A mera veiculação, ou reprodução de matérias e entrevistas deste blog não significa, necessariamente, adesão às ideias neles contidas. Tal material deve ser considerado à luz do objetivo informativo deste blog, não sendo a simples indicação, ou reprodução a garantia da ortodoxia de seus conteúdos. Os comentários devem ser respeitosos e relacionados estritamente ao assunto do post. Toda polêmica desnecessária será prontamente banida. Todos os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam, de maneira alguma, a posição do blog. Não serão aprovados os comentários escritos integralmente em letras maiúsculas, ou CAIXA ALTA. A edição deste blog se reserva o direito de excluir qualquer artigo ou comentário que julgar oportuno, sem demais explicações. Todo material produzido por este blog é de livre difusão, contanto que se remeta nossa fonte.
Home » » Meu corpo, Minhas regras ?

Meu corpo, Minhas regras ?

Written By Beraká - o blog da família on quinta-feira, 12 de novembro de 2015 | 18:06







 
Atores e a antiética na sociedade atual


(Por Ivanaldo Santos - Filósofo)


Recentemente os brasileiros, sobretudo os internautas, tiveram acesso a um vídeo chamado: “Meu corpo, minhas regras”. O vídeo foi criado após uma polêmica envolvendo um filme chamado: “Olmo e a Gaivota”, que é um misto de documentário e ficção, onde se retrata o drama de uma atriz que se prepara para uma peça teatral e descobre que está grávida.Tal filme, porém, tem passado por uma forte crítica, dentre outros fatores, por fazer uma radical defesa do aborto.





Por causa disso, alguns atores, de uma das mais influentes emissoras de TV do Brasil, resolveram fazer um vídeo defendendo a tese de que o “aborto é uma opção da mulher e não um crime”. Tal vídeo, mais do que o próprio filme, gerou uma onda de protestos contra o aborto e contra os atores envolvidos. Portanto, não desejamos aqui aprofundar as críticas, mas apenas realizar seis afirmações:


1- O vídeo “Meu corpo, minhas regras” é simplório e se limita a repetir argumentos clássicos a favor do aborto, tipo: “o corpo é da mulher e ela tem o direito de abortar”, “só quem é contra o aborto são religiosos”, etc. Isso demonstra que, em tese, os grupos que defendem o aborto estão desatualizados, pois nas últimas décadas houve um grande avanço na ciência médica, na bioética, etc. Avanço que coloca em xeque ou simplesmente desmente todos esses argumentos.

2- Se o vídeo for levado a sério, teremos que forçadamente admitir que a gravidez é uma doença e o feto, o bebê no ventre a mãe, é um organismo maligno que precisa ser retirado o mais rápido possível. 


3-  O vídeo é preconceituoso. O motivo disso é que acusa os cristãos de serem os únicos culpados de existirem restrições ao aborto no Brasil. A questão é que todas as grandes tradições religiosas (judeus, islâmicos, etc) são contra o aborto. No entanto, os atores acusam apenas os cristãos.  Existe no vídeo um claro caso de descriminação religiosa, nesse caso discriminação contra os cristãos.


4- O vídeo pode ser enquadrado no que o filósofo Gilles Lipovetsky chama de a “ética indolor dos nossos dias”, onde as pessoas, nesse caso atores famosos e ricos, estão muito preocupadas com árvores, com ovos de tartarugas, com leões em algum lugar remoto da África, mas não se preocupam com a vida humana, não se preocupam com o próximo e com o vizinho. No mundo da antiética indolor, atores e intelectuais famosos e ricos fazem campanhas para salvar, por exemplo, ovos de tartarugas e para proteger leões marinhos, mas não conseguem enxergar e muito menos proteger as multidões escravas das drogas, que vivem nas “cracolândias” da vida, as multidões que vivem nos lixões ou as multidões de inocentes vítimas das clínicas de abortos.


5- Diante do vídeo: “Meu corpo, minhas regras”, é preciso ficar atento e até mesmo ter uma postura investigativa. Por que, afinal, atores, com altos salários, gravaram um vídeo agressivo defendendo o aborto? O que existe, afinal, por trás desse vídeo? É preciso ter coragem para desmascarar os interesses políticos, econômicos e ideológicos por trás de um vídeo com esse conteúdo. Esses atores não são pessoas inocentes defendendo a causa da morte. Pelo contrário, é gente bem paga, que sabe o que faz.


6- Por fim, é preciso constatar, com tristeza, que no atual modelo de sociedade o ser humano quase não tem valor. Dentro da antiética indolor, em que vivemos, o ser humano é a última espécie a ser observada, cuidada e protegida. E isso se aplica ao grupo humano mais frágil, ou seja, o bebê no ventre da mãe. A antiética indolor da sociedade atual está pouco se importando com os bebês. O problema é que os seres humanos não nascem das árvores ou de ovos de tartarugas. Os seres humanos nascem fruto da gravidez e da gestação. Bons tempos aqueles em que atores ricos e famosos defendiam a paz mundial ou o desarmamento. Hoje em dia eles defendem a antiética indolor, defendem o aborto e outras coisas da cultura da morte. 


Ivanaldo Santos - Filósofo


E-mail: ivanaldosantos@yahoo.ccom.br


Natal-RN, 12 de Novembro de 2015 – ZENIT

Curta este artigo :

Postar um comentário

Conforme a lei o blog oferece o DIREITO DE RESPOSTA a quem se sentir ofendido, desde que a resposta não contenha palavrões e ofensas de cunho pessoal e generalizados.Serão analisadas e poderão ser ignoradas e ou, excluídas.

Quem sou eu?

Minha foto
CIDADÃO DO MUNDO, NORDESTINO COM ORGULHO, Brazil
Neste Apostolado promovemos a “EVANGELIZAÇÃO ANÔNIMA", pois neste serviço somos apenas o Jumentinho que leva Jesus e sua verdade aos Povos. Portanto toda honra e Glória é para Ele.Cristo disse-nos:Eu sou o caminho, a verdade e a vida e “ NINGUEM” vem ao Pai senão por mim." ( João, 14, 6).Como Católicos,defendemos a verdade, contra os erros que, de fato, são sempre contra Deus.Cristo não tinha opiniões, tinha verdades, a qual confiou a sua Igreja, ( Coluna e sustentáculo da verdade – Conf. I Tim 3,15) que deve zelar por elas até que Cristo volte.Quem nos acusa de falta de caridade mostra sua total ignorância na Bíblia,e de Deus, pois é amor, e quem ama corrige, e a verdade é um exercício da caridade.Este Deus adocicado,meloso,ingênuo, e sentimentalóide,é invenção dos homens tementes da verdade, não é o Deus revelado por seu filho: Jesus Cristo.Por fim: “Não se opor ao erro é aprová-lo, não defender a verdade é nega-la” - ( Sto. Tomáz de Aquino)

As + lidas!

 
Support : Creating Website | Johny Template | Mas Template
Copyright © 2013. O BERAKÁ - All Rights Reserved
Template Created by Creating Website Published by Mas Template
Proudly powered by Blogger