly powered by Blogger