A mera veiculação, ou reprodução de matérias e entrevistas deste blog não significa, necessariamente, adesão às ideias neles contidas. Tal material deve ser considerado à luz do objetivo informativo deste blog, não sendo a simples indicação, ou reprodução a garantia da ortodoxia de seus conteúdos. Os comentários devem ser respeitosos e relacionados estritamente ao assunto do post. Toda polêmica desnecessária será prontamente banida. Todos os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam, de maneira alguma, a posição do blog. Não serão aprovados os comentários escritos integralmente em letras maiúsculas, ou CAIXA ALTA. A edição deste blog se reserva o direito de excluir qualquer artigo ou comentário que julgar oportuno, sem demais explicações. Todo material produzido por este blog é de livre difusão, contanto que se remeta nossa fonte.
Home » , » Por que os CRISTÃOS acreditam no absurdo da RESSURREIÇÃO e não na RE- ENCARNAÇÃO ?

Por que os CRISTÃOS acreditam no absurdo da RESSURREIÇÃO e não na RE- ENCARNAÇÃO ?

Written By Beraká - o blog da família on segunda-feira, 1 de julho de 2013 | 09:43





1)- Paulo não achava que a fé dos cristãos se baseava numa mentira. Ele sabia que Jesus havia sido levantado dentre os mortos e, em sua carta aos coríntios, alistou as evidências disso: ‘Cristo morreu pelos nossos pecados, segundo as Escrituras; foi enterrado; foi ressuscitado no terceiro dia, segundo as Escrituras; e apareceu a Cefas, depois aos doze.’ Então, Paulo acrescentou: “Depois disso apareceu a mais de quinhentos irmãos de uma só vez, a maioria dos quais permanece até o presente, mas alguns já adormeceram na morte. Depois disso apareceu a Tiago, e então a todos os apóstolos; mas, por último de todos, apareceu também a mim.” — 1 Coríntios 15:3-8.

 



2)- Por que Paulo tinha tanta certeza disso? Um dos motivos era a grande quantidade de testemunhas oculares. O ressuscitado Jesus apareceu a indivíduos (incluindo o próprio Paulo), a pequenos grupos e até a uma multidão de 500 pessoas, incluindo muitos que nem mesmo acreditaram quando ouviram que Jesus havia sido ressuscitado. (Lucas 24:1-11) A maioria dessas testemunhas oculares ainda vivia nos dias de Paulo, e elas podiam ser consultadas para confirmar que Jesus havia aparecido nessas ocasiões. (1 Coríntios 15:6) O testemunho de uma ou duas pessoas poderia facilmente ser rejeitado, mas não o de 500 pessoas ou mais.


3)- Apesar da confirmação de testemunhas oculares e das Escrituras, havia e ainda há pessoas que duvidam que Jesus tenha sido ressuscitado. Alguns dizem que seu corpo foi roubado por seus discípulos, que então afirmaram ter testemunhado a ressurreição. Mas os discípulos não tinham nem autoridade nem influência para passar pelos soldados romanos que estavam de guarda na entrada do túmulo. Outros dizem que os aparecimentos de Jesus após sua ressurreição foram apenas ilusões. Mas o fato de esses aparecimentos terem sido vistos por muitas pessoas e em diferentes ocasiões contradiz essa teoria. Além disso, seria razoável acreditar que uma ilusão cozinhou e serviu peixes, como Jesus fez na Galileia depois de ter sido ressuscitado? (João 21:9-14) Será que os discípulos poderiam tocar numa ilusão? — Lucas 24:36-39.



4)- Ainda outros afirmam que a ressurreição foi uma mentira inventada pelos discípulos. Mas o que eles ganhariam com isso? Dar testemunho sobre a ressurreição expôs os discípulos a zombaria, sofrimento e morte. Por que eles se arriscariam tanto por uma mentira? Além disso, eles deram testemunho primeiro em Jerusalém, bem à vista de seus opositores, que estariam atentos a qualquer motivo que pudessem usar para condená-los.



5)- PORTANTO: A ressurreição foi justamente o que encorajou os discípulos a dar testemunho de seu Senhor mesmo diante da mais violenta perseguição. A realidade da ressurreição se tornou uma parte central da fé cristã. Os primeiros cristãos não arriscaram a vida apenas para falar de um instrutor sábio que foi assassinado. Eles arriscaram a vida para proclamar a ressurreição de Jesus porque ela provava que ele era o Cristo, o Filho de Deus, uma pessoa poderosa que os apoiava e orientava.Era impossível portanto, darem as suas vidas por uma DOUTRINA RELAXADA como o ESPIRITISMO que adia tudo para depois.




6)- E SE CRISTO NÃO TIVESSE SIDO RESSUSCITADO?
Alguns cristãos na Corinto antiga estavam confusos sobre essa questão, e outros simplesmente não acreditavam na ressurreição literal. Em sua primeira carta aos cristãos ali, Paulo disse quais seriam as consequências se a ressurreição não fosse uma realidade: “Se, deveras, não há ressurreição dos mortos, tampouco Cristo foi levantado. Mas, se Cristo não foi levantado, a nossa pregação certamente é vã e a nossa fé é vã. Além disso, somos também achados como falsas testemunhas de Deus . A vossa fé é inútil; ainda estais em vossos pecados. Também pereceram os que adormeceram na morte em união com Cristo.” — 1 Coríntios 15:13-18.



7)- PAULO FAZ UMA DECLARAÇÃO DESAFIANTE E OUSADA EM 1 Coríntios 15,13-18: “
Se a ressurreição dos mortos não fosse uma realidade, Cristo não poderia ter sido ressuscitado. Se Cristo não tivesse sido ressuscitado, o que aconteceria? A pregação das boas novas seria inútil, uma grande farsa. Afinal, a ressurreição de Cristo era um dos elementos principais da fé cristã, pois estava inseparavelmente ligada a alguns dos ensinamentos bíblicos mais básicos sobre a soberania de Deus, seu nome, seu Reino e nossa salvação. Se a ressurreição não tivesse ocorrido, a mensagem que Paulo e outros apóstolos proclamavam não passaria de palavras sem valor.”


8)- Outras consequências se seguiriam:Se Cristo não tivesse sido levantado dentre os mortos, a fé cristã seria inútil, vazia, uma fraude. Além disso, Paulo e outros teriam mentido não apenas a respeito da ressurreição de Jesus, mas também sobre aquele que o havia ressuscitado, Javé o Deus Todo Poderoso. E o que é pior, a afirmação de que Cristo “morreu pelos nossos pecados” também seria falsa. Afinal, se o próprio Salvador não tivesse sido salvo da morte, como poderia salvar outros? (1 Coríntios 15:3) Isso significaria que os cristãos que haviam morrido, em alguns casos como mártires, teriam falecido com a falsa esperança de que seriam ressuscitados. Paulo, como outros cristãos, havia sofrido perdas, passado por perseguições e sofrimentos e enfrentado a morte porque acreditava na ressurreição e em todas as coisas que ela tornaria possível. Tudo isso teria sido inútil se a ressurreição fosse uma mentira.



Portanto, contra FATOS não existem argumentos Contrários,mas apenas falácias.


“ Leia a bíblia sagrada e que o Deus todo poderoso e misericordioso te abençoe, te guarde e te mostre a verdadeira luz que é Cristo, pois nem tudo que brilha é ouro”
Curta este artigo :

+ Comentário. Deixe o seu! + 4 Comentário. Deixe o seu!

5 de julho de 2013 19:32

Respondi esta pergunta no Yahoo Respostas e ela foi escolhida como " Melhor Resposta " . Você pediu que eu provasse o que tinha dito à respeito da retirada da Doutrina da Reencarnação da Bíblia e sua substituição pela Ressurreição e eu pediu que eu citasse a fonte que consultei , AFIRMANDO QUE VIRARIA ESPIRITA. Eu respondi outra pergunta e contei minha vida religiosa e recebi os dez pontos pela " Melhor Resposta " e citei a fonte que consultei e disse que não queria converter ninguém e você vem me criticar pedindo uma fonte " neutra ' e pede que eu leia o seu blogue . Eu escrevi que respeito muito a igreja católica ; pois ; nasci em um lar católico mas com o tempo percebi vários erros cometidos pelos católicos mas não os critiquei , simplesmente parti da igreja católica e procurei um novo caminho e este caminho eu achei no Kardecismo . Vou citar só um erro que encontrei na igreja Católica - Você dizem que o PAPA é infálivel ; é o mesmo que termos Dois DEUSES ; pois; só DEUS é infalivel . Não podemos ter um DEUS no céu e outro na Terra. Mas mesmo assim não os critico ; pois ; apreendi que temos que AMAR E RESPEITAR O NOSSO PRÓXIMO MESMO QUE ELE ESTIVER COMETENDO ERROS.

6 de julho de 2013 22:00

Prezado Espírita Walter Satas,

Deve ter sido um dos seguidores de nosso apostolado que o desafiou, e pelo visto você não pode responder o desafio à altura, pois segundo sua afirmação acima foi pedido as provas oriundas de FONTES NEUTRAS para as suas afirmações de adulteração, no qual vc só enrolou, contornou, saiu pela tangente e provas que é bom mesmo, não apresentou nenhuma!!! e ficamos ansiosamente no aguardo.

Você como Católico nos fez um grande favor em ter saído, pois católico frouxo, sem nervos e desconhecedor da doutrina católica da sua marca, é melhor sair mesmo, ficamos grato. Com relação aos erros, que pelo visto segundo seu julgamento só existem na Igreja Católica, e no espiritismo e por consequência os espíritas SÃO TODOS PERFEITOS, lhe digo o seguinte: Se uma casa tá com goteiras qual a solução caro Walter ? Concertar o telhado ou sair da casa e ficar atirando mais pedras ? Vc agiu como um covarde e jamais poderá receber nosso aplauso.

Com relação a infalibilidade, que é diferente de impecância, pois o Papa peca e humildemente se confessa regularmente a um simples sacerdote.Precisam entender que na infalibilidade do MAGISTÉRIO PETRINO é em virtude do auxílio do Esp. Santo que não erra em virtude da nossa Salvação, o papa jamais poderia ensinar algo errado e que nos levasse para o inferno caro Walter, simples assim, entendeu ? ou quer que eu desenhe ?

O papa caro Walter é infalível somente quando ensina para toda a Igreja, e não expressando opinião pessoal. Só é infalível usando o poder dado por Cristo a Pedro,(Mateus 16,18),ao tratar de Fé e de moral e definindo uma questão que implica questão de Salvação, ou condenação eterna, pois assim está escrito em Mateus 16,18: O que ligares na terra será ligado nos Céus...E o papa não pode ligar erros aos Céus caro Walter.

Esperando tê-lo esclarecido,

Shalom !!!


10 de novembro de 2015 08:39

http://cafehistoria.ning.com/profiles/blogs/paguei-pra-ver

Quando iniciei a minha pesquisa histórica acerca da origem do cristianismo senti-me profundamente incomodado com a historiografia oficial. Um não crente como eu percebe prontamente que essa historiografia está seriamente contaminada pela fé. O acatamento da Bíblia não é científico. Claro que o propósito da nossa cultura era lastrear a fé cristã e fortalecê-la constantemente. Para isso, serviu-se da história como um mero instrumento utilitário de convencimento. Se a Igreja dissesse que preto era branco, todos tinham que acreditar piamente. Especialmente os professores, que eram sustentados por ela. Não havia escola que não fosse cristã.

Não é difícil imaginar o resultado disso séculos a fio. Desse modo, o absurdo passou a se tornar natural, pois a proteção à fé estava acima de tudo. É ai que surge uma questão moral da maior relevância pela sua contradição: a obrigação da academia seria zelar pelo ensino honesto de história [a honestidade é um dos valores basilares do cristianismo] ou dar guarida às necessidades da religião, por mais justificável que isso possa parecer?

10 de novembro de 2015 23:50

Prezado Ivani Medina que quer entrar para o modismo do ateísmo,

Por que deveríamos acreditar em Deus?


Porque os argumentos e evidências que apontam para a Sua existência são mais plausíveis do que aqueles que apontam para a negação. Vários argumentos dão força à ideia de que Deus existe. Ele é a melhor explicação para a existência de tudo a partir de um momento no passado finito, e também a para o ajuste preciso do universo, levando ao surgimento de vida inteligente. Deus também é a melhor explicação para a existência de deveres e valores morais objetivos no mundo. Com isso, quero dizer valores e deveres que existem independentemente da opinião humana.


1)-Se Deus é bondade e justiça, por que ele não criou um universo perfeito onde todas as pessoas vivem felizes?


O fato de que o desejo de Deus não é realizado implica que os seres humanos possuem livre-arbítrio. Não concordo com os teólogos que dizem que Deus determina quem é salvo ou não. Parece-me que os próprios humanos determinam isso. A única razão pela qual algumas pessoas não são salvas é porque elas próprias rejeitam livremente a vontade de Deus de salvá-las.Penso que o determinismo, racionalmente, não passa de absurdo. Não é possível acreditar racionalmente nele. Portanto, a atitude racional é negá-lo e acreditar que existe o livre-arbítrio.




2)-Se o terrorista é cristão o ato terrorista motivado pela religião é justificável, por ele acreditar no Deus ‘certo’?


Não é suficiente acreditar no deus certo. É preciso garantir que os comandos divinos estão sendo corretamente interpretados. Não acho que Deus dê esse tipo de comando hoje em dia. Os casos do Velho Testamento, como a conquista de Canaã, não representam a vontade normal de Deus.





3)-O textos da Bíblia passaram por diversas revisões ao longo do tempo. Como podemos ter certeza de que as informações às quais temos acesso hoje são as mesmas escritas há 2.000 anos? Além disso, como lidar com o fato de que informações podem ser perdidas durante a tradução?


Realmente há variedade de revisões e traduções. Por isso, é imperativo voltar às línguas originais nas quais esses textos foram escritos. Hoje, os críticos textuais comparam diferentes manuscritos antigos de modo a reconstruir o que os originais diziam. O Novo Testamento é o livro mais atestado da história antiga, seja em termos de manuscritos encontrados ou em termos de quão próximos eles estão da data original de escrita. Os textos já foram reconstruídos com 99% de precisão em relação aos originais. As incertezas que restam são trivialidades.

Shalom !!!

Postar um comentário

Conforme a lei o blog oferece o DIREITO DE RESPOSTA a quem se sentir ofendido, desde que a resposta não contenha palavrões e ofensas de cunho pessoal e generalizados.Serão analisadas e poderão ser ignoradas e ou, excluídas.

Quem sou eu?

Minha foto
CIDADÃO DO MUNDO, NORDESTINO COM ORGULHO, Brazil
Neste Apostolado promovemos a “EVANGELIZAÇÃO ANÔNIMA", pois neste serviço somos apenas o Jumentinho que leva Jesus e sua verdade aos Povos. Portanto toda honra e Glória é para Ele.Cristo disse-nos:Eu sou o caminho, a verdade e a vida e “ NINGUEM” vem ao Pai senão por mim." ( João, 14, 6).Como Católicos,defendemos a verdade, contra os erros que, de fato, são sempre contra Deus.Cristo não tinha opiniões, tinha verdades, a qual confiou a sua Igreja, ( Coluna e sustentáculo da verdade – Conf. I Tim 3,15) que deve zelar por elas até que Cristo volte.Quem nos acusa de falta de caridade mostra sua total ignorância na Bíblia,e de Deus, pois é amor, e quem ama corrige, e a verdade é um exercício da caridade.Este Deus adocicado,meloso,ingênuo, e sentimentalóide,é invenção dos homens tementes da verdade, não é o Deus revelado por seu filho: Jesus Cristo.Por fim: “Não se opor ao erro é aprová-lo, não defender a verdade é nega-la” - ( Sto. Tomáz de Aquino)

As + lidas!

 
Support : Creating Website | Johny Template | Mas Template
Copyright © 2013. O BERAKÁ - All Rights Reserved
Template Created by Creating Website Published by Mas Template
Proudly powered by Blogger