A mera veiculação, ou reprodução de matérias e entrevistas deste blog não significa, necessariamente, adesão às ideias neles contidas. Tal material deve ser considerado à luz do objetivo informativo deste blog, não sendo a simples indicação, ou reprodução a garantia da ortodoxia de seus conteúdos. Os comentários devem ser respeitosos e relacionados estritamente ao assunto do post. Toda polêmica desnecessária será prontamente banida. Todos os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam, de maneira alguma, a posição do blog. Não serão aprovados os comentários escritos integralmente em letras maiúsculas, ou CAIXA ALTA. A edição deste blog se reserva o direito de excluir qualquer artigo ou comentário que julgar oportuno, sem demais explicações. Todo material produzido por este blog é de livre difusão, contanto que se remeta nossa fonte.
Home » » A Odisséia de Homero - Como resistir ao "Canto da Sereia" ?

A Odisséia de Homero - Como resistir ao "Canto da Sereia" ?

Written By Beraká - o blog da família on segunda-feira, 20 de agosto de 2018 | 23:57









O livro "Odisséia" foi escrito por Homero a quase três mil anos. É um dos textos mais fantásticos já escritos por um ser humano. Ele faz parte de um conjunto de narrativas feitas por Homero, (ou simplesmente "Homer" que seria a forma mais correta de pronuncia de seu nome).A Odisséia conta a história de Ulisses que era rei da ilha de Ítaca e se juntou a outros gregos na guerra contra Troia, mas depois que eles vencem a guerra, Ulisses e seus homens acabaram passando incríveis aventuras tentando voltar pra casa navegando pelo Mediterrâneo.Cada capítulo da Odisséia, narra uma situação que Ulisses enfrentou, até finalmente conseguir voltar pra casa, para seu reino e para sua esposa Penélope.Uma curiosidade é que todo o livro é narrado em forma de poemas, o livro é na verdade um grande poema.











Diferente de outros heróis gregos, Ulisses não é um deus, ou um semideus e nem uma figura mitológica, ele é apenas um ser humano que luta contra diversas forças pra conseguir voltar pra casa.Homero usa a mitologia grega para criar os cenários dos desafios que Ulisses encontrou, desta forma Homero demonstra que muitos desafios que enfrentamos tem origens em forças que não entendemos e não temos domínio, além disso, Homero também usa a mitologia para criar metáforas aonde os símbolos tem fortes significados.Quando conseguimos compreender os significados de toda a simbologia que Homero usa, percebemos com clareza as virtudes que Ulisses tinha, que na verdade são as virtudes que todos nós precisamos ter para superar os desafios da vida.


Acredita-se que Homero nasceu a 1100 anos antes de Cristo. Algumas lendas dão conta de que ele nasceu na ilha de Ítaca e que era neto do rei Ulisses, se isso for verdade talvez o texto seja uma homenagem ao seu avô que foi um personagem real.



É exatamente no capitulo XII da Odisséia, onde  narra que Ulisses e seus homens nesta jornada, tentando voltar pra casa, iriam navegar próximos a ilha de Capri, uma ilha rochosa cheia de sereias.Ulisses sabe que as sereias tem um poder de encanto sobre os homens e eles iriam acabar jogando o navio contra as pedras, e todos morreriam.



A saída de Ulisses foi colocar uma cera que tapou os ouvidos dos marinheiros enquanto passavam nos arredores da ilha. Contudo Ulisses não colocou nenhuma tapagem no seu próprio ouvido, todavia ele pediu para ser amarrado no mastro da embarcação, e deu ordens que só fosse desatado quando tivessem concluído a passassem por aquela ilha. O texto disse que enquanto passavam próximos a ilha, Ulisses ouviu as Sereias e gritava desesperadamente para ser desamarrado, mas seu homens não o ouviam, assim como também não ouviam as sereias que encantavam Ulisses. Assim Ulisses foi capaz de ouvir o canto da sereia e sobreviver.








Antes de tudo, temos que entender de onde vem o mito das sereias e ai então entenderemos seu significado.A maioria dos estudos sobre a origem do mito das sereias, crê que a lenda das sereias surgiu por causa do som que ventos faziam quando batiam nas pedras escarpadas de algumas ilhas do Mediterrâneo.Os ventos uivantes batiam nas rochas, e reverberavam por causa das águas. Isso geravam um som suave e agudo que era confundido com canto de mulheres.Os marinheiros naquela época, quando não havia nenhuma tecnologia, vivam meses no mar conduzindo suas embarcações a base da força bruta, longe de suas mulheres e longe de qualquer companhia feminina, e isso os tornava extremamente carentes de um afago e de um carinho feminino, além obviamente da imensa carência sexual.O som suave que era gerado nos rochedos funcionava como um gatilho na mente daquele homens que chegava a gerar miragens de mulheres, algo semelhante ao que acontece com quem caminham pelo deserto e deseja tanto encontrar água, que vê água aonde só existe areia.Acredita-se que muitos navegantes realmente tenham morrido ao se jogar nas águas acreditando que encontrariam lindas mulheres na praia, mas foram lançados contras pedras pelas ondas e perderam suas vidas.A partir dai a imaginação humana se encarregou de formatar o mito das sereias, dizendo que elas tinham calda de peixe e corpo de mulher, poderes mágicos, a descendência dos deuses, etc.





O canto da sereia acabou se tornando sinônimo para toda a sedução que o ser humano sofre (e muitas vezes cai), aonde a pessoa deixa de usar a razão por causa das suas necessidades  mais urgentes e acaba sendo iludido e pagando um preço caro.Todos nós temos carências afetivas, emocionais, sexuais, financeiras, etc e muitas vezes somos iludidos quando surge uma falsa situação que possa atender as nossas necessidades.


Mas existe um outro aspecto muito importante na compreensão do mito das sereias que tem a ver com nossa fragilidade mediante as nossas carências.Quando entendemos que as sereias são uma miragem, percebemos que existe um perigo mortal em ver as coisas como queremos que elas sejam e não como elas realmente são.Muitas vezes olhamos as pessoas, coisas e situações não como realmente são, mas como gostaríamos que elas fossem. Acabamos como os marinheiros que viam lindas mulheres aonde só haviam ventos, pedras e água fria. É terrivelmente destrutivo pra nossas vidas quando vemos o que queremos ver.



Mas quando Homero descreve como Ulisses faz para sobreviver ao canto da sereia, é de uma genialidade tremenda, porque ele exalta várias características imprescindíveis para que nós não sejamos vítimas de nossas próprias carências.Primeiro ele narra que Ulisses pediu para ser amarrado no mastro do barco.Fantástico porque isso vai na contra mão dos heróis modernos.Heróis modernos são aqueles que tem poderes especiais, eles superam qualquer coisa, vencem qualquer obstáculos, se autoafirmam o tempo todo, os heróis modernos são na realidade um retrato da nossa sociedade, aonde as pessoas o tempo inteiro tentam se mostrar melhores, mais fortes, mais competentes e mais inteligentes.Ulisses é o oposto de tudo isso. Ao pedir para ser amarrado ele está reconhecendo que como qualquer ser humano ele também tem carências, ele também pode cair no canto da sereia.Ele é capaz de reconhecer sua fragilidade e sua humanidade na presença dos seus soldados, mas é isso que faz dele um forte.Ao mesmo tempo que reconhece sua humanidade e sua vulnerabilidade, ele usa a inteligencia para sobreviver.Isso revela o caráter do herói, ele não é um super homem como disse de forma tola o filósofo Nietzsche, mas ele é apenas um homem, que reconhece que é homem, e se articula. Consciente de sua fragilidade, ele age para superar sua condição limitada e ouvir o canto da sereia sem cair na sua cilada.


Por último, ser amarrado no mastro do barco tem outra simbologia. Aquela embarcação era que estava levando Ulisses para seu objetivo, seu propósito. Ao ser amarrado no mastro, ele está simbolizando que estar preso, ligado, comprometido, com seus objetivos de vida, não o deixa cair no canto da sereia.Seu objetivo era mais forte que sua carência por isso ele não se deixou levar pelo canto da sereia.Ele conseguiu evitar se lançar ao mar estando preso ao seu propósito de vida, e quando finalmente chegou em casa, ele resolveu toda sua carência nos braços da mulher que tanto amava.




MORAL DO MITO:



Por que Ulisses apenas não tapou os próprios ouvidos, assim como ele mesmo fez com o restante da tripulação, ao invés de passar por essa agonia toda?



De fato ele poderia ter tampado os ouvidos como ele mesmo fez com todo o resto da tripulação, mas Homero queria trabalhar o conceito de quem são os verdadeiros heróis. Então para ele o herói é alguém que resiste a sua necessidade por estar preso ao seu propósito e ao seu objetivo, então ele cria esta metáfora para exemplificar que o verdadeiro herói, é aquele que reconhece seus limites e fraquezas, mas mesmo assim diz “não” para suas carências, ainda que debaixo de muita dor, porque está amarrado no seu propósito de fidelidade à aquilo que realmente lhe importa, e pelo qual já fez várias renúncias, para ser fiel a este mesmo propósito.



----------------------------------------------------------




Apostolado Berakash – Trazendo a Verdade: Se você gosta de nossas publicações e caso queira saber mais sobre determinado tema, tirar dúvidas, ou até mesmo agendar palestras e cursos em sua paróquia, cidade, pastoral, e ou, movimento da Igreja, entre em contato conosco  pelo e-mail:



filhodedeusshalom@gmail.com



Curta este artigo :

Postar um comentário

Conforme a lei o blog oferece o DIREITO DE RESPOSTA a quem se sentir ofendido(a), desde que a resposta não contenha palavrões e ofensas de cunho pessoal e generalizados.Os comentários serão analisados criteriosamente e poderão ser ignorados e ou, excluídos.

Quem sou eu?

Minha foto
CIDADÃO DO MUNDO, NORDESTINO COM ORGULHO, Brazil
Neste Apostolado promovemos a “EVANGELIZAÇÃO ANÔNIMA", pois neste serviço somos apenas o Jumentinho que leva Jesus e sua verdade aos Povos. Portanto toda honra e Glória é para Ele.Cristo disse-nos:Eu sou o caminho, a verdade e a vida e “ NINGUEM” vem ao Pai senão por mim." ( João, 14, 6).Como Católicos,defendemos a verdade, contra os erros que, de fato, são sempre contra Deus.Cristo não tinha opiniões, tinha verdades, a qual confiou a sua Igreja, ( Coluna e sustentáculo da verdade – Conf. I Tim 3,15) que deve zelar por elas até que Cristo volte.Quem nos acusa de falta de caridade mostra sua total ignorância na Bíblia,e de Deus, pois é amor, e quem ama corrige, e a verdade é um exercício da caridade.Este Deus adocicado,meloso,ingênuo, e sentimentalóide,é invenção dos homens tementes da verdade, não é o Deus revelado por seu filho: Jesus Cristo.Por fim: “Não se opor ao erro é aprová-lo, não defender a verdade é nega-la” - ( Sto. Tomáz de Aquino) “Não a nós, Senhor, não a nós, mas ao vosso nome dai glória...” (Salmo 115,1)

As + lidas!

 
Support : Creating Website | Johny Template | Mas Template
Copyright © 2013. O BERAKÁ - All Rights Reserved
Template Created by Creating Website Published by Mas Template
Proudly powered by Blogger